ADEMI na Imprensa

Vargens: moradia sem danos

Meia Hora, Marina Cardoso, 08/set

O decreto que o prefeito Marcelo Crivella publicou na última segunda-feira, no Diário Oficial do município, liberando a construção de empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida na Área de Especial Interesse Ambiental (Aeia) das Vargens divide opiniões entre ambientalistas e especialistas do setor imobiliário. A área abrange os bairros de Vargem Grande, Vargem Pequena, Camorim e parte do Recreio dos Bandeirantes, Barra da Tijuca e Jacarepaguá. Com a medida, a região agora pode receber empreendimentos do programa habitacional, com residências unifamiliares e parcelamento do solo.

Para o biólogo Mário Moscatellli, é fundamental que cada área seja liberada mediante a análise sobre riscos ambientais implicados na construção do empreendimento. "Um dos pontos que devem ser verificados é a possibilidade de o condomínio agravar a capacidade de drenagem da região, que é cada vez mais vulnerável a inundações", diz o biólogo.

Já o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Claudio Hermolin, acredita que a decisão vai contribuir para o desenvolvimento imobiliário da  região. Mas ele faz uma ressalta. "As Vargens têm um potencial grande de crescimento. Acredito que a regulamentação deveria ser liberada para o mercado como um todo, e não apenas para condomínios Minha Casa Minha Vida, diz Claudio Hermolin.

Análise de licenciamento

A prefeitura informou que o decreto visa a atender a grande demanda por unidades habitacionais na região. Segundo o órgão, os impactos relacionados a todos os empreendimentos serão analisados durante o processo de licenciamento, o que incluí a verificação de possíveis danos ao meio ambiente.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]