Notícias do setor

Startup baiana usa 'vaquinha' como forma de investir em imóvel

Correio 24 Horas, Victor Lahiri, 11/out

Há quem pense que para investir no ramo de incorporação imobiliária é preciso ser sócio de uma grande empresa ou ter muito dinheiro para investir. Mas já é possível entrar em um crowdfunding (financiamento coletivo, também conhecido como vaquinha virtual) de um empreendimento imobiliário com R$ 1 mil e ter um retorno de 32% em até dois anos. A proposta foi lançada pela startup baiana Blox (www.bloxs.com.br), no início de setembro, e já acumula R$ 266 mil. A campanha vai até 31 de outubro.

O crowdfunding foi regulamentado no Brasil em julho de 2017. A norma foi desenvolvida pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), órgão que regula o mercado de capitais. Assim, a captação de recursos via internet ganhou maior segurança jurídica. De acordo com o sócio fundador da empresa, Rafael Rios, que tem 13 anos de experiência no ramo imobiliário, o processo é simples. Inicialmente, a empresa recebe projetos de construtoras e realiza uma triagem. Após a escolha, o projeto é apresentado na plataforma de crowdfunding, permitindo aos usuários investirem na etapa de pré-construção com valores a partir de R$ 1 mil.

"Depois disso, o investidor passa a ter acesso ao nosso sistema e acompanha o passo a passo do desenvolvimento da obra, desde a construção até o avanço das vendas, em um período de dois anos, podendo ter um retorno três vezes maior que a aplicação na poupança", explica. O retorno mínimo garantido contratualmente ao investidor, via crowdfunding, é de 15% ao ano, o que equivale hoje a 223% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Futuro da Construção

Rafael acredita que o futuro da construção imobiliária passará pelo crowdfunding, tanto pelas vantagens que a modalidade oferece para as construtoras, como para os investidores. "É um modelo mais vantajoso, tanto para o construtor, que pode se capitalizar sem recorrer a bancos, quanto para o investidor, que consegue rentabilizar por taxas bem melhores que o banco", argumenta. O primeiro empreendimento com captação aberta é o Terras do São Francisco Residence, localizado na cidade de Propriá (SE). Trata-se de um condomínio fechado desenvolvido pela Viva Construções, e que já tem 65 dos seus 73 lotes comercializados. As obras estão em fase inicial.

Outras formas de investir em imóveis

Fundo imobiliário. A dinâmica da modalidade é similar à compra de ações. Você pode adquirir as cotas durante as ofertas públicas ou negociando com investidores no mercado secundário. Apesar da titularidade, você não responderá pessoalmente por obrigações legais dos imóveis integrantes. A rentabilide de 95% do lucro líquido é distribuído aos cotistas e a negociação das cotas é mais fácil. A queda dos preços de imóveis, redução da taxa de ocupação e atrasos nas obras podem atrapalhar a distribuição dos rendimentos aos cotistas.

LCI. As Letras de Crédito Imobiliário é um investimento de renda fixa que capta recursos e os utiliza para o financiamento das atividades do setor imobiliário. Em troca, ele oferece uma taxa de rentabilidade anual que é definida no momento da compra. Uma das principais vantagens é poder investir e ter rendimentos sem pagar impostos. Por outro lado, a baixa liquidez te obrigará a cumprir o prazo da aplicação.

Compra Fracionada. Por um valor fixo, é possível adquirir um imóvel de luxo em um destino turístico. O valor total do investimento é dividido entre 12 compradores, um prazo é estipulado por ano para usufruir do imóvel com seus respectivos familiares e amigos. Em alguns casos, com a entrada de 20% do valor, é possível parcelar o investimento em até 48 vezes. O investimento é ideal para quem quer adquirir um imóvel para temporada (e alugar) sem deixá-lo fechado pelo resto do ano.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]