O arquiteto e vice-presidente da Ademi, Fernando Wrobel, tem vários motivos para festejar as ações de sua empresa - a Wrobel Construtora - em Niterói: seja pela chegada de novos empreendimentos ou pela consolidação da cidade como um dos caminhos de expansão de seu negócio. "Não chegamos lá para testar, mas para marcar presença", revela ele, com o orgulho de quem nasceu na cidade e assiste ao desenvolvimento da construção civil, amparado por uma legislação flexível e um mercado dinâmico.">
 
 

Com a palavra, o Associado

Com a palavra: Fernando Wrobel

Niterói tem se mostrado um bom mercado para a Construção. Por quê?

 O morador de Niterói sempre teve um perfil estável, adimplente e de comportamento diferente do Rio, pois se compromete com o imóvel, engaja a família no empreendimento e tem grande orgulho de onde mora, tal como mostra uma pesquisa que fizemos, quando voltamos à cidade. Além disso, Niterói concentra qualidades inerentes e belezas naturais que proporcionam boas qualidades de vida.

 A Wrobel é famosa pelo arrojo de linhas, pela criatividade e pela inovação. A legislação tem permitido o mesmo arrojo de antes?

 Em Niterói, a legislação é mais aberta, mais elástica e mais benevolvente, pois propicia ao profissional executar bons trabalhos. E não me refiro somente aos grandes lançamentos, mas a projetos destinados a qualquer classe. No nosso caso, vamos entregar o Ocean Side com uma série de inovações humanas, como a volta do apartamento térreo e o isolamento dos automóveis, graças aos acessos que mergulham sob a propriedade e os mantêm longe das crianças, por exemplo.

 Qual a sua opinião sobre a MP do Bem?

 Tudo o que prevalecer em benefício do setor produtivo, que emprega, que realiza sonhos, é bom para todos. A MP do Bem é um aperfeiçoamento até na proteção do investidor, pois cria instrumentos jurídicos mais nítidos, que consolidam a credibilidade da classe. E isso é importante por manter um hábito que não vi em lugar nenhum, que é o comprador dar o seu sinal com o empreendimento da planta. Ele não está comprando o imóvel, mas uma fração do oxigênio. Isso é credibilidade.

 Além do Destaque Ademi 2004, quais os prêmios mais recentes, nacionais e internacionais, conquistados pela Wrobel?

 Recebemos os prêmios FIABCI Internacional, pelo reerguimento - em duplo sentido, pois evitamos que fosse demolido - do prédio da Justiça Federal. A comissão julgadora do prêmio considerou a obra como o maior desafio nacional de restauração. E recebemos também o Prêmio Internacional de Qualidade pela reforma do prédio da Bolsa de Valores.

 No mandato que cumpriu como presidente da Ademi, o sr. sugeriu uma nova política habitacional. O que evoluiu daquela época para hoje?

 Evoluiu-se muito pouco. Temos que brigar pela volta do Plano Empresário e pela revitalização do Plano Recon. Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (Cris) podem ser uma alavancagem importante para o setor. Há de se aprimorar a segurança juridica dos contratos imobiliários. O instrumento de alienação fiduciária, que foi mal vendido, deve ser melhor explicado e incorporado a nossa atividade atividade empresarial. O Brasil tem que definitivamente criar um plano nacioanl de habitação, com regras claras e duradouras. 



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]