ADEMI na Imprensa

Todas as matérias desta seção

Distratos: sem vilões nem mocinhos

Gazeta do Povo, Artigo, Claudio Hermolin, 23/jul

Pertenço ao mercado imobiliário há 25 anos. Está no meu DNA. Testemunha de diferentes fases do Brasil, busco na memória situação semelhante à que vivemos hoje. Não encontro. Então, vou me ater ao meu setor e a uma das questões que mais afligem a construção nos últimos anos: o expressivo número de distratos nas operações de compra de imóveis novos. A tão discutida regulamentação dos direitos e obrigações para os casos de desistência do comprador ainda não avançou no ritmo que as circunstâncias exigem. Muita discussão e poucos resultados. A situação nunca foi tão preocupante, já que o índice de cancelamentos, que não chegava a 20% em 2014, cresceu de forma acelerada e, no ano passado, passou dos 40%.

 

Imóveis vazios do Rio precisam ter utilização

O Globo, Editorial, 23/jul

O presidente da Ademi-RJ, Claudio Hermolin, sugere a concessão de descontos ou até a isenção de IPTU, por um determinado período, para estimular proprietários a recuperarem os imóveis, muitos severamente degradados. Convém lembrar que já houve iniciativas bem-sucedidas nessa área. Uma delas foi o Pró-Apac, da prefeitura, que destinou recursos para restauração de imóveis particulares tombados ou preservados.

 

Uma proposta para os distratos

IstoÉ Dinheiro, Cláudio Gradilone, 19/jul

"A empresa usa as parcelas que os compradores vão pagando para erguer o edifício", diz Claudio Hermolin, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). Quando alguém desiste, diz ele, esse fluxo de recursos se interrompe, e é preciso esperar outro comprador para que a situação volte ao normal.

 

Um patrimônio que tomba pelo abandono

O Globo, Selma Schmidt, 16/jul

A passagem do VLT, um bonde moderno novinho em folha, pela esquina das ruas da Constituição e República do Líbano, contrasta e faz realçar na paisagem o esqueleto do imóvel onde funcionou, por mais de três décadas, o Rei das Válvulas, uma das maiores lojas de componentes eletrônicos e ferramentas do Brasil, que sofreu um incêndio em 2012. Há sinais de que houve uma tentativa de reerguer a estrutura, numa obra interrompida na primeira laje. E, pelas frestas das tábuas colocadas para inibir invasões, se vê muito lixo, além de tijolos estocados. O lugar, segundo vizinhos, estaria sendo usado como depósito. Virou mais uma entre as tantas construções fechadas, subaproveitadas e abandonadas na cidade. 

 

'É o momento de negociar e aproveitar a queda nos preços'

O Globo, Ana Carolina Diniz, 16/jul

O combalido mercado imobiliário não vê a hora de a crise passar. Primeiro a tomar o baque e último a se recuperar, o setor vem amargando prejuízos e postergando seus lançamentos. Ruim para as empresas, melhor para o consumidor. Para Claudio Hermolin, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), é hora de investir, pois os preços devem subir até o final do ano. Confira a entrevista.

 

Distratos continuam sem regras definidas

Valor Econômico, Chiara Quintão, 12/jul

A maior parte das entidades que representam o setor imobiliário quer imóveis comerciais fora da regulamentação para os distratos, segundo o presidente da Ademi-RJ. "Queremos que a regulamentação trate, exclusivamente, de imóveis residenciais. Quem comprou uma sala ou uma loja não fez a aquisição para morar, mas como um investimento financeiro. Toda decisão de investimento tem um risco", diz o dirigente da Ademi-RJ.

 

Homenagem

O Globo, Ancelmo Gois, 01/jul

O advogado Maury Rouède Bernardes, consultor jurídico da ADEMI-RJ, recebeu, na OAB-RJ, a Medalha Sobral Pinto pelos seus mais de 50 anos de atividades.

 

Empresários ainda apostam no Porto

O Globo, Selma Schmidt, 18/jun

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Claudio Hermolin, a solução para a Zona Portuária passa pela revisão do preço das Cepacs da região e a quantidade de certificados exigida pela prefeitura. "Torcemos para que tudo dê certo", diz.

 

Após fim dos Jogos, Vila dos Atletas não decolou

O Globo, Renan Rodrigues, 17/jun

Na opinião do presidente da Ademi-RJ, Claudio Hermolin, dois fatores justificam o número inexpressivo de vendas. A crise econômica é uma das vilãs, mas uma particularidade do condomínio, que teve que ser erguido de uma vez só para atender aos atletas, pode ter atrapalhado as negociações. "A gente acredita que esse estoque será absorvido pelo mercado porque a Barra é vetor de crescimento da cidade", diz Hermolin.

 

Construtoras apostam no feirão da Caixa

O Globo, Ana Carolina Diniz, 21/mai

Claudio Hermolin, presidente da Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), disse que a expectativa de vendas do setor é alta. Ele lembra que, tradicionalmente, esse tipo de iniciativa tem como foco principal o mercado popular, mas sempre há boas oportunidades para todas as áreas.

 

Tudo pela casa própria

Extra, Ana Carolina Diniz, 21/mai

A Caixa Econômica vai realizar a 13ª edição do seu feirão da casa própria do Rio na próxima semana, de 26 a 28 de maio, no Riocentro, em Jacarepaguá. De acordo com as construtoras, haverá unidades com valores a partir de R$ 117 mil, e grande parte se enquadra no programa habitacional "Minha casa, minha vida". Para fazer simulações, leve CPF, RG e comprovantes de residência e de renda. "Antes, faça uma pesquisa pela internet, usando um filtro que considere a localização, o preço e o tipo de imóvel que procura. Assim, quando chegar lá com algumas possibilidades em vista, pode fechar com quem oferecer as melhores condições", sugere Claudio Hermolin, presidente Ademi.

 

Juro menor alimenta sonho da casa própria

O Globo, Bruno Rosa e Glauce Cavalcanti, 14/mai

"A procura por imóveis aumentou 30% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Em função da maior demanda, as incorporadoras já estão mais entusiasmadas a fazer lançamentos no Rio. Como o ciclo de lançamento é longo, os resultados serão mais visíveis no ano que vem, quando poderá haver alta de 20% em relação a este ano", diz Claudio Hermolin, presidente da ADEMI-RJ, que reúne as construtoras cariocas.

 

Ocasião certa para comprar

O Globo-Jacarepaguá, Thalita Pessoa, 29/abr

Dados da Ademi-RJ estimam que hoje de 30% a 35% dos imóveis comprados voltam ao vendedor. Com isso, o número de propriedades disponíveis em Jacarepaguá é de 3.561 imóveis - há quatro anos era de 2.715. "Todo estoque é problema, porque gera custo com o condomínio, certidões e tantos outros gastos. Por isso, a estratégia agora de quem quer vender é ser agressivo no preço e na forma de pagamento", diz o presidente da associação, Claudio Hermolin.

 

Minha Casa Minha Vida em versão premium

O Globo, Ana Carolina Diniz, 23/abr

Para conquistar o comprador, as empresas precisam estar mais atentas e caprichar nos produtos, acredita o presidente da Ademi, Claudio Hermolin: "Caiu o mito que a habitação popular é uma habitação ruim. Os imóveis de baixo custo podem ter os mesmos itens de lazer dos financiados por meio do SPBE. A diferença é a especificação do acabamento dos itens de lazer, mais simples para se enquadrarem no preço", diz.

 

Sorria: Barra mais barata

O Globo, Eduardo Vanini, 23/abr

De acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), 68% de todas as unidades habitacionais lançadas na cidade entre 2005 e 2010 estavam concentrados em apenas quatro bairros da Zona Oeste: Barra, Jacarepaguá, Recreio e Campo Grande.

 

Conforto para todos

Extra, Ana Carolina Diniz, 23/abr

O presidente da Ademi, Claudio Hermolin, lembra que o ciclo da compra de um apartamento é longo. Então, o comprador precisa prever como será seu perfil familiar na época de ocupar o imóvel. "Se ele é solteiro ou casado e sem filhos, não adianta ter quantidade enorme de lazer infantil, pois ele pagará por algo que não irá usar. Mas, se ele tem filhos, pode estar economizando em outras questões como, por exemplo, a natação que ele deixará de pagar caso o condomínio disponha de um professor", lembra.

 

Crise econômica e fatores locais prejudicam o setor imobiliário na Barra

O Globo-Barra, Lucas Altino e Stefano Salles, 20/abr

Divulgada no início do ano, a Pesquisa Ademi compara os dados de lançamentos do ano olímpico com os do ano anterior. Embora o número de lançamentos em toda a cidade tenha crescido, sobretudo os de imóveis residenciais, que passaram de 5.857 para 7.329, no bairro ele diminuiu de 409 para 87. Presidente da associação, Cláudio Hermolin diz que a redução dos lançamentos está relacionada à superoferta disponibilizada nos últimos anos, em virtude dos Jogos Olímpicos. Mas pondera que outros problemas afetaram o mercado na região, como o impasse na definição do PEU das Vargens.

 

Com recursos do FGTS

Meia Hora, Imóveis, 02/mar

Para o Presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, os recursos do FGTS representam um alívio a incorporadoras, construtoras e consumidores. "Mas é preciso também reanimar a economia, com incentivos ao financiamento de unidades novas e uma política para promoção da queda de juros", analisa.

 

Mudanças no financiamento da casa própria

O Dia, Cristiane Campos, 26/fev

"A decisão do governo federal de elevar o teto de financiamento de imóveis com uso do FGTS vai representar um alívio a incorporadoras, construtoras e consumidores. Mas a medida, isoladamente, não tem força para destravar o mercado imobiliário, em crise nos últimos dois anos. É preciso reanimar a economia, com incentivos ao financiamento de unidades novas e uma política para promoção da queda de juros. Setor e consumidores precisam se sentir seguros", analisa Claudio Hermolin, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

Crédito deve atrair a classe média

O Globo, Eduardo Vanini, 19/fev

Para o presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, as empresas do setor devem começar a sentir os impactos dessa mudança já nos próximos dias. "O desejo de ter uma casa própria é inerente ao ser humano e havia uma gama enorme de famílias que adiaram seus planos em função das condições de financiamento desfavoráveis. Agora, a situação já começa a mudar", prevê.

 

Expectativa positiva

Extra, Ana Carolina Diniz, 12/fev

As mudanças implementadas pelo governo federal no programa habitacional "Minha casa, minha vida" animaram o setor imobiliário. Profissionais da área sinalizam que os ajustes na renda familiar e no valor dos imóveis vão resultar em novos lançamentos e, consequentemente, movimentar os empregos na construção civil. Claudio Hermolin, presidente da ADEMI, prevê o aumento do número de lançamentos já este ano e redução das unidades em estoque.

 

Mudanças animam setor imobiliário

O Globo, Ana Carolina Diniz, 12/fev

Claudio Hermolin, presidente da ADEMI, prevê o aumento do número de lançamento já este ano e a redução das unidades em estoque. "As novas regras permitirão que mais unidades habitacionais passem a integrar o programa, o que beneficiará o setor e também a população. São medidas que vêm animar o mercado, que ainda precisa de outros estímulos, como facilidade de crédito e segurança jurídica", disse ele.

 

A inclusão vem de casa

O Globo, Eduardo Vanini, 29/jan

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Cláudio Hermolin, ainda vai demorar alguns anos até que as determinações da LBI e outras normas sejam sentidas de maneira prática. "Como o ciclo de produção do mercado imobiliário é muito longo, alterações neste sentido só começam a ter os seus resultados observados depois de cerca de três anos ", prevê ele.

 

Prédios tentam se adaptar à LBI

Extra, Eduardo Vanini, 29/jan

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Cláudio Hermolin, diz que as determinações da LBI só serão sentidas de maneira prática daqui a algum tempo. Segundo ele, o ciclo de produção do setor é longo e as mudanças darão resultado dentro de aproximadamente três anos.

 

BR Brokers avalia que terá receita maior

Valor Econômico, Chiara Quintão, 26/dez

A Brasil Brokers tem expectativa de melhora do indicador em 2017. Isso resultaria, segundo o novo presidente da rede de imobiliárias e da ADEMI, Claudio Hermolin, dos lançamentos previstos para cidade de São Paulo - maior mercado imobiliário do país - e de oportunidades para a companhia em segmentos fora do mercado residencial de média a alta renda, como imóveis enquadrados no programa Minha Casa, Minha Vida, loteamentos, grandes lajes corporativas e galpões.

 

Vencedores do ano

O Globo, Morar Bem, 11/dez

A João Fortes Engenharia foi a vencedora na categoria Retrofit do Destaque Ademi 2016 com o trabalho no prédio Rosário 1 Office Center, projeto de Edmundo Musa. O retrofit de alto padrão foi lançado no segundo semestre de 2012 e entregue aos clientes em 2015. O edifício é um exemplar do estilo art déco tardio e teve suas características originais preservadas.

 

Nova diretoria

O Globo, Morar Bem, 11/dez

No evento, a nova diretoria e o conselho do biênio 2017/2018 da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) foram empossados. O novo presidente, Claudio Hermolin, disse que a Ademi continuará contribuindo para tornar o mercado cada vez mais seguro, justo e transparente, para empresários, clientes, investidores e a sociedade.

 

Construindo sonhos

Extra, Mais Baixada, 08/dez

Pelo segundo ano consecutivo, a Inova Consultoria Imobiliária recebeu o prêmio Destaque Ademi 2016. Nesta edição foi pelo projeto Palazzo Ducale Residenziale, que está sendo construído no Centro de Nova Iguaçu. O presidente da empresa, Delmo Filho, comemorou os quatro anos no mercado imobiliário e o desempenho da sua equipe. A premiação aconteceu na última segunda-feira, no Hotel Royal Tulip, em São Conrado, no Rio. O evento ainda lembrou os 45 anos da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ).

 

Imóveis populares equivalem a 61% das vendas no Rio

Obra 24h, 01/nov

A expansão de vendas de imóveis residenciais no Rio no primeiro semestre foi impulsionada pelos projetos do Minha Casa Minha Vida (MCMV). De acordo com pesquisa da Ademi-RJ, as unidades no segmento popular representaram 61% do total de 4.766 unidades comercializadas de janeiro a junho na capital fluminense. Juntos, os bairros de Campo Grande, Recreio dos Bandeirantes, Irajá, Jacarepaguá e Santa Cruz responderam por 2.700 unidades, ou 54% do total.

 

Imóveis populares equivalem a 61% das vendas no Rio no 1º semestre

O Globo, Glauce Cavalcanti, 30/out

A expansão de 34% em vendas de imóveis residenciais no Rio no primeiro semestre, de acordo com dados da Ademi-RJ, que reúne as empresas do setor, foi impulsionada pelos projetos do Minha Casa Minha Vida (MCMV). As unidades no segmento popular representaram 61% das 4.766 unidades vendidas de janeiro a junho no Rio.

 

Expectativa de retomada

O Globo, Glauce Cavalcanti, 30/out

De janeiro a junho, foram vendidos 34% mais imóveis no Rio do que no primeiro semestre de 2015, totalizando 4.766 unidades, mostra pesquisa da Ademi-RJ. Parte desse novo fôlego vem em lançamentos voltados a segmentos mais específicos, como solteiros e casais sem filhos. "Vivemos um recomeço lento, porque o país ainda enfrenta incertezas. Neste fim de ano, os lançamentos ainda são tímidos. Mas, em 2017, é um movimento que tende a continuar e a acelerar", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da entidade.

 

Outro olhar para Zona Oeste

O Globo, Ana Carolina Diniz, 30/out

Em 2015, Campo Grande, na Zona Oeste, ficou em segundo lugar no ranking de vendas da Ademi-RJ, somando 1.403 unidades vendidas, perdendo apenas para as 1.446 de Jacarepaguá. "Os corredores expressos de BRTs, integrados a outros modais de alta capacidade, deram um grande impulso na região, já que a mobilidade era um dos pontos críticos da Zona Oeste", avalia o presidente da associação, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Força do Minha Casa Minha Vida

Extra, Imóveis, 23/out

Em 2015, Campo Grande ficou em segundo lugar no ranking de vendas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), somando 1.403 unidades vendidas, perdendo apenas para as 1.446 de Jacarepaguá. Com 400 mil habitantes, a percepção do mercado imobiliário é que "tem público para todo mundo".

 

O bairro mais desejado

Extra, Ana Carolina Diniz, 02/set

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, lembra que o bairro foi esquecido pelas construtoras até 2007, em função de ser uma região cercada por favelas, o que impactava na segurança. "Com a instalação das UPPs, a Tijuca voltou a ser um bairro desejado, até porque tem muitos atrativos", afirma.

 

Incentivo a imóvel mais caro

O Globo, Economia, 30/set

O governo vai permitir que os bancos possam usar uma parcela dos recursos captados pela caderneta de poupança para financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão, dentro do SFH que tem taxas anuais limitadas a 12% ao ano, mais a TR. Para João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da ADEMI-Rio, a medida fortalecerá o setor e pode fazer os juros dos empréstimos imobiliários caírem de cerca de 12% para entre 10% e 10,5%.

 

Barra ganha o ouro olímpico

O Globo, Ana Carolina Diniz, 11/set

"A mobilidade, que sempre foi o ponto fraco da região, ganhou projetos abrangentes. A possibilidade de integração com outros transportes, principalmente BRTs, também favoreceu os moradores. Todos querem desfrutar as vantagens de morar perto de um transporte público de qualidade, que ponha fim aos torturantes engarrafamentos enfrentados no deslocamento diário para o trabalho", explica o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Um rolo sem fim

Exame, Patrícia Valle, 08/set

Quando lançam um empreendimento, as incorporadoras só começam a construí-lo quando vendem, no mínimo, um terço dos imóveis. Caso contrário, o risco fica grande demais e o projeto é abandonado. "As desistências surgem em momentos econômicos ruins, justamente quando é mais complicado revender os imóveis devolvidos", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI).

 

Ressaca imobiliária

O Globo, Eduardo Vanini, 28/ago

Se no auge da valorização muita gente repetia como um mantra que só depois das Olimpíadas os preços cairiam, João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI), afirma que isso acaba não se concretizando: "Os preços diminuíram antes dos Jogos, por causa da crise. Então, não adianta esperar mais reduções só porque o evento chegou ao fim".

 

Mobilidade urbana é o maior legado da Olimpíada para o Rio de Janeiro

Construção e Mercado, Edição 181, ago/2016

O setor de construção carioca, do qual a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ) é representante há 45 anos, crê na capacidade de superação. De acordo com dados de recente pesquisa da entidade, houve reação no segmento de vendas de imóveis no Rio no segundo trimestre deste ano em relação a 2015. A performance dos empreendimentos residenciais cresceu 33%.

 

Mercado já começa a reagir

O Dia, Cristiane Campos, 14/ago

O presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, afirma que a recuperação já era esperada. Segundo ele, o consumidor, mais cauteloso em razão da crise econômica, soube aproveitar a variação do mercado. "Os feirões de imóveis trouxeram oportunidades especiais, atraindo assim um grande número de compradores", diz.

 

Subsídios do governo para comprar moradias

Extra, Minha Casa, Minhas Dúvidas, 06/ago

Os interessados em realizar o sonho da casa própria com a compra de uma moradia popular podem fazer simulações para verificar em que faixa de renda se encaixam e o valor do subsídio a que terão direito. O programa MCMV prevê financiamentos para quatro faixas de renda e garante subsídios para três delas. Segundo Rubem Vasconcelos, Vice-Presidente da Ademi, o programa habitacional resiste à crise.

 

Mercado reage

O Globo, Morar Bem, 07/ago

Um levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostrou que o mercado de venda de imóveis está começando a reagir. De acordo com o estudo, houve aumento de 23% no total de vendas de imóveis no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2015 no Rio. A pesquisa mostra que entre janeiro e março de 2016 foram vendidas 2.226 unidades, ante 1.802 dos primeiros três meses de 2015. O segmento residencial foi o que apresentou maior crescimento: 33%.

 

Retomada em construção

O Globo, Economia, 26/jul

"No setor, a certeza é de que saímos do fundo do poço. O governo dizer que vai dar mais crédito é ótimo. Mas não traz resultado imediato. Mostra que o banco quer financiar, e isso vai mexer com as taxas dos bancos privados. Nos últimos 60 dias, as vendas estão melhores", afirma João Paulo Matos, presidente da Ademi-RJ, entidade que reúne as construtoras cariocas.

 

Medidor individual vira lei federal

O Globo, Ana Carolina Diniz, 17/jul

No Rio, há uma lei municipal que contempla a individualização para novos prédios desde 2011. O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, diz que a lei sancionada por Temer apenas consolida um processo que já é realidade em várias capitais e cidades de grande porte. São Paulo, Campinas, Belo Horizonte e Brasília também têm legislações neste sentido.

 

Pague só pela sua conta

Extra, Imóveis, 17/jul

"Até por ser uma lei no Rio, as construtoras já entendiam que era uma medida que beneficiava o consumidor", afirma o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, João Paulo Rio Tinto de Matos. Para ele, a lei apenas consolida um processo que já é realidade em várias capitais e cidades de grande porte.

 

Jacarepaguá não é longe pra caramba!

Meia Hora, Imóveis, 14/jul

Jacarepaguá, na Zona Oeste, continua atraindo construtoras e incorporadoras que levam à região projetos imobiliários modernos que incluem boa localização, lazer completo e segurança. Isso tudo com condições de pagamento que não pesam tanto no bolso. São opções de imóveis prontos, em construção ou na planta. Em alguns empreendimentos é possível contar com até mesmo lojas de conveniência no térreo e serviço de manobrista. De acordo com o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, o crescimento do bairro ainda vai se manter por muito tempo.

 

Minha casa é olímpica

O Globo, Ana Carolina Diniz, 10/jul

"A Vila dos Atletas tem um grande potencial de venda pós-jogos. É um bom empreendimento, localizado em uma região importante. Imagina para o cliente comprar um apartamento que hospedou um grande atleta?", diz o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Condomínios olímpicos

Extra, Ana Carolina Diniz, 10/jul

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, acredita que a venda das unidades da Vila dos Atletas, na Zona Oeste do Rio, terá bom desempenho após os Jogos. "Basta lembra os apartamentos na Vila do Pan, todos vendidos em menos de dez horas", ressalta.

 

Jacarepaguá lidera o ranking de unidades lançadas

O Dia, Cristiane Campos, 10/jul

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, pontua diferentes fatores que influenciaram e estimularam o interesse por Jacarepaguá: "Além de infraestrutura, serviços e comércio farto, os preços das unidades são mais em conta do que os da Barra da Tijuca". Ele ressalta que o bairro atende a um público de classe média, proveniente de pontos saturados do subúrbio e também da Baixada.

 

Quatro dias de feirão

Meia Hora, Imóveis, 07/jul

O evento reunirá desde imóveis populares até unidades de alto padrão, com até quatro suítes. De acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2009, Nova Iguaçu recebeu 310 novas unidades residenciais. Em 2010, esse número cresceu para 1.482 e, em 2014, foram 1.730 lançamentos.

 

Para o alto e avante

O Globo Zona Norte, Thalita Pessoa, 18/jun

"A procura pela Zona Norte aumentou pelo problema da mobilidade urbana. O perfil médio do interesse é por unidades residenciais de 60 metros quadrados com dois quartos", explica João Paulo Matos, Presidente da Ademi e sócio-diretor da Calçada Empreendimentos.

 

O Méier quer conforto

Extra, Imóveis, 29/mai

O presidente da construtora Calçada e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos, decreta: o lazer da Barra chegou ao Grande Méier."É uma região tradicional, composta em sua maioria por moradores fiéis. O interessante é atender a essas famílias, que buscam mais qualidade de vida, sem precisar sair de onde gostam e já vivem, porém, em um condomínio com lazer, segurança e sustentabilidade", diz ele, que cita o condomínio Refinatto, da Calçada, que será entregue em junho, como um exemplo de condomínio com grande área de lazer.

 

Lazer muda de formato

O Globo, Carolina Ribeiro, 22/mai

Para o Presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, fazer uma avaliação do mercado em tempos de crise é precoce. " Estamos no ápice da crise econômica brasileira. Vamos começar a sair dela. Portanto, é cedo para se posicionar sobre a tendência do fim dos clubes residenciais".

 

Hora do repasse do financiamento

O Dia, Cristiane Campos, 22/mai

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo de Matos, uma das alternativas que voltaram a ser usadas em menor escala é o financiamento direto com o construtor. "Neste caso, o comprador pode pagar em até 120 meses, com correção do IGP-M e juros de 12% ao ano. O cliente sabe que o ideal é financiar com o banco. As taxas são mais acessíveis e o prazo pode chegar 360 meses", explica.

 

Regras para distrato podem dar alívio ao setor imobiliário

O Globo, Glauce Cavalcanti, 15/mai

"O pacto trouxe regras que serão usadas como parâmetro para o distrato. Muitas vezes, a construtora não consegue revender facilmente a unidade. Com isso, não há como pagar o financiamento bancário e cresce o custo do projeto", explicou João Paulo Mattos, presidente da ADEMI-Rio, que reúne as empresas do mercado imobiliário.

 

Bares recém-chegados movimentam a noite na Freguesia

Veja Rio, 11/mai

Há tempos, a conquista do oeste vem dando o tom do mercado de imóveis carioca. Nos últimos cinco anos, Jacarepaguá recebeu 19 675 novas unidades, residenciais e comerciais, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI) - número superior ao registrado nos vizinhos Barra e Recreio.

 

Vidro, concreto e assinatura

O Globo, Morar Bem, Bruno Calixto, 08/mai

Assinados por arquitetos famosos, os edifícios residenciais de grife não passam despercebidos. Tendência nas grandes capitais do mundo, projetos assim estão se tornando uma realidade no Rio, aquecendo não só o mercado, como também o setor criativo dos escritórios de arquitetura. É o caso do Edifício Diamante, na Lagoa, eleito o melhor residencial pelo Prêmio Ademi em 2015.

