Notícias do setor

Mais devagar

O Estado de S. Paulo, Coluna do Broadcast, 16/fev

A indústria de fundos de investimentos imobiliários (FIIs) deve diminuir o ritmo de crescimento em 2020, após bater recorde de captações em 2019, de acordo com levantamento realizado neste mês de fevereiro pelo GRI Club com 150 executivos em cargos de liderança no setor. Na visão de 66,5% deles, o volume de captação e o desempenho dos fundos neste ano deve ser melhor ou muito melhor do que no ano passado. Esse otimismo diminuiu em comparação com os 86,5% registrados na pesquisa anterior, realizada em agosto. O levantamento mostrou que, agora, 25,6% acreditam em um desempenho semelhante, enquanto 7,9% acham que os números serão piores.

Disparou. O último ano teve 67 ofertas públicas que movimentaram um total de R$ 21,5 bilhões. O índice de fundos imobiliários (Ifix), que reúne os 100 maiores FIIs, subiu 35,98% em 2019, superando o Ibovespa, que avançou 31,58%.

Prós e contras. Os executivos do setor apostam que a trajetória da taxa básica de juros continuará sendo o principal fator a impactar a indústria de FIIs, uma vez que este mercado cresceu bastante devido à necessidade de diversificação de investimentos. Os entrevistados também estão atentos às discussões sobre uma possível eliminação da isenção de imposto de renda sobre os rendimentos dos fundos, tema que sempre entra em voga nos períodos de aperto fiscal do governo.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]