Notícias do setor

Doria põe nome da construção civil na Habitação

O Estado de S. Paulo, Política, 05/dez

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou ontem que o atual presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Flávio Augusto Amary, será o futuro secretário de Habitação.

Formado em administração de empresas e pós -graduado em economia pela FGV-SP, Amary será o responsável por coordenar o programa de Parceria Público-Privada (PPP) do setor de habitação e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU).

O futuro secretário também presidiu a Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (Aelo).

Durante o anúncio, Amary afirmou que, no cargo, o foco será na redução da burocracia do processo de licenciamento de projetos imobiliários e na sequência das parcerias público-privadas (PPPs) para ampliar os investimentos no setor. (mais informações nesta página).

Doria também anunciou ontem que o deputado estadual Marco Vinholi, líder do PSDB na Assembleia Legislativa, assumirá a Secretaria de Desenvolvimento Regional - pasta que havia sido anunciada como Secretaria do Interior durante a campanha eleitoral. Vinholi será, nas palavras de Doria, o responsável pela "capilarização" da relação entre o governo estadual e as prefeituras do interior.

A nova pasta vai substituir funções que eram da Casa Civil. Segundo o governador eleito, a secretaria vai acabar com périplo de prefeitos no Palácio dos Bandeirantes. "Será uma secretaria amparada em inovação para dar atendimento rápido e eficiente às demandas dos prefeitos", disse Doria, que se define como um municipalista.

Tucanos. Além dos secretários, Doria confirmou que o ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez, deputado estadual tucano que não conseguiu se reeleger em 2018, vai comandar a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) no próximo governo.

Capez foi acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por suposto envolvimento na chamada máfia da merenda. Em junho, porém, o Supremo Tribunal Federal trancou a ação penal.

Com Vinholi e Capez, Doria ampliou o número de tucanos na gestão e aliviou a pressão do PSDB por espaço. Com os anúncios de ontem, Doria já definiu 17 nomes que terão status de secretário a partir de janeiro de 2019. Há apenas duas mulheres: Célia Leão (Direitos da Pessoa com Deficiência) e Lia Porto (procuradora-geral do Estado).

Na composição do governo, foram contemplados até agora o DEM, o PP e o PSD. Doria também anunciou o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, um de seus principais aliados no PSDB, para fazer parte da equipe de transição.

O governador eleito adiou o anúncio de novos nomes do secretariado que seria feito amanhã. Nas próximas semanas será anunciado nome do secretário da Fazenda. O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) é cotado para a vaga.

Novo secretário diz que pretende ampliar PPPs

O novo secretário da Habitação do governo João Doria (PSDB), Flávio Augusto Amary, disse ontem que entre seus principais objetivos no cargo estão a redução da burocracia do processo de licenciamento de projetos imobiliários, e a sequência das parcerias público-privadas (PPPs) para ampliar os investimentos no setor.

"Dentro de uma linha com conceito liberal e dentro da desburocratização de processos, vamos buscar meios para que a iniciativa privada possa produzir os empreendimentos imobiliários em um ciclo mais curto, principalmente aqueles que atendem a população de baixa renda", afirmou.

Amary disse que também dará continuidade às PPPs que já estão em andamento e que irá buscar alternativas para incentivar mais investimentos privados no segmento de moradias populares, visando à diminuição do déficit habitacional. Ele acrescentou ainda que a agenda de governo inclui iniciativas de regularização fundiária, programa de aluguel social e redução de favelas, entre outros.

Amary ocupava o cargo de presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) desde 2016 e estava a em seu segundo mandato à frente da entidade patronal. Ele também é diretor-presidente da incorporadora Renato Amary Empreendimentos, empresa familiar em Sorocaba (SP).

O vice-presidente de assuntos institucionais do Secovi-SP, Basílio Jafet, assumirá a presidência da instituição no lugar de Amary. O mandato à frente do sindicato vai até o fim de 2019. Jafet também já foi vice-presidente de incorporação do Secovi-SP e presidente da Federação Internacional Imobiliária (Fiabci) no Brasil, entre 2011 e 2015.

Ao participar ontem de mesa-redonda sobre as perspectivas da economia brasileira e do mercado imobiliário, Jafet disse que vê "uma onda de otimismo" no setor empresarial, com diversas companhias anunciando elevação dos investimentos. Para ele, o motivo é a maior previsibilidade sobre os rumos do País após a superação das incertezas causadas pelo período eleitoral.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]