Destaque ADEMI 2005

Vila Pan - Americana Agenco Engenharia e Construções

Marketing/Comercializaçaõ de Empreendimento de Grande Porte

A Vila Pan-americana é um empreendimento da iniciativa privada, conduzido pela Agenco. Uma das preocupações no lançamento desse produto estava em mostrar que os Jogos Pan- americanos de 2007, no Rio de Janeiro, inspiraram o conceito do empreendimento e definiram o prazo de entrega, mas sua concretização não dependeria da administração
pública.

Na operação, a Agenco responde como incorporadora e construtora e a Lakpar é a responsável pelo marketing. Como empreendimento imobiliário, a Vila Pan-americana tem conceito arquitetônico diferente de tudo o que já se ofereceu anteriormente e, por essa razão, compete em vantagem com as ofertas na região. Ela se baseia num princípio de hotelaria adaptado a um complexo residencial.

O espaço comum aos 17 prédios constitui-se de dois maravilhosos parques, somando 90 mil m2 de área verde. Também há o lago com três mil m² de espelho d'água, 9 piscinas e muito espaço para o lazer social ou práticas esportivas.


Todo esse esforço se concentrava numa etapa crucial para que fosse vencido o desafio empresarial. Era fundamental que tudo desse certo na etapa de cadastramento de interessados através do site. A publicidade deveria, de maneira bem agressiva, induzir o potencial comprador a cadastrar-se e decidir logo ou perder a chance única. E como a figura do corretor teria um papel
preponderante, era muito importante que "ele
comprasse a ideia para melhor vendê-la".

Foi aplicado a um produto de alto valor aquisitivo o conceito de compra por impulso. A partir do cadastramento de interessados, com apoio em comunicação, criou-se uma indução à escassez.
Isso realmente era uma verdade, pois não haverá no curto prazo outro empreendimento com os mesmos atributos. Concentrou-se toda a expectativa do público para a necessidade de uma decisão rápida no momento do pré-lançamento e do lançamento, já que a demanda era alta para uma oferta fixa de l.480 unidades.

Certamente, os resultados teriam sido muito afetados caso não houvesse um planejamento sério em logística. O investimento envolveu a programação de treinamento e qualificação de pessoal, criação de programa de incentivos, produção de material informativo e de divulgação, organização de eventos, organização de procedimentos para documentação e legalização das unidades vendidas e as ações para a continuidade da comercialização.

O resultado final superou as mais otimistas projeções. Em um único dia, que seria de pré-lançamento e mostrou-se mais do que isso, 90% das unidades foram comercializadas, com faturamento superior a U$ 100 milhões. Em menos de duas semanas foram 96% de unidades vendidas.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]