ADEMI na Imprensa

Vendas de imóveis no Rio crescem 69% nos oito primeiros meses de 2010, mas caem em agosto

O Globo online, 20/out

Pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio) constatou que as vendas de imóveis residenciais novos na cidade cresceu 69,4% nos primeiros oito meses de 2010. Foram comercializados 7.869 imóveis, enquanto no mesmo período do ano passado 4.644 unidades foram escrituradas. No mês de agosto, no entanto, as vendas caíram 39,5% em relação julho, de 1.236 para 748 unidades.

A retração do número de imóveis comercializados, segundo a Ademi, reflete a ligeira queda dos lançamentos imobiliários, de 1.331 imóveis em julho para 1.135 em agosto (-14,7%). No acumulado do ano, no entanto, houve alta de 55% no total de unidades lançadas em relação ao mesmo período do ano passado: foram 9.465 novas unidades, com valor geral de vendas (VGV) de R$ 2,1 bilhões, contra 6.095, com VGV de R$ 1,6 bilhão. A expectativa do setor é de fechar o ano mantendo esse crescimento de pelo menos 50% na oferta de novos imóveis em relação a 2009.

- O mercado imobiliário é diferente do mercado de refrigerantes, de automóveis ou de qualquer outro produto. Se, num mês, há um mega lançamento, daqueles com mil unidades, e não há outro no mês seguinte, cria-se uma distorção. Um mês não mede nada. E esse ano está sendo bem melhor que 2009. O Minha Casa, Minha Vida está a pleno vapor, não estamos mais com aquele receio de quem acaba de sair de uma crise - garante o presidente da Ademi-Rio, Rogério Chor.

Ontem, o Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP) divulgou sua Pesquisa sobre Mercado Imobiliário, realizada mensalmente, que revelou que as vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo também caíram em agosto na comparação com julho, em 48,4%, para 1.638 unidades. Os imóveis de dois quartos responderam por 49,1% do total vendido, seguidos pelas unidades de três dormitórios, com 26,6% do total.

Os lançamentos na capital paulista também tiveram retração, de 36,8% em agosto, para 1.633 unidades, de acordo com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). O volume corresponde a 34,1% do total de 4.786 unidades lançadas na Região Metropolitana de São Paulo. Nas vendas, a participação da cidade de São Paulo foi de 42,8% do total comercializado na região metropolitana. Segundo o Secovi-SP, a dificuldade de tornar viáveis projetos na capital resultou na migração de empreendedores para outros municípios.

As vendas aumentaram 8,9% no acumulado até agosto na capital, para 21.820 unidades. O valor comercializado cresceu 29,2%, para R$ 8,3 bilhões. No acumulado de janeiro a agosto foram lançadas 17.781 unidades, o que representa crescimento de 25,5%.

O indicador vendas sobre oferta (VSO) da cidade de São Paulo ficou em 17,4% em agosto, ante 28,6% em julho. O VSO expressa a relação entre o volume de unidades vendidas e a oferta existente no mês. De janeiro a agosto, o VSO médio acumulado foi de 21,9%, acima dos 14,3% do mesmo período do ano passado.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]