Notícias do setor

Trabalhador vai receber, em média, R$ 30 com lucro do FGTS

O Globo, Gabriela Valente e Eduardo Barretto, 11/ago

Pela primeira vez, o brasileiro receberá parte do lucro que o seu dinheiro depositado no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dá. O presidente Michel Temer anunciou ontem a distribuição de metade dos ganhos do fundo no ano passado, o que fará o rendimento para os cotistas passar de 5,11% para 7,14% em 2016. Com isso, a aplicação conseguiu vencer a inflação, coisa que não acontecia há 11 anos. O ganho médio, no entanto, será de R$ 30 por trabalhador, variando de acordo com o saldo que cada um tem na conta do FGTS.

No ano passado, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado oficialmente pelo governo, foi de 6,28%. Ou seja, com a distribuição dos lucros, o dinheiro do trabalhador não foi corroído. Esse foi um ponto salientado pelo presidente, em cerimônia realizada para fazer o anúncio.

- O Fundo de Garantia, que acumulou perdas expressivas frente à inflação, começa a reverter esse processo - frisou o presidente, que complementou que seu governo tem medidas populares e não populistas: - Convenhamos, é a primeira vez que os lucros do Fundo de Garantia são divididos com os verdadeiros donos do dinheiro. Isso é que é tratar, pensamos nós, os trabalhadores com respeito, sem paternalismo.

Cada trabalhador terá 1,93% a mais sobre o saldo que tinha na virada do ano. A maioria receberá até R$ 10. Quase 181 milhões de contas terão aportes iguais ou menores que isso. Já quase 48 milhões terão depósitos de até R$ 100. Na terceira faixa de pagamento, estão apenas 16 milhões de trabalhadores, que receberão dividendos entre R$ 101 e R$ 1 mil. 

CRÉDITO NO DIA 31 DESTE MÊS

Quanto maior o benefício, menor o número de beneficiados. Apenas 835 mil trabalhadores têm saldo suficiente para receber rendimentos que chegam a R$ 5 mil. E somente 24,6 mil pessoas terão um aporte acima desse valor.

Esse crédito será feito no dia 31 deste mês. E essa é a data marcada para a distribuição de dividendos nos próximos anos.

Quem sacou dinheiro de contas inativas também receberá o crédito equivalente a esses recursos. No entanto, não poderá fazer o resgate desse dinheiro adicional. Depois do prazo para o saque das contas inativas, voltam a valer as regras convencionais: o FGTS só pode ser retirado quando os trabalhadores são demitidos, se aposentam ou compram a casa própria.

A ideia de dividir o lucro do fundo já existia desde o ano passado. O governo aproveitou a medida provisória que permitiu o saque de contas inativas para definir uma política permanente que melhore a rentabilidade para os trabalhadores. A norma estipula que metade do lucro será repartida com os cotistas todos os anos. A outra parte segue como patrimônio do FGTS para ser usada como financiamento habitacional.

Essa foi uma alternativa encontrada para aumentar a remuneração do FGTS. No início do governo Temer, vários técnicos defendiam a melhora da rentabilidade para o trabalhador por causa das constantes perdas para a inflação.

No entanto, houve resistência por causa da preocupação com os possíveis impactos no custo dos empréstimos para casa própria. A solução encontrada foi dividir o lucro com os cotistas.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]