 

Acordo contra judicialização nos contratos de imóveis

Jornal do Commercio, 28/abr

O documento foi assinado ontem pela Justiça fluminense e os representantes da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, da Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Associação Brasileira das Incorporadoras (Abrainc), da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), da Associação Brasileira dos Advogados do Mercado Imobiliário (Abami) e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

Acordo aperta as regras para compra de imóvel na planta

Folha de São Paulo, Lucas Vettorazzo, 28/abr

Acordo firmado nesta quarta (27) entre governo federal, órgãos de defesa do consumidor e entidades do mercado imobiliário definiu novas regras para os contratos de compra de imóveis na planta, buscando suprimir abusos de incorporadores e vantagens indevidas dos compradores.O setor imobiliário, representado por três entidades -a Abrainc (associação das incorporadoras), a Câmara Brasileira da Indústria da Construção e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário-, comprometeu-se a usar as regras em contratos futuros.

 

Novas regras para distrato de imóvel exigem atenção a contrato

O Globo, Priscilla Aguiar Litwak, 28/abr

Foi assinado ontem um acordo entre representantes do governo federal, do setor imobiliário, dos Procons e da Justiça que implica na adoção de normas para distratos. O acordo foi firmado no Tribunal de Justiça do Rio entre Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (Cbic), Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, TJ-RJ, OAB-RJ, Associação Brasileira Advogados Mercado Imobiliário (Abami) e Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI).

 

Na rota de Jacarepaguá

O Globo, Morar Bem, 24/abr

Quando o assunto é lançamento de imóveis, uma região da cidade é imbatível: Jacarepaguá. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), este recorte da Zona Oeste domina o mercado carioca nos últimos cinco anos, concentrando 23.681 novas unidades, entre residenciais, comerciais e hotéis. Ao todo, a região responde por 20% do total de lançamentos na cidade, desbancando até mesmo a Barra, que teve 18.392 novas unidades no mesmo período.

 

O Cachambi tá no foco

Meia Hora, Imóveis, 22/abr

"A Zona Norte tem se destacado no setor imobiliário, é a segunda região em crescimento da cidade, e um dos bairros mais promissores é o Cachambi. Está no foco do mercado, principalmente por conta da proximidade com a Barra e a Linha Amarela. O sistema de transporte, shoppings, opções de lazer e serviços têm atraído moradores e investidores", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da ADEMI-RJ.

 

Feirão da Caixa terá imóveis com desconto de até R$ 15 mil

O Dia, Cristiane Campos, 21/abr

"A importância do feirão está em aproximar o consumidor dos agentes financeiros e facilitar negociações. O cliente interessado pode conseguir o crédito na hora e viabilizar a aquisição. O evento é vantajoso para as duas partes neste período de juros altos e crédito escasso. Por experiências anteriores, sabemos que o feirão é uma grande oportunidade", diz João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresa do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Cachambi é um dos destaques da Zona Norte

O Dia, Cristiane Campos, 17/abr

"A Zona Norte tem se destacado no setor imobiliário. É a segunda região em crescimento da cidade e um dos bairros mais promissores é o Cachambi. Está no foco do mercado, principalmente por conta da proximidade com a Barra da Tijuca e a Linha Amarela. O sistema de transporte, shoppings, opções de lazer e serviços têm atraído moradores e investidores. O morador do subúrbio é fiel à região, mas também quer melhorar a qualidade de vida, num espaço com maior infraestrutura e lazer", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi.

 

Um olho no mar, outro na escritura

O Globo, Eduardo Vanini, 10/abr

O advogado e membro do Conselho de Administração da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Antônio Ricardo Corrêa, explica que a existência desses terrenos decorre de um instituto jurídico chamado enfiteuse, contrato em que terras públicas são cedidas a particulares, que devem pagar uma pensão (ou foro) anual. No caso do Rio, segundo ele, as áreas mais afetadas estão entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca.

 

Vem ai o Feirão da Caixa

O Dia, Imóveis, 03/abr

"A importância do Feirão da Caixa está em aproximar o consumidor dos agentes financeiros e facilitar as negociações. Dessa forma, o cliente interessado pode conseguir o crédito na hora e viabilizar a aquisição. O evento acaba sendo vantajoso para as duas partes, principalmente neste período de juros altos e crédito escasso. Por experiências anteriores, sabemos que o evento da Caixa é uma grande oportunidade, estamos com boa expectativa", diz João Paulo Matos, Presidente da ADEMI-RJ (Associação dos Dirigentes de Empresa do Mercado Imobiliário).

 

Estratégias de venda

O Globo, Ana Carolina Diniz e Eduardo Vanini, 27/mar

"O mercado imobiliário também sentiu os efeitos da retração e da queda no poder aquisitivo da população. O imóvel exige um compromisso de longo prazo e o consumidor não se sente seguro, na atual situação, para assumir tamanha responsabilidade. O setor está pronto para voltar com força total, estamos dispostos para a retomada", diz o presidente da ADEMI, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Vai comprar imóvel?

Meia Hora, Imóveis, 24/mar

Feirão, descontos, carro e imóvel como parte do pagamento estão entre as ações que as construtoras vêm promovendo para driblar os impactos da crise política e econômica que tomou conta do país. Segundo o diretor-presidente da Calçada e presidente da ADEMI-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), João Paulo Matos, é uma ótima opção para sair do aluguel sem precisar mexer no bolso, já que há possibilidade de usar o carro e o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) como entrada.

 

Deodoro com sotaque

Extra, Imóveis, 21/mar

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos, fala da valorização de bairros da Zona Oeste com a chegada dos Jogos Olímpicos a Deodoro.

 

Tem gringo no subúrbio

O Globo, Ana Carolina Diniz, 20/mar

"Deodoro e outras regiões com equipamentos para os jogos serão valorizados, já que ficarão com um legado importante. Deodoro terá uma nova rede de transporte, o BRT, o que tornará a região atrativa. O mercado naturalmente vai chegar", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI).

 

Construtoras usam criatividade para melhorar vendas

O Dia, Cristiane Campos, 20/mar

A Calçada e a PDG aceitam o carro como parte de pagamento para compra de uma unidade nos empreendimentos Viva Penha e Nova Penha, que já estão prontos para morar. Segundo o diretor-presidente da Calçada e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ), João Paulo Matos, é uma ótima opção para sair do aluguel sem precisar mexer no bolso.

 

Construtora vai capacitar 1,5 mil

Jornal do Commercio, 17/mar

A expectativa é que em 2016 mais 1,5 mil participem de atividades na escola, premiada no XVI Destaque ADEMI com o programa de responsabilidade social, da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

Uma dose de ânimo

Meia Hora, Imóveis, 17/mar

O Vice-Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliária (ADEMI-RJ), Paulo Marques, elogia as medidas de estímulo ao financiamento habitacional anunciadas semana passada pela Caixa Econômica Federal. "Quem pensa em comprar imóvel, sabe que vai conseguir vender o usado porque agora tem crédito para fazer a troca", explica Marques, que prevê mais vendas de unidades em estoque.

 

Caixa volta a aquecer o mercado imobiliário

O Dia, Imóveis, 13/mar

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliária (ADEMI-RJ), Paulo Marques, elogia as medidas de estímulo ao financiamento habitacional anunciadas semana passada pela Caixa Econômica Federal. "Quem pensa em comprar imóvel, sabe que vai conseguir vender o usado porque agora tem crédito para fazer a troca", explica Marques, que prevê mais vendas de unidades em estoque.

 

Mercado imobiliário da Barra aposta nos estrangeiros durante os Jogos

O Globo, Rio 451 anos, 01/mar

De acordo com Rubem Vasconcelos, Vice-Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ), o período é vantajoso para o consumidor. "Para quem quiser melhorar o padrão ou trocar apartamento, a hora é agora".

 

O Vice-Presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, participa de debate na GloboNews

O cancelamento de contratos imobiliários foi tema do Jornal da GloboNews de ontem (15/02), que analisou os números de recente pesquisa da agência de classificação de risco Fitch. No programa, foram entrevistados o Vice-Presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, e o Desembargador Werson Rego. 

 

Cenário novo exige soluções

Extra, Imóveis, 24/jan

Para o Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos, o Judiciário deve avaliar distratos, caso a caso, com novos critérios. "A Justiça já dá sinais de que sabe diferenciar a pessoa que deseja o imóvel em si, e que perdeu as condições de compra, do investidor especulador, que aproveitou o bônus desse mercado nos anos anteriores e agora tem que arcar com o ônus também", observa.

 

Quando as contas não fecham

O Globo, Morar Bem, 17/jan

Se a restrição de crédito e a impossibilidade de pagamento preocupam os consumidores, que muitas vezes são obrigados a desfazer o negócio, por outro as construtoras estão em alerta com a perda dessas vendas já realizadas e, muitas vezes, com a não recuperação dos valores negociados."Os casos dependem da interpretação do Judiciário. E a Justiça já dá sinais de que sabe diferenciar a pessoa que deseja o imóvel para uso próprio, e que perdeu as condições de compra, do investidor especulador, que aproveitou o bônus desse mercado nos anos anteriores e agora tem que arcar com o ônus também", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI).

 

Como uma onda no mar

O Globo, Morar Bem, 17/jan

O Recreio ganha ainda este mês o hotel design Blue Tree Premium Design, da construtora Calper. Localizado de frente para a praia, o prédio é inspirado nas ondas do mar, construído em vidro e concreto. Devido à sua arquitetura, o empreendimento foi vencedor na categoria Melhor Concepção Arquitetônica do Prêmio Master Imobiliário 2015, concedido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio. A previsão é que o hotel comece a operar em março de 2016.

 

Na ZN, sem essa de crise

Extra, Imóveis, 10/jan

A Zona Norte tem garantido certo fôlego ao setor, com as construtoras comemorando boas vendas por lá. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, a região é a segunda que mais lança oportunidades na cidade, perdendo apenas para a Zona Oeste. Só em 2015, foram mais de 1.500 novas unidades. Além de Tijuca, bairros como Engenho de Dentro e Benfica estão atraindo compradores, enquanto a promissora Zona Oeste vivencia uma desaceleração mais acentuada em suas vendas.

 

Bem como garantia

O Dia, Imóveis, 10/jan

Segundo o vice-preisdente da Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ), Cláudio Hermolin, o home equity não pode ser confundido com hipoteca de financiamento imobiliário. No primeiro caso, é permitido usar um imóvel quitado e legalizado em seu nome como garantidor para tomar um empréstimo.

 

Zona Norte: um refresco em meio à crise

O Globo, Morar Bem, 10/jan

A Zona Norte tem garantido certo fôlego ao setor, com as construtoras comemorando boas vendas. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, a região é a segunda que mais lança oportunidades na cidade, perdendo apenas para a Zona Oeste. Só em 2015, foram mais de 1.500 novas unidades.

 

Palmas para eles!

O Globo, Zona Sul, Parada Obrigatória, 07/jan

Os arquitetos André Piva e Vanessa Borges foram premiados no 16° Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário, pelo projeto do edifício Diamante, na Lagoa.

 

Estudo sobre nova sede fica pronto em 15 dias

O Globo, Renan França, 05/jan

Só dentro de 15 dias deverá ficar pronto o estudo sobre a criação de um centro administrativo que reunirá várias secretarias do estado. Com a medida, o governador Luiz Fernando Pezão espera economizar entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões por ano. Atualmente, o estado gasta aproximadamente R$ 70 milhões com aluguéis. Para Rubem Vasconcelos, vice-presidente da ADEMI, o governo pode negociar um bom contrato.

 

O cenário de 2016

Meia Hora, Imóveis, 31/dez

"Difícil fazer projeções. A economia brasileira está parada. Sabemos que foi um ano atípico. Crise econômica, crise política, crise ética. Espero que a reação venha o quanto antes. Mas de uma coisa tenho certeza: a construção civil continua atuante e, em condições adequadas, voltará a crescer aceleradamente. A nossa expectativa é de retomada. Ano olímpico, o Rio verá um momento especial", avalia o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos. "Acreditamos no poder de recuperação da economia como um todo e do setor de construção em especial. Assim que a economia do país der sinais de recuperação ,o setor estará pronto para retomar o crescimento. As empresas estão fortes, disposição não falta. Há projetos, há demanda, gente que sonha com a casa própria, apenas à espera do melhor momento", acrescenta ele.

 

Financiamento, sim!

Extra, Imóveis, 21/dez

Quem deseja se lançar ao mar de ofertas no mercado imobiliário em 2016 precisa estar atento ao aviso da Caixa aos navegantes: o banco vai priorizar financiamentos para imóveis de até R$ 225 mil. Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), João Paulo de Matos avalia que a medida é correta por se tratar de um banco com caráter mais social.

 

Sem perder o ritmo

O Globo, Morar Bem, 20/dez

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI-RJ) e diretor-presidente da Calçada, João Paulo Matos, o maior desafio é a confiança do brasileiro, que tem dinheiro, mas, diante das incertezas no país, prefere segurar seus recursos. Com isso, hoje, as construtoras, em sua maioria, estão focadas em vender o que têm nos estoques. Enquanto isso, os terrenos já adquiridos ficam parados, aguardando uma melhoria de cenário para abrigar novos empreendimentos. 

 

Ademi premia os melhores do setor de imóveis no Rio

O Globo, Morar Bem, 13/dez

O presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, contextualizou o momento que hoje o país atravessa, assim como as adversidades enfrentadas no setor, mas também ressaltou que que a construção civil, turbinada pela realização dos Jogos Olímpicos, é responsável pelo emprego de milhares de trabalhadores no Rio.

 

Destaques do Prêmio Ademi-RJ

O Dia, Imóveis, 13/dez

A Ademi-RJ premiou as construtoras que mais se destacaram na cidade neste ano. A cerimônia de entrega dos troféus aconteceu no Hotel Royal Tulip, em São Conrado. A Carvalho Hosken, por exemplo, conquistou cinco prêmios Master Imobiliário 2015.

 

Carvalho Hosken conquista cinco prêmios da Ademi

Diário Mercantil, 10/dez

A construtora Carvalho Hosken conquistou cinco prêmios Master Imobiliário 2015, concedidos pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI) aos destaques do mercado. A entrega dos troféus ocorreu na segunda-feira, no Hotel Royal Tulip, em São Conrado, na Zona Sul, reunindo cerca de 400 pessoas, entre autoridades, empresários e representantes da sociedade civil.

 

Carvalho Hosken leva cinco prêmios da ADEMI

Jornal do Commercio, 10/dez

A construtora Carvalho Hosken conquistou cinco prêmios Master Imobiliário 2015, concedidos pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI) aos destaques do mercado. A entrega dos troféus ocorreu na segunda-feira, no Hotel Royal Tulip, em São Conrado, na Zona Sul, reunindo cerca de 400 pessoas, entre autoridades, empresários e representantes da sociedade civil.

 

Premiação imobiliária

O Globo, Morar Bem, 06/dez

Amanhã, dia 7, acontece, em São Conrado, a XVI edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2015, que reconhecerá os principais projetos, lançamentos e inovações do setor no Rio de Janeiro. Este ano, a premiação será direcionada às empresas que mais contribuíram com o legado dos Jogos Olímpicos. Segundo dados da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio, da primeira edição até agora, o preço dos apartamentos na capital tiveram valorização de 300%, passando de uma média de R$ 2 mil para R$ 8 mil.

 

Região está bem na fita

Meia Hora, Imóveis, 03/dez

Alguns bairros da Zona Norte do Rio, como Cachambi, São Cristóvão, Piedade, Riachuelo, Engenho de Dentro e Tijuca, vêm chamando a atenção de construtoras. Isso porque, além de já contar com boa infraestrutura de transporte - ônibus, metrô e trem -, essas regiões também estão passando por uma revolução em termos de investimentos por meio do poder público. São intervenções por conta das Olimpíadas de 2016. Para se ter uma ideia, de janeiro a outubro deste ano, a Zona Norte recebeu 1.245 unidades, entre residenciais e comerciais, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Zona Norte está em alta

O Dia, Imóveis, 29/nov

Alguns bairros da Zona Norte como Cachambi, São Cristóvão, Piedade, Riachuelo, Engenho de Dentro e Tijuca começam a chamar a atenção de construtoras, pois além de já contar com boa infraestrutura de transporte - ônibus, metrô e trem - , contribuindo para a mobilidade urbana da cidade, essas regiões também estão passando por uma revolução em termos de investimentos por meio do poder público. São intervenções por conta dos Jogos Olímpicos de 2016, que estão estimulando a construção de empreendimentos imobiliários modernos, com lazer completo e segurança 24h, parecidos com os condomínios da Barra da Tijuca. Para se ter ideia, de janeiro a outubro, a região recebeu 1.245 unidades entre residenciais e comerciais, segundo dados da Associação Dirigentes de Empesas do Mercado Imobiliário (ADEMI).

 

De volta ao passado

O Globo, Glauce Cavalcanti, 23/nov

"É o pior resultado em lançamentos em dez anos. E não há sinal de melhora. É que vivemos, agora, o oposto do que ocorreu nessa década, quando a estabilidade econômica e a maior oferta de crédito, a juros mais acessíveis, para empresas e consumidores impulsionaram o mercado", avalia João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI-RJ).

 

IX Congresso de Direito Imobiliário e Registral

O Globo, Ancelmo Gois, 21/nov

A ADEMI faz, quarta e quinta, no TJ, o IX Congresso de Direito Imobiliário e Registral. A coordenação acadêmica é do desembargador Werson Rêgo e do advogado Maury Rouède Bernardes.

 

Programa Habita Mais tem R$ 100 mi em negócios

Jornal do Commercio, 16/nov

O programa Habita Mais, voltado para servidores do estado do Rio de Janeiro, tem negócios de R$ 100 milhões fechados e segue até o dia 20 de novembro oferecendo condições especiais para o servidor na compra da casa própria. As cartas de crédito concedidas pelas instituições financeiras, no entanto, são válidas por seis meses e a expectativa de mais compras sejam efetuadas no período. O Habita Mais,  uma realização do governo do estado, por meio da Secretaria de Habitação, em parceria com a prefeitura do Rio e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI) e Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado (Sinduscon).

 

Bairro conquistador

O Dia, Zona Oeste, 14/nov

Quem mora em Campo Grande é, declaradamente, apaixonado pelo bairro. No entanto, o clima de interior somado à melhoria da infraestrutura nos últimos anos vem conquistando pessoas de outras regiões. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Campo Grande foi o quarto no ranking de lançamentos do Rio, em 2014, perdendo apenas para Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Recreio.

 

Bairro conquistador

Extra, Zona Oeste, 14/nov

Quem mora em Campo Grande , declaradamente, apaixonado pelo bairro. No entanto, o clima de interior somado melhoria da infraestrutura nos ltimos anos vem conquistando pessoas de outras regies. Segundo a Associao de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobilirio, Campo Grande foi o quarto no ranking de lanamentos do Rio, em 2014, perdendo apenas para Jacarepagu, Barra da Tijuca e Recreio.

 

13º salário na compra da unidade

"Com a variação de juros dos bancos, o ideal é buscar amortizar o saldo a financiar e tentar pagar prestações com juros mais baixos. Outra saída é tentar negociar com as construtoras benefícios como armários e linha branca, que antes seriam comprados com seu 13° salário", diz João Paulo Matos, presidente da Calçada e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

De volta às origens

O Globo, Morar Bem, 08/nov

"É difícil definir quando haverá ocupação residencial na Zona Portuária após a revitalização, pois, com esse cenário econômico, alguns lançamentos são postergados. Acredito que em 2018 ou 2019 ela será mais significativa", afirma o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

No Jornal Nacional, presidente da ADEMI diz que consumidor tem grandes oportunidades

TV Globo, Jornal Nacional, Edição 24/out

O Presidente da ADEMI-RJ, João Paulo Rio Tinto de Matos, concedeu entrevista à edição de sábado (24/10) do Jornal Nacional, da TV Globo. Presente ao feirão Imóveis Mais Brasil Brokers, ele comentou as estratégias adotadas pelas construtoras para a venda de unidades: "Quem quer comprar imóvel hoje tem grandes oportunidades", afirmou Matos.

 

Presidente da ADEMI fala sobre o setor na GloboNews

Globo News, Jornal das Dez, Edição 24/out

Em entrevista ao Jornal das Dez, da GloboNews, no sábado (24/10), o presidente da ADEMI, João Paulo Rio Tinto de Matos, analisou o atual desempenho do setor. Segundo ele, é preciso fazer com que o consumidor se sinta mais seguro para fazer investimentos de longo prazo: "O nosso cliente tem medo de perder o emprego, não sabe como deve fazer investimentos. O dólar sobe, não sobe... Se as medidas que o país precisa forem tomadas em curto prazo, o nosso consumidor passa a ter um rumo, uma visão. E aí ele volta a investir no mercado imobiliário".

 

Prêmio Master Imobiliário

O Dia, Imóveis, 25/out

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Master Imobiliário 2015, promovida pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI). A iniciativa vai premiar os principais projetos, empresas e profissionais do mercado no estado, em categorias como empreendimentos residencial, comercial, projeto de habitação de interesse local, marketing e comercialização de empreendimentos, projeto urbanístico, concepção arquitetônica e sustentabilidade.

 

Os dez bairros mais fortes do que a crise

Extra, Imóveis, 11/out

Ariovaldo Rocha, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI-RJ), destaca que os imóveis dos bairros mais valorizados se caracterizam por oferta limitada ao gabarito, ou seja, ao número máximo de pavimentos em edificações."Em função da dificuldade da oferta, automaticamente o preço tem um acréscimo", finaliza Rocha.

 

A vez da Zona Norte

Extra, Imóveis, 28/set

Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI), explica que os preços devem continuar em conta até que se forme um novo ciclo de vendas. O empreendimento Dom Offices, no Cachambi, por exemplo, está com descontos de até 35% na compra à vista das salas comerciais.

 

Construções de alto padrão, segmento que cresce no Rio

O Globo, Morar Bem, 28/set

Diante dos raríssimos terrenos na Zona Sul, principalmente nas ruas mais desejadas, é comum se pensar que qualquer espaço é uma mina de ouro. Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado de Imóveis do Rio (ADEMI-RJ), entretanto, explica que não é bem assim. Como geralmente esses empreendimentos têm poucas unidades e valores bem altos, é preciso avaliar o risco de investimento, para saber com precisão o que vale ou não ser erguido. "As construtoras fazem um estudo de viabilidade, em que são considerados o preço do terreno e o custo da construção. Esse resultado, diante do possível valor de venda no mercado, é que vai mostrar se vale a pena ou não seguir adiante", pontua Hermolin.

 

Escolhas cuidadosas de preço e condições

Jornal do Commercio, Especial Investimento, Educação e Seguros, 27/set

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, diz que quem investe em imóveis deve tomar alguns cuidados. Segundo Matos, antes de mais nada, é preciso verificar se a empresa ou construtora tem lastro ou expertise suficientes para o que se propõe a vender. Além disso, o comprador deve avaliar se o produto de seu interesse é bem localizado e bem desenvolvido, em suma, se é um bom imóvel para uma futura venda, com manutenção da liquidez.

 

Aumento em taxa afeta mais público de maior renda

Valor Econômico, Stela Fontes e Renata Batista, 23/set

"Num mercado recessivo, esta é mais uma notícia que restringe o universo de compradores. Será necessário ter uma renda maior para a compra do imóvel almejado", afirma o vice­-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário e Diretor da Gafisa, Luiz Carlos Siciliano.

 

Primeira Feira Imobiliária do Servidor Público oferece financiamento de mais de 20 mil imóveis

Diário de Petrópolis, 20/set

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, a iniciativa vai servir de exemplo para outros estados do país. "Em um momento de crise econômica, um programa como esse, que fortalece servidor público, bancos e incorporadoras, vai ser exemplo para todo o Brasil. É uma maneira inteligente de transformar crise em oportunidade", concluiu João Paulo.

 

Feira Imobiliária Habita Mais registra mais de sete mil atendimentos no primeiro dia de funcionamento

Tribuna da Serra, 20/set

"Acho que este evento é a prova concreta de que quando o poder público tem disposição de união encontra uma solução. Espero que os servidores presentes consigam a sua unidade imobiliária", ressaltou o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Feirão "Habita mais" terá mais de 30 mil imóveis em Teresópolis

Net Diário, 18/set

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, acredita que a iniciativa vai servir de exemplo para outros estados do país. "Em um momento de crise econômica, um programa como esse, que fortalece servidor público, bancos e incorporadoras, vai ser exemplo para todo o Brasil. É uma maneira inteligente de transformar crise em oportunidade", concluiu João Paulo.

 

Casa própria para os servidores

O Fluminense, Habitação, 21/set

"Acho que este evento é a prova concreta de que quando o poder público tem disposição de união encontra uma solução. Espero que os servidores presentes consigam a sua unidade imobiliária", ressaltou o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI), João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Programa Habita Mais amplia oferta de imóveis para servidores

O Fluminense, Habitação, 21/set

No site www.habitamais.rj.gov.br é possível visualizar os imóveis disponíveis através dos links para as páginas da ADEMI (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercador Imobiliário) e do Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro). Os participantes devem levar uma lata de leite em pó e a arrecadação será direcionada a 24 creches atendidas pela Ong Ação da Cidadania.

 

Feirão imobiliário negociou mais de R$ 40 milhões

O Fluminense, Habitação, 21/set

O feirão superou as expectativas de compradores, organizadores, construtoras e bancos, segundo Murillo Allevato, superintendente da ADEMI-Rio: "O Habita Mais veio em um momento em que o mercado está estagnado e mostra que este público diferenciado pode ser provocado anualmente. A feira é sucesso hoje e daqui a três meses ainda haverá reflexos nas vendas do setor em função de sua realização".

 

Servidores ganham até 20% de desconto

Extra, Imóveis, 20/set

João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), explica que, por ser funcionário público e ter estabilidade, o servidor já possui a seu favor condições especiais de financiamento. "Os benefícios vão variar de empresa para empresa, claro. Se tem uma empresa que oferta um imóvel do programa "Minha casa, minha vida" não pode dar grandes benefícios. Mas se uma empresa oferece um produto um pouco mais caro, para um servidor com uma renda maior, um imóvel com preço mais alto, de R$ 500 mil, possa vir com armários, por exemplo.", diz

 

Feira tem mais de 2.800 imóveis nas Regiões dos Lagos, Norte e Serrana

G1, Região Serrana, 16/set

A primeira Feira Imobiliária do Servidor Público, que será realizada no próximo sábado (19) e domingo (20) no Rio de Janeiro, vai oferecer mais de 2.800 imóveis nas Regiões dos Lagos, Norte e Serrana. Ao todo, são mais de 20 mil imóveis espalhados em 60 localidades do estado, incluindo a Região Metropolitana, que serão negociados com descontos de até 20%, além de taxas exclusivas. Imóveis podem ser conferidos no site e negociados no evento. No site é possível acessar as páginas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercador Imobiliário (ADEMI) e Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon), também apoiadores do evento, que colocam à disposição a localização e valores dos imóveis em todo o estado.

