Notícias do setor

Caixa tem lucro recorrente de R$ 3 bi, queda anual de 7,5% e alta de 21,2% no trimestre

Valor Econômico online, Flávia Furlan e Álvaro Campos, 21/mai

A Caixa informou que teve lucro líquido recorrente de R$ 3,049 bilhões no primeiro trimestre de 2020, com alta de 21,2% em relação ao quarto trimestre de 2019 e queda de 7,5% ante o mesmo período do ano passado.

A carteira de crédito ampla da Caixa atingiu R$ 699,622 bilhões em março, com alta de 0,9% ante dezembro e de 2,0% na comparação com março do ano passado. O índice de inadimplência ficou em 3,14%, de 2,17% e 2,47% na mesma base de comparação. As despesas com provisões para devedores duvidosos (PDD) atingiram R$ 2,012 bilhões, com alta trimestral de 25,2% e queda anual de 28,8%.

A margem financeira atingiu R$ 10,638 bilhões no primeiro trimestre, com queda de 13,8% no trimestre e de 14,3% no ano. As receitas de prestação de serviço e tarifas bancárias ficaram em R$ 5,794 bilhões, com baixas de 4,7% e 0,7%, na mesma base de comparação. As despesas de pessoal e administrativas somaram R$ 7,889 bilhões, com quedas de 10,3% e 1,7%, respectivamente.

O retorno sobre o patrimônio (ROE) ficou em 14,40% no primeiro trimestre, de 14,73% no quarto trimestre e 12,40% no primeiro trimestre de 2019. O índice de Basileia atingiu 18,67%, de 18,96% e 20,08%, na mesma base de comparação.

A Caixa ressalta que no primeiro trimestre houve uma redução de 59,4% no valor da atualização monetária dos instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD), em relação ao mesmo período de 2019, decorrente do pagamento de R$ 11,35 bilhões ocorrido no ano passado.

Carteira

A carteira de crédito ampla da Caixa atingiu R$ 699,622 bilhões em março, com alta de 0,9% ante dezembro e de 2,0% na comparação com março do ano passado. Do total da carteira, R$ 470,431 bilhões são de crédito habitacional, que cresceu 1,1% no trimestre e 5,2% no ano.

Já R$ 84,708 bilhões são de saneamento e infraestrutura, com alta de 0,8% no trimestre e 1,2% no ano. Outros R$ 82,566 bilhão são de comercial pessoa física, com crescimento de 0,9% e 1,8%, na mesma base de comparação. Mais R$ 38,719 bilhões são de comercial pessoa jurídica, com alta de 0,2% e baixa de 17,1%, respectivamente. No rural, são R$ 5,934 bilhões, com ganho de 9,9% e queda de 19,0%. Há ainda R$ 9,013 bilhões em outros créditos e R$ 8,250 bilhões em cessão de créditos.

Do total da carteira de habitação, R$ 293,1 bilhões foram concedidos com recursos FGTS e R$ 177,4 bilhões com recursos SBPE. A Caixa detém a liderança desse mercado, com 69,1% de participação no primeiro trimestre, significando um ganho de 0,32 ponto porcentual em 12 meses e desempenho estável no trimestre.

No primeiro trimestre, foram concedidos R$ 21,0 bilhões em crédito imobiliário pela Caixa, com uma evolução de 25,0% em 12 meses. As contratações com recursos SBPE totalizaram R$ 7,8 bilhões, representando um crescimento de 81,9%. Para o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) foram contratados R$ 7,4 bilhões, o equivalente a 66,5 mil novas unidades habitacionais.

Segundo a Caixa, a decisão de possibilitar a suspensão no pagamento de empréstimos beneficiou, até 30 de abril, mais de 1,8 milhão de clientes que solicitaram a pausa de pagamento, somente no crédito habitacional.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]