Notícias do setor

Sexta rodada de leilão já ostenta recorde de 17 empresas inscritas e espera arrecadar R$ 106 bi

Folha de S.Paulo, Nicola Pamplona, 16/out

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) informou nesta terça (15) que 17 empresas se habilitaram para participar da sexta rodada de licitações do pré-sal, no dia 7 de novembro. É o maior número de inscritos para um leilão do pré-sal realizado no país.

A sexta rodada será a terceira de uma série de grandes leilões promovida pelo governo neste ano. No primeiro deles, na semana passada, 12 das 36 áreas oferecidas foram concedidas, com arrecadação de R$ 8,9 bilhões, recorde para um leilão sem áreas do pré-sal.

O segundo grande leilão será o megaleilão da cessão onerosa, no dia 6 de novembro. Será o maior deles, com arrecadação de até R$ 106 bilhões. Nele, o governo oferecerá o direito a produzir em quatro reservas descobertas pela Petrobras na Bacia de Campos.

Na sexta rodada, serão oferecidas cinco áreas nas bacias de Santos e Campos para contratos de partilha -que prevê a participação do governo no consórcio vencedor. Se as cinco forem vendidas, a arrecadação será de R$ 7,8 bilhões.

Neste tipo de leilão, os bônus de assinatura são fixos e vence a empresa ou consórcio que se comprometer a entregar o maior volume de óleo para o governo durante a vida útil do projeto. O modelo também será usado no megaleilão da cessão onerosa.

Entre as petroleiras inscritas para a sexta rodada estão gigantes mundiais que já vêm participando de leilões do pré-sal, como as americanas Exxon e Chevron, a anglo-holandesa Shell, a britânica BP, a norueguesa Equinor e a francesa Total.

Há também empresas que tem reforçado o interesse no Brasil, como a espanhola Repsol, a alemã Wintershall, a QPI, do Catar, e a Petronas, da Malásia -que participaram do leilão da semana passada.

Há ainda as chinesas CNODC e CNOOC, a colombiana Ecopetrol, a americana Murphy, a portuguesa Petrogal e a Cepsa, do fundo Mubadala. Do Brasil, só Petrobras e Enauta, antiga Queiroz Galvão Exploração e Produção.

Segundo a ANP, o recorde anterior era da quarta rodada do pré-sal, em 2018, quando 16 empresas foram habilitadas.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]