Informe ADEMI

Outros Informes:

25 de julho de 2017


Informe ADEMI




ADEMI - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário


25 de julho de 2017 ADEMI na imprensa | notícias do setor | hoje na imprensa

Notícias do Setor

Queda dos juros incentiva mercado imobiliário (Exame online, Negócios, 25/jul)

Nas últimas semanas, as projeções para a taxa básica de juros vêm caindo tanto para 2017 quanto para o próximo ano. O boletim Focus de junho, apresentado pelo Banco Central, previa taxa Selic de 8,5% para os dois anos. O relatório de 14 de julho, no entanto, apontou expectativa de queda, com 8% de Selic. Alguns segmentos do mercado reagiram de forma imediata às novas projeções. O Santander saiu à frente dos concorrentes e anunciou redução de juros para créditos imobiliários.

Bancos devem ter prazo maior para negociar imóveis (Valor Econômico, Vinícius Pinheiro e Talita Moreira, 25/jul)

Os bancos podem ganhar mais tempo para vender os imóveis e outros bens recebidos em garantia de empréstimos que não foram pagos. A mudança na forma do tratamento desses ativos passou quase despercebida na polêmica Medida Provisória (MP) nº 784, que trata dos acordos de leniência entre instituições financeiras e o Banco Central (BC).

Rio sem maquiagem (O Globo, Opinião, Marcelo Crivella, 25/jul)

Após lançarmos o Procedimento de Manifestação de Interesse, 12 empresas formalizaram a intenção de realizar os projetos de urbanização da comunidade de Rio das Pedras, onde será feita uma PPP. Esse mesmo modelo está sendo planejado para o Centro, o que me levou à Rússia para conhecer os modelos bem-sucedidos naquele país. E já assinamos quatro chamamentos públicos para construir em terreno da prefeitura, na região do Porto Maravilha, unidades do Minha Casa Minha Vida. O projeto será financiado pela Caixa.

Apagão de infraestrutura (O Globo, Poder em Jogo, 25/jul)

O emprego na área de construção está evaporando no Rio, mostra pesquisa da Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro (Aerj) com a Brasinfra, que reúne entidades do setor. De junho de 2014, início da Copa, a junho deste ano, a construção pesada perdeu 37% de seus postos no país. No Rio, sumiram 49,8% das vagas. Não custa lembrar: não há uma obra sequer em andamento no estado, segundo a Aerj.

Ajuste fino (Folha de São Paulo, Janela, 25/jul)

Quando entrar em vigor em novembro, a reforma trabalhista reduzirá uma série de obstáculos á expansão do emprego formal, trazendo segurança jurídicas às relação trabalhistas e mais produtividade às empresas. O mesmo se aplica às novas modalidades de contratação = em tempo parcial, intermitente e por teletrabalho -, trazendo para a formalidade centenas de milhares de postos de trabalho, com a garantia dos direitos trabalhistas correspondentes e a consequente diminuição do déficit da Previdência via aumento da arrecadação.

Preço médio do m² de imóveis comerciais no País cai 0,10% em junho, aponta FipeZap (DCI, 25/jul)

O preço médio nominal do metro quadrado (m²) dos imóveis comercias brasileiros registrou queda no mês de junho ante maio, tanto em vendas (0,10%), para R$ 9.882, quanto em locação (0,47%), para R$ 42,02. Os dados são do Índice FipeZap Comercial, realizado pela Fundação instituto de Pesquisa Econômica (Fipe), em parceria com o Zap Imóveis. A pesquisa acompanha o preço médio de conjuntos e salas comerciais de até 200 m², com bases em anúncios na internet.

Governo dá novos prazos para entregas do MCMV em pequenos municípios (Valor Econômico onine, Lucas Marchesini, 24/jul)

O Ministério das Cidades definiu novos prazos e condições para a entrega de residências do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) em municípios com menos de 50 mil habitantes, contratadas entre 2009 e 2012. A portaria publicada nesta segunda-feira no "Diário Oficial da União" (DOU) permite que as unidades habitacionais com menos de 50% de sua execução concluída até 12 de julho deste ano sejam entregues até maio de 2018.

Caixa suspende crédito mais barato para casa própria, mas BB pode ser opção (UOL, Economia, 25/jul)

Desde junho, por falta de recursos, a Caixa Econômica Federal deixou de oferecer a linha Pró-Cotista. Depois do Minha Casa, Minha Vida, esse é o crédito mais barato do mercado para quem quer comprar a casa própria, com taxa de juros de 9% ao ano. Nos outros financiamentos imobiliários, a taxa mínima é de 10% ao ano, mas há casos em que os juros podem chegar a 14% ao ano.

De olho (Folha de São Paulo, Mercado Aberto, 25/jul)

O LabCidade, laboratório de pesquisa da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, lançou nesta segunda (24) um mapa de "equipamentos públicos colocados à venda pela prefeitura de São Paulo". Segundo a professora Raquel Rolnik, o objetivo é permitir que os cidadãos "visualizem as áreas que estão disponibilizadas pelo município ao setor privado por meio de venda, concessão ou PPPs".
Hoje na Imprensa
Saldo da balança comercial já supera US$ 40 bi no ano (Valor Econômico online, 25/jul)
FMI revê projeção de crescimento do Brasil (O Globo, Marcello Corrêa, 25/jul)
Analistas de mercado elevam projeção para inflação no ano (O Globo, Marcelo Corrêa e João Sorima Neto, 25/jul)
sugestões | cancelar a assinatura | alterar e-mail
visite o site | seja sócio | estatuto | fale conosco
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]