Notícias do setor

Barra Bonita, sub-bairro planejado no Recreio, é a nova aposta do mercado imobiliário

O Globo online, Carolina Callegari, 07/nov

Há mais de cinco anos, os moradores do Barra Bonita , sub-bairro planejado no Recreio , não assistiam ao movimento de construção de novos empreendimentos residenciais . Agora, a área volta a receber canteiros de obras, dos quais surgirão condomínios com grande oferta de lazer e serviços. O objetivo das construtoras que investem no local é ocupá-los integralmente até a entrega das chaves.

Para o diretor-geral comercial da Lopes Rio Imobiliária, João Bielinski, fatores como o momento de recuperação do mercado imobiliário e as características da região, próxima da praia e de bons estabelecimentos comerciais , atraem o público. O Barra Bonita, observa, está no chamado miolo do Recreio, entre a Avenida das Américas e a orla.

- Considero o momento muito bom, de aposta, com a economia melhorando, taxas de juros mais baixas. Estamos pegando uma demanda reprimida do mercado. As pessoas que estão investindo hoje são aquelas que não compraram nos últimos anos e agora querem fazer um negócio melhor - diz.

Diretor-geral da Tegra Incorporadora, Alexandre Fonseca é outro que cita a demanda reprimida como razão para o bom desempenho. A empresa voltou ao bairro com o lançamento do Lume Residencial Barra Bonita, no final de agosto. Desde então, vendeu mais de 40% dos 190 imóveis, entre eles sete das dez coberturas dúplex de três ou quatro quartos, avaliadas em R$ 1,1 milhão em média.

O empreendimento terá apartamentos de três quartos, a partir de R$ 560 mil, e foi desenhado reunindo sugestões e desejos de profissionais e potenciais moradores, assim como da vizinhança, que poderá aproveitar um parque construído junto ao condomínio.

- Conseguimos aprovar um parque bem na frente do empreendimento, um privilégio para o morador. Ali vai haver muitas atividades ao ar livre e espaço verde. É uma área em que as pessoas podem andar a pé ou de bicicleta por perto. Por isso, além de ter bicicletário, estamos dando uma bicicleta personalizada para o cliente que comprar um imóvel no residencial até o fim do ano - conta Fonseca, que prevê a entrega dos apartamentos para fevereiro de 2022.

A Avanço Realizações Imobiliárias, por sua vez, ergue seu primeiro empreendimento no local. O objetivo é virar o ano com todas, ou quase todas, as 84 unidades do Park View Comfort Homes vendidas. No lançamento, no final de outubro, foram negociados 70% dos apartamentos, unidades de dois e três quartos com preços a partir de R$ 460 mil. Para o diretor Sanderson Fernandes, a localização privilegiada, em frente à principal praça do bairro, foi um dos destaques para alavancar a procura pelo residencial, que deverá ser entregue em junho de 2022.

- O Recreio tem bastante demanda. E dentro dele temos esse bairro planejado já consolidado, com comércio, escola, serviços. Estamos no melhor terreno, oferecendo ótimo acabamento e tecnologia integrada entre os ambientes, como o som da sala ligado ao da varanda - diz Fernandes. - Com tudo o que aconteceu nos últimos anos, o cliente se tornou mais precavido, entendido e exigente.

A Calper tem três empreendimentos na região. A média de preço, segundo a Sawala Imobiliária, responsável pelas vendas, é de R$ 330 mil por um apartamento de dois quartos e de R$ 370 mil pelos de três quartos. O Noir e o Noir Plus foram os primeiros a serem lançados e estão esgotados. O Wings Residence, terceira aposta da construtora, já teve metade das unidades comercializada.

Rafael Duarte, diretor da Ello Desenvolvimento Imobiliário, responsável pela comercialização e estruturação de seis projetos na área, incluindo um posto de combustível, diz que os residenciais têm em comum três fatores: todos são pensados para famílias, com ofertas de lazer para todas as idades e segurança 24 horas.

- O Recreio ainda vai crescer pelos próximos 15 anos, com mais de 200 lançamentos - calcula. 

- Ainda é um dos poucos bairros do Rio com estrutura de serviços, excelentes escolas, BRT ligado ao metrô. É um bairro de classe média alta com muitos terrenos a serem desenvolvidos, diferentemente de outros dessa faixa, como Jacarepaguá e os da Zona Sul - diz Duarte. 

- O Barra Bonita, especificamente, se distingue das demais regiões, como a área do CFZ e o Pontal Oceânico, pela proximidade da praia, serviços como um shopping e opções de transporte.

A Associação de Moradores de Barra Bonita vê com bons olhos a chegada de mais vizinhos, mas teme que a infraestrutura da região não comporte tantos novos habitantes. A capacidade da rede coletora de esgoto e da Elevatória Henfil é uma das preocupações do seu presidente, Antônio Carlos Assis Silva.

- A elevatória dá problema constantemente, deixando esgoto vazar. Será que suporta mais cinco condomínios? Acredito que não - salienta Silva, que, por outro lado, espera ter mais voluntários para zelar pelo Barra Bonita. - Hoje temos um grupo que ajuda a cuidar da praça, a limpar o Canal das Taxas. São 36 mil metros quadrados de áreas públicas adotados.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]