 

No Rio, alíquota progressiva do IR atingirá classe média

O Globo, Danielle Nogueira, Nice de Paula e Ione Luques, 16/set

Na opinião de João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da ADEMI-RJ, que reúne empresas do setor imobiliário, a alteração será mais um ingrediente na desaceleração do mercado, somando-se à retração econômica e ao crédito mais caro:"Se o IR também subir, será mais um fator de preocupação", diz. Para Matos, a progressão de alíquotas deveria variar conforme o ganho do capital, não pelo valor de venda do imóvel. Ele critica, ainda, o fato de os valores da tabela não levarem em conta a inflação no período de posse do apartamento.

 

Alô, Campo Grande!

Meia Hora, Imóveis, 10/set

Um dos bairros de destaque da Zona Oeste, Campo Grande continua em alta. Para se ter uma ideia, segundo dados da ADEMI-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a região foi responsável, no ano passado, por 64,56% do número total de lançamentos no Rio. Entre 2000 e junho deste ano, o bairro já recebeu 14.362 novos imóveis. Além disso, entre 2007 e 2014, o preço médio do metro quadrado residencial dobrou, passando de R$ 2.528 para R$ 5.236.

 

Campo Grande em alta

O Dia, Imóveis, 06/set

Um dos bairros de destaque da Zona Oeste, Campo Grande permanece em alta. Para se ter ideia, segundo dados da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a região foi responsável, no ano passado, por 64,56% do número total de lançamentos no Rio. Além disso, entre 2007 e 2014 o preço médio do metro quadrado residencial praticamente dobrou, passando de R$ 2.528 para R$ 5.236. O bairro já recebeu, entre 2000 e junho deste ano, 14.362 novos imóveis.

 

Servidores terão primeiro programa habitacional

Jornal do Commercio, 03/set

O governo do estado lançou ontem um programa habitacional para o servidor público. Serão oferecidos 20 mil imóveis em 60 localidades na capital, Região Metropolitana e no interior do estado, em condições especiais. Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (ADEMI-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, a iniciativa vai servir de exemplo para outros estados brasileiros. "É uma maneira inteligente de transformar crise em oportunidade", resumiu João Paulo.

 

'Querida, encolhi os imóveis'

O Globo, Lucianne Carneiro, 01/set

Slomo Wenkert, fundador da SW Arquitetura e Planejamento Urbano e conselheiro da ADEMI-RJ, explica que a tendência de diminuição dos imóveis reflete o aumento do custo dos terrenos, que são limitados, especialmente nos centros urbanos. "Antigamente, o conforto do apartamento era medido pelo número de metros quadrados. Hoje, é pela funcionalidade e praticidade", afirma. 

 

Mais de 31 mil unidades

Meia Hora, Imóveis, 20/ago

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), de 2008 ao primeiro semestre deste ano, a Zona Norte recebeu 31.187 novos imóveis em 34 bairros. Tijuca, Cachambi, Del Castilho, Vila da Penha e Méier lideraram o ranking neste período. Juntos, os cinco bairros registraram quase a metade do total de lançamentos: 14.725.

 

Cuidado com cláusulas

Extra, Imóveis, 16/ago

"Os prêmios são, em sua maioria, parte integrante do preço. Mas, para os armários, a construtora consegue preços que o consumidor não consegue. Então, passa a ser vantagem, pois ela adquire o bem a preços favoráveis.", diz Ariovaldo Rocha, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

É bonita esta Copacabana

O Globo, Morar Bem, 16/ago

David Cardeman, arquiteto (projetou alguns edifícios na vizinhança) e consultor de desenvolvimento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), viu de perto as transformações da região e ressalta que a fácil mobilidade e a ampla rede de serviços são alguns dos principais diferenciais do bairro. Quando foi morar lá, Copacabana era uma área praticamente residencial e, para qualquer serviço, era preciso ir até Botafogo.

 

Mais de 31 mil unidades

O Dia, Imóveis, 09/ago

Obras de infraestrutura, principalmente no setor de Transportes, e a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) são os principais fatores que fazem da Zona Norte uma região valorizada. As construtoras, atentas a este cenário, desenvolvem projetos residenciais e comerciais cada vez mais modernos. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), de 2008 ao primeiro semestre deste ano, a Zona Norte recebeu 31.187 novos imóveis, em 34 bairros.

 

A segurança nossa de cada dia

O Globo, Morar Bem, 10/ago

Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), explica que o item segurança é o primeiro ou segundo ponto mais importante em avaliações de mercado antes de um lançamento: "Por conta disso, temos que pensar cada vez mais no assunto quando desenvolvemos um projeto, tanto no espaço periférico, quanto no comum e, até, nas unidades. No passado, as empresas deixavam a previsão de instalação e, só depois, o condomínio adquiria os equipamentos. Mas, como esse item tem chamado a atenção, as construtoras já fazem a entrega do prédio com tudo ou quase tudo pronto."

 

Ajuste no preço dos imóveis no Rio de Janeiro

O Globo, Glauce Cavalcanti, 06/ago

"O Rio tem uma questão particular (quanto a preço) que é a Zona Sul, onde todo mundo quer morar: cariocas, brasileiros, estrangeiros. Como não há nova oferta, o preço se eleva", conta Claudio Hermolin, vice-presidente da Ademi RJ, que reúne as empresas do mercado imobiliário no Rio.

 

Aluguel na Tijuca: bairro atrai moradores com preços mais acessíveis e localização estratégica

R7, 04/ago

O empresário João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI) do Rio de Janeiro, declarou no ano passado que a pacificação permitiu que novos condomínios fossem construídos e o bairro ressurgisse no cenário imobiliário como boa opção para quem deseja morar bem e economizar no aluguel.

 

Tranquilidade resgatada na Tijuca

O Globo, Manoel da Silveira, Morar Bem, 26/jul

O Rio de Janeiro, nos últimos 15 anos, ganhou 146.099 novas unidades residenciais e 34.523 comerciais, figurando a Tijuca em quinto lugar no ranking dos bairros cariocas com mais lançamentos: 5.641. É o mais bem colocado da Zona Norte, ficando atrás apenas da Barra (43.405), Jacarepaguá (40.518), Recreio (23.328) e Campo Grande (15.265), segundo levantamento da ADEMI.

 

Os unidos da Tijuca

O Globo, Morar Bem, 26/jul

"A Tijuca é um dos bairros mais desejados da Zona Norte, assim como o Leblon é na Zona Sul. Poucos possuem a oferta de serviços e de transportes de que ela dispõe. Até hoje, é difícil encontrar um morador antigo que deseje sair de lá, o que explica o grande sucesso dos lançamentos imobiliários na região", afirma João Paulo Matos, presidente da Calçada e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

Arrocho econômico eleva em 30% devolução de imóveis novos

Fato Online, 22/jul

Segundo o vice-presidente da Ademi, Claudio Hermolin, dados da associação mostram que, de janeiro a abril deste ano, houve um crescimento de 4% na venda de imóveis novos na capital fluminense em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Venda de residenciais aumenta

O Dia, Imóveis, 19/jul

"Quem precisava comprar um imóvel residencial e já tinha reservado o dinheiro para efetuar o negócio não desistiu por conta da crise econômica. Já aqueles que pretendiam fazer um 'upgrade' de apartamento colocaram o pé no freio e vão aguardar um momento mais propício para isso", explica João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI).

 

Do quintal ao condomínio-clube

Revista Secovi Rio, Julho e Agosto/2015

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), na Zona Norte se encontra o maior número de lançamentos de condomínios-clube em 2014: quase 35% do total registrado no município. Destaque para os bairros de Cachambi e Del Castilho, onde 1.279 unidades foram colocadas à venda (cerca de 1/4 do total lançado na região). De acordo com o presidente da Associação, João Paulo Rio Tinto de Matos, a abertura de mercado tem causado um fenômeno diferente na cidade.

 

Imóvel de alto padrão tem lista de espera no Rio

Valor Econômico, Renata Batista, 14/jul

João Paulo Matos, presidente da construtora Calçada e da ADEMI-­RJ, diz que a valorização dos últimos anos não se perdeu. Os preços apenas estabilizaram. "A procura por imóveis nessas regiões continua aquecida. Bairros como Botafogo e Jardim Botânico ganharam mais importância no cenário da construção, assim como Ipanema, Leblon e Lagoa, que já figuravam entre os bairros mais cobiçados.", destaca.

 

Venda de residenciais sobe

O Globo, Morar Bem, 12/jul

A venda de imóveis residenciais no Rio cresceu 4% nos primeiros quatro meses do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. É o que mostra um levantamento feito pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI). De janeiro a abril de 2014, foram comercializadas 1.896 unidades residenciais em lançamento e em estoque.

 

Apelo familiar nas periferias

Construção e Mercado, julho/15

"Preço é sempre importante, mas, onde há pouca oferta, as pessoas têm urgência em comprar. Empreendimentos para a classe média vão muito bem em bairros como Méier, Tijuca e Botafogo", na avaliação de João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ).

 

Região Sudeste vive fase de equilíbrio entre oferta e demanda

Portal AECweb, Julho/2015

"O mercado imobiliário amadureceu fortemente na última década, gerando condições de criar novas estratégias para se manter produtivo e atraente ao consumidor. Apesar de haver uma retração natural, o setor não se intimidou", destaca o empresário João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da ADEMI RJ - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Imóveis: investimento seguro e rentável

O Globo, Projeto de Marketing, 27/jun

Segundo a Ademi-RJ, em 2014 a região de Jacarepaguá ficou em primeiro lugar no ranking de bairros que receberam novos imóveis, com mais de 4 mil unidades.

 

O sonho não acabou

O Globo, Morar Bem, Por dentro do mercado, 21/jun

Pesquisa apresentada recentemente demonstra que os brasileiros estão aumentando o volume total de empréstimo, mas o destino desse financiamento tem sido direcionado crescentemente para a aquisição de imóveis. Compare as taxas de juros para a compra de um apartamento com a de qualquer outro bem. Fica fácil de entender o motivo dessa mudança.

 

Vice-Presidente da ADEMI fala sobre o mercado imobiliário na TV Rio Câmara

O Vice-Presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, foi o entrevistado do programa Acontece no Rio, da TV Rio Câmara. As novas regras de financiamento e o impacto no mercado imobiliário da crise econômica e dos Jogos Olímpicos foram alguns dos assuntos abordados. Assista à entrevista na íntegra.

 

Mais de mil unidades

Meia Hora, Imóveis, 04/jun

Jacarepaguá recebe empreendimentos imobiliários para todos os bolsos.

 

Porto e Olimpíada impulsionam revitalização de prédios no Centro

Veja Rio, 03/jun

Os lançamentos anuais na área saltaram de 105 unidades para 756, em 2014, de acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Mais de 1 mil unidades

O Dia, Imóveis, 31/mai

Bairro que liderou o ranking de regiões com mais unidades lançadas no ano passado (4.146, segundo a Ademi-RJ - a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Jacarepaguá continua como destaque ao receber projetos residenciais e comerciais que atendem a diferentes perfis e bolsos.

 

Teto de imóveis financiados pelo FGTS cai à metade

O Globo, 27/mai

João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi, associação de imobiliárias do Rio, vê vantagem no aumento do crédito, mas destaca que a classe média terá mais dificuldade para comprar imóveis, principalmente em grandes capitais.

 

Ritmo lento deixa cenário propício para negociações

O Globo, Morar bem, 24/mai

Construtoras oferecem imóveis em todo o Rio com vantagens.

 

Quatro décadas ajudando a construir o Rio

O Globo, Morar Bem, 24/mai

Em 28 de janeiro de 1971, um grupo formado por 15 empresários do mercado imobiliário da época se reuniu e decidiu fundar a ADEMI - Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Quem procura, acha

O Globo, Morar Bem, 24/mai

Com menor demanda, empresas aumentam ofertas para atrair consumidores.

 

Novos comerciais na Zona Norte

O dia, Imóveis, 10/mai

A valorização crescente da Zona Norte que, em 2014 ficou em segundo lugarem número de lançamentos, de acordo com a Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), tem feito com que as construtoras levem para a região não apenas condomínios residenciais.

 

Crédito imobiliário recua. Analistas só preveem retomada em 2017

O Globo, 01/mai

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, diz que os preços ainda não começaram a cair, mas que as expectativas estão piores.

 

A transformação do papel do síndico

O Globo, Morar Bem, 03/mai

João Paulo Matos, presidente da Ademi-RJ, explica que desde que os condomínios estilo clube começaram a ganhar espaço, o perfil administrativo mudou.

 

Hora de ir às compras

Extra, Imóveis, 03/mai

"É claro que todo aumento de taxa e toda redução de financiamento sempre impactam as vendas, já que o cliente terá que dar uma entrada maior, e a prestação ficará mais cara. Mas as mudanças refletem mais em imóveis de valores mais altos ", explica Ariovaldo Rocga, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Financiamento, as regras do jogo

O Globo, Morar Bem, 26/abr

Ariovaldo Rocha, vice presidente da Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi RJ), concorda que, mesmo com um cenário não tão otimista para 2015, ainda assim, o financiamento vale a pena.

 

Mercado imobiliário carioca movimentou R$ 47 bi em 10 anos, diz associação

O Estado de São Paulo Online, 15/abr

Tal quantia, segundo a Ademi-RJ, foi impulsionada pela maior preocupação do governo local com política de segurança e ainda a realização da Copa no Brasil e das Olimpíadas no Rio de Janeiro.

 

Mercado residencial revê planos

O Estado de São Paulo, 17/abr

Na opinião de João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), é hora de cautela no mercado imobiliário.

 

As oportunidades de uma cidade em transformação

O Globo, Morar Bem, 05/abr

Texto de Claudio Hermolin Claudio Hermolin, diretor do Grupo PDG Realty e Vice-Presidente da ADEMI-RJ.

 

Nada será como antes

O Globo, 22/mar

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi RJ) e diretor regional da PDG, Claudio Hermolin, pontua que para o mercado imobiliário, o grande legado de 2016 é a mobilidade urbana, que terá como reflexo a valorização de áreas até então esquecidas.

 

Os queridinhos da vez

Meia Hora, Imóveis, 19/mar

Com uma valorização de 420% de 2010 a 2014, segundo uma pesquisa da Ademi- RJ ( Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a Zona Norte do Rio se consagra como a menina dos olhos do mercado imobiliário.

 

A vez da Zona Norte

O Globo, 15/mar

Dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi/ RJ) apontam que de 2000 a 2014 foram lançadas 39.695 unidades no lado Norte da cidade.

 

Hora de barganhar

O Globo, Zona Norte, 14/mar

"O cliente está fortalecido para obter condições de negociação mais favoráveis", diz João Paulo de Mattos, presidente da ADEMI-RJ

 

As novas estrelas da Zona Norte

O Dia, Imóveis, 15/mar

Com uma valorização de 420% de 2010 a 2014, segundo pesquisa da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a Zona Norte se consagra como a menina dos olhos do mercado imobiliário. 

 

A hora é de negociar

O Dia, Imóveis, 15/mar

Segundo João Paulo Matos, presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e da Calçada, a negociação é pessoal, pois o cliente define como pode pagar.

 

No Rio, vendedor já começa a aceitar redução de preço de imóvel

O Globo, 08/mar

"Os estoques de imóveis novos estão maiores, e isso afeta os preços. Mas dificilmente haverá queda relevante em preços de imóveis. A margem do setor é baixa, e a saída passa a ser negociar as condições de pagamento", diz João Paulo de Matos, presidente da Ademi-RJ.

 

Freguesia está em alta

O Dia, Imóveis, 08/mar

Em primeiro lugar no ranking de bairros que mais receberam novos imóveis no ano passado (4.146 unidades), segundo a Ademi-RJ, Jacarepaguá se consolida como uma das regiões mais valorizados da cidade.

 

Perspectiva para 2015? Remar.

O Globo, Morar Bem, Por dentro do mercado, 01/mar

Rubem Vasconcelos é vice-presidente da ADEMI-RJ - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro e Presidente da Patrimóvel Imobiliária.

 

A hora de comprar imóveis é agora, dizem especialistas

O Globo, Morar Bem, 01/mar

Para o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, porém, o momento é bom ao consumidor pela abertura para negociação por parte das construtoras - e não pela redução de preços. Segundo ele, apesar de 2014 as vendas terem sido menores que o esperado, ainda assim a valorização dos imóveis no Rio foi acima da inflação no período, de acordo com o índice FipeZap.

 

O Eldorado carioca

O Globo, Especial Rio 450 anos, 01/mar

A oferta de terrenos, a proximidade com o mar e os preços mais atraentes que na Zona Sul seduzem investidores e moradores de outras regiões, que não param de empurrar o crescimento do Rio para além do Túnel do Joá. A Barra virou a menina dos olhos do mercado imobiliário no começo dos anos 80. Desde então, a região assistiu ao milagre da multiplicação de tapumes. Só nos últimos 14 anos, 131.035 novas unidades (residenciais, comerciais e hoteleiras) foram lançadas na Zona Oeste, número 136% superior ao de todas as outras regiões da cidade somadas, como mostram dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi).

 

O Centro renascido

O Globo, Especial Rio 450 anos, 01/mar

- Em razão da construção do metrô, o decreto proibia áreas de estacionamentos em alguns trechos. Nessa mesma época, passou a não ser permitida no Centro a construção de edifícios com unidades residenciais, o que levou a região a ficar deserta após o anoitecer e subutilizada - recorda Cardeman, que é consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Integração do transporte dinamiza a Zona Oeste

Valor Econômico, Especial Rio de Janeiro, 27/fev

João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro, acha que ainda é cedo para saber se as obras serão suficientes para resolver os problemas da região, mas avalia que o impacto é inegavelmente positivo. "Isso pode criar espaço para valorização dos imóveis na Barra e na zona oeste, apesar da alta de preços dos últimos anos", diz.

 

Mãos à obra

O Globo, Morar Bem, Por dentro do mercado, 22/fev

João Paulo Rio Tinto de Matos é presidente da ADEMI-RJ - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro e Diretor da Calçada s.a.

 

Excesso de salas comerciais vazias provoca queda nos aluguéis

Veja Rio, 20/fev

"Quem possui imóvel vai ter de investir na estrutura ou flexibilizar a negociação", decreta João Paulo Rio Tinto, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (ADEMI).

 

Do glamour ao despojamento

Valor Econômico, Especial Rio 450 anos, 13/fev

 "O shopping é a praia da Zona Norte", afirma Cláudio Hermolin, diretor da construtora PDG e vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), explicando o sucesso de empreendimentos no bairro do Cachambi, que conta com estações de trem, metrô e BRT, além de dois shoppings.

 

Infraestrutura viária ajuda a definir lançamentos no Rio

Valor Econômico, 09/fev

"Na Zona Sul, mais de 70% das novas unidades são em Botafogo e no Flamengo. Praticamente não há terrenos disponíveis", resume Claudio Hermolin, vice-presidente da Ademi.

 

Rio ganhou 17 mil unidades em 2014

O Dia, Imóveis, 01/fev

"Ano passado tivemos o Carnaval em março, diversos feriados no primeiro semestre e Copa do Mundo. Além de um processo eleitoral complexo", explica João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da ADEMI. Segundo ele, 2015 será um a no muito parecido com 2014. "Este ano haverá ajustes e a nossa expectativa é de um crescimento de 5%", comenta Matos.

 

De olho na taxa de juros

O Dia, Imóveis, 25/jan

"A notícia impacta no primeiro momento, pois atinge parte significativa do Sistema Financeiro de Habitação. Mas os bancos oferecem benefícios a correntistas e o momento é de aproveitar para negociar", explica Claudio Hermolin, vice-presidente da Ademi-RJ.

 

A hora do aperto no crédito

O Globo, Análise, 16/jan

- (A decisão da Caixa) é uma sinalização ruim porque, apesar de o aumento dos juros ser diluído em um prazo longo, isso vai afetar o comprador. O ano de 2015 será muito parecido com o de 2014, quando o mercado desaqueceu, a economia foi mal e o comércio teve dificuldades no fim do ano - afirma o presidente da Ademi.

 

A força da Zona Norte

Meia Hora, Imóveis, 08/jan

"Os lançamentos ocorrerão com força na Zona Norte e, como já acontece há mais de uma década, na Zona Oeste. O Centro também desponta no desenvolvimento urbano, com maior destaque para os lançamentos corporativos. Será um ano em que os novos eixos demográficos começarão a se desenhar com mais força no Rio", analisa o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Zona Norte: 7 anos na segunda colocação em número de lançamentos

O Dia, Imóveis, 04/jan

Até outubro de 2014, foram lançadas 3.635 novas locações entre comerciais, residenciais e hoteleira, segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

A volta da região imperial

Extra, Imóveis, 04/jan

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi), desde 2008, a Zona Norte é a segunda região com o maior número de unidades lançadas na capital, atrás da Zona Oeste.

 

Aposta em qualidade para voltar a crescer

O Globo, Morar Bem, 28/dez

Um resultado que reflete as dificuldades do mercado ao longo do ano, mas que não é visto como algo totalmente ruim pelo setor, como explica o presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), João Paulo Matos.

 

Crescimento de 12% no Rio em 2015

O Dia, Imóveis, 28/dez

O Rio, por sua vez, deve ficar acima da média nacional com 12%. A expectativa é da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Imagina nos jogos?!?

Extra, Imóveis, 28/dez

De acordo com João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), o preço dos imóveis ainda não sofreu grande diminuição, o que elimina a recorrente teoria da bolha imobiliária.

 

À espera de moradores

O Globo, 25/dez

- O mercado está esperando que as obras se tornem realidade. Ninguém pensa em morar na Zona Portuária ainda - avalia o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, acrescentando que aguarda os primeiros lançamentos para 2015.

 

Subúrbio maravilha

Veja Rio, 22/dez

Segundo estimativas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), os resultados devem aparecer num período aproximado de cinco anos após a aprovação da legislação. "É o tempo necessário para que empresas lancem os empreendimentos", diz João Paulo Matos, presidente da entidade.

 

Unidades sustentáveis

O Dia, Imóveis, 21/dez

Segundo levantamento da Associação dos Dirigentes de Empresa do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), dos 65 lançamentos que chegaram ao mercado no primeiro semestre deste ano, 29% deles usaram materiais sustentáveis.

 

Quarto e sala em alta

Meia Hora, Imóveis, 18/dez

Segundo o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, essa tipologia de imóvel, quando lançada, obtém sucesso de vendas.

 

Mercado prevê imóveis mais valorizados e com maior liquidez em 2015

Brasil Econômico Online, 17/dez

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, a especulação de alguns economistas de um aumento exagerado de preços por conta da Copa do Mundo não aconteceu. "Os preços subiram acima da inflação, mas esse é um comportamento normal, histórico. De 2000 a 2014, os imóveis tiveram valorização média de 278%, enquanto o IGP-M subiu 178%."

 

Mercado mais seletivo

Jornal do Commercio, Especial Onde Investir 2015, 17/dez

De acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos seis anos o setor passou por um grande crescimento, que em 2014 foi freado por eventos como a como Copa do Mundo. Para o próximo ano, o presidente da entidade, João Paulo Rio Tinto de Matos, diz que é esperava normalização do setor e que não há motivo para preocupação.

 

Ademi-RJ elege os destaques do ano

O Globo, Morar Bem, 14/dez

Na 15ª edição do Destaque Ademi-RJ, a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário escolheu a construtora Carvalho Hosken como a empresa do ano.

 

Empresa do ano

O Dia, Imóveis, 14/dez

A Carvalho Hosken foi eleita a empresa do ano pela Ademi na 15ª edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário.

 

Unidades de quarto e sala em alta

O Dia, Imóveis, 14/dez

Conforme o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, essa tipologia de imóvel, quando lançada, obtém sucesso de vendas. "Porém, a legislação carioca exige metragem mínima de 50m², na maioria dos bairros. Com isso, o mercado lança imóveis de dois quartos. O setor defende a mudança na legislação para atender a demanda reprimida por essa tipologia", diz.

 

Jogos darão novo fôlego a imóveis

O Globo, Desafios do Rio, 11/dez

Para o presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, desde que a segurança melhorou, a cidade subiu um degrau e hoje tem nota sete. A mudança definitiva de patamar dependerá dos Jogos Olímpicos.

 

Ademi elege os melhores do setor imobiliário

O Globo online, Morar Bem, 09/dez

"Este prêmio é a comemoração de um ano bom, apesar de ter começado com pessimismo. O setor superou muitos desafios", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi.

 

Carvalho Hosken é eleita empresa do ano pelo Destaque ADEMI

Anna Ramalho, 09/dez

À frente de grandes projetos como o lançamento da Ilha Pura, em parceria com a Odebrecht, que hospedará os Atletas durante as Olimpíadas de 2016, a Carvalho Hosken foi eleita a empresa do ano pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, na 15ª edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário.

 

Ademi elege os melhores do setor imobiliário

O Globo, 09/dez

- Este prêmio é a comemoração de um ano bom, apesar de ter começado com pessimismo. O setor superou muitos desafios - diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi.

 

Uma cidade que cresceu em todas as direções

O Globo, Morar Bem, 07/dez

"A Zona Oeste se mantém no primeiro lugar por ser a região com mais vazios urbanos. Mas, a partir do momento que a cidade cria infraestrutura em outros locais, o empresário da construção civil vai atrás de oportunidades nesses lugares. Não conheço nenhum construtor que não tenha interesse no Méier, na Tijuca, no Cachambi", garante João Paulo Matos, presidente da Ademi-RJ.

 

Uma região em franca expansão

O Globo, Projeto de Marketing, 04/dez

A valorização dos imóveis no Rio, nos últimos cinco anos, foi de 140%, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Segundo a entidade, a região da Zona Oeste concentra aproximadamente 63% das novas unidades lançadas na cidade.

