Notícias do setor

Depósitos da poupança superam saques em R$ 684 milhões em novembro

O Globo online, Gabriela Valente, 07/dez

A caderneta de poupança voltou a fechar no azul em novembro. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo Banco Central, o brasileiro depositou R$ 684,5 milhões a mais do que sacou no mês. Mesmo no campo positivo, é o pior resultado para novembro desde 2015, quando houve saídas de recursos.

Neste ano, a aplicação mais popular no Brasil teve retiradas maiores que os depósitos em três meses: janeiro (o que é comum por causa das despesas de início de ano), fevereiro e outubro. Nos 11 primeiros meses, a poupança já recebeu R$ 23,5 bilhões a mais do que os saques feitos. É a melhor captação líquida desde 2014, ano que a mais grave crise econômica do país se desenhava.

Atualmente, os poupadores têm R$ 779,8 bilhões na aplicação. Sobre esses recursos, os bancos pagaram R$ 2,9 bilhões de rendimentos no mês passado. No ano, os poupadores receberam R$ 31,5 bilhões. É menos do que os correntistas ganharam no mesmo período do ano passado (R$ 39,5 bilhões) mesmo com menos recursos poupados na época.

Isso ocorre porque a taxa de juros diminuiu nesse intervalo. Como a caderneta rende atualmente 70% da taxa básica (Selic), o ganho varia de acordo com as decisões do Comitê de Política Monetária (Copom). No início de 2017, a Selic era de 13,75% ao ano. Atualmente, é de 6,5% ao ano, o menor patamar da História. Por isso, os especialistas recomendam outros tipos de aplicações mais vantajosas.

Pela lei brasileira, somente quando a taxa básica fica maior que 8,5% ao ano, a caderneta de poupança tem um rendimento garantido de 6% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR).


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]