Notícias do setor

Crescimento da construção e aumento nas vendas de imóveis mostram crescimento do mercado imobiliário

Diário do Rio, Economia, 16/jan

Mais uma notícia deixa claro a melhora do mercado imobiliário do Rio de Janeiro. Segundo o Índice de Atividade da Construção Imobiliária (IACI), em dezembro de 2019, o metro quadrado em construção no Brasil apresentou crescimento de 10,3% em relação ao mesmo período de 2018. No acumulado de 2019, o índice registra avanço de 9,8%.

Com juro baixo, brasileiro terá de arriscar mais para ter ganho financeiro

Veja online, Alessandra Kianek, 17/jan

É um tanto estranho para a classe média brasileira ver-se sem as taxas de juros estratosféricas praticadas no país por quase quatro décadas. Nos anos 1980, por exemplo, no auge da superinflação, quem possuía dinheiro para aplicar na chamada taxa overnight conseguia uma renda de até 2%, literalmente, de um dia para o outro. A inflação, que chegou a 2 500% ao ano, foi controlada pelo Plano Real, mas o espírito rentista e patrimonialista do brasileiro permaneceu.

Helbor cresce

Valor Econômico, Empresas, 17/jan

Os lançamentos da incorporadora Helbor no quarto trimestre somaram valor geral de vendas (VGV) de R$ 539,5 milhões, aumento de cerca de 3,4 vezes em relação aos R$ 157,4 milhões registrados no mesmo período de 2018, com a apresentação de quatro empreendimentos no período, dois na cidade de São Paulo, um em Mogi das Cruzes e um em Alphaville.

PDG troca presidente e planeja retomar lançamentos neste ano

Valor Econômico, Chiara Quintão, 17/jan

A PDG Realty anunciou, na noite de ontem, a mudança de seu presidente, com a indicação de Augusto Reis para o lugar de Vladimir Ranavesky. A mudança faz parte da entrada da companhia em nova fase, na qual as atividades operacionais voltarão a ter prioridade em relação à recuperação judicial da companhia. Ranevsky assumiu a PDG em 4 de dezembro de 2016 e será substituído por Reis a partir de 1º de fevereiro.

Rio é uma das cidades mais caras do planeta no setor dos artigos de luxo, diz estudo

Extra online, Economia, 17/jan

O Rio de Janeiro é a 16ª cidade mais cara do mundo para consumo de produtos de luxo, segundo o relatório Global Wealth & Lifestyle (Riqueza Global e Estilo de Vida) do banco suíço Julius Baer, que pesquisou 28 cidades no mundo todo. Segundo o levantamento, o mercado de imóveis luxuosos também é convidativo. "Os bairros mais caros são Leblon, Ipanema e Gávea".

 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]