 

'Vilas' valorizadas

O Dia, Imóveis, 30/nov

Destaque em números de lançamentos imobiliários, as zonas Norte e Oeste estão cada vez mais valorizadas. De janeiro a agosto deste ano as duas regiões da cidade receberam novas unidades, entre residenciais e comerciais, de acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Prefeitura amplia benefícios urbanísticos para atrair residenciais privados

Folha de São Paulo, 27/nov

De acordo com o presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), João Paulo Matos, os residenciais só surgirão com o crescimento da demanda. E isso, segundo ele, depende do sucesso da revitalização da área. 

 

Construtora Calçada diversifica e cresce

Valor Econômico, 26/nov

Pelos dados da Ademi-RJ, a Construtora Calçada deve ficar na vice-liderança do VGV lançado em 2014.

 

Construtoras farão feirão de imóveis no Rio

Valor Econômico, 09/nov

De acordo com a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), apesar da redução no ritmo de vendas, o número de lançamentos permaneceu praticamente estável.

 

Somente 29% dos prédios lançados este ano, no Rio, têm itens sustentáveis

O Globo Online, Morar Bem, 11/nov

Dos 65 empreendimentos que chegaram ao mercado no primeiro semestre, apenas 29% usaram itens sustentáveis, segundo levantamento feito pela Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Nas prateleiras, mais de cinco mil imóveis à venda

O Globo, Morar Bem, 09/nov

A Calçada leva produtos de diferentes perfis: quatro residenciais e um comercial, em quatro bairros. Para o presidente da construtora, João Paulo Matos, que também dirige a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), as expectativas são boas, já que o mercado está em novo momento.

 

VIII Congresso de Direito Imobiliário e Registral

O Globo, Ancelmo Gois, 05/nov

Ademi faz, de 10 a 12, no TJ, o VIII Congresso de Direito Imobiliário e Registral. O juiz Werson Rêgo e o advogado Maury Rouède Bernardes são os coordenadores.

 

Freio para arrumar a casa

O Globo, Morar Bem, 2/nov

De janeiro a agosto deste ano, o número de lançamentos de imóveis residenciais na cidade foi de 10.087 unidades, um resultado 1,1% acima do mesmo período do ano passado. O dado, divulgado pela Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), é considerado como estabilidade.

 

Vagas mais disputadas

Extra, Imóveis, 2/nov

As construtoras, por iniciativa própria, colocam bicicletário nos (prédios) residenciais. O mercado tem se preocupado em criar tomadas para carregar bicicletas elétricas - diz João Paulo Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) Rio.

 

Mercado imobiliário volta a crescer

O Dia, Imóveis, 2/nov

Balanço da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ) comprova a estabilidade do setor, de janeiro a agosto, com crescimento de 1,1% em relação ao mesmo período de 2013.

 

Lançamentos de imóveis na cidade do Rio crescem 8%

Exame, 28/out

Os lançamentos imobiliários na cidade do Rio de Janeiro cresceram 8 por cento em agosto na comparação anual, para 1.473 unidades, de acordo com dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi) divulgados nesta segunda-feira.

 

Lançamentos de imóveis na cidade do Rio crescem 8% em agosto ante 2013

Reuters, 27/out

Os lançamentos imobiliários na cidade do Rio de Janeiro cresceram 8 por cento em agosto na comparação anual, para 1.473 unidades, de acordo com dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi) divulgados nesta segunda-feira.

 

Lançamentos de unidades residenciais no Rio estão bem melhores do que em São Paulo

O Globo Online, Morar Bem, 27/out

Para o presidente da Ademi, João Paulo Matos, o mercado registrou desaceleração no primeiro semestre, mas este movimento já era esperado.

 

Fim de ano aquecido

Meia Hora, Imóveis, 23/out

A expectativa é que novembro seja um ótimo mês, pois já teremos definição no cenário político, outro fato que mexeu com os mercados", afirma João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

As joias de cada bairro

O Globo, Morar Bem, 19/out

Segundo o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/ RJ) , João Paulo Matos, hoje, há um grande movimento em direção ao bairro.

 

Depois da casa, o sonho do imóvel comercial nos EUA

O Globo, 20/out

Mas é preciso ter em mente os riscos, alerta Paulo Fabbriani, investidor imobiliário e membro da Ademi-RJ, associação do setor no Rio. O processo, ressalta, exige um conhecimento sofisticado do mercado.

 

Mercado começa a retomar o fôlego

O Dia, Imóveis, 19/out

"A expectativa é que novembro seja ótimo mês, pois já teremos definição no cenário político, outro fato que mexeu com os mercados", diz João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Todas as unidades são de frente

O Dia, Imóveis, 19/out

O Recreio é um dos bairros que mais recebem lançamentos, segundo dados da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). No primeiro semestre, a região recebeu 1.212 novas unidades, entre residenciais e comerciais.

 

Repleta de canteiros de obras para as Olimpíadas, Barra da Tijuca sofre com engarrafamentos

O Globo, 16/out

Entre 2000 e 2010, o número de domicílios pulou de 30.809 para 65.369. Só de janeiro a agosto deste ano, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), foram lançadas 6.161 unidades comerciais e residenciais no Rio, 858 delas na Barra.

 

Mercado de imóveis do Rio pisa no freio e registra descontos entre 10% e 20%

O Globo online, Morar Bem, 14/out

Na linha de que a questão do preço varia conforme a oferta e procura, o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, explica, entretanto, que, mesmo com negociações mais flexíveis, pode haver regiões mais supervalorizadas ou superofertadas.

 

Ano de retração dos negócios

Valor Econômico, Setorial Construção Civil, 14/out

No Rio de Janeiro, os lançamentos residenciais, que haviam recuado 9% em 2013, caíram mais 1 % no primeiro semestre. O presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, porém, diz que os negócios na primeira metade do ano foram afetados por um excesso de feriados e pela Copa do Mundo.

 

Negócios desfeitos: no país, cresce o número de devoluções de imóveis comprados na planta

O Globo, Morar Bem, 12/out

Vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Claudio Hermolin afirma que calhou de, num momento em que o mercado imobiliário apresenta uma grande demanda por financiamento, os bancos estarem mais seletivos na análise de crédito

 

Olaria é a estrela da vez

Meia Hora, Imóveis, 09/out

A demanda pela Zona Norte é incentivada por obras de revitalização, pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e pelos investimentos em transportes. Só no primeiro semestre, a região recebeu 2.211 unidades, segundo dados da Ademi-RJ.

 

Centros de Rio e SP em mutação

O Globo, Morar Bem, 05/out

E esse cenário só deve começar a mudar no segundo semestre de 2015, quando, estima a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi RJ), devem ser lançadas as primeiras unidades residenciais. 

 

Olaria está em evidência

O Dia, Imóveis, 05/out

A alta se deve a fatores como obras de infraestrutura e a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPS), que ajudaram a mudar o cenário da região. Para se ter ideia, nos últimos cinco anos, a Zona Norte registrou alta de 245% no número de unidades lançadas, segundo a Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Mesma rua, preços diferentes

O Dia, Imóveis, 05/out

Para o presidente da Ademi-RJ, João Paulo de Matos, o eixo de crescimento do Rio não está concentrado em um só ponto

 

Está muito bem na fita

Meia Hora, Imóveis, 02/out

"Os sub-bairros de Jacarepaguá que mais se destacam são Freguesia e Taquara. "As duas regiões estão perto de duas centralidades: Barra e Madureira. Outros fatores são o comércio e a mobilidade urbana, que já estão consolidados. A região também acabou de receber um corredor expresso para BRTs, o Transcarioca, que integrará ainda mais as localidades a outras áreas da cidade", diz João Paulo de Matos, presidente da Ademi-RJ.

 

Consturtoras criam novas áreas de lazer

O Globo online, Morar Bem, 28/set

"Conforme as construtoras vão entregando seus empreendimentos, vão fazendo pesquisas e, dentro disso, vão surgindo sugestões dos próprios moradores. Por outro lado, também em função da concorrência, criam atrações diferentes. Algumas acabam encarecendo realmente a obra, mas mesmo assim é rentável", afirma o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos.

 

Mercado está de olho em Jacarepaguá

O Dia, Imóveis, 28/set

No primeiro semestre, o bairro recebeu 2.139 unidades entre residenciais e comerciais, de acordo com uma pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ).

 

Fase de ajuste

Valor Econômico, Especial Mercado Imobiliário, 26/set

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), os lançamentos no segundo maior mercado nacional cresceram apenas 1% nos primeiros seis meses do ano, sobre igual período do ano passado.

 

Lançamentos imobiliários na Zona Norte crescem 245% em 5 anos

O Globo, Morar Bem, 21/set

Segundo dados da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), entre 2008 e 2013, o número de unidades lançadas na Zona Norte cresceu 245%, ficando atrás somente da Zona Oeste. Em 2013, foram 6.315 lançamentos, quase 17% a mais do que em 2012.

 

Lançamentos imobiliários na Zona Norte crescem 245% em 5 anos

O Globo online, Morar Bem, 16/set

Segundo dados da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), entre 2008 e 2013, o número de unidades lançadas na Zona Norte cresceu 245%, ficando atrás somente da Zona Oeste. Em 2013, foram 6.315 lançamentos, quase 17% a mais do que em 2012.

 

Desburocratização na compra de imóveis pode levar dois anos

O Globo, Morar Bem, 31/ago

Já João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) acha que o crédito até pode ser usado para outros fins, mas não o do segundo imóvel

 

Crescimento de 245%

Meia Hora, Imóveis, 27/ago

Entre 2008 e 2013, a região registrou uma alta expressiva de 245% no total de unidades lançadas, ficando atrás apenas da Zona Oeste, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Crescimento de 245%

O Dia, Cristiane Campos, 24/ago

"Um dos exemplos é a Tijuca, que teve uma variação de 204% do primeiro semestre de 2013 em relação ao mesmo período este ano. Só entre janeiro e junho de 2014 foram lançadas 255 unidades. A região ainda ganhou mais uma estação do metrô, a Uruguai . Outro exemplo é o Méier que teve uma variação de 69% e lançou, nos seis primeiros meses deste ano, 110 novas unidades", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi.

 

Diversão sob medida no Recreio

O Dia, Cristiane Campos, 17/ago

Neste ano, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a região ficou em segundo lugar na pesquisa da entidade. Foram 1.212 unidades lançadas no primeiro semestre, entre residenciais e comerciais.

 

Jacarepaguá lidera valorização de imóveis no Rio no primeiro semestre de 2014

O Globo, Barra, 10/ago

 Segundo a Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), só no primeiro semestre deste ano foram lançadas 2.139 unidades em Jacarepaguá, sendo 1.475 residenciais e 664 comerciais.

 

De volta à realidade

Extra, Lara Mizoguchi, 10/agol

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), João Paulo de Matos, acredita, no entanto, que o placar acabou em 0 a 0.

 

Foco no Centro

O Globo, Karine Tavares, 10/ago

"Qualquer área no Centro pode ser um bom investimento. Há regiões bonitas, onde seria agradável morar e muitos empresários gostariam de lançar empreendimentos. Claro que seriam imóveis mais compactos. Mas ainda há áreas degradadas onde precisa haver uma revitalização, além de imóveis em regiões de Apacs, o que também dificulta", conta João Paulo Matos, presidente da Ademi-RJ.

 

O legado já chegou

O Globo, Especial Cidade Sustentável, 02/ago

No primeiro semestre de 2014, a Barra registrou crescimento de 117% no lançamento de novas unidades comerciais e residenciais, em comparação a igual período de 2013, segundo pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Curso

O Globo, Morar Bem, 03/ago

A Fundação Dom Cabral realiza, a partir de outubro, a primeira turma do curso de pós-graduação em Gestão de negócios imobiliários. O curso é uma parceria com Ademi- RJ, Secovi-Rio, Sinduscon-Rio e Secovi-MG.

 

O valor do poder de ir e vir

Extra, Lara Mizoguchi, 03/ago

Para Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o investimento em mobilidade dará retorno positivo aos moradores, assim que todas as estações estiverem prontas e interligadas com o metrô.

 

Pós-graduação

Folha Dirigida, Entrelinhas, 31/jul

Em parceria com a Ademi-RJ, Secovi Rio, Sinduscon Rio e Secovi MG, a Fundação Dom Cabral oferece a pós-graduação em Gestão de Negócios Imobiliários.

 

Mercado imobiliário cresce 1% no Rio

O Fluminense, 27/jul

"Acho que o resultado foi bastante animador, superando o que a gente esperava", avaliou o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos. Entre janeiro e junho deste ano, o número de lançamentos na capital fluminense chegou a 8.112.

 

Estabilidade no primeiro semestre

O Dia, 27/jul

Nossa expectativa de crescimento para o ano todo é de 5%", diz João Paulo Rio Tinto de Matos", presidente da Ademi.

 

Botões fora do lugar

Extra, Lara Mizoguchi, 27/jul

Vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Claudio Hermolin alega que todos os empreendimentos do Rio são construídos com os elevadores dentro da lei.

 

Mercado imobiliário do Rio cresce 1% no primeiro semestre

Agência Brasil, 22/jul

O mercado imobiliário do Rio de Janeiro cresceu 1% no primeiro semestre do ano, em comparação ao mesmo período de 2013, de acordo com levantamento da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Zona Oeste se destaca em semestre fraco para o mercado

O Globo online, 21/jul

A Zona Oeste está no topo do ranking de lançamentos da cidade. Segundo o balanço do primeiro semestre divulgado pela Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a região concentrou 57% do total das 8.112 novas unidades lançadas, número que está apenas 1% acima do mesmo período de 2013 (8.034). 

 

Lançamento de imóvel no Rio aumentou 15%

Monitor Mercantil, 21jul

De acordo com os dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), as construtoras e incorporadoras estão trocando os lançamentos na Zona Sul pelas Zonas Oeste e Norte e o Centro. "Em junho, vai ser igual ou menor do que no ano passado", prevê o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Lançamentos no Rio continuam crescendo

Jornal do Commercio, 21/jul

Mercado mostra fôlego na capital, com destaque para as zonas Oeste e Norte, além da zona portuária. De janeiro a maio, número de novos projetos subiu 15%

 

Lançamentos de imóveis no Rio crescem e vão na contramão do país

O Estado de São Paulo, 18/jul

Os lançamentos de novos imóveis na capital fluminense subiram 15 por cento de janeiro a maio deste ano ante o mesmo período de 2013, com as construtoras e incorporadoras se voltando para as zonas oeste, norte e centro da cidade, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Sem perder a garantia

Extra, Lara Mizoguchi, 20/jul

As garantias são separadas", explica Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Dobradinha no mercado imobiliário

O Dia, Cristiane Campos, 20/jul

De acordo com João Paulo Matos, diretor-presidente da Calçada e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), este tipo de negócio acontece em dois casos.

 

O pós-Copa do mercado imobiliário

O Globo, Karine Tavares, 20/jul

O presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo Matos, acredita numa retomada dos negócios com mais vendas e lançamentos a partir de agosto. Segundo ele, muitos construtores seguraram seus lançamentos no primeiro semestre em função do calendário apertado com muitos feriados.

 

Milhares de unidades

Meia Hora, Imóveis, 17/jul

"O setor no Rio terá um cenário bem parecido após a Copa, mas de maneira mais intensa, com grandes lançamentos, principalmente nas zonas Norte e Oeste. O Rio foi bem avaliado por todos durante a Copa, o que valoriza ainda mais o mercado", afirma Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Ademi-RJ.

 

Recompensando a natureza da cidade

O Globo, Maíra Amorim, 13/jul

Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), afirma que as construtoras também podem fazer a compensação dentro do próprio empreendimento que está sendo erguido.

 

Mercado imobiliário no Rio continuará aquecido mesmo depois da Copa

O Dia, Cristiane Campos, 13/jul

O Rio foi bem avaliado por todos durante a Copa, o que valoriza ainda mais o mercado", afirma Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Ademi.

 

A nova joia do Centro

Extra, Lara Mizoguchi, 06/jul

Para Cláudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a alta é um reflexo da Tijuca.

 

Secovi divulga índice do metro quadrado no Rio em 2013

Monitor Mercantil, 02/jul

Para a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), o ressurgimento de bairros do subúrbio que estavam esquecidos se deve a fatores como o replanejamento urbano, favorecendo a construção, e à consolidação de projetos com o conceito de condomínios-clube, já amplamente difundido na Barra da Tijuca e em Jacarepaguá.

 

Cobertura para todos

Extra, Lara Mizoguchi, 29/jun

"Os prédios que ficam perto de mata, montanha e praia e têm área de lazer na cobertura são espetaculares. É muito mais agradável ter uma vista bonita no momento de lazer",diz Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi

 

Unidades com serviços pay-per-use deram salto nos lançamentos de 2013

O Globo online, Morar Bem, 24/jun

"É uma aposta das construtoras que tem muito a ver com o tempo escasso da vida moderna", atesta o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Velhos imóveis, novos destinos

O Dia, 16/jun

"Condomínios como os da Barra estão sendo copiados em outros pontos do estado. Se tem como colocar residência, trabalho e lazer num mesmo lugar, é qualidade de vida. Porque a pessoa não pega carro. E Itaboraí tem uma vantagem: tem espaço",explica Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi.

 

Mais de 1.300 unidades

Meia Hora, Imóveis, 12/jun

De acordo com o diretor da Brasil Brokers e vice-presidente da Ademi-RJ, Ariovaldo Rocha Filho, a Zona Norte ficou carente de projetos modernos para atender aos moradores.

 

Zona Norte está mais valorizada

O Dia, Cristiane Campos, 08/jun

De acordo com o diretor da Brasil Brokers e vice-presidente da Ademi-RJ, Ariovaldo Rocha Filho, a Zona Norte é a bola da vez do mercado imobiliário.

 

Para não trocar de endereço

O Dia, Cristiane Campos, 08/jun

Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Ademi, ressalta que com o aumento da sensação de segurança, a Zona Norte voltou a ser uma grande alternativa para o mercado imobiliário.

 

Direito invadido

Folha de São Paulo, Janela, 02/jun

Assinam a manifestação: Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) Secovi-SP (Sindicato da Habitação), CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), os Sinduscons (Sindicatos da Indústria da Construção Civil) dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais e as Ademis (Associações das Empresas do Mercado Imobiliário) do Rio de Janeiro e Niterói.

 

Starwood coloca Sheraton Rio à venda

O Globo, Glauce Cavalcanti, 31/mai

Para João Paulo de Matos, à frente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), a quantia mínima deve ser R$ 300 milhões.

 

Documento para segurança jurídica

O Globo, Morar Bem, 18/mai

A Ademi apresenta em Goiânia, no dia 23, a "Minuta padronizada de promessa de compra e venda de imóvel em construção", documento feito para aperfeiçoar a segurança jurídica no negócio imobiliário.

 

Primeiro trimestre aquecido no Rio

O Dia, Cristiane Campos, 11/mai

O mercado imobiliário carioca cresceu 14% no primeiro trimestre , comparado ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi- RJ) . No total , 3.722 unidades foram lançadas entre janeiro e março deste ano.

 

Se fosse no Rio... medida anunciada por prefeito de NY teria que incluir mudanças na legislação e investimentos em infraestrutura

O Globo online, 07/mai

Para o presidente da Associação dos Dirigentes dos Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, os recursos nem seriam o problema, já que nossos bancos estão dispostos a investir no mercado imobiliário e as construtoras não têm tido dificuldades nesse sentido.

 

O mercado do Rio hoje

O Globo, Karine Tavares, 04/mai

"Os dois primeiros meses do ano foram muito bons, o que não é comum. Talvez, alguns empresários tenham transferido lançamentos do fim do ano passado, para este ano. E o carnaval, apenas em março, também contribuiu", diz o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Metros cobiçados

O Globo, Especial Ipanema 120 anos, 26/abr

Nos últimos dez anos foram lançadas 259 novas unidades, sendo 144 residenciais, 26 comerciais e 89 hoteleiras, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Para o vice-presidente da associação, Rogério Chor, a legislação atual é restritiva e impede o crescimento imobiliário.

 

Bairro planejado seduz compradores

O Estado de São Paulo, 13/abr

O Pontal Oceânico vai sediar a Vila dos Atletas, classificada pelo presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) do Rio, João Paulo Rio Tinto de Matos, como um grande condomínio. 

 

Atraso na entrega de imóvel continua a chegar à Justiça

O Globo, Morar Bem online, 14/abr

Presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo Matos diz que essas ações se referem a obras antigas, feitas num período em que as construtoras enfrentaram dificuldades como a falta de mão de obra.

 

Valorização chega com o metrô

O Globo, Fernanda Pontes, 03/abr

Vice-presidente da Ademi, Rogério Zylbersztajn afirma que a valorização naquele trecho da Tijuca foi de 27%. A UPP, segundo ele, teve um papel fundamental na revitalização da Tijuca, mas a proximidade do metrô também contribuiu.

 

Um bairro em alta

Meia Hora, Imóveis, 03/abr

De 2010 a 2013, o bairro recebeu 3.018 novas unidades, de acordo com a Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Multiuso: a aposta na qualidade de vida

O Globo, Suplemento Imóveis, 31/mar

Muito comuns nas grandes metrópoles mundiais, os empreendimentos no estilo mixed-use, que reúnem em um só lugar trabalho, lazer, serviço e moradia, conquistam o carioca

 

Um grande salto que ainda vai longe

O Globo, Suplemento Imóveis, 31/mar

O calendário de eventos internacionais na cidade e a expansão da indústria petrolífera no Estado geraram uma demanda por empreendimentos hoteleiros de qualidade 

 

Zona norte cresce no ranking

O Globo, Suplemento Imobiliário, 30/mar

Região se destacou no último levantamento da ADEMI sobre lançamentos imobiliários, com destaque para o Cachambi

 

Na zona oeste, a expansão continua

O Globo, Suplemento Imobiliário, 30/mar

Diversos fatores, como a despoluição da Lagoa de Marapendi e a integração do BRT Transoeste ao metrô, futuramente, garantem bons investimentos em imóveis na região

 

Mercado imobiliário consolida crescimento

O Globo, Suplemento Imobiliário, 30/mar

O presidente da Ademi, João Paulo de Matos, explica que, no Brasil, o crédito imobiliário financia até 80% do valor do imóvel e seu endividamento em relação ao PIB (Produto Interno Bruto) está em torno de 8%, enquanto que nos EUA é de 80%.

 

A hora é agora

O Globo, Suplemento Imóveis, 30/mar

Vice-presidente da ADEMI, Rubem Vasconcelos diz que o Rio vive um momento único e aponta o Porto e as zonas oeste e norte da cidade como ótimas oportunidades de investimento.

 

Orgulho de ser carioca

O Globo, Suplemento Imóveis, 30/mar

Que me perdoem os pessimistas, mas o Rio de Janeiro, antiga capital da República e que vinha sofrendo desde a década de 60 do século passado as agruras dessa transformação, alcançou um novo patamar.

 

Condomínio com 207 unidades

O Dia, 30/mar

A Barra da Tijuca permanece como uma das regiões que mais recebem lançamentos imobiliários. Só em 2013, segundo dados da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, foram 2.725 novas unidades.

 

Estação do metrô da Uruguai deixa Tijuca ainda mais valorizada

O Dia, Cristiane Campos, 23/mar

Após um período sem receber lançamentos imobiliários, a Tijuca volta à cena com empreendimentos residenciais e comerciais mais modernos. De 2010 a 2013, o bairro recebeu 3.018 novas unidades, de acordo com a Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Construtoras aguardam as novas regras da prefeitura

Valor Econômico, Renata Batista, 21/mar

"O mercado vai crescer 5%. É bom. Não vai regredir", diz o presidente da Ademi e da Construtora Calçada, João Paulo Matos, lembrando que o déficit residencial na cidade ainda é alto, cerca de 350 mil unidades.

 

Mipim

O Globo, Ancelmo Gois, 15/mar

A Ademi participou do Mipim, maior feira imobiliária do mundo, em Cannes, na França.

 

Resort em Jacarepaguá

O Dia, 16/mar

A Santa Cecília lança neste fim de semana o último bloco do Esmeralda, empreendimento com conceito de resort em Jacarepaguá, bairro que recebeu no ano passado 3.537 novos imóveis, segundo dados da Ademi-RJ.

 

O medo da bolha no mercado comercial de imóveis

O Globo, 16/mar

João Paulo Matos, presidente da Ademi, refuta a ideia de bolha. Para ele, é preciso diferenciar superoferta, sobrepreço e bolha. "Se a situação econômica durar muito tempo, o preço até pode cair realmente, mas isso não significa bolha, até porque ainda existe muito crédito e isso é fundamental", diz.

 

Quer desistir da compra do imóvel antes da entrega? Saiba o que fazer

O Globo online, Morar Bem, Raphaela Ribas, 14/mar

O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Matos, explica que o procedimento é bem desvantajoso para as construtoras.

 

ADEMI na Agence France-Presse

O presidente da ADEMI, João Paulo Rio Tinto de Matos, concedeu entrevista à Agence France-Presse, agência de notícias francesa de grande influência no mundo todo, para falar sobre o mercado imobiliário no Rio de Janeiro. A matéria com título "Boom imobiliário no Brasil: a bolha pode estourar em breve" fala sobre o mercado brasileiro.

 

Chegou a vez das unidades comerciais

O Dia, Cristiane Campos, 23/fev

Com os condomínios residenciais que estão sendo lançados e em construção no Rio, aumenta a demanda por serviços, comércio e lazer. Este cenário faz com que as construtoras voltem seus olhares para projetos comerciais. Das 21.247 novas unidades que o Rio recebeu no ano passado, 5.046 eram do segmento, segundo estudo da Ademi.

 

Dez anos marchando para o Oeste

O Globo online, 21/fev

A Zona Oeste concentrou 71,12% dos lançamentos imobiliários da cidade nos últimos dez anos, segundo dados da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ). Desde 2003, os bairros da região receberam nada menos que 108.131 novas unidades residenciais, comerciais e hoteleiras.

 

Mercado imobiliário está bombando

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 20/fev

Apesar dos preços nas alturas, não param de ser lançados novos prédios no Rio. Só em 2013, foram lançadas 21.247 novas unidades imobiliárias na cidade, segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI).

 

Setor hoteleiro cresce e ganha espaço no Rio

O Dia, Cristiane Campos, 16/fev

Somente no ano passado, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) foram lançadas 1.840 unidades com este perfil, que devem ficar pr o nt a s para a Olimpíada.

