ADEMI na Imprensa

Casa própria: 70% só para processo em andamento

O Globo, Pollyanna Brêtas, 27/set

Os compradores de imóveis usados que deram entrada na Caixa Econômica Federal com pedido de financiamento imobiliário com percentual acima de 50% e cujo processo caiu em exigência terão a solicitação negada, mesmo que ela seja anterior à medida que limita o crédito, que entrou em vigor no dia 25. O banco informou que vai honrar somente os processos que já estavam em andamento antes dessa data. Em uma imobiliária da Zona Norte, dois negócios foram desfeitos no dia em que a restrição passou a valer.

- Tenho duas vendas que não vou poder concretizar porque dependem de financiamento acima de 50% do valor do apartamento e já foram reprovadas - diz Gustavo Araújo, gerente de negócios da APSA. - A restrição veio no momento em que o mercado ensaiava a recuperação.

Para especialistas em mercado imobiliário, a restrição de crédito na Caixa será um entrave a essa recuperação. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a venda de usados corresponde a 75% do volume de negócios. O presidente da Ademi, Claudio Hermolin, observa que a classe média baixa será a mais prejudicada, já que quem compra um imóvel de alto padrão normalmente tem mais poupança.

Segundo a Caixa, a medida visa a estimular a venda de imóveis novos. Mas o advogado especialista em direito imobiliário e vice-presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, Marcelo Tapai, afirma que os negócios na planta podem ser afetados, já que muitas pessoas precisam, antes de comprar um imóvel novo, vender a casa onde moram.

A Caixa informou em nota que "as propostas em andamento terão as condições mantidas".


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]