Notícias do setor

Tanure terá parte da Planner na Gafisa e subscreverá ações

Valor Econômico, Chiara Quintão, 18/abr

O investidor Nelson Tanure garantiu que vai subscrever as sobras não exercidas pelos acionistas atuais da Gafisa na primeira tranche do aumento de capital, segundo fonte próxima à companhia ouvida pelo Valor. Esta etapa da capitalização abrange a subscrição de até 26.273.962 ações, ou seja, o volume necessário para que o limite do capital autorizado de 71 milhões de ações seja alcançado.

Atualmente, Planner e Planner Redwood são as maiores acionistas da Gafisa, com 18,55% de participação total. De acordo com a fonte, Tanure - que adquiriu 500 ações da Gafisa para participar da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) ocorrida na segunda-feira - comprará parte da fatia da Planner na companhia e subscreverá debêntures, além de participar da capitalização.

A Planner continuará no capital da Gafisa após capitalizações, e Tanure dividirá com a corretora a posição de acionista relevante. "Existe um contrato entre Tanure e a Planner com certas condições e um cronograma", disse a fonte. Ainda segundo a fonte, Tanure não tem participação nos fundos representados pela Planner na Gafisa, e não havia ainda acordo com o investidor quando a gestora comprou parte das ações que pertenciam ao GWI Group, de Mu Hak You, em fevereiro.

O valor da primeira tranche de aumento de capital da Gafisa ficará entre R$ 134 milhões e R$ 158 milhões. O preço médio por papel definido para a operação foi de R$ 6,02, mas o valor cai para R$ 5,12 se levado em conta o bônus de subscrição de 15% para estimular a participação dos atuais acionistas. A diluição máxima para os acionistas da Gafisa que não aderirem à primeira tranche do aumento de capital da companhia será de 40%, nas estimativas do Credit Suisse.

A incorporadora busca estratégia para obter recursos de US$ 150 milhões, incluindo a primeira tranche do aumento de capital e instrumentos de dívida. Em 31 de dezembro, a Gafisa tinha dívida bruta de R$ 889,4 milhões - R$ 348,4 milhões têm vencimento até o fim de 2019. "A empresa se propõe a ter um planejamento de longo prazo e terá de reescalonar boa parte de suas dívidas", afirma a fonte.

Na próxima terça-feira, haverá votação do aumento do limite do capital autorizado da Gafisa para 120 milhões de ações. Procurada, a Gafisa preferiu não se manifestar.

Ontem, as ações da incorporadora fecharam o pregão da B3 com queda de 6,45%, cotadas a R$ 6,96.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]