 

Os queridinhos da vez

Meia Hora, Imóveis, 13/fev

A Zona Norte ficou em segundo lugar na pesquisa da ADEMI-RJ, recebendo 6.629 novas unidades no ano passado.

 

Mercado imobiliário do Rio de Janeiro cresceu 9% em 2013

Yahoo Finanças, 12/fev

O mercado imobiliário da cidade do Rio de Janeiro registrou um aumento de 9% em 2013, na comparação com o ano anterior, informou um estudo da ADEMI (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Zona Norte ganha mais projeção

O Dia, Cristiane Campos, 09/fev

A região ficou em segundo lugar na pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), recebendo 6.629 novas unidades em 2013.

 

Em primeiro lugar

Meia Hora, Imóveis, 06/fev

Segundo o presidente da associação, João Paulo de Matos, a Zona Oeste vai continuar em expansão. "Acreditamos que os novos imóveis que surgirão serão lançados, prioritariamente, no Recreio, Jacarepaguá, Grota Funda, Vargem Grande e Campo Grande.

 

Zona Oeste está na frente dos lançamentos imobiliários

O Dia, Cristiane Campos, 02/fev

De acordo com o presidente da associação, João Paulo de Matos, a Zona Oeste vai continuar em expansão.

 

Zona Norte cresceu 23% em 2013

O Dia, Cristiane Campos, 03/fev

"A região ganhou novo ânimo com todas as mudanças que vêm ocorrendo, como as linhas de BRTs", destaca João Paulo de Matos, presidente da Ademi.

 

Alô, Campo Grande!

Meia Hora, Imóveis, 30/jan

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), no ano passado, foram lançadas 1.510 unidades, entre residenciais e comerciais, no bairro.

 

Mercado imobiliário do Rio de Janeiro cresceu 9% em 2013

Infomoney, 27/jan

O mercado imobiliário da cidade do Rio de Janeiro registrou um aumento de 9% em 2013, na comparação com o ano anterior, informou um estudo da ADEMI (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Mercado imobiliário carioca cresce 9% em 2013

Fator Brasil, 24/jan

Segundo o presidente da ADEMI, João Paulo Rio Tinto de Matos, a região continuará em expansão em 2014. "Acreditamos que as novas unidades que surgirão serão lançadas, prioritariamente, no Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá, em Grota Funda, Vargem Grande e Campo Grande".

 

Campo Grande desperta interesse

O Dia, Cristiane Campos, 26/jan

De acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), no ano passado foram lançadas na região 1.510 unidades, entre residenciais e comerciais.

 

Os bairros do Rio com mais imóveis lançados em 2013

Exame online, 24/jan

Estudo divulgado pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostra que o Recreio foi o bairro do Rio de Janeiro com mais lançamentos de unidades imobiliárias em 2013.

 

Mercado de imóveis carioca lançou R$ 11,2 bi em 2013

O Globo, Negócios & Cia, 23/jan

"O crescimento de pouco mais de 10% acima da inflação era esperado. O resultado este ano deve ser parecido", afirma João Paulo Matos, presidente da entidade. Já o número de unidades lançadas cresceu 9%.

 

O que esperar do mercado para 2014?

Stand, dez/2013

Em pesquisa da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), realizada em 2012, foi constatada que, no geral, o Rio de Janeiro obteve uma valorização dos imóveis da ordem de 390% na última década.

 

Tombados

O Globo, Negócios & Cia, 17/jan

A Basílica Imaculado Coração de Maria, no Méier, é uma das novidades do "Guia Bens Tombados 2014". Parceria de Prefeitura, Ademi, Sinduscon Rio e WTorre, o livro atualiza a lista de patrimônio cultural carioca.

 

Imóveis ainda em expansão

Brasil Econômico, Aline Salgado, 07/jan

Já em números de lançamentos, o Rio de Janeiro ganhou 17.975 novas unidades, 1.234 a mais do que em 2012, segundo dados da Ademi-Rio (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). Os números da Ademi são referentes ao período de janeiro a novembro de 2013.

 

Subúrbio revigorado

Extra, Lara Mizoguchi, 05/jan

"Acho que em 2014 vamos ter o ressurgimento de alguns bairros que estavam esquecidos. Em especial Madureira, porque teve um replanejamento urbano que favorece a construção, e a Penha, que deve ter novos lançamentos", acredita João Paulo Matos, presidente da Ademi.

 

Centro do Rio é o motor econômico da cidade

O Globo, Clarice Spitz, 02/jan

A Barra e o Recreio concentraram 31,4% dos lançamentos residenciais e comerciais de 2013, segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

O cenário de 2014

Meia Hora, Imóveis, 02/jan

"O mercado deve caminhar para a busca de novos métodos, de novas tecnologias, que ajudem o setor a avançar ainda mais, reduzindo prazos de construções, permitindo projetos mais arrojados", avalia o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Emprego foi a surpresa

Extra, Lara Mizoguchi, 29/dez

João Paulo Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), classifica o ano como "muito bom".

 

Devagar. E avante.

O Globo, Karine Tavares e Geralda Doca, 22/dez

No Rio, a manutenção do número de lançamentos na faixa dos 20 mil não tira o sono do setor. Pelo contrário. Para João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), isso mostra que o mercado está se estabilizando.

 

O peso de taxas e impostos

O Globo, Karine Tavares, 15/dez

Presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), João Paulo Matos afirma que a Sati é cobrada pelas imobiliárias que trabalham nos lançamentos.

 

Pequenos, sim, mas com muito charme

Veja Rio, Especial Imobiliário, 11/dez

Segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), 2% dos imóveis ofertados em agosto compreendiam essa categoria.

 

Prêmio

O Globo, Ancelmo Gois, 07/dez

A Brasil Brokers recebeu o Prêmio Master Imobiliário, da Ademi-RJ.

 

São Paulo é o estado onde cariocas mais compram imóveis fora do Rio

O Globo online, 04/dez

O vice-presidente da Ademi, Rubem Vasconcelos, reforça que a compra de imóveis por cariocas em outros estados, via de regra, não é com a finalidade de fazer um investimento.

 

Um novo cenário

Meia Hora, Imóveis, 05/dez

Prova de que a Zona Norte está em alta é que, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), no primeiro semestre deste ano, foram lançadas 2.683 unidades nos bairros da região.

 

Ademi premia os melhores do mercado imobiliário

Extra online, 04/dez

A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) premiou, nesta segunda-feira, 2 de novembro, os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário.

 

Recreio lidera lançamentos

O Globo, 01/dez

A Ademi-RJ entrega amanhã o Prêmio Destaque Ademi, que este ano terá como tema "Para onde o Rio cresce".

 

Recreio está em alta

O Dia, 01/dez

O Recreio é um dos bairros que mais recebem lançamentos imobiliários. Só no primeiro semestre, de acordo com dados da Ademi, foram 1.933 novas unidades.

 

Bairros da Zona Norte estão ainda mais valorizados

O Dia, Cristiane Campos, 01/dez

Prova de que a região está em alta é que, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), no primeiro semestre, foram lançadas 2.683 unidades nos bairros, crescimento de 12% em relação ao total lançado no mesmo período do ano passado (2.391).

 

Zona Oeste concentra mais da metade dos lançamentos residenciais de 2013

O Globo online, Karine Tavares, 29/nov

"O Recreio é onde estão os grandes espaços urbanos para se construir",analisa João Paulo Mattos, presidente da Ademi-RJ.

 

Porto

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 29/nov

Dos 15 empreendimentos que serão contemplados na 14ª edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário, segunda-feira, seis estão localizados na região central do Rio, reflexo da revitalização do Porto Maravilha.

 

Para morar ou para lucrar

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/nov

O Recreio se mantém na liderança do ranking lançamentos: 1.933 unidades até o primeiro semestre de 2013, segundo o presidente da Ademi, João Paulo Matos.

 

Pesquisa aponta preferências do carioca

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/nov

O ranking da Ademi dos bairros campeões em vendas de imóveis comprova a tese dos especialistas da área de Inteligência da Lopes. Jacarepaguá ainda lidera a lista dos bairros mais cobiçados da cidade.

 

'O mercado continua aquecido'

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/nov

O presidente da Ademi, João Paulo Matos, revela que a grande surpresa do mercado este ano foi o lançamento de 738 unidades hoteleiras no Rio.

 

Oferta diversificada para morar ou investir

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/nov

"O setor se expande em diferentes direções, atendendo a diferentes camadas da sociedade. Há variedade na oferta para todas as necessidades e possibilidades", diz João Paulo Matos, presidente da Ademi.

 

Para mercado imobiliário, Zona Norte é o novo 'point'

O Globo, Marcello Correa, 27/nov

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a Zona Norte é a segunda região com mais lançamentos no acumulado dos cinco anos.

 

Imóveis residenciais renovam via que interliga Taquara e Recreio

O Globo online, 17/nov

Segundo vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, 3.297 unidades foram lançadas na Estrada dos Bandeirantes, entre 2009 e outubro de 2013.

 

Vagas para que te quero

Extra, Lara Mizoguchi, 11/nov

"Como nos empreendimentos do Minha casa nem todo mundo tem carro, e você ainda barateia o custo da construção, essa redução dá mais viabilidade econômica ao projeto", explica João Paulo Matos, presidente da Ademi.

 

Revitalização da Zona Norte agora pode atrair turistas

O Globo, Paula Autran, 07/nov

Segundo dados da Ademi, após anos sem receber novos empreendimentos, a Penha somou, em apenas três lançamentos imobiliários, 966 novas unidades, o que representou 12% do total lançado no município no primeiro semestre de 2013.

 

Congresso

O Globo, Ancelmo Gois, 06/nov

A Ademi faz no TJ do Rio, dias 11 e 12, o VII Congresso de Direito Imobiliário e Registral.

 

O preço do silêncio

Extra, Lara Mizoguchi, 03/nov

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), João Paulo Matos, é difícil particularizar esse tipo de padronização.

 

Metro quadrado continua em alta no Rio

Valor Econômico, Paulo Vasconcellos, 31/out

"O mercado imobiliário entrou agora num processo de maturidade com um crescimento saudável", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Bairros 'esquecidos' se valorizam

Valor Econômico, Paulo Vasconcellos, 31/out

"A revitalização da cidade revitaliza também o mercado de imóveis", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Na Freguesia, casas dão lugar a condomínios no estilo Barra

O Globo, 30/out

"Freguesia é bairro central, um lugar que concentra redes de infraestrutura como saneamento, água, transporte e mercado de trabalho. Tem acesso. Os BRTs vão passar por lá", diz David Cardeman, consultor técnico da Ademi.

 

Poder público também estimula gentrificação: de obras viárias a políticas de segurança

O Globo, Fábio Vasconcellos, 29/out

"A gentrificação, nessas áreas, será fruto direto da ação do poder público. No Centro, na Cidade Nova, em São Cristóvão, em todo o entorno do Porto, haverá muitas possibilidades em função da demanda. Madureira ganhou o parque, o BRT e a criação de um novo PEU", diz o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Madureira, brilha a estrela do subúrbio da Central

O Globo, 29/out

Consultor técnico da Ademi, David Cardeman diz que as transformações no bairro serão intensas nos próximos anos se houver mudanças no Plano de Estruturação Urbana (PEU).

 

Reforma leva vida nova à zona portuária

Valor Econômico, Carlos Vasconcellos, 28/out

Segundo João Paulo Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), tem havido um grande interesse do mercado na região portuária.

 

Nova rota de desenvolvimento

O Globo, Especial Cidade Barra, 27/out

Ao analisar o papel de destaque da construção civil também no resultado do PIB do segundo semestre, o vice-presidente da Ademi, Cláudio Hermolin, atribuiu o fato ao crescimento, principalmente no Rio.

 

Um novo ciclo de crescimento

O Globo, Especial Cidade Barra, 27/out

A partir do segundo semestre de 2003, segundo estatísticas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), o Rio de Janeiro passou a liderar as vendas de unidades residenciais, tendo a Barra no topo do ranking, seguida de perto por Jacarepaguá e pelo Recreio dos Bandeirantes.

 

Dados Ademi

O Globo, 27/out

O número de unidades lançadas no terceiro trimestre de 2013, no Rio, teve queda de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

O mapa da resistência

O Globo, Raphaela Ribas, 27/out

"Os terrenos que existem hoje na Zona Sul são raros", diz João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) e diretor-presidente da Calçada.

 

Shoppings valorizam os imóveis do entorno

Extra, Lara Mizoguchi, 27/out

"As pessoas buscam cada vez mais facilidades na mobilidade. Então, o mais importante é morar, trabalhar e usar os serviços o mais próximo possível de casa", justifica Claudio Hermolin, diretor regional da PDG e vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Cidade em transe: novo retrato metropolitano

O Globo, Fábio Vasconcellos, Flávio Tabak, Natanael Damasceno e Paulo Thiago de Mello, 27/out

Consultor técnico da Ademi, o arquiteto David Cardeman afirma que é o poder público quem tem o poder de conduzir os rumos da transformação, abrindo ou fechando espaços para a atuação do mercado imobiliário.

 

Rio de Janeiro quer atrair construtoras de SP

DCI, 18/out

Com a perspectiva de crescer 5% este ano, a cidade do Rio de Janeiro segue na busca por uma fatia do mercado imobiliário da capital paulista. Segundo dados da Ademi, a cidade se prepara para ganhar investimentos e bater o ritmo de lançamentos de São Paulo.

 

PDG e Ager apostam em centro empresarial no RJ

Valor Econômico, Rafael Rosas, 17/out

Claudio Hermolin, que é vice-presidente da Ademi, acredita que a Barra da Tijuca - que puxou o crescimento da cidade nas duas últimas décadas - passará certamente por forte demanda de imóveis comerciais nos próximos anos.

 

Venda de imóvel novo cai em 7 Estados, mas cresce no RJ e em SP

O Estado de São Paulo, 15/out

No Rio, as vendas de imóveis têm crescido na cidade há cinco anos, de acordo com João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi. Um dos motivos para o aquecimento do mercado é a sensação de segurança que melhorou na cidade depois da pacificação de favelas.

 

Imobiliário

O Globo, Negócios & Cia, 15/out

A Ademi e o Banco do Brasil assinam hoje convênio que vai oferecer linha de crédito de R$ 3 bilhões para os 140 associados da entidade. "O acordo vai beneficiar a todos, mas pequenas empresas terão um grande ganho, diz João Paulo Matos, presidente da associação.

 

Especialistas repensam modelo de expansão

O Globo, Emanuel Araújo e Selma Schmidt, 13/out

Pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostra que Recreio e Jacarepaguá seguem inabalados nas primeiras colocações dos lançamentos imobiliários.

 

Apês de um quarto voltam à cena imobiliária

O Globo, Raphaela Ribas, 13/out

O crescimento já vem sendo observado desde 2011, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), quando foram lançados 268 apartamentos de um quarto na cidade. Ano passado, esse número chegou a 748. 

 

Rio está dentro do limite do FGTS para financiamentos

O Globo, Karine Tavares, 06/out

Já o presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo Matos, acha que uma valorização expulsaria os compradores, pelo menos do mercado de novos.

 

Olimpíada ainda atrai investidor

Valor Econômico, Renata Bastita, 07/out

"O Rio tinha um mercado muito represado por conta da lei de apart hotéis. A infraestrutura que vai ser construída para a Copa e as Olimpíadas abriu uma oportunidade única", resume Alexandre Fonseca, diretor da Carvalho Hosken e vice-presidente da Ademi-RJ.

 

Governo eleva para R$ 750 mil

Extra, Lara Mizoguchi, 01/out

De acordo com João Paulo Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), a solicitação para que o valor do imóvel fosse aumentado é antiga.

 

FGTS na compra de imóvel até R$ 750 mil a juro baixo

O Dia, Aurelio Gimenez, 01/out

Presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi Rio), João Paulo Rio Tinto de Matos assegurou que agora será possível ampliar a base de oferta de unidades aos mutuários.

 

Governo eleva valor do imóvel financiado pelo FGTS para R$ 750 mil

O Globo, 01/out

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos, acredita que este aumento do limite do preço dos imóveis no Rio para R$ 750 mil com o FGTS corrige uma distorção de quatro anos.

 

Famosa fora da tela

Extra, Lara Mizoguchi, 29/set

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário no Rio, 389 unidades residenciais foram lançadas no primeiro semestre do ano. "Depois das UPPs (há uma no Morro São João, no Engenho Novo), as pessoas voltaram a morar no seu bairro de origem", explica João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi.

 

Um novo ciclo de crescimento

O Globo, Cidade Barra, 27/set

A partir do segundo semestre de 2003, segundo estatísticas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), o Rio de Janeiro passou a liderar as vendas de unidades residenciais, tendo a Barra no topo do ranking

 

Nova rota de desenvolvimento

O Globo, Cidade Barra, 27/set

Ao analisar o papel de destaque da construção civil também no resultado do PIB do segundo semestre, o vice-presidente da ADEMI, Cláudio Hermolin, atribuiu o fato ao crescimento, principalmente no Rio.

 

Alô Zona Norte e Baixada!

Meia Hora, 26/set

"Com maior aporte de recursos, construtoras puderam olhar melhor para regiões menos óbvias e investir ali, em projetos com mais serviços e elevado padrão de qualidade do empreendimento", explica Cláudio Hermolin, vice-presidente da Ademi.

 

Novo bairro da arte

O Globo, Joana Dale, 22/set

"O Rio Comprido está voltando a ser desejado. Após as UPPs, os imóveis recuperaram 50% do valor original. Mas ainda é possível encontrar boas ofertas", diz Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Ademi.

 

Novas moradias diferenciadas em Del Castilho e Nova Iguaçu

O Dia, 22/set

"Com maior aporte de recursos, construtoras puderam olhar melhor para regiões menos óbvias e investir ali, em projetos com mais serviços e elevado padrão de qualidade do empreendimento", esclareceu o vice-presidente da Ademi, Cláudio Hermolin.

 

Defeito de fábrica

O Globo, Karine Tavares, 08/set

Para João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas de Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), esse tipo de problema costuma ocorrer em obras atrasadas.

 

Claudio Hermolin fala sobre desempenho da construção civil no resultado do PIB

Em entrevista ao programa Jornal da GloboNews, no dia 30/08, o vice-presidente da ADEMI, Claudio Hermolin, analisou o papel de destaque da construção civil no resultado do PIB do segundo trimestre. O setor é um dos que mais empregam no Rio de Janeiro, devido, principalmente, ao aumento do número de obras voltadas aos grandes eventos que a cidade sediará.

 

Reinvenção urbana

O Globo, Cláudio Motta e Manuela Andreoni, 27/ago

No primeiro semestre deste ano, segundo informou a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), não houve um empreendimento habitacional sequer na região - salvo, se contarmos os bairros ao redor, nove apartamentos em Santa Teresa.

 

Zona Oeste no topo

Extra, Lara Mizoguchi, 25/ago

"O principal motivo de valorização imobiliária é o progresso. Com o Túnel da Grota Funda, a Zona Oeste se integra. Ali, tinha um obstáculo, que era a serra. Agora, é uma linha só",afirma o vice-presidente da ADEMI, Rubem Vasconcelos.

 

Quase oito mil unidades

Meia Hora, Imóveis, 22/ago

A expectativa do setor é de superar o primeiro semestre, que recebeu 8.024 unidades, de acordo com balanço da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). Um crescimento de 45,6%, em comparação com o mesmo período de 2012.

 

Mercado imobiliário cresce na Zona Norte e no Centro

O Globo online, Morar Bem, 20/ago

"A cidade como um todo vem crescendo, na verdade. Nos últimos anos, os lançamentos se concentraram mais na Freguesia, Zona Oeste, Barra. Mas toda vez que se abre uma janela de oportunidade na Zona Norte, os imóveis são rapidamente vendidos porque é uma região com poucas ofertas", diz João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ).

 

Construtoras pisam fundo neste semestre

O Dia, Cristiane Campos, 18/ago

A expectativa do setor é superar o primeiro semestre, que recebeu 8.024 unidades, segundo balanço da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Regulamento do prêmio da Ademi está disponível

Extra, 18/ago

O regulamento do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2013, que acontecerá em dezembro, está disponível em ademi.org.br. Ele reconhece projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio.

 

Vendas em alta no mercado imobiliário do Rio

O Globo, Negócios & Cia, 13/ago

"Os números demonstram que os preços dos imóveis no Rio continuam subindo acima da inflação", afirma João Paulo Matos, presidente da Ademi.

 

Olimpíadas impulsionam mercado imobiliário na Estrada dos Bandeirantes

O Globo Online, Karine Tavares, 06/ago

"A saturação da Avenida das Américas obrigou a abertura de outros eixos de crescimento na Barra. O primeiro deles foi a Abelardo Bueno que teve muitos lançamentos bacanas. Em seguida, veio a Estrada dos Bandeirantes, que por ser uma via muito extensa e com muitas áreas ainda não edificadas, passou a atrair negócios", diz João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Valorização de 15,3%

Meia Hora, 01/ago

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) indicam que Campo Grande já recebeu 91 unidades residenciais no primeiro semestre.

 

Campo Grande é o bairro que mais valorizou no Rio

O Dia, Cristiane Campos, 28/jul

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) indicam ainda que o local já recebeu no mesmo período 91 unidades residenciais.

 

Obras do renascimento

O Globo Tijuca, Thalita Pessoa, 18/jul

"A Tijuca sempre gerou interesse por ser um bairro agradável e familiar. Mas a violência fez com que passasse a ser vista como um lugar perigoso. Pessoas se mudaram do bairro, e quem era de fora torcia o nariz ao pensar nele como local para moradia. Com as pacificações, a Tijuca renasceu", explica João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi-RJ.

 

Zona Oeste do Rio desponta com lançamentos imobiliários

Brasil Econômico, Gabriela Murno, 18/jul

O cenário se manteve este ano, e segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos seis primeiros meses do ano, já foram lançadas 91 unidades residenciais no bairro.

 

Banho quente e caro

O Globo, Manuela Andreoni, 09/jul

O Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário no Rio (Ademi), João Paulo Matos, não vê má vontade, mas sim falta de espaço. Segundo ele, é mais rentável para o construtor vender uma cobertura do que disponibilizar espaço para os coletores solares.

 

O Leblon de Jacarepaguá

Veja Rio, Thaís Meinicke, 17/jul

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), um de cada quatro imóveis lançados na capital em 2012 ficava em Jacarepaguá. Das pouco mais de 5 000 unidades ali erguidas, 1 500 delas tinham como endereço a Freguesia. Devido ao boom de imóveis de alto padrão, aquele trecho vem sendo chamado de "Leblon de Jacarepaguá". 

 

Plantas livres ganham espaço

O Globo, Raphaela Ribas, 14/jul

O presidente da Associação de Dirigentes do Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-Rio), João Paulo Matos, explica que isso evita gastos e desgaste para ambos. Depois da estrutura já ter sido montada, nem sempre é possível fazer mudanças.

 

Novo padrão entra em vigor esta semana

Extra, 14/jul

Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), acredita que o usuário será o primeiro fiscal.

 

Avenida Dom Hélder Câmara muda com chegada de shoppings

O Globo, Simone Candida, 14/jul

Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), somente no primeiro semestre de 2013 foram lançadas 442 novas unidades na via. Desde 2007, já foram 1.524 novos apartamentos e salas.

 

Cartas na mesa

O Estado de São Paulo, Informe Fiabci, 09/jul

A inquestionável boa fase do setor imobiliário tem exigido que toda a indústria da construção se adapte a tempos mais modernos, com velocidade cada vez maior. Não obstante o aumento da demanda nem sempre encontra respaldo em todos os elementos da cadeia, expondo ainda mais gargalos que prejudicam o andamento do processo e retardam, desnecessariamente, a expansão do mercado.

 

Um novo cenário

Meia Hora, 27/jun

Na Tijuca, o percentual foi de 91,1%, passando de R$ 950 para R$ 1.815, enquanto que, no período anterior à pacificação, foi de 56,5%. "Hoje, na Tijuca, o número de novas unidades lançadas já alcançou 2.794 desde 2010", diz João Paulo de Matos, presidente da ADEMI-RJ.

 

Mercado que renasceu

O Globo, George Vidor, 01/jul

João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Ademi desde abril, e que também está à frente de uma das empresas mais ativas do setor hoje no Rio (a Calçada), acha que o mercado imobiliário superou as dificuldades de mão de obra.

 

Região central do Rio volta a atrair empreendimentos comerciais

Brasil Econômico, 03/jul

Outro levantamento da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) revela que de 2010 a 2012, a região central do Rio de Janeiro não teve lançamentos comerciais. Mas até maio deste ano, a entidade registrava 434 novos empreendimentos nessa localidade.

 

Aposta na 'Urca da Zona Norte'

O Globo Tijuca, 04/jul

Após anos esquecido, o Grajaú é candidato a vedete do ramo imobiliário. Depois de um período sem qualquer lançamento, 99 unidades residenciais foram anunciadas e construídas nos últimos 18 meses, segundo dados da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Cômodos reversíveis

Extra, Lara Mizoguchi, 23/jun

João Paulo Matos, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), diz que, no exterior, há imóveis menores: "Em Nova York e Paris, há unidades menores, apartamentos de sala e quarto de 25, 30 metros quadrados. Mas não acho que seja o ideal. Acho que 38 metros quadrados é um tamanho bom para imóveis com esta tipologia."

 

A peso de ouro

O Dia, Bruno Dutra e Cristiane Campos, 23/jun

"Hoje, na Tijuca, o número de novas unidades lançadas já a l c a nç o u 2 .7 9 4 , de s de 2010. Muitos têm retornado ao bairro, após terem se mudado da região devido à violência", afirma João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ)

 

'Shopping' a céu aberto da casa própria no Recreio

O Dia, Cristiane Campos, 23/jun

O Recreio se destaca pelos números de lançamentos imobiliários, de acordo com a Pesquisa Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e receberá bairro planejado, o Pontal Oceânico, com 5 mil unidades.

 

Nada de arranha-céus

Extra, 02/jun

Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Ademi, admite que a Apac será muito bem-vinda para os habitantes do bairro centenário: "Para quem mora lá vai ser um espetáculo. A área vai ficar mais protegida e controlada."

