Com a presença da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, o prefeito Eduardo Paes assinou na última terça-feira  (10/11), no Palácio da Cidade, o licenciamento para a construção de 46.593 moradias populares, com R$ 250,7 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal,  oriundo de recursos do FGTS e do Orçamento Geral da União. As construções fazem parte do programa "Minha Casa, Minha Vida"  (MCMV) , do governo federal. O presidente da ADEMI, Rogério Chor, representou as construtoras no evento, recebendo do prefeito a autorização para construção de unidades dentro do programa.">
 
 

Releases

Prefeitura lança Programa Minha Casa, Minha Vida no Rio

[

()

Com a presença da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, o prefeito Eduardo Paes assinou na última terça-feira  (10/11), no Palácio da Cidade, o licenciamento para a construção de 46.593 moradias populares, com R$ 250,7 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal,  oriundo de recursos do FGTS e do Orçamento Geral da União. As construções fazem parte do programa "Minha Casa, Minha Vida"  (MCMV) , do governo federal. O presidente da ADEMI, Rogério Chor, representou as construtoras no evento, recebendo do prefeito a autorização para construção de unidades dentro do programa.

Para Eduardo Paes, a parceria com o setor privado é fundamental para o sucesso do Minha Casa, Minha Vida. "Prevejo a possibilidade de uma renovação no Rio. Esta inciativa é organizada e trata com dignidade as pessoas, incentivando o setor privado a participar. Anteriormente, as construtoras não tinham financiamento para construir para o público de zero a três salários mínimos", disse.

A prefeitura e a Caixa assinaram contratos para começar a construir 4.919 unidades habitacionais imediatamente. As casas serão erguidas entre os bairros Senador Camará e Campo Grande. O projeto de financiamento habitacional beneficia quem recebe até três salários mínimos e prevê uma contribuição mínima de R$ 50 mensais. Os apartamentos terão sala, dois quartos, banheiro, cozinha e área de serviço. Do total de unidades construídas, 59 serão destinadas para portadores de necessidades especiais. Os novos condomínios também vão contar com guarita, centro comunitário e área de recreação. Neste primeiro momento, a iniciativa beneficiará 484 famílias que moram em área de risco. No Rio de Janeiro, há atualmente 306 mil inscritos no programa.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]