Notícias do setor

Preço de imóveis residenciais mantém ritmo pré-pandemia e sobe 0,23% em maio

Valor Econômico online, Rafael Gregorio, 02/jun

Em maio, o Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, teve alta nominal (sem descontar a inflação) de 0,23%.

O resultado superou um pouco as variações observadas em abril (0,20%) e em março (0,18%) e ficou bastante acima da inflação no país no mês passado, que provavelmente foi negativa, de -0,40%, segundo estimativa do Banco Central. A divulgação do índice oficial pelo IBGE deve ocorrer na semana que vem e, se confirmada, a alta real no preço médio de venda de imóveis residenciais em maio terá sido de 0,63%.

Regionalmente, as maiores elevações de preços em maio foram registradas em Curitiba (1,05%), Campo Grande (0,99%) e Manaus (0,57%). Por outro lado, Recife exibiu o maior recuo no preço médio entre as capitais monitoradas (-1,47%), sendo acompanhada por Porto Alegre (-0,26%) e Maceió (-0,21%).

São Paulo e Rio de Janeiro, as duas cidades com maior representatividade no Índice FipeZap, tiveram altas de 0,29% e de 0,21%, respectivamente.

Alta de 0,92% no ano

Com o resultado de maio, o Índice FipeZap agora acumula alta nominal de 0,92% no acumulado de 2020.

A cidade com maior variação acumulada em 2020 é, até aqui, Florianópolis, com alta de 3,67% no preço médio de venda dos imóveis residenciais, seguida por Curitiba (2,72%) e por Campo Grande (2,56%).

Na outra ponta, só três capitais monitoradas exibem, até aqui, queda nominal no preço médio dos imóveis em 2020: Recife (-2,53%), Fortaleza (-1,51%) e João Pessoa (-0,70%).

Já quando se considera os últimos 12 meses, o que serve de sinal sobre a tendência de médio-longo prazo no indicador, o Índice FipeZap acumula alta nominal de 0,60%, que, comparada à inflação acumulada no período (+1,86%), revela uma queda real de 1,24%.

Ainda segundo o Índice FipeZap, o preço médio por metro quadrado nas 50 cidades monitoradas foi de R$ 7.294/m² em maio. Rio de Janeiro se manteve como a capital com o preço do metro quadrado mais elevado (R$ 9.330/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.105/m²) e Brasília (R$ 7.444/m²). Já entre as capitais com menor valor médio de venda residencial por metro quadrado estão Campo Grande (R$ 4.238/m²), Goiânia (R$ 4.297/m²) e João Pessoa (R$ 4.299/m²).

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]