 

Tijuca dá a volta por cima

O Globo, Fernanda Pontes, 29/mai

Para João Paulo Matos, presidente da Ademi, o bairro passou 20 anos "adormecido", devido ao processo de favelização, que acabou sendo maior que no restante da cidade por questões geográficas.

 

Panfletagem polui cruzamentos mais movimentados da cidade

O Globo, Thaís Britto, 27/mai

"A mídia de panfletagem é usada por algumas construtoras, porque é um procedimento que traz resultado. Mas estamos estudando uma proposta para apresentar à prefeitura que atenda às construtoras e, ao mesmo tempo, que não cause transtornos para a cidade", diz João Paulo de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Infraestrutura garantida pelos próximos 30 anos

Jornal do Commercio, Bianca Mello, 24/mai

Além de Victer, participaram da cerimônia de lançamento do projeto o presidente da Construtora Carvalho Hosken, Carlos Fernando de Carvalho, o presidente da Câmara Comunitária da Barra, Delair Dumbrosck, e o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e fundador da PDG Realty, Rogério Chor, entre outros.

 

Usados mais caros que os novos

Exame, 17/mai

Projeções da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário indicam que os lançamentos em 2013 podem chegar a 25000 unidades - mesmo patamar de 2011 e recorde para a cidade.

 

Jacarepaguá está em alta

O Dia, 12/mai

Sempre destaque nas pesquisas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Jacarepaguá continua recebendo empreendimentos residenciais e comerciais para todas as faixas de renda.

 

Rio terá três mil novas unidades na Barra, Méier, Penha e Recreio

O Dia, Cristiane Campos, 12/mai

Quase 3 mil unidades entre comerciais e residenciais serão lançadas pela construtora Calçada até dezembro. O anúncio foi feito pelo presidente da Calçada, João Paulo de Matos, que também acaba de tomar posse como presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Itaguaí vira destaque com pré-sal

Extra, 05/mai

"As petrolíferas começaram a ter bases próximas a Itaguaí, fazendo com que a cidade se tornasse um polo de atração imobiliária. Houve uma demanda por moradias, apart-hotéis e empreendimentos comerciais", explica Claudio Hermolin, 2º vice-presidente da Ademi.

 

Baixada vira solução

Extra, Lara Mizoguchi, 05/mai

"À medida que as empresas começaram a crescer, pesquisaram novos mercados. Sempre existiu oportunidade lá, mas não tinha capacidade de investimento. Agora, tem", explica Claudio Hermolin, 2º vice-presidente da Ademi.

 

Oferta de apês de dois e três quartos cresce este ano no Rio, respondendo agora por 73,7%

O Globo online, Morar Bem, 02/mai

A média do tamanho dos imóveis de dois quartos ofertados em Copacabana, segundo o Secovi-Rio, é de 89 metros quadrados. Bem superior, ao tamanho médio dos lançamentos de mesmo tipo feitos em 2012: 58,52 m² e até dos imóveis de três quartos, 86,24 m² (dados da Ademi-RJ).

 

Marapendi, ex-Palace II

O Globo, Karine Tavares e Luciana Calaza, 28/abr

"Fui atrás da oportunidade, queria ganhar dinheiro, é claro. Era interessante que o prédio já existente fosse melhorado e ficasse mais bonito, afinal no futuro será um condomínio só. Mas quis fazer um acordo que fosse bom para todos", afirma João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Calçada e da Ademi.

 

Bairro planejado atrai com promessa de valorização

Valor Econômico, Sérgio Tauhata, 25/abr

Para Claudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), os bairros planejados têm atratividade dupla para o mercado. "Esses empreendimentos viraram uma opção para se revitalizar ou ocupar áreas urbanas que estavam paradas ou de alguma forma subaproveitadas", afirma.

 

Entregas a caminho expõem carências da Barra

Jornal do Commercio, Matheus Gagliano, 22/abr

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), João Paulo Rio Tinto de Matos, o bairro se tornou local de desejo residencial nos últimos anos e, por conta do fluxo migratório para lá, várias empresas também se interessaram em se mudar para a região. "Mais um fator de crescimento. já que a cidade vem se desenvolvendo a passos largos", diz.

 

Explosão vertical na periferia

O Globo, 22/abr

Entre 2010 e 2012, Nova Iguaçu ganhou 2.228 novas unidades residenciais e comerciais. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro, a média é de dois lançamentos por dia. "O empresário que mora na Barra e tem um comércio na Baixada não quer enfrentar o trânsito todos os dias. Com isso, prefere passar a semana na região",diz o presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Méier vive momento de aquecimento

O Globo, Simone Cândida, 17/abr

Méier e os bairros do Grande Méier (Del Castilho, Cachambi e adjacências) também estão entre os endereços preferidos para lançamentos imobiliários. Mas, segundo João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), apesar de o bairro ser muito cobiçado, não há por ali muito espaço para receber novos empreendimentos. Resultado: quando há um prédio novo à venda, os apartamentos vendem como água. Em 2010, foram 124 unidades lançadas. No ano passado, 321, um aumento de 159% em dois anos.

 

Mercado de imóveis aquecido

O Globo, Negócios & Cia, 16/abr

O primeiro trimestre de 2013 foi de expansão no mercado imobiliário carioca. O total de unidades lançadas cresceu 7% sobre o período janeiro-março de 2012. Foram 3.144 contra 2.938 um ano antes, informa a Ademi. Já o valor geral de vendas (VGV) bateu R$ 1.526 bilhão, alta de 26,7% na comparação com os três primeiros meses de 2012. "Pesou no resultado dos comerciais o lançamento do Porto Atlântico", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, presidente da associação.

 

Imóveis estão cada vez menores

O Globo, Karine Tavares, 14/abr

O mercado imobiliário continua em alta, já o tamanho dos imóveis novos... está cada vez menor. Levantamento inédito da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio mostra que, nos últimos dez anos, a redução da metragem chega a 29% nos apartamentos de um e de quatro quartos. Segundo o novo presidente da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos, as pessoas se casam mais tarde, têm menos filhos e, consequentemente, a demanda por imóvel menor está crescendo.

 

Ademi dá posse à diretoria eleita para biênio 2013/2015

Extra, 07/abr

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) dará posse à nova diretoria, eleita para o biênio 2013/2015, na quinta-feira. O evento, para convidados, será no Rio Othon Palace.

 

Jacarepaguá em alta

O Dia, 31/mar

Primeiro colocado no ranking de lançamentos em 2012 com 26,8% total ou 5.227 unidades, de acordo com dados da Ademi-RJ, Jacarepaguá continua com tudo no mercado imobiliário. A Rubi Engenharia, por exemplo, planeja lançar, até o final deste ano, oito empreendimentos na Freguesia.

 

'O empresário viu a falha que cometeu'

O Globo, Léa Cristina, Luciana Calaza e Karine Tavares, 31/mar

'A valorização vai acompanhar a inflação', diz o presidente eleito da Ademi, João Paulo Rio Tinto de Matos. O setor também precisa qualificar sua mão de obra.

 

Ademi no New York Times

Um dos mais importantes veículos de comunicação do mundo ouviu o presidente da ADEMI, José Conde Caldas, em reportagem sobre o mercado imobiliário na América do Sul. No texto, o foco principal é o Brasil, com ênfase nos mercados do Rio e de São Paulo. Conde Caldas destacou que o Rio está despertando o interesse de compradores e investidores internacionais e também de outros pontos do Brasil: "Este é o melhor momento de todos os tempos".

 

São Cristóvão

Revista Secovi Rio, 01/mar

Com experiência  de quem comandava a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas aposta em um novo fôlego, comparável ao trazido pelo PEU em 1995, para os próximos anos.

 

Mais imóveis

O Dia, 24/mar

Pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário revela que, em 2012, foram lançadas 19.481 unidades no Rio. O número representa queda de 22% sobre 2011, quando se passou de 25 mil imóveis.

 

Condições especiais para comprar a casa fora do Rio

O Dia, Cristiane Campos, 24/mar

O bairro de Jacarepaguá continua fazendo parte dos planos das principais construtoras. A região, que é uma das que mais recebem lançamentos de acordo com a pesquisa da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), vai abrigar a segunda fase do Mio Residencial Parque, da Brookfield.

 

Lançamentos revelam os novos eixos de crescimento da cidade

O Globo, Rio Imóveis 2013, 24/mar

De acordo com informações da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o Rio deve fechar o ano com dez mil unidades comerciais e 15 mil residenciais comercializadas.

 

Barra de braços abertos

O Globo, Rio Imóveis 2013, 24/mar

A Barra da Tijuca é o sonho de consumo de muitos cariocas que desejam combinar moradia próxima à praia, conforto e segurança. É também a menina dos olhos das grandes construtoras e das imobiliárias, ávidas por atender uma população calculada hoje em 300 mil habitantes, mas que chegará ao ano de 2020 com 500 mil.

 

Para onde segue o Rio?

O Globo, Rio Imóveis 2013, 24/mar

Seguindo essa linha de raciocínio, o Rio inteiro se tornou atraente. De acordo com informações da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a cidade deve fechar o ano com dez mil unidades comerciais vendidas e 15 mil residenciais. "Algo em torno de 20% das pessoas estão investindo na compra de imóveis", afirmou José Conde Caldas, presidente da Concal Construtora e da Ademi.

 

Rio cresce em direção ao Porto

O Globo, Rio Imóveis 2013, 24/mar

"Está havendo um lançamento atrás do outro na Zona Portuária, o que comprova a expansão do mercado imobiliário da cidade naquela direção", destaca José Conde Caldas, presidente da Concal Construtora e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Depois da Barra, Rocinha é que mais deve crescer

O Globo, Natanael Damasceno, 24/mar

As projeções feitas este ano pelo Instituto Pereira Passos mostram ainda que as Regiões Administrativas que mais devem crescer depois da Barra, entre 2010 e 2020, são as de Rocinha (13,8%), Jacarepaguá (13,2%) e Guaratiba (13,1%).

 

19.481 unidades lançadas

Extra, 17/mar

Foram lançadas em 2012 19.481 moradias, representando uma queda de 22% sobre os números de 2011. Os dados são da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Lançamento de imóveis perdeu fôlego em 2012 no Rio

O Globo, Negócios & cia, 14/mar

A situação deve mudar este ano, com a série de novos imóveis que serão postos à venda no Porto Maravilha, prevê José Conde Caldas, presidente da Ademi. O Porto Atlântico, da Odebrecht e Performance, com lançamento marcado para o dia 23, já está todo reservado.

 

Atrás de bom negócio

Extra, 10/mar

No entanto, na avaliação de Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), as empresas não estão interessadas somente em casas e apartamentos de alto luxo: "Se as construtoras encontrarem um bom negócio na Zona Norte, vão construir", analisa ele.

 

O Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Sustentável do Rio de Janeiro

Fiabci Hoje, David Cardeman, fev/2013

As cidades brasileiras vivem um momento decisivo para os seu crescimento urbano e econômico. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 84% da população residem em cidades no Brasil. É hora, portanto, de planejar o futuro dos municípios.

 

Jacob Steinberg. Engenheiro que, junto com a mulher, fundou a Servenco

O Globo, 05/mar

Ao longo da carreira, Jacob Steinberg se tornou referência para o setor imobiliário. Por diversas vezes, foi vice-presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), responsável pela área de construção civil. Também foi cofundador e diretor da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

FGTS maior para casa própria

O Dia, 05/mar

"Esse aumento será aplicado diretamente no setor. O ultimo reajuste foi em 2009 e já está defasado frente ao poder de compra de alguns trabalhadores de classe média-alta", afirma José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ).

 

Coração do meu Brasil

Época, Martha Mendonça, 04/mar

Na área do Porto Maravilha, um espaço de 5 milhões de metros quadrados de galpões e docas será reestruturado, com a derrubada de um viaduto, a reurbanização de avenidas e praças, a construção de ciclovias e arborização. "Será o maior retrofit urbano do mundo", afirma José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Desafios de uma cidade que se reinventa

O Globo, 01/mar

Em 2012, o mercado imobiliário no Rio registrou o licenciamento de mais de seis milhões de metros quadrados, recorde histórico na cidade, segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani. A última vez que o Rio contemplou um cenário tão positivo foi em 1982, quando esta mesma marca quase foi alcançada.

 

Microapartamentos: o 'futuro' chegou a SP?

BBC Brasil, Ruth Costas, 19/fev

No Brasil, Paulo Fabrianni, vice-presidente da ADEMI (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) do Rio de Janeiro apresenta argumentos semelhantes aos de críticos de Bloomberg para justificar o atual limite de 50 m² para os imóveis novos da capital carioca.

 

Ano para consolidar planos

Veja Rio, José Conde Caldas, 19/fev

O crescimento substancial da construção civil observado nos últimos dois anos deverá manter seu ritmo em 2013. As boas perspectivas não se baseiam simplesmente nos humores ou no otimismo de representantes do setor. A expectativa positiva resulta de uma série de fatores favoráveis ao desempenho do mercado.

 

No Rio, queda de braço no comercial

Valor Econômico, Paola de Moura, 18/fev

Dados da Ademi mostram o crescimento acelerado: de setembro de 2011 até o mesmo mês de 2012 foram lançados 177 empreendimentos, 30% a mais do que no período de setembro de 2010 ao mesmo mês de 2011, com 137.

 

Mordomias de hotel dentro de casa

O Globo, Leandra Lima, 14/fev

"É absurdo não haver legislação referente a apart-hotéis. E demagogo afirmar que numa cidade turística não há essa demanda. A densidade demográfica da Barra é baixa; dizer que ela está saturada é piada. O que precisa é melhorar a infraestrutura e investir em transporte de massa", afirma o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas.

 

Imóveis: juro baixo anima setor

O Dia, 18/jan

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas diz que a medida da Caixa pode servir de exemplo para outros bancos. "A classe média já estava prejudicada com os preços dos imóveis e ainda tinha altas taxas bancárias. Com certeza a redução dos juros será importante para o mercado", avalia.

 

Desconto de R$ 80 mil

O Dia, 13/jan

O bairro de Jacarepaguá, que sempre ocupa lugar de destaque na pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), conta com vários empreendimentos em construção.

 

À espera de uma virada

Extra, Lara Mizoguchi, 06/jan

"Temos uma expectativa muito boa para este ano. A diminuição referente a 2012 foi para uma arrumação, pois algumas empresas tiveram problemas gerenciais, que fizeram com que o número de lançamentos diminuísse", afirma o presidente do Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas.

 

Conforto fora do Rio

Extra, 06/jan

Conforto para os moradores e lançamentos na Região Metropolitana do Rio, principalmente São Gonçalo e Nova Iguaçu. Segundo especialistas, esse será o cenário imobiliário em 2013. No fim do ano passado, a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) chegou a se reunir com representantes de prefeituras, para traçar metas.

 

Milhares de novas unidades

Meia Hora, 27/dez

Segundo José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), em 2013, uma das grandes novidades é que os bairros da Zona Norte do Rio, como Madureira, estarão mais valorizados.

 

Emperrou

O Globo, Negócios & Cia, 19/dez

Falta estrutura às prefeituras da Região Metropolitana do Rio para fazer decolar os projetos do Minha Casa Minha Vida, de habitação popular. Cláudio Martins, homem da Caixa na Baixada, diz que faltam até quadros técnicos para elaborar as ações. Ele esteve na reunião na Ademi, com prefeitos do entorno da capital, ontem.

 

Prefeitos debatem mercado imobiliário

O Fluminense, 18/dez

O presidente da Ademi (Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário), José Conde Caldas, e empresários do setor fazem hoje, das 9h às 11h30, no Hotel Sofitel em Copacabana, um café da manhã com os 19 prefeitos eleitos da Região Metropolitana do Rio e o vice-governador Luiz Fernando Pezão, presidente do Comitê de Ações Estratégicas Metropolitanas.

 

Déficit habitacional na região metropolitana é preocupante

O Dia, 18/dez

O alerta é de José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), que promove encontro sobre o tema hoje com os prefeitos eleitos dessas cidades. Segundo estudo da Ademi, a região metropolitana tem déficit de 322 mil unidades habitacionais e pode chegar a 1,5 milhão em 2027.

 

Vitória conjunta

Veja Rio, Informe ADEMI, 18/dez

Chega ao fim mais um ano de muito trabalho e crescimento. Um ano que, ao contrário dos prognósticos mais pessimistas, não terminou em chamas nem dilúvio, reais ou metafóricos. Foi um período de amadurecimento para o setor imobiliário, de muito trabalho, conquistas e intenso aprendizado.

 

Entraves

O Globo, Negócios & cia, 15/dez

A Ademi vai reunir 19 prefeitos eleitos da Região Metropolitana do Rio, na terça. Em pauta, a precária infraestrutura no entorno da capital. Diferentes códigos de obras também emperram a expansão do mercado imobiliário. "São João de Meriti permite hotel na Via Dutra, Nova Iguaçu, não", diz Conde Caldas, da Ademi.

 

Faxina por encomenda

Extra, Lara Mizoguchi, 16/dez

Segundo José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), essa demanda está crescendo: "É uma alternativa para muitas pessoas que moram sozinhas e não têm empregadas. O serviço é opcional."

 

Tempo de ajuste

O Globo, Karine Tavares, 16/dez

Presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), José Conde Caldas também está otimista sobre 2013, apesar da queda de 20% nos lançamentos deste ano, que deve fechar em 20.277 unidades lançadas, contra os 25.022 lançamentos feitos em 2011.

 

Na carona do trem

O Dia, Informe do Dia, 17/dez

Presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário, José Conde Caldas atribui os novos lançamentos de prédios e condomínios na Zona Norte ao BRT e à compra de trens para a SuperVia.

 

Controversy Over Y Pier in Port Zone

The Rio Times, Chesney Hearst, 11/dez

"Having a design by a genius of architecture [Calatrava] being hidden by ships is totally absurd," José Conde Caldas, President of the Association of Directors of Companies in the Real Estate Market (Ademi-RJ) recently told O Globo. "The Porto Maravilha project came from strength to strength until this pier, which looks more like a piano in the middle of the room."

 

Docas poderá ter de explicar píer em Y na Câmara

O Globo, Fabíola Gerbase, 30/Nov

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), José Conde Caldas, lembra que se trata do maior projeto de retrofit urbano já feito no mundo, abrangendo uma área de cinco milhões de metros quadrados.

 

Rio contemporâneo

O Globo, Karine Tavares, 02/dez

Foi exatamente por acreditar nisso que a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) resolveu dar ao seu prêmio anual, que será entregue amanhã, o tema Arquitetura Maravilha, em alusão às obras do Porto.

 

BRT acelera a transformação de Campo Grande

O Globo, Ediane Merola, 02/dez

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário, José Conde Caldas diz que o metro quadrado em Campo Grande hoje custa, em média R$ 3,5 mil. Na Freguesia, o valor é R$ 6 mil o metro quadrado e, na Barra, chega a R$ 7,8 mil.

 

Ademi premia destaques de 2012

O Globo, 02/dez

As construtoras Calçada e Concal serão as principais premiadas no Destaque Ademi 2012 - Prêmio Master Imobiliário que a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ) entrega, amanhã, para as empresas e profissionais que mais se destacaram ao longo do ano.

 

Centro e Zona Norte são as novas apostas do setor imobiliário

O Globo, 30/Nov

Apesar do forte movimento em direção à Zona Oeste, o presidente da Associação de Dirigentes e Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, aposta no futuro do Centro e de alguns bairros da Zona Norte.

 

Algumas regiões da cidade têm valorização sem precedentes

O Globo, Projetos de Marketing, 30/Nov

Segundo levantamento feito pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), este ano foram lançadas 13.738 unidades, residenciais e comerciais, no município do Rio de Janeiro. No ano passado, foram colocadas à venda 25.195 unidades. A Barra da Tijuca manteve a liderança no ranking de imóveis novos, seguida por Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes, regiões da cidade onde há espaço para novos empreendimentos.

 

Procura maior que a oferta: investimento sem risco

O Globo, Projetos de Marketing, 30/Nov

Para José Conde Caldas, bairros como Santa Cruz (Zona Oeste), Méier e Madureira(Zona Norte) e Campo Grande (Zona Oeste) estão no topo da lista dos locais que receberão mais lançamentos imobiliários, pela grande disponibilidade de terrenos. "Os bairros que ficaram décadas a fio sem receber lançamentos serão alvos de grandes construtoras", anunciou o executivo.

 

A vitória do Rio

O ano ainda não acabou, mas, a esta altura do calendário, já é possível dar uma olhadinha no retrovisor e analisar o quanto foi realizado e o que se deixou de cumprir. Para nós da ADEMI, o balanço tem peso de final de campeonato. Vivemos há semanas a expectativa do Destaque ADEMI 2012 - Prêmio Master Imobiliário, um dos mais tradicionais e relevantes eventos do setor em todo país.

 

Um mercado em alta até 2017

O Globo, Suplemento Especial, 29/Nov

O presidente da Ademi e da construtora Concal, José Conde Caldas, avalia que 80% dos imóveis são vendidos para o morador final, 15% para investidores de aluguéis e 5% para aqueles que compram para vender logo que o imóvel fica pronto."Mas, esse comprador é fundamental para trazer liquidez ao mercado, porque muitas vezes paga até 50% do valor de venda de entrada, no início da construção", diz.

 

Rossi ganha prêmios

O Dia, 25/Nov

A Rossi acaba de receber três prêmios da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMIi) do Rio e de Niterói. Um dos destaques é o Rossi Multi Business - parte comercial do complexo multiuso que a empresa lançou este ano, em Duque de Caxias - vencedor do Prêmio Master Imobiliário 2012 na categoria "Projeto de prédio comercial de pequeno porte".

 

Prêmio Master Imobiliário

O Globo, Gente Boa, 23/nov

Stella Lutterbach Leão ganhou o Prêmio Master Imobiliário ADEMI.

 

Uma referência do setor imobiliário carioca

O Globo, Obituário, 15/nov

O nome Sergio Castro é referência no setor imobiliário do Rio de Janeiro. Há mais de 60 anos atuando na área, o empresário fundou, em 1949, a Sergio Castro Imóveis - a primeira empresa brasileira a se especializar em imóveis comerciais. Também foi um dos criadores do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, além de membro de várias entidade do setor, como a Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (Abadi) e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Em Irajá, imóveis valorizaram mais que no Leblon

Extra, 04/nov

Houve isenção em algumas regiões que tiveram uma valorização muito grande, pois ficavam perto das favelas. Com a política de pacificação, não há mais problemas de segurança. É justo que as pessoas paguem pelos serviços urbanos dados pela prefeitura - afirma José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Master Imobiliário 2012

O Globo, Ancelmo Gois, 12/nov

A Concal foi eleita a empresa do ano no prêmio Destaque ADEMI - Master Imobiliário 2012.

 

Barra apoia novo parque

O Globo, Fábio Vasconcellos, Luiz Ernesto Magalhães e Isabela Bastos, 03/nov

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, a criação do campo de golfe poderá valorizar o trecho da Barra.

 

Mercado já faz ajuste

Extra, Lara Mizoguchi, 04/Nov

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, diz que em algumas regiões os valores não devem subir tanto. Em outras, seguem em alta.

 

Escolha calculada

Extra, Lara Mizoguchi, 28/out

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos mostra que essa estratégia acontece até em bairros nobres da cidade: "As pessoas que estão com dificuldades de morar em Ipanema e Leblon, por exemplo, procuram imóveis na Lagoa e em São Conrado."

 

Região na expectativa

Meia Hora, 25/out

De acordo com o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Cláudio Hermolim, a tendência nas regiões pacificadas é de valorização. "A pacificação já agrega valor, pois você deixa de ter uma região rejeitada e passa a ter uma mais atrativa. No Jacarezinho, por exemplo, havia muitas empresas, que saíram de lá por causa da violência. Ao melhorar a segurança, você dá condições para elas ficarem", explica.

 

Demanda modesta de títulos do Porto Maravilha

O Globo, Negócios & Cia, 23/out

"Apesar da demanda baixa, o leilão determinou um parâmetro. O preço de venda de projetos top na região não deve ultrapassar R$ 13 mil a R$ 14 mil por metro quadrado", diz José Conde Caldas, presidente da Ademi. Autoridades municipais também consideram que o leilão içou os Cepacs a um novo (e alto) patamar de preço.o de 20 andares.

 

Pacificação que valoriza

O Dia, Diego Valdevino, Francisco Edson Alves, Paloma Savedra, Vania Cunha, 18/out

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Cláudio Hermolim, a tendência nas regiões pacificadas é de valorização. "A pacificação já agrega valor, pois você deixa de ter uma região rejeitada e passa a ter uma mais atrativa. No Jacarezinho, por exemplo, havia muitas empresas, que saíram de lá por causa da violência. Ao melhorar a segurança, você dá condições para elas ficarem", pontuou.

 

Rio tem hoje 1º leilão de títulos do Porto Maravilha

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 22/out

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, disse que o valor mínimo da totalidade dos títulos a serem leiloados hoje, de R$ 115 milhões, deverá ser superado.

 

O Parque que trouxe diversão para novos negócios

O Globo, Fábio Vasconcellos e Selma Schmidt, 21/out

Vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbiani destaca os incentivos que a Zona Norte vem recebendo, através da realização de obras públicas, de acordo com o que determina o Plano Diretor da cidade.

 

Renascimento urbano

Veja Rio,José Conde Caldas, 08/out

A paisagem do Rio está em reconstrução. E não reside apenas na contagem do número de canteiros de obras o processo de transformação em andamento por aqui. É o próprio modelo de urbe se redesenha, aos olhos de cariocas e estrangeiros, mais plural e democrático.

 

Polo com vocação diversificada

O Globo, 14/out

José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), diz que esse é o maior boom imobiliário comercial pelo qual o Rio de Janeiro já passou. Segundo Caldas, são três setores principais que demandarão os escritórios na área do novo Porto.

 

Rio aquece o mercado de imóveis também no interior

O Dia, 13/out

O bom momento do mercado imobiliário do Rio de Janeiro se estende às cidades com potencial de crescimento por conta dos investimentos em petróleo, como Itaboraí e Campos. Segundo números da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos dois anos, as duas cidades receberam 4.960 novas unidades, sendo 3.441 em Itaboraí e 1.519 em Campos.

