ADEMI em foco

Márcio Fortes comenta abertura do Túnel da Grota Funda

13.02.2004

Em depoimento ao site da ADEMI, o presidente Márcio Fortes comentou o anúncio da Prefeitura de que lançará o edital de abertura do Túnel da Grota Funda, alertando para alguns problemas ligados à falta de planejamento e de infraestrutura. Segundo ele, "o Túnel da Grota Funda faz parte do chamado Anel Rodoviário do Rio de Janeiro, que se propõe a fazer uma ligação periférica de toda a cidade no sentido de propiciar acessos a todos os lugares sem os cruzamentos e congestionamentos que hoje acontecem. Entretanto, particularmente no caso da Grota Funda existem temas que merecem atenção e riscos que podem ser evitados apenas com trabalho de planejamento".

O presidente lembrou que "a Baixada de Sepetiba, que fica no sentido oeste após a Serra da Grota Funda, tem localidades no seu trecho inicial, como Ilha, Marangá, Guaratiba e Engenho Novo, que ainda são, em sua imensa maioria, consideradas áreas rurais, ou componentes da chamada AP-5. Portanto, a mera abertura do Túnel da Grota Funda não se prestará à ocupação dessa área, já que praticamente é impossível a edificação formalizada naquela região".

Considerou, ainda que "mesmo que houvessem regras edilícias claras, com uma densidade bem adequada a uma ocupação ordenada, as condições de infraestrutura são inexistentes, em termos de fornecimento de água, em termos de retirada de esgoto e seu tratamento e em termos de drenagem da água de chuva. Não é também conhecido, com clareza, um projeto de transportes para a região, que propiciasse um estudo preciso da demanda de tráfego, e de origem e destino daqueles que vão utilizar o novo equipamento urbano".

É o caso, então, acrescentou Márcio Fortes, "de a Prefeitura, antes de lançar a licitação, uma vez que ela será integrada, exigindo capitais da iniciativa privada que depois poderá cobrar pedágio na rota, à semelhança da Linha Amarela, gastar um pouco de esforço de planejamento para ter essas definições. Porque senão, o Túnel da Grota Funda corre o perigo de servir apenas de escoadouro da população da Zona Oeste na direção do Recreio dos Bandeirantes e da Barra da Tijuca e não o contrário, como se pretende, que é estender a cidade para além do Túnel da Grota Funda, de modo ordenado, até para evitar o adensamento e o conseqüente aumento do favelamento da cidade".



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]