ADEMI na Imprensa

Expectativa positiva

Extra, Ana Carolina Diniz, 12/fev

As mudanças implementadas pelo governo federal no programa habitacional "Minha casa, minha vida" animaram o setor imobiliário. Profissionais da área sinalizam que os ajustes na renda familiar e no valor dos imóveis vão resultar em novos lançamentos e, consequentemente, movimentar os empregos na construção civil. 

Construtoras focadas no mercado do "Minha casa, minha vida" também receberam a notícias com otimismo. Cury, Tenda e MRV, por exemplo, acreditam que as regras ampliarão o acesso ao programa e aumentarão o número de pessoas que podem se beneficiar.

- O aumento no limite da renda familiar de R$ 6.500 para R$ 9 mil é a grande sacada. Antes, essa faixa de renda não tinha acesso ao programa e acabava não conseguindo comprar financiando por conta dos juros elevados - analisa Mariliza Fontes Pereira, diretora do escritório de arquitetura Mdoito, focada em projetos de empreendimentos do "Minha casa, minha vida".

Claudio Hermolin, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), prevê o aumento do número de lançamentos já este ano e redução das unidades em estoque.

- As novas regras permitirão que mais unidades habitacionais passem a integrar o programa, o que beneficiará o setor e também a população. São medidas que vêm animar o mercado, que ainda precisa de outros estímulos, como facilidade de crédito e segurança jurídica - disse ele.

Já na opinião do professor do MBA Gestão de Negócios Imobiliários e da Construção Civil da FGV, Paulo Porto, o incentivo ao crédito não será responsável pela retomada do setor.

- O momento não é de confiança por conta da crise econômica. Além disso, as taxas de juros ainda são altas e o índice de desemprego também. Mesmo com incentivo ao crédito, o futuro comprador tem medo de não conseguir arcar com as prestações de longo prazo - defende ele. 

"Com as alterações, o mercado ganha um forte impulso" / Rodrigo Resende (diretor de Marketing da MRV)

"Os novos limites vão permitir que a construtora passe a oferecer opções em outras regiões / Fabricio Quesiti Arrivabene (diretor de Ciclo Financeiro da Tenda)

"Acreditamos que as medidas ajudarão a aquecer o setor da construção civil" / Leonardo Mesquita (diretor de Negócios da Cury)


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]