 

Entidade reclama de estudo para mudar IPTU, proposto por Paes

O Globo, 15/out

O estudo que poderá resultar na revisão do Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), anunciado pelo prefeito Eduardo Paes em entrevista publicada neste domingo pelo GLOBO, é alvo de críticas de entidades e de associações de moradores. O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani, disse que já esperava a mudança.

 

Vizinhança valorizada

Extra, Lara Mizoguchi, 30/set

"As passarelas que ligarão o estádio à Quinta permitirão o acesso a essa importante área de lazer da cidade. São Cristóvão é o último reduto nobre do Rio. Por isso, muita gente quer morar lá. O problema é que, atualmente, a procura está maior do que a oferta.", lembra o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas.

 

Mercado carioca é um dos que mais cresce

Jornal do Commercio, 01/out

O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e presidente da Concal, José Conde Caldas, atribui não só a retomada do mercado não só ao bom momento que a economia vem passando nos últimos anos.

 

Vizinhança que não para de crescer

O Globo, Projetos de Marketing, 30/set

De acordo com Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), o bairro registrou na última década uma valorização de 20% ao ano. "O metro quadrado que em 2002 era comercializado a R$ 1.4 mil, hoje gira em torno da R$ 8 mil", diz.

 

Rentabilidade atrai investidores

O Globo, Projetos de Marketing, 30/set

O último trimestre vai concentrar 45% de todos os lançamentos imobiliários a serem realizados em 2012, de acordo com dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Uma oportunidade que está atraindo, segundo os agentes do mercado, muitos compradores em busca de alternativas de investimento e boas ofertas, com financiamento facilitado.

 

Uma cidade em transformação

O Globo, Projetos de Marketing, 30/set

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), serão 20 mil unidades lançadas em 2012, das quais nove mil no último trimestre.

 

Mercados paulista e carioca terão os maiores estoques

Valor Econômico, Especial Construção Civil, 28/set

"No segundo semestre serão lançadas mais 5 mil unidades de salas de 30 metros quadrados no Rio, que deverá fechar o ano com 7 mil unidades, empatando com 2011. O imóvel comercial já representa cerca de 30% do total de lançamento no país", afirma José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Brasil, um país de solteiros

Veja online, 21/set

"Não há lançamento de quarto e sala, loft, kitnet há muitos anos. A área mínima estipulada na cidade já é grande para apenas um quarto", afirma o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), Paulo Fabbriani. Portanto, enquanto em São Paulo o crescimento do número de solteiros morando sozinhos é bem atendido por novos empreendimentos, no Rio, para se manter na zona sul, o luxo tem de ser deixado de lado. "São poucas unidades de um quarto em uma região altamente valorizada. Se lançar um quarto e sala hoje, no Rio ou em qualquer lugar, vai vender tudo em dois minutos.

 

Vale o custo-benefício

Extra, Lara Mizoguchgi, 16/set

"É sempre o melhor lugar, pois é onde estão as melhores residências e o comércio", explica o presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário(Ademi), Rubem Vasconcelos.

 

Oferta de comércio e de lazer

Extra, 16/set

"O Madureira Shopping demonstra que o local têm demanda", afirma Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário(Ademi).

 

E ainda pode melhorar...

Veja Rio, Informe, 02/set

Os números traduzem o bom momento do setor. Duas das principais imobiliárias preparam o lançamento de 15.168 unidades no mercado até dezembro, com robusto VGV em torno de R$ 8,7 bilhões. De acordo com o vice-presidente da ADEMI, Luiz Fernando Moura, o mercado tem dado provas de solidez em 2012, repetindo o excelente desempenho do ano passado.

 

Tempos de glória para o bairro da Glória

O Globo, Selma Schmidt, 26/ago

Presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário, José Conde Caldas vislumbra um futuro promissor também para o mercado de imóveis novos na Glória, que se irradia pelo Catete.

 

Para realizar o sonho

Meia Hora, 23/ago

"A queda da taxa de juros é importante para o mercado imobiliário, pois oferece melhores condições para a compra da casa própria. Com o financiamento mais acessível e o crescimento da economia, a demanda do mercado imobiliário continuará aquecida. É uma redução significativa e que aponta tendência, já seguida por outros bancos", afirma Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Taxas e preços menores para comprar casa própria

O Dia, Cristiane Campos, 19/ago

Brindes e descontos são oferecidos por construtoras e imobiliárias para fechar bom negócio para compra da casa própria. Com o financiamento mais acessível e o crescimento da economia, a demanda do mercado imobiliário continuará aquecida. É uma redução significativa e que aponta tendência, já seguida por outros bancos", diz Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Nova fronteira

O Globo Barra, Felipe Sil, 09/ago

Os números registram a evolução dos lançamentos residenciais na Estrada dos Bandeirantes. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2009 não houve lançamentos na via. Já em 2010 foram 241 novas unidades. No ano seguinte, 388; em 2012, até o momento, surgiram 431. Um apartamento de três quartos custa em torno de R$ 380 mil, de acordo com corretores.

 

A artéria de Botafogo sempre de marcha lenta

O Globo, Clara Passi, 02/ago

José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), destaca que, desde 1982, Botafogo vem perdendo sua fama de bairro de passagem para ganhar ares mais residenciais.

 

Zona Sul já perde para Zona Norte

O Globo, Karine Tavares, 05/ago

Segundo o presidente da Ademi, José Conde Caldas, um dos bairros que mais devem crescer na Zona Norte é a Tijuca. Mais caro da região, teve valorização de 19,17% nos últimos 12 meses (o valor médio do metro quadrado passou de R$ 4.758 a R$ 5.670). Ainda assim, valores mais baixos que na Glória, o mais barato da Zona Sul, que teve variação de 17,5% no período, com o valor médio do metro quadrado saltando de R$ 6.788 para R$ 7.976.

 

Atraídos pelo aluguel

O Globo, George Vidor, 06/ago

A zona portuária ficará na vitrine nos próximos anos. O presidente da Ademi, Conde Caldas, prevê 30 projetos nessa região, sendo que de dez a 12 previstos para ser lançados até dezembro. A própria empresa dele é uma das incorporadoras que apostam na zona portuária.

 

Jacarepaguá, o queridinho

Em pesquisa da Ademi-RJ, o bairro concentra mais de 32% dos lançamentos comerciais e residenciais no Rio.

 

Mercado vai seguir aquecido

O Fluminense, 22/jul

Segundo o vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbriani, é possível que no primeiro semestre tenha havido uma leve desaceleração no início do ano. No entanto, para o segundo semestre, ele afirmou que o mercado voltará a crescer com maior força devido ao número maior de lançamentos previstos.

 

Do verde ao concreto

O Globo Barra, Felipe Sil, 26/jul

Quem mora em Jacarepaguá há mais de dez anos lembra: o bairro se destacava pelo perfil residencial e a tranquilidade. Era chamado até de a Suíça Carioca, graças às temperaturas amenas. O tempo passou e, hoje, o lugar é o segundo da cidade que mais cresce, segundo pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Traços modernos alteram a paisagem no Centro

O Globo, 27/jul

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), entre 2007 e 2009, não há em seus registros qualquer lançamento de imóveis comerciais na região. No ano passado, foi lançado um prédio com 86 unidades.

 

Construtoras oferecem brindes para manter vendas de imóveis aquecidas

Jornal da Globo, 27/jul

Brindes para quem compra um apartamento. O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio, José Conde Caldas, mostra outra novidade: um eletrodoméstico popular, que vem embutido no apartamento. "Vai ter um grande aspirador de pó conectado a toda casa".

Clique aqui para assistir a matéria completa.

 

Jacarepaguá, o queridinho dos empreendimentos

Extra, 22/jul

Em pesquisa da Ademi-RJ, o bairro concentra mais de 32% dos lançamentos comerciais e residenciais no Rio. O sucesso é devido a localização privilegiada, área verde, infraestrutura e acesso às principais vias.

 

Para especialistas, projeto 'Minha Casa, Minha Vida' está sob ameaça

Extra, 22/jul

De acordo com o vice-presidente da Ademi Rio e presidente da construtora Fator Realty, Paulo Fabbriani, embora não sejam as medidas ideais, as mudanças no limite de renda e do valor teto dos imóveis são urgentes sob pena "de o plano parar".

 

Fase agora é de ajustes

Extra, 15/jul

A valorização menor dos imóveis em 2012 é provisória, segundo análise de Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Ele confirma que a alta de preços observada no ano passado tem se estabilizado, mas ainda não é possível apontar retração no mercado.

 

Grades são substituíveis por vidros em condomínios da orla carioca

O Globo, Thamine Leta, 15/jul

Para o consultor de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), David Caderman, o vidro resgata a ideia de que os edifícios estão integrados à cidade: "Substituir grades por vidros já é um avanço muito grande. É uma forma de conseguir um contato com a rua, com as pessoas, de resgatarmos a ideia de fazer parte de um ambiente urbano, o que perdemos com a instalação de grades."

 

Mais unidades

O Dia, 15/jul

Jacarepaguá se destaca em unidades lançadas, de acordo com a Pesquisa Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). A Zayd, por exemplo, está com unidades à venda no Acquapark Residencial, com preços a partir de R$ 289 mil e financiamento pelo Bradesco.

 

Bairro imperial renasce, depois de anos esquecido

O Dia, Paloma Savedra, 16/jul

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Rubem Vasconcelos, a melhoria na segurança da região é um dos motivos do crescimento do bairro: "A implantação das UPPs na Tijuca, vizinha, melhorou a segurança do entorno. O Porto Maravilha também impulsionou S. Cristóvão", enumerou.

 

As construções sustentáveis e o mercado imobiliário

Site Eletrobras

Em meio às preocupações com a eficiência energética e em reduzir o impacto das construções no meio ambiente, o professor da UFRN e o vice-presidente da Ademi debatem sobre os benefícios, o custo e bem-estar social sobre o tema.

 

TJ do Rio determina que atraso de obra é aceitável por seis meses

O Globo online, 9/07/2012

Maury Bernardes, consultor jurídico da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário - RJ (Ademi), julga a discussão saudável e acredita que vai ao encontro do momento atual pelo qual o Rio de Janeiro passa.

 

O Méier é pop

O Globo Online, Isabel Kopschitz, 03/jul

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário no Rio (Ademi-RJ) também atestam o aumento da quantidade de unidades lançadas no Méier: passou de 72, em 2010, para 284, em 2011.

 

Jacarepaguá no topo

Meia Hora, 05/jul

O bairro de Jacarepaguá, que sempre garante as primeiras posições no número de unidades lançadas na cidade, de acordo com a Pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), continua recebendo empreendimentos comerciais e residenciais de peso.

 

Bagunça no terraço terá que ser escondida

O Globo, Ruben Berta e Thamine Leta, 06/jul

Na opinião do presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, a medida vai colaborar também para aumentar a fiscalização dos edifícios que constroem anexos em suas coberturas: "Como arquiteto, acho um absurdo o que as coberturas dos prédios fazem, por exemplo. Constroem praticamente uma casa em cima do prédio. Vejo com bons olhos o projeto de lei."

 

Atraso em obras só é aceitável por seis meses

O Globo, 08/jul

Para o consultor jurídico da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), Maury Bernardes, a decisão é válida: "O mercado imobiliário tem sofrido com escassez de mão de obra e material. Ter regras claras sobre atrasos é essencial."

 

Valorização intensa do metro quadrado

Jornal do Commercio, Rebecca Mello, 29/jun

"O Porto Maravilha é uma realidade que se estende às regiões do seu entorno", diz José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Jacarepaguá lidera ranking de unidades lançadas

O Dia, Cristiane Campos, 01/jul

O bairro de Jacarepaguá, que sempre garante as primeiras posições no número de unidades lançadas na cidade, de acordo com a Pesquisa Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), continua recebendo empreendimentos comerciais e residenciais de peso.

 

ADEMI parabeniza o Rio pela excelente organização da Rio+20

A ADEMI parabeniza o Rio pela excelente organização e condução de todos os eventos da Rio+20. Os anúncios de página inteira circularam no sábado, nos jornais O Globo e Folha de S. Paulo. Clique aqui para ver.

 

Um choque de realidade

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 25/jun

"A cidade voltou a ser atraente, e isso impulsionou as negociações", observa José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Construtoras podem voltar a cobrar juros durante obras

O Globo Online, 19/jun

"O mercado amadureceu e percebeu que essa é uma prática que não funcionava. Então, as construtoras precisaram se adaptar a não cobrança de juros. Não acredito que agora isso possa mudar e com todas as empresas que já conversei, não percebi esse interesse. Mas a decisão é de cada uma", afirmou o vice-presidente da Ademi, João Paulo Matos.

 

STJ libera juros na obra

Correio Braziliense, Ana D'Angelo, 19/jun

"Houve a unificação do entendimento pelo STJ para que não houvesse dúvidas. Mas acredito que o mercado não vai romper essa prática de não cobrar juros, porque já está consolidada", afirmou o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), João Paulo Rio Tinto de Matos.

 

Barra da Tijuca, uma grife que não respeita fronteiras

O Globo, Ruben Berta, 17/jun

"Apesar de estar em Jacarepaguá, sabemos que o grande atrativo é a proximidade da Barra", comenta o vice-presidente da Ademi, Claudio Hermolin, que também é diretor da construtora Even, responsável pelo empreendimento.

 

Incentivo da prefeitura à construção de 'prédios verdes' divide opiniões

O Globo, Leonardo Cazes, 11/jun

Rubem Vasconcellos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), acredita que as empresas vão abraçar as propostas: "O mercado imobiliário vai adotar imediatamente as práticas incentivadas pela prefeitura. Tenho certeza de que os futuros projetos serão todos qualificados dentro dessas normas. Agora, em relação a uma possível diminuição de custos devido à redução e à isenção de impostos, é preciso fazer uma análise mais cuidadosa."

 

Mercado Imobiliário em números

Revista Abami, abril/maio 2012

Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo de Futebol em 2014, Olimpíadas em 2016. Com tantos eventos de grande porte que irão ocorrer no Rio de Janeiro, o mercado imobiliário carioca se mantém aquecido.

 

No caminho das pistas

Meia Hora, 24/mai

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbrianni vai mais longe. Ele acredita que, com o trânsito fluindo, haverá maior interesse de cariocas em visitar o interior do estado. "O maior tempo gasto na viagem é para sair da capital. Se você consegue resolver isso, é um grande incentivo", afirma.

 

Construção civil puxa o emprego

O Globo, Negócios & Cia, 25/mai

Os números sugerem que o mercado retomou lançamentos e obras. Só na cidade do Rio, a Ademi estima que serão lançadas 20 mil unidades este ano, o terceiro melhor resultado da história.

 

Corredores de ônibus já inflacionam imóveis

O Dia, Christina Nascimento, 21/mai

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbrianni vai mais longe. Ele acredita que com o trânsito fluindo haverá maior interesse de cariocas em visitar o interior do estado: "O maior tempo gasto na viagem é para sair da capital. Se você consegue resolver isso, é grande incentivo".

 

Presidente da ADEMI fala ao jornal O Globo

O Globo, Luciana Calaza, 20/mai

Segundo José Conde Caldas, presidente da Ademi Rio, esse freio nos lançamentos não se deve à falta de demanda, mas a excesso de cautela: "Por causa da falta de mão de obra qualificada, o setor tem tido problemas com os prazos de entrega. Não faltam compradores, os agentes financeiros estão cheios de dinheiro para emprestar, mas as construtoras estão cautelosas."

 

Números da pesquisa ADEMI no jornal O Globo

O Globo, Negócios & Cia, 10/mai

De janeiro a março, foram 1.812 unidades, entre casas, apartamentos, salas e lojas, contra 2.872 um ano antes (veja o gráfico). O setor residencial caiu à metade, enquanto a oferta de imóveis comerciais mais que dobrou (+114%). Foram 625, contra 292 nos três primeiros meses de 2011. José Conde Caldas, presidente da Ademi-RJ, atribui a desaceleração do mercado no início de 2012 ao efeito calendário. "Com o carnaval em fevereiro, só sobrou março para a venda de imóveis. Os números dos próximos meses serão diferentes, porque a demanda por imóveis está fortíssima."

 

Vice-presidente da ADEMI fala sobre mudanças na caderneta de poupança

Em entrevista ao programa Conta Corrente, da Globonews, no dia 05/05, o vice-presidente da ADEMI, Paulo Fabbriani, falou sobre as novas regras da caderneta de poupança e o desempenho da construção civil no Brasil. Segundo Fabbriani, ainda é muito cedo para falar dos reflexos da caderneta. "É provável que mesmo com essa mudança a caderneta continue muito competitiva e não acreditamos nas dificuldades de financiamento nos próximos anos", comentou o vice-presidente.

 

Empresas enfrentam escassez de trabalhadores qualificados

O Globo, 03/mai

"Está faltando atenção devida ao apagão da mão de obra. O Rio repassa por ano R$ 150 milhões para o Sistema S (Sesi, Senai), mas temos visto pouco retorno na formação de profissionais para a construção", afirma o vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbriani.

 

Mercado carioca cresceu 390% na última década

O Globo, 03/mai

"Após o boom de imóveis residenciais, que começou por volta de 2007, quando o mercado passou a lançar mais de 10 mil unidades por ano, a tendência natural era a chegada dos serviços, para suprir a necessidade de crescimento dos bairros", explica José Conde Caldas, presidente da Ademi.

 

Setor diz que faltam imóveis para atender à demanda

O Globo, Luciana Calaza e Paulo Justus, 26/abr

José Conde Caldas, presidente da Ademi, também comemora a medida, lembrando que ela estimula o investimento em imóveis para aluguel: "As pessoas que têm uma sobra de recursos, sabendo que o dinheiro hoje rende muito pouco no mercado financeiro perto do que já rendeu, partem para a compra de um imóvel."

 

João Fortes também cresce

Brasil Econômico, Rio de Negócios, 30/abr

A João Fortes Engenharia subiu dois degraus no ranking da ADEMI-RJ de unidades lançadas. Em 2010, a incorporadora estava em quinto lugar, com nove empreendimentos lançados e em 2011 subiu para o terceiro lugar.

 

João Fortes também cresce

O Dia, Rio de Negócios, 30/abr

A João Fortes Engenharia subiu dois degraus no ranking da ADEMI-RJ de unidades lançadas. Em 2010, a incorporadora estava em quinto lugar, com nove empreendimentos lançados e em 2011 subiu para o terceiro lugar.

 

Vida em comunidade

O Globo, Isabela Caban, 29/abr

Apesar de grudadas, as casas do condomínio estão seguindo o caminho da especulação e valorização do mercado imobiliário carioca. Rumores entre os moradores é que uma recente avaliação de uma casa ali chegou a R$ 15 milhões. Conselheiro da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodolpho Vasconcellos acha mesmo possível.

 

Para não virar pesadelo

Meia Hora, Flavia Lima, 19/abr

O desejo de sair do aluguel e ter a tão sonhada casa própria povoa os pensamentos de muitas pessoas. Mas que atire a primeira pedra quem nunca teve receio de entrar em um financiamento imobiliário.

 

Apresentação na Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 12/abr

Hoje, os advogados Antonio Ricardo Corrêa, Celso Barreiro e Roberto Lira e o engenheiro Marcelo Sá farão apresentações na Ademi.

 

Estruturação Imobiliária Aplicada

O Globo, Ancelmo Gois, 06/abr

O advogado Maury Rouède Bernardes abre na Ademi, quinta, 9º curso Estruturação Imobiliária Aplicada.

 

Rio compactado

O Globo, Karine Tavares, 01/abr

"Hoje, os jovens estão trabalhando, ganhando melhor e querem sua independência: eles voltaram a sair de casa mais cedo", afirma Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Chega aí, pode entrar!

Meia Hora, 22/mar

"O acesso ao bairro, através do corredor expresso, vai aumentar a oportunidade dos empreendimentos no mercado imobiliário enxergarem a região", afirmou Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio).

 

Pouca oferta entre novos

Extra, 18/mar

Se, de um lado, a procura por apartamentos de um quarto é grande, a oferta de imóveis novos desse tipo não acompanha o mesmo ritmo de crescimento. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), em 2011, só foram lançadas na cidade 255 unidades de um dormitório, contra 15.540 no total.

 

Estruturação imobiliária

O Globo, Ancelmo Gois, 18/mar

A Ademi abriu inscrição para o 9º Curso de Estruturação Imobiliária Aplicada da CM2, dias 12, 13 e 14 de abril.

 

Zona Portuária será o novo endereço do crescimento no Rio

Brasil Econômico, Erica Ribeiro, 12/mar

Na última semana, a Prefeitura do Rio, o Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha (gerido pela Caixa Econômica Federal), Previ-Rio e a Solace assinaram um Termo de Compromisso para Desenvolvimento de Projetos Imobiliários no Porto Olímpico. O documento dita as regras para a construção dos imóveis e de como eles serão aproveitados logo depois dos jogos. Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani, as unidades residenciais entre R$ 150 mil e R$ 250 mil podem estar com valores altos demais para região.

 

Especialistas descartam bolha no setor imobiliário

Valor Econômico, Karin Sato, 29/fev

Na cidade do Rio de Janeiro, o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, avalia que o custo do metro quadrado deve seguir avançando, devido à demanda crescente. "Há alguns fatores contribuindo para isso: a ocupação das favelas por forças de segurança e os eventos esportivos, a Copa do Mundo e a Olimpíada", diz.

 

Do Leme ao Pontal

O Globo, Karine Tavares, 04/mar

Um prédio com 30 apartamentos no Recreio, outro com cinco em Ipanema, o de quatro unidades na Barra e, finalmente, um de cinco unidades no Leblon. Foi tudo o que foi lançado na orla carioca nos últimos três anos, segundo dados da Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi/RJ).

 

Para não pesar no bolso

Meia Hora, 01/mar

"Se o imóvel sofreu encarecimento de 80% em dois anos, essa deflação não influencia diretamente. Mas se o inquilino é bom pagador e está sempre com as contas em dia, vale a pena iniciar o diálogo com o locatário por um reajuste mais brando", orienta o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Paulo Henrique Fabbriani.

 

Em torno do petróleo

Revista Construção Mercado - Fevereiro 2012

Demanda imobiliária provocada pela exploração do petróleo faz Norte fluminense viver boom de crescimento e transformar-se em celeiro de oportunidades para construtoras e incorporadoras

 

Comercial na frente

O Globo, Negócios & cia, 16/fev

O mercado imobiliário carioca lançou 573 unidades no mês passado. Foi alta de 36% sobre janeiro de 2011. Mês passado, 314 eram residenciais. Jacarepaguá apresentou a maior expansão: 73%. Os dados são da Ademi-RJ.

 

Arma para bom pagador negociar reajuste do aluguel

O Dia, De Olho no Seu Bolso, 28/fev

"Se o imóvel sofreu encarecimento de 80% em 2 anos, essa deflação não influencia diretamente. Mas se o inquilino é bom pagador e está sempre com as contas em dia, vale a pena iniciar o diálogo com o locatário por um reajuste mais brando", orienta o vice-presidente da Ademi-RJ, Paulo Henrique Fabbriani.

 

Em torno do petróleo

Revista Construção Mercado, Juliana Nakamura, 01/fev

"Para se ter idéia, são esperadas mais de 2 mil novas indústrias na região, que trarão novos empregos e demandas por residências e escritórios", informa Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro).

 

Estão muito bem na fita

Meia Hora, 02/fev

As cidades do entorno do Rio de Janeiro estão se destacando no mercado imobiliário. Balanço da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio) revela que, em Itaboraí, por exemplo, foram lançadas 2.620 unidades em 2011, contra 821 em 2010.

 

Um bom investimento

Extra, Raiane Nogueira, 05/fev

A garagem é um dos critérios mais importantes na hora de escolher um imóvel. Uma pesquisa feita em janeiro pelo Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio) - com 15 bairros das zonas Norte, Oeste e Sul - revelou que, no Centro, o item pode aumentar em até 23,8% o valor do metro quadrado de apartamentos com dois quartos para a venda.

 

De olho na embalagem

Extra, Raiane Nogueira, 29/jan

"Estamos na geração dos condomínios-clubes. Com a correria do dia a dia, a idéia é nos proporcionar tudo, para que tenhamos lazer sem sair de casa, com prédios conceituados e cheios de atrativos. Alguns são mais completos que hotéis", avalia o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), Rubem Vasconcelos.

 

Mercado em ritmo acelerado fora do Rio

O Dia, Cristiane Campos, 29/jan

As cidades do entorno do Rio de Janeiro estão se destacando no mercado imobiliário. Balanço da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio) revela que em itaboraí, por exemplo, foram lançadas 2.620 unidades em 2011, contra 821 de 2010.

 

Construção avança no interior do Rio

O Globo, Negócios & Cia, 17/jan

O boom imobiliário ganhou fôlego na Região Metropolitana do Rio de Janeiro no ano passado. O volume de lançamentos na área chegou a 13.089 unidades, entre comerciais e residenciais. Eqüivale a aumento de 45% sobre o total de 2010. Os dados estão em levantamento da Ademi-Rio. "A tendência é de alta para os próximos anos. As áreas centrais do estado estão muito condensadas", explica Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi.

 

Região Metropolitana do Rio registrou 45% de crescimento

Extra, 22/jan

O mercado imobiliário ganhou fôlego na Região Metropolitana em 2011. O volume de lançamentos chegou a 13.089 unidades, entre comerciais e residenciais, equivalente a uma alta de 45% sobre o total de 2010. Os dados são da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi Rio). A expansão supera a alta registrada na capital fluminense em 2011, que foi de 25%, somando 25 mil novas unidades.

 

Comperj atrai imobiliárias

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 10/jan

"A oferta está muito longe de encontrar a demanda, mas muito longe mesmo", diz o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Paulo Fabbriani. O executivo, que se especializou no desenvolvimento do mercado na região da chamada "rota do petróleo", afirma que as cidades que estão crescendo por conta de investimento no setor de petróleo estão vivendo a "promessa da infraestrutura", que seria a chegada de água encanada, transporte, esgoto e outros serviços já estabelecidos nas grandes cidades.

 

Rumo oeste

O Dia, Informe do Dia, 13/jan

Jacarepaguá foi o queridinho dos lançamentos imobiliários em 2011: 6.231 novas unidades foram licenciadas por lá. O número é 73% superior ao registrado em 2010 - 3.606. O maior crescimento foi em relação aos imóveis comerciais, que pularam de 784 em 2010 para 2.694. A pesquisa, da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio, revela a força da Zona Oeste.

