O Presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da ADEMI, José Conde Caldas participou na quinta-feira (05/11) do seminário "O resgate da zona portuária do Rio", que discutiu o projeto de revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro. No evento, promovido pelo Jornal do Commercio, Caldas afirmou que o projeto Porto Maravilha chegou no momento em que a cidade carece de áreas comerciais e que a região poderá ser uma opção de qualidade para suprir esta demanda.">
 
 

Releases

José Conde Caldas participa de seminário sobre o projeto Porto Maravilha

[

()

O Presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da ADEMI, José Conde Caldas participou nesta quinta-feira (05/11) do seminário "O resgate da zona portuária do Rio", que discutiu o projeto de revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro. No evento, promovido pelo Jornal do Commercio, Caldas afirmou que o projeto Porto Maravilha chegou no momento em que a cidade carece de áreas comerciais e que a região poderá ser uma opção de qualidade para suprir esta demanda . "Os futuros hotéis da Zona Portuária poderiam ser isentos do pagamento de Imposto Sobre Serviço (ISS) por até cinco anos. Dessa forma, mais empreendimentos seriam atraí­dos para a área. A melhoria da infra-estrutura da região e a construção de prédios comerciais são fatores importantes para atrair cada vez mais imóveis residenciais", enfatizou.

O prefeito da cidade, Eduardo Paes também esteve presente no seminário, realizado no Centro de Convenções Sul América, e destacou a importância dos empresários cariocas acreditarem ainda mais no projeto Porto Maravilha. Ele prometeu que as obras do projeto iniciado em 2009 vão sair do papel até dezembro. A intenção, segundo Paes, é implantar novas redes de esgotamento sanitário, água potável, energia elétrica, iluminação e gás. O prefeito também informou que será necessário investir mais R$ 100 milhões no projeto, cujo orçamento inicial era de R$ 200 milhões. O aumento de 50% no valor dos gastos servirá para o cumprimento das obras nas áreas de urbanização, habitação e interesse social.

O Projeto prevê que um milhão de metros quadrados seja totalmente reurbanizado. A fase inicial do Projeto Porto Maravilha prevê a revitalização completa da Praça e do Píer Mauá, a demolição da alça de subida do viaduto da Perimetral, a reurbanização do Morro da Conceição, a reforma do calçamento e da iluminação pública da região, além de obras para drenagem e a arborização das avenidas Barão de Tefé, Venezuela e Rodrigues Alves.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]