Notícias do setor

Moradores da Baixada sobem a Serra

O Dia, Baixada, 01/dez

Bons ventos sopram para o mercado imobiliário da Serra Fluminense. Com cerca de 500 mil habitantes, a região, que é uma das mais procuradas por turistas, tem atraído também moradores fixos ou ocasionais por conta dos preços mais acessíveis que na área metropolitana, sem falar na segurança e qualidade de vida. Compradores de diversas localidades do Rio e da Baixada Fluminense estão entre os principais interessados.

Com essa procura, a tendência é de valorização dos imóveis. De janeiro a outubro de 2019, o valor médio do metro quadrado dos apartamentos subiu quase 3% em Teresópolis e Nova Friburgo. Já em Petrópolis, os preços se mantiveram praticamente estáveis, mas em bairros como Nogueira, considerado o mais charmoso da cidade, o metro quadrado subiu quase 2% no mesmo período, chegando a R$ 5.885.

Os preços mais elevados continuam sendo praticados em Petrópolis, onde o metro quadrado médio de venda de apartamentos, de R$ 5.673, é 9% mais caro que o de Teresópolis e 27% mais alto que o de Nova Friburgo. Os dados foram apurados pelo Centro de Pesquisa e Análise da Informação do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio).

É justamente nessa área que a Sola Construtora tem fortalecido sua atuação, com o lançamento de empreendimentos como o Bosque de Nogueira 1 e o Bosque de Nogueira 2. O primeiro, lançado em março de 2018, tem previsão de entrega para janeiro de 2021. São 156 unidades de 2 quartos com preços entre R$ 195 mil e R$ 230 mil. Na área de lazer, salão de festas, playground, horta comunitária, academia ao ar livre e espaço zen. Ainda há 33 unidades disponíveis. Tamanho sucesso levou à construção de uma expansão.

Com 20 anos de fundação e forte atuação na região serrana, a Sola já construiu quase 400 unidades e lançou outras 400.

Mas a empresa celebra também sua atuação na Região Sul Fluminense: apenas na cidade de Três Rios são 14 empreendimentos já construídos, totalizando 1.800 unidades. Nessas duas décadas já foram entregues 19 empreendimentos, com 3 mil apartamentos, área total construída de 250 mil metros quadrados e volume geral de venda de R$ 383 milhões.
Condomínio com jeito de bosque

A evolução na redução do prazo na execução das obras da Sola é fruto do uso de tecnologias, processos mais efetivos, equipamentos de ponta e mão de obra especializada, de acordo com José Eduardo Feirante Pereira, engenheiro civil e diretor comercial da construtora. "A antecipação da entrega do Bosque de Nogueira 1 alavancou as vendas e adiantou o lançamento do Bosque de Nogueira 2 para outubro deste ano", diz.

Com o slogan "O que era bom ficou melhor", o empreendimento contou com alterações no projeto original para oferecer mais unidades com suítes e acabamento completo.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]