Notícias do setor

Comerciais sintonizados com o entorno

O Estado de S. Paulo, Especial Master Imobiliário, 30/ago

A integração com São Paulo e os traços de sustentabilidade unem os vencedores da categoria Empreendimentos Comerciais no Master Imobiliário 2020. Mais do que a alta tecnologia típica dos projetos corporativos de luxo, os complexos B32, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, e Park Tower, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, caracterizam-se por valorizar a experiência dos usuários em sintonia com a cidade.

Uma praça de 8 mil metros quadrados liga a Faria Lima aos prédios do B32 - um edifício corporativo, um teatro com capacidade para até 500 pessoas, um restaurante e cafés. A área de circulação pública será um centro de atividades, segundo o idealizador do projeto, Rafael Birmann. Completa o cenário uma escultura metálica de uma baleia, que deve se tornar ponto de referência na vizinhança.

De propriedade da Faria Lima Prime Properties (FLPP), o complexo será entregue gradualmente até o fim do ano. O B32 tem 120 mil m² de área ao todo e está situado em um terreno na esquina da Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, em uma das mais valorizadas regiões do mercado corporativo "Triple A" na capital.

O principal edifício do complexo tem 125 metros de altura e 25 pavimentos, com lajes de mais de 2 mil m² e pé-direito de três metros. O prédio tem fachada de vidros insulados, core central - que reúne as áreas técnicas, elevadores e escadas -, além de colunas de sustentação nas periferias, o que lhe confere uma grande abertura para a iluminação natural.

Diariamente, de 5 mil a 6 mil pessoas devem circular pelas dependências do local, que terá equipe operacional própria.

O B32 recebeu o selo verde LEED (em inglês, Leadership in Energy and Environmental Design) na categoria Platinum. Alguns dos seus destaques de sustentabilidade incluem o aproveitamento de água e a economia de energia elétrica. O empreendimento conta com uma estação de tratamento de água que funciona por meio de ozônio e microfiltragem. Além disso, ele alcançou 40% de redução de consumo energético em relação à base de referência adotada pela certificação.

Vista para o verde. Não muito longe dali, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, a proximidade com o Parque do Ibirapuera tornou o projeto do Park Tower uma opção incomum para o mercado. A 650 metros da entrada principal da área verde, o empreendimento privilegiou a vista para a natureza e as opções de envolvimento com o entorno como diferenciais, além de sua eficiência operacional, certificada pelo selo verde LEED na categoria Gold.

"Está em um terreno de 6,56 mil m² entre a Paulista, os Jardins e o Itaim Bibi. Em qualquer cidade do mundo, a visão para um parque é valorizada, diz Rodrigo Abbud, sócio-fundador e head dos segmentos de escritórios da gestora de investimentos imobiliários VBI Real Estate, responsável pelo Park Tower. O prédio tem certificação Triple A conferida pela Escola Politécnica da USP.

Com 22,3 mil m² de área bruta locável, o Park Tower tem 13 pavimentos e core lateral para garantir a vista livre para o Ibirapuera. Suas lajes corporativas, com 1.568 m² e 1.847 m², são majoritariamente retangulares e permitem a montagem de escritórios sem divisórias. O pé-direito de 5 metros, confere altura acima da média. No lobby, são 7 metros de pé-direito.

A fachada é revestida por vidros insulados, que permitem a passagem de luz com mais controle térmico, evitando gastos extras com climatização. A integração com o entorno também foi um fator determinante, segundo o executivo. Considerando a boa infraestrutura de transporte da Brigadeiro Luís Antônio, a VBI reforçou a infraestrutura para os usuários que dispensam o carro, oferecendo um espaço para que ciclistas tomem banho antes do trabalho.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]