ADEMI na Imprensa

O endereço do futuro surgiu há três décadas

O Globo, Especial Barra da Tijuca, 27/ago

Quem é da Barra gosta de praia, segurança, beleza e conforto. E entende qualidade de vida com as facilidades de uma existência contemporânea intensa, mas que também remete à natureza. Um dos maiores bairros da cidade, abrange. oito distritos que se confundem entre si: a própria Barra, o Recreio dos Bandeirantes, Vargem Pequena, Vargem Grande, Camorim, Grumari, Joá e Itanhangá, os dois últimos associados às mansões de quem bus¬cava um Rio mais bucólico, ainda nos anos 80.

Com 135 milhões de me- . tros quadrados e cerca de 250 mil moradores, o bairro ainda tem muito espaço vazio a ser ocupado. "A Barra pode vir a se esgotar em 70 anos. Ipanema e Leblon juntos somam dois milhões de metros quadrados. Aqui, há muito espaço a ser ocupado racionalmente, sem que fique atravancado, saturado", acredita Carlos Carvalho, presidente da construtora Carvalho Hosken.
 
O Plano Lúcio Costa, que norteia até hoje a expansão da Barra da Tijuca, permitiu a fixação de dunas e o aterramento de imensos terrenos com vegetação de turfa, mas garantiu a manutenção de uma reserva ambiental e a implantação de um imenso bosque, o Parque Chico Mendes. Os arrojados projetos arquitetônicos de Shopping e condomínios têm contraponto com esses rincões onde a natureza se impõe até hoje e valoriza os novos produtos imobiliários que chegam ao mercado.

"O Plano Lúcio Costa era elitista, pois reservava de 40 a 50% de áreas livres. Isso impediu as aglomerações, a chamada 'copacabanização'. O urbanismo tem um custo elevado para quem o implementa e, no caso da Barra, sabíamos que leva¬ria até uns 20 anos para que houvesse valorização. Mas este momento chegou e criou um aspecto novo no Rio", diz Carlos Carvalho.

A grande explosão de construção na Barra da Tijuca se deu na década de 1980, quando os terrenos ao longo de suas avenidas deram espaço a grandes condomínios, supermercados, escolas, hospitais e Shopping centers. Na década de 1990, a Barra foi a área que mais cresceu em todo o município - em torno de 44%, recebendo cerca de . 125 mil novos moradores. Um crescimento que está longe de parar - somente entre 2013 e 2016, segundo estimativas da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) deverão ser lançadas 8.924 unidades na Barra, onde serão disputadas 19 das 39 modalidades dos Jogos Olímpicos do Rio.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]