Notícias do setor

A maior festa de todas

O Globo, Opinião, Marcelo Crivella, 10/fev

O alarde foi grande, previsões pessimistas traçaram um cenário de terra arrasada. Mas o tempo veio mostrar que as medidas adotadas eram acertadas, e os resultados agora aparecem. O carnaval receberá este ano investimentos de quase R$ 80 milhões. Apenas os recursos levantados junto à iniciativa privada somam R$ 38,5 milhões, o maior valor já captado.

A prefeitura cumpriu a sua parte, com a organização e o cuidado necessários a um evento que expressa a alegria e a criatividade do carioca. As acusações de que patrulhamento religioso ameaçaria o carnaval mostraram-se infundadas e revelaram o preconceito de quem acusava.

Esse esforço foi feito em meio a uma grave crise que, em nossa cidade, ganhou contornos dramáticos, como evidenciam a queda de arrecadação, o aumento do desemprego e o déficit de quase R$ 4 bilhões herdado da gestão anterior. A prefeitura tomou medidas austeras para garantir serviços públicos e manter em dia o salário do funcionalismo, a fim de evitar a situação delicada vivida pelos servidores do estado.

Ainda assim, o desfile do Grupo Especial no Sambódromo terá um investimento de R$ 19,5 milhões, sendo R$ 13 milhões da prefeitura. As 13 agremiações receberão R$ 1 milhão cada, o mesmo valor per capita que a gestão anterior lhes repassava até 2015, sendo que naquele ano eram 12 escolas. Com a iniciativa privada, foram obtidos mais R$ 6,5 milhões.

As escolas mirins e as do Grupo de Acesso e as que desfilam na Estrada Intendente Magalhães receberam R$ 10,5 milhões do município. Os desfiles na Intendente Magalhães, com entrada franca, receberão outro aporte de R$ 3,5 milhões em infraestrutura, também da iniciativa privada.

Nas ruas, a folia está assegurada com cerca de 600 desfiles de blocos, um recorde. Bailes populares em 16 bairros e um palco com programação eclética no Boulevard Olímpico serão outras atrações. Já o Terreirão do Samba será palco durante 11 dias de shows com 42 grupos.

A prefeitura captou com empresas privadas R$ 28,5 milhões para o carnaval de rua, recursos destinados, por exemplo, à instalação de 32 mil banheiros químicos e à contratação de 3,2 mil agentes privados na segurança. Além disso, o custo dos órgãos municipais mobilizados para a folia chegará a R$ 16 milhões. Para causar menos impacto nos bairros, blocos que desfilavam em ruas internas foram deslocados para espaços maiores, como a orla e o Aterro do Flamengo.

Com tantas atrações, as reservas nos hotéis já garantem uma taxa de ocupação de 85%, com expectativa de atingir 98%, alcançando assim um recorde de quartos ocupados durante o período do carnaval.

O homem público precisa ter paciência para críticas justas e injustas, discursos demagógicos e manifestações ofensivas que visam a denegrir e distorcer. Mas a prefeitura demonstra que governa para todos e que cuidará da organização, limpeza e, no que lhe couber, segurança deste carnaval, uma das maiores festas populares do mundo.

Marcelo Crivella é prefeito do Rio

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]