Notícias do setor

Palacete histórico abriga novo centro cultural

O Globo, Elis Bartonelli, 31/jul

As portas de um imponente casarão na esquina das Ruas São Clemente e Guilhermina Guinle, em Botafogo, vão se abrir para os cariocas na sexta-feira. Conhecido como Palacete Linneo de Paula Machado, o imóvel, construído pela família Guinle no início dos anos 1900, é agora a sede da Casa Firjan, um espaço de discussão, estudo e aplicação prática voltados para economia criativa, inovação e o futuro do mercado de trabalho. A inauguração será marcada pela estreia da exposição "Transformação", que ocupará o antigo edifício e os jardins, e ficará em cartaz até dezembro.

A mostra é dividida em três partes que, reunidas, trazem o conceito que pauta toda a proposta da casa. O reencontro com o passado aparece no setor "Pioneiros", que presta uma homenagem aos principais nomes da indústria, relembrando as conquistas e invenções que contribuíram para o desenvolvimento do Rio e do país. Entre eles, estão o jornalista Irineu Marinho, fundador do GLOBO, o industrial Henrique Lage e o empresário Guilherme Guinle.

O setor "Conexões" usa a tecnologia para transportar o telespectador para o futuro, instigando a reflexão sobre temas que norteiam o empreendedorismo de pequeno e grande portes. Um dos destaques é o túnel espelhado "Horizontes", que, por fora, reflete o palacete antigo e, por dentro, leva o visitante a viajar pelo universo virtual. O setor "Materialidades" traz esculturas de artistas contemporâneos, como Raul Mourão, Adriana Eu e Cássio Vasconcellos.

- A exposição sintetiza o que a casa significa para a cidade, para a indústria criativa e para o país. A proposta de tudo é você se conectar com o passado para pensar o futuro e, principalmente, fazer as ideias acontecerem. Quanto mais você revisita o passado, mais à frente você vai -destaca Liana Brasil, diretora criativa da mostra.

A Casa Firjan tem a premissa de conectar pensamentos e visões diferentes, reunindo público variado em ciclos de debates, palestras, cursos livres, sessões de cinema, apresentações musicais e exposições. A intenção é aproximar pessoas com interesses comuns, para que novos negócios surjam.

O terreno de 10 mil m² também concentra os elementos que definem a proposta da Casa Firjan. Além do casarão, há duas casas geminadas e um novo edifício de arquitetura contemporânea. O palacete, que foi residência da família Guinle-Paula Machado até 2005, passou por processo de restauração de sua estrutura original, inclusive vitrais, azulejos e portas de ferro e madeira. Do outro lado do jardim, a nova construção foi planejada sob os pilares da sustentabilidade, com iluminação natural, proteção de incidência solar, reúso de águas pluviais e tecnologias de baixo consumo de energia.

- O projeto da Casa deixa o protagonismo formal para o palacete e, de forma discreta, traz uma nova estrutura, que dialoga com ele. Os dois marcam claramente as suas épocas -explica Thorsten Nolte, arquiteto responsável pelo projeto de construção da Casa Firjan.

Haverá aulas abertas gratuitas, cursos, oficinas e outras atividades. E laboratório de fabricação, com impressora 3D, fresadoras, máquinas de costura e computadores. Mais de 7 mil livros da coleção de Aurélio Buarque de Holanda estão à disposição.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]