 

Recreio foi o bairro que mais lançou em 2011

Jornal do Commercio, 16/jan

Zona Oeste foi o grande destaque de 2011 na área de construção. O Recreio foi o bairro que mais lançou empreendimentos. Em segundo lugar ficou Jacarepaguá, seguida por Campo Grande, informou o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado (Ademi-RJ) e diretor da Even no Rio, Cláudio Hermolin.

 

Apartamento mobiliado e equipado para o leitor

O Dia, 03/dez

"As residências tendem a valorizar por causa da Transoeste", ressaltou Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Delegado do Creci-RJ, Michel Lima prevê um crescimento de 20% na procura por imóvel no bairro.

 

Preço de aluguel residencial no Rio aumentou 21,4% no ano passado

O Globo, Daniel Haidar e Luciana Casemiro, 05/dez

Apesar dessa alta, o índice FipeZap mostra uma desaceleração no ritmo do aumento de preços. Isso porque o aluguel tinha crescido mais entre dezembro de 2009 e de 2010 (34,4%). Também houve moderação no aumento dos preços de venda, já que o metro quadrado tinha aumentado 39,6% de 2009 para 2010. Cláudio Hermolin, vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), diz que essa redução é esperada, pois o mercado já recompôs a perda de valor imposta à cidade no passado pela falta de infraestrutura, pela violência e a saída de grandes empresas do Rio.

 

Zona Norte lidera valorização

Extra, Ana Paula Viana e Raiane Nogueira, 05/jan

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel, Rubem Vasconcelos, os contratos novos estão encarecendo tanto por conta da valorização imobiliária: "Se o imóvel está valendo mais, é natural que o aluguel suba num novo contrato."

 

Aluguel sobe 21,4% no Rio

O Dia, 05/jan

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, a alta nos aluguéis do Rio acompanhou a valorização dos imóveis. Segundo ele, inquilinos de alguns bairros da Zona Sul terão dificuldades para renovar contratos.

 

Aumento das locações por temporada aquece mercado imobiliário no Rio

Jornal do Commercio, 03/dez

O mercado imobiliário do Rio registrou aquecimento no fim de 2011, apresentando aumento nas locações por temporada, no que se refere à procura, à oferta e aos preços de imóveis.

 

À espera do novo ano

Meia Hora, Flavia Lima, 29/dez

"Os municípios de Maricá e Itaboraí serão os grandes polos industriais de 2012 por causa do Comperj. E graças à construção do complexo, essas cidades vão crescer", explica Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Prêmio

O Dia, 25/dez

A Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) promoveu, no dia 12, a edição de 2011 do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário. A construtora Even, vencedora na categoria "Sustentabilidade", foi reconhecida pelo emprendimento Campo Grande Offices&Mall. projetado em extensa área verde, que tem sistema de reaproveitamento de água da chuva, sensores de presença para economizar energia e outras soluções sustentáveis.

 

Carvalho Hosken aponta para valorização do Recreio

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 13/dez

O presidente da construtora Carvalho Hosken, Carlos Fernando de Carvalho, afirmou que o Recreio dos Bandeirantes se tornará o bairro mais valorizado da Zona Oeste. Ao receber o prêmio Empresário do Ano, concedido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliários do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), na noite de ontem, ele analisou o desenvolvimento da região da Barra da Tijuca, foco de atuação de sua empresa.

 

O queridinho da vez

Meia Hora, 15/dez

O vice-presidente da Ademi e presidente da Fator Realty, Paulo Fabbriani, acredita num boom populacional em quatro anos.

 

Prêmio 2

O Globo, 18/dez

A Ademi também entregou seu Destaque 2011. Entre os projetos residenciais, foram premiados Barra Sunday, Residencial Mário César Campanella, Barra Village, Be Happy e Vogue Residencial. Campo Grande Offices & Mall, da Even, ganhou na categoria sustentabilidade na construção.

 

2011 2012

O Globo, Karine Tavares, 18/dez

O Rio vive um momento mágico, com incremento de novos negócios e o menor índice de desemprego do país. Tudo isso gera novos empregos. E num momento em que outras aplicações estão em baixa, o investimento em imóveis é uma ótima alternativa analisa Conde Caldas, presidente da Ademi/RJ.

 

Do que eles gostam

O Globo, Karine Tavares, 11/dez

No ano em que comemora seu 40° aniversário, a Ademi/RJ pediu a suas filiadas que escolhessem seu empreendimento favorito construído nos últimos 40 anos e criassem a exposição "Obra prima", mostrando sua história.

 

Comperj incentiva novas construções em Itaboraí

O Dia, Cristiane Campos, 11/dez

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) e presidente da Fator Realty, Paulo Fabbriani, projetos em Itaboraí devem ser de prédios de apartamentos.

 

Mercado imobiliário no Rio está aquecido e expansão prevista é de 25%

Valor Econômico, 09/dez

As construtoras cariocas estão vivendo um dos melhores anos de sua história. O crescimento das vendas será de 25% em 2011, diz o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) no Rio, José Conde Caldas: "O Rio de Janeiro é uma exceção, a maior parte dos empreendimentos vende pelo menos 80% no lançamento".

 

Prêmio Ademi

O Dia, 11/dez

A Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) comemora seus 40 anos com uma festa e a entrega do Destaque Ademi-Prêmio Master Imobiliário 2011, amanhã a partir das 19h, no Royal Tulip Rio, em São Conrado.

 

Vendas aquecidas em Jacarepaguá

O Dia, 11/dez

Construtoras continuam investindo em Jacarepaguá. Bairros como Pechincha e Taquara vêm recebendo vários projetos comerciais e residenciais, que buscam oferecer serviços compatíveis com os dos condomínios da Barra da Tijuca. De acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), os dois estão entre os que mais recebem lançamentos imobiliários.

 

Mercado de imóveis comerciais dispara

O Globo, Negócios & cia, 01/dez

O setor imobiliário carioca vai encerrar 2011 com aumento de 25% nas unidades lançadas, somando 25 mil. Deste total, 9.577 são comerciais. É o triplo do volume do segmento no ano passado, diz a Ademi-Rio.

 

Freguesia está em alta

O Dia, Cristiane Campos, 04/dez

Segundo o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), José Conde Caldas, o setor vai encerrar o ano com aumento de 25% nas unidades lançadas, somando 25 mil imóveis.

 

Está muito bem na fita!

Meia Hora, 08/dez

Segundo o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), José Conde Caldas, o setor vai encerrar o ano com aumento de 25% nas unidades lançadas, somando 25 mil imóveis.

 

Lançamentos residenciais

Extra, 04/dez

O número de lançamentos residenciais no Rio caiu este ano. Na capital fluminense, o volume de novas unidades passou de 16.732 em 2010, para 15.432 em 2011, representando uma queda de 8,41%, segundo dados da Ademi/RJ.

 

Bairro atrai lojas e prédios comerciais

O Dia, 04/dez

O bairro da Freguesia também concentra lançamentos de empreendimentos comerciais. De acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), a região recebeu 1.038 unidades, no período de janeiro a outubro.

 

Um Rio de cara nova

Veja, Renata Betti, 22/nov

Segundo a Ademi, a procura por apartamentos novos já supera a oferta em mais de dez vezes. Depois de décadas de marasmo, os ventos da economia sopram a favor, atraindo ao Rio mais gente e empresas que fincam base na cidade. A leva interessada no pré-sal tem firmado contratos de mais de vinte anos, contam corretores de duas das maiores imobiliárias do Rio.

 

Unidos pelo Rio

Veja Rio, 06/nov

"Cabral é o melhor governador das últimas décadas", enfatizou o presidente da ADEMI, José Conde Caldas, em discurso na abertura do evento. "De 2011 a 2013, a previsão é de que o estado receba R$ 181 bilhões em recursos públicos e privados".

 

Novas soluções construtivas em pauta

O Globo, Pelos 4 Cantos, 13/Nov

"O Brasil é o único país do mundo que ainda usa o mesmo método construtivo há 50 anos. Em Nova York, sobe-se um prédio enorme em oito meses. Até a África do Sul usa métodos mais modernos e eficientes que os nossos. É preciso investir em métodos paletizados, que usem estruturas metálicas, lajes pré-moldadas, paredes externas pré-fabricadas que já subam com revestimento externo e janela pronta.", defende José Conde Caldas, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Paz na Rocinha promete valorizar imóveis na Zona Sul

O Dia, Fernanda Alvez e Marcos Galvão, 13/Nov

A liquidez de imóveis, ou seja, a facilidade de conversão de um bem em dinheiro, também promete ser elevada. É o que pensa Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi).

 

Preço do m² quadrado continua a acelerar

O Globo online, 04/nov

O vice-presidente da Ademi, Rubem Vasconcelos, acredita na estabilização dos preços dos imóveis devido ao fato de alguns bairros já terem atingido preços altos.

 

Número de lançamentos na cidade registra aumento de 56% desde 2008

O Globo, 06/Nov

Para o presidente da Ademi-RJ, o mercado necessita de inovações construtivas, para acelerar as obras: "No ritmo em que o setor vai hoje, é imprescindível que deixemos de construir de forma tão artesanal como fazemos.", afirma Conde Caldas.

 

Cabral convoca população para protesto por royalties

Jornal do Commercio, Fernanda Martins, 25/out

O presidente da Ademi, José Conde Caldas, disse que vai mobilizar 50 mil trabalhadores da construção civil para a passeata. "Não podemos permitir essa injustiça, este absurdo, que pode lesar o Rio em bilhões. Estamos juntos, apoiando o governador", garantiu. Um protesto similar foi realizado em março do ano passado, quando milhares de pessoas foram para o Centro da cidade participar da manifestação debaixo de chuva.

 

Mais 25 mil unidades

O Dia, 30/out

O governador Sérgio Cabral foi homenageado com m almoço pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). Durante o evento, o presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, destacou o momento vivido pelo setor no Rio, com 17 mil unidades lançadas de janeiro a outubro.

 

Estruturação Imobiliária Aplicada

O Globo, Ancelmo Gois, 30/out

O advogado Maury Bernardes abre na Ademi, quinta, o 8º curso Estruturação Imobiliária Aplicada, da CM2.

 

Governo quer mudar o rendimento da poupança

O Dia, Cristiane Campos, 30/out

A mexida divide opiniões. Para a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Rio, a alteração não será bem-vinda por enfraquecer a poupança frente a fundos de renda fixa, principalmente títulos públicos - papéis que o governo vende no mercado para refinanciar a dívida pública.

 

Preço do metro quadrado dos imóveis na Zona Sul dobra e é encontrado por até R$ 50 mil

O Globo Online, 19/out

De acordo com o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), Paulo Fabbriani, a forte valorização dos imóveis localizados na orla e nas quadra próximas à praia deve-se ainda à alta demanda dos consumidores por apartamentos nesses bairros.

 

Fãs de Campo Grande

Extra Zona Oeste, Paula Coutinho, 22/out

Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a região ficou em quinto lugar no ranking de lançamentos do Rio, atrás de Jacarepaguá, Barra da Tijuca, Recreio e Del Castilho.

 

Metro na orla da Zona Sul chega a R$ 50 mil

O Globo, 20/out

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), Paulo Fabrianne, a forte valorização dos imóveis nessas áreas se deve à alta demanda: "Esses lançamentos são os últimos biscoitos do pacote. Quem quer comprar um imóvel mais perto da praia pode chegar a pagar R$ 50 mil pelo metro quadrado."

 

Infraestrutura em xeque

Extra, 09/out

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Paulo Fabbriani avalia de forma positiva as iniciativas da prefeitura: "Pelo que sei, a cidade está preparada para receber o complexo. A prefeitura e o estado estão promovendo um plano de mobilidade urbana enorme, com cerca de 300 quilômetros de vias para ligar a região metropolitana."

 

Consolidação do segundo Centro do Rio

Jornal do Commercio, 29/set

A região começará a ver a chegada de empreendimentos comerciais, afirma o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Cláudio Hermolin.

 

Valorização em marcha

Jornal do Commercio, 29/set

De acordo com o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Cláudio Hermolin, a mudança no Recreio começou a ocorrer em 2009.

 

Obras e condomínios transformam a região do Recreio dos Bandeirantes

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 29/set

O bairro encontra-se hoje em quarto lugar no ranking de lançamentos de unidades, atrás apenas de Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Campo Grande, de acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Combate à dengue chega a canteiros de obras

O Globo, 22/set

Os canteiros de obras dos prédios em construção ou em reforma na cidade deverão adotar medidas para evitar o surgimento de focos de dengue. As medidas de prevenção incluem manter a rede de drenagem limpa, para evitar o acúmulo de água parada, e tratar focos potenciais de Aedes aegypti com larvicida. Paes disse que o trabalho será feito em parceria com a Ademi.

 

Niterói passa por novo e forte ritmo de expansão

O Dia, Aline Salgado, 11/set

Em apenas três anos, foram quase 90 empreendimentos, com nove mil unidades ao todo. Este ano, até julho, mais de 4.500 unidades foram lançadas. "Desde 2007, Niterói ressurgiu com lançamentos novos e também com novas sacadas, como o Jardim Icaraí, um novo bairro, que era parte de Icaraí", explica Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Estruturação imobiliária

Extra, 11/set

Entre os dias 3 e 5 de novembro, a Ademi e a CM2-Estruturação Imobiliária promovem a 8ª edição do curso "Estruturação imobiliária aplicada". O conteúdo dará destaque para os procedimentos de prospecção de terrenos, montagem de memoriais de incorporação e de loteamento e estudos de viabilidade econômica e financeira.

 

Imóveis de alto padrão

O Globo Barra, Luiz Gustavo Schmitt, 08/ago

"O público que consome alto luxo está preferindo Jacarepaguá a Barra e Recreio porque é uma opção mais econômica. Há também muitas famílias que moravam em casas fora de condomínios e optaram por eles, para ter mais segurança", diz Cláudio Hermolin, que é vice-presidente da Ademi-RJ.

 

No lugar do fiador, seguro e capitalização

O Globo, 31/ago

Sobre a crítica de que essas garantias aumentam o custo da locação, José Conde Caldas, da Ademi, afirma que esse negócio só tende a crescer: "Conseguir um fiador é um constrangimento. Essas novas formas são mais modernas, tendem a crescer e é mais um passo do Brasil em direção ao primeiro mundo."

 

Fim do jejum

O Globo, Negócios & cia, 03/set

O bairro do Flamengo vai ganhar o 1º prédio comercial após 15 anos. O dado é da Ademi. Será o Nexus Offices, projeto da Concal para janeiro de 2013. Serão 80 salas e loja de térreo. Somam R$ 38 milhões em vendas.

 

Reajuste de aluguel supera de longe o IGP-M

O Globo, Henrique Gomes Batista, 31/ago

"Fato é que os contratos novos ou renovados estão de 15% a 20% mais caros que os contratos antigos. O dado do IGP-M de agosto é bom, pois mesmo acelerando em relação ao mês passado, está mais baixo no acumulado em 12 meses, que é o valor usado para corrigir contratos.", afirmou José Conde Caldas, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Retrofit é opção para empresas

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 26/ago

O presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, afirma que haverá um retorno de empresas que saíram do Rio em direção a São Paulo, e elas buscarão se instalar na Zona Portuária. "Essa é uma das poucas áreas que vão poder crescer."

 

Aqui, como em Paris

O Globo, Karine Tavares, 28/ago

Não à toa, o bairro é desde 2009, o que tem maior número de lançamentos na Zona Sul, informa a Ademi/RJ. Estudo feito pela Lopes Imobiliária - que inclui 90% dos lançamentos feitos no bairro de 2007 até julho último - mostra que a maior valorização do metro quadrado ocorreu nos apartamentos de três quartos: eles ficaram 94% mais caros.

 

Tijuca ainda mais cobiçada

O Dia, Cristiane Campos, 28/ago

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) revelam que, em 2010, a Tijuca recebeu 523 unidades residenciais. E só no primeiro semestre deste ano, já são 375 unidades lançadas entre residenciais e comerciais.

 

Segurança concreta em tempo de crise

O Dia, Cristiane Campos, 28/ago

De acordo com o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e diretor de Operações da Brasil Brokers, Alexandre Fonseca, as melhores oportunidades estão nos bairros onde há mais ofertas. Ele exemplifica com a Região Olímpica, na Barra.

 

Centro viverá boom de edifícios empresariais

Jornal do Commercio, Fábio Teixeira, 26/ago

Serão aproximadamente 4 milhões de metros quadrados que se abrirão para as construtoras. A área construída total de salas comerciais em toda a cidade é de 4,5 milhões de metros quadrados, indica a pesquisa da SIX Mesmo que a divisão feita para a região do porto fique em 60% de habitações residenciais e outros 40% em comerciais, como estima o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Conde Caldas, se trata de aumento expressivo no espaço para instalação de companhias.

 

Moradores buscam qualidade de vida

O Globo, Suplemento Especial, 25/ago

"Os empresários são atraídos por toda a infraestrutura que os prédios novos na Barra oferecem. No Centro do Rio e na Zona Sul não há terrenos grandes. Os prédios são antigos e não permitem muitas mudanças. Na Barra, há maior disponibilidade por terrenos e uma demanda grande por serviços.", diz José Conde Caldas, presidente da Ademi-RJ.

 

Barra sedia dois de cada dez imóveis vendidos na cidade

O Globo, Suplemento Especial, 25/ago

Pesquisa feita pela Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), entre maio e junho deste ano, revela que, de cada dez imóveis vendidos na cidade, dois foram construídos nos condomínios da Barra.

 

Imóveis em alta

O Globo, Negócios & cia, 23/ago

A venda de imóveis novos no Rio subiu 36% no 1º semestre, informa a Ademi-RJ. Ao todo, foram comercializadas 9.176 unidades. De janeiro a junho, a oferta na cidade bateu 17.675 imóveis, contra 13.688 um ano antes.

 

Bairro da Zona Norte está entre os cinco que mais receberam novas unidades em 2010

O Dia Online, 11/ago

Mais um bairro da Zona Norte é beneficiado pela expansão do mercado imobiliário no Rio de Janeiro. Trata-se de Irajá. Segundo uma pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), Irajá está entre os cinco bairros com maior quantidade de unidades lançadas na cidade no ano passado.

 

67% dos brasileiros já podem adquirir imóvel

DCI, 11/ago

O presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, acredita que em 2011 o número de lançamentos ocorridos no ano anterior deve ser facilmente ultrapassado. "No primeiro semestre de 2011 foram lançadas dez mil unidades na cidade do Rio de Janeiro. Acredito que chegaremos a mais de 25 mil novas unidades até o final do ano, somente na capital", diz.

 

Diversificada, Zona Oeste atrai todas as rendas

O Dia, 14/ago

Os bairros que concentraram a maior parte dos lançamentos no ano passado, de acordo com a Pesquisa Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), continuam a atrair investidores.

 

Pesquisa mostra bairros com mais lançamentos

O Dia, Cristiane Campos, 14/ago

Barra da Tijuca, Campo Grande, Jacarepaguá, Vila da Penha e Irajá foram os cinco bairros que concentraram 61% de toda a oferta de imóveis na Cidade do Rio ano passado. Os dados fazem parte da Pesquisa da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Mercado imobiliário vai crescer acima do PIB

Valor Econômico, Paola de Moura, 02/ago

"Isto é resultado do aumento do crédito imobiliário, que faz o mercado acelerar", explica o presidente da Ademi-RJ, Conde Caldas, acrescentando que momento como o atual só foi vivido em 1982. "O crédito voltou quando a legislação restabeleceu a fidúcia (possibilidade de retomar o imóvel caso o proprietário não pague o financiamento)", explica. Além disso, diz Caldas, há um momento de emprego, de confiança na economia, o que estimula o comprador.

 

Recreio em ritmo acelerado

O Dia, Cristiane Campos, 07/ago

O Recreio dos Bandeirantes vai receber mais de mil unidades comerciais e residenciais até dezembro. Serão apartamentos, casas, salas e lojas. De janeiro a junho, o bairro ganhou 663 imóveis, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Cinco bairros do Rio concentram a maior parte dos novos imóveis

O Dia, 06/ago

Pesquisa inédita realizada pela Ademi-RJ (Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro), entre maio e junho deste ano, traça panorama econômico do País e aponta as bases do crescimento do mercado imobiliário no Rio.

 

Crescimento recorde nos imóveis

Jornal do Commercio, Fernanda Martins, 08/ago

O presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, disse acreditar que em 2011 o número de lançamentos deve ser facilmente ultrapassado. "O Rio vai ter a democratização do espaço urbano, com lançamentos em toda a cidade, e não como acontecia no passado, com concentração apenas na Barra da Tijuca".

 

Homenagem

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 05/ago

A Ademi-RJ homenageia, nesta sexta-feira, no Jockey Club Brasileiro, o prefeito Eduardo Paes pelo projeto de revitalização da Zona Portuária.

 

Os campeões de vendas

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 24/jul

A construção civil também está em franca expansão. No ano passado foram lançadas 19 976 unidades, mais que o dobro do registrado em 2006. "Tudo o que se lança no Rio se vende, às vezes em horas", diz José Conde Caldas, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Em busca de qualidade

Extra, Fabiana Paiva, 24/jul

De acordo com Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o Rio inicia um processo de interiorização: "O estado está dando passos importantes na conquista do interior, com a construção de vias e investimento industrial em outras cidades. O mercado imobiliário está participando desse descobrimento de forma equilibrada. Esse desenvolvimento faz com que a população se desloque, buscando oportunidades de emprego e moradias que caibam na sua capacidade de pagamento."

 

Ainda na barriga, mas já com data certa para estudar

O Globo, Ediane Merola, 25/jul

Ao investir num novo prédio, a construtora, em geral, divulga as vantagens do bairro. De acordo com o presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, os empresários não tinham percebido que a falta de escolas era um ponto negativo em algumas regiões.

 

Porto Olímpico custará mais de R$ 3 bilhões

O Globo, Mariana Durão, 09/jul

Apesar do alto investimento, o mercado imobiliário vê com bons olhos o projeto do Porto Olímpico. Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) e sócio da Fator Realty, Paulo Fabbriani, não há risco de reedição dos erros da Vila do Pan. Apesar do sucesso de vendas no lançamento, em 2005, problemas de infraestrutura e com a prefeitura ainda levam moradores dos prédios que abrigaram os atletas aos tribunais.

 

Jacarepaguá passa à frente

O Globo Barra, Luiz Gustavo Schmitt, 07/jul

Para o presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, a Barra terá menos empreendimentos imobiliários, devido à escassez de terrenos e aos problemas no trânsito. Por outro lado, a oferta de crédito deve continuar a incentivar a construção em regiões populares dos arredores, como Campo Grande.

 

Novo oeste

O Dia, Informe do Dia, 11/jul

A Zona Oeste puxa o mercado imobiliário da cidade. Segundo a Ademi-RJ, dos cinco bairros com mais lançamentos em 2011, quatro ficam por lá: Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Campo Grande e Recreio. Em quinto lugar está Del Castilho.

 

Pacificação de favelas valoriza imóveis no asfalto

Veja Rio, Cecília Ritto, 28/jun

As estimativas do presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, para os próximos 36 meses são positivas: os preços dos imóveis devem subir 20% ao ano. Ainda existem na Tijuca terrenos grandes, que ficaram desocupados por muito tempo. O bairro, hoje, representa cerca de 15% dos lançamentos da cidade.

 

Endereço indefinido

O Globo - Barra, Anna Luiza Santiago, 30/jun

Segundo Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da construtora Fator Realty, o preço dos empreendimentos é naturalmente maior por conta dos serviços que oferecem: "O preço do Rio 2 é maior pelos serviços agregados e não por estar localizado naquela área que muitos consideram Barra. Dentro dele, os apartamentos voltados para o Norte têm IPTU de Curicica, pois são menos valorizados. Os que têm vista para a lagoa pagam o IPTU da Barra."

 

Crescimento vertical

Extra, Fabiana Paiva, 03/jul

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Cláudio Hermolin, as construtoras viram nos espaços disponíveis da região a oportunidade de continuar crescendo. "Não adianta as prefeituras e o estado incentivarem a ocupação imobiliária, se isso não vier acompanhado de infraestrutura. Temos o Arco Metropolitano, mas há muito a fazer", afirma Hermolin.

 

Zona Oeste cresce 150% em uma década

Jornal do Commercio, 04/jul

Quatro bairros concentraram 68,5% de todos os lançamentos de imóveis ocorridos entre 2005 e 2010: Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Recreio e Campo Grande. Os dados são da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Imóveis no Rio podem ter mais 10 anos de alta

Jornal do Commercio, 07/jul

Para Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), a tendência é de que o ciclo de escalada de preços perdure por pelo menos mais dez anos na capital fluminense, contra cinco nas demais zonas metropolitanas avaliadas.

 

No Rio, preços se guiam pelo mar

Valor Econômico, Valor Investe, 06/jul

No Rio de Janeiro, o tradicional sonho da casa própria em geral vem acompanhado de um desejo que tem contribuído, e muito, para a disparada dos preços em determinadas regiões: "Todo mundo quer morar perto das praias da zona sul, mas isso hoje é muito difícil", resume Alexandre Fonseca, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ).

 

Lagoa tem o maior aumento populacional da Zona Sul

O Globo, 02/jul

A Lagoa aparece no Censo 2010 como o bairro da Zona Sul com o maior aumento populacional: nada menos do que 13,51%, passando de 18.675 para 21.198 moradores em dez anos. Mais do que Catete (10,74%) e Botafogo (5,92%). Para Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Ademi, o crescimento da Lagoa reflete a expansão imobiliária voltada para a classe média alta.

 

A nova periferia emergente

O Globo, Selma Schmidt e Waleska Borges, 02/jul

Em dez anos, a população e as quitinetes explodiram. O fenômeno ocorreu com outros bairros na periferia da Barra e vizinhos das principais instalações dos Jogos de 2016. Novos dados do Censo 2010, divulgados ontem pelo IBGE. Depois, vêm outros emergentes: Vargem Pequena e Recreio, onde a população dobrou, seguidos de Itanhangá (mais 76,11%), Sepetiba (57,63%), Jacarepaguá (56,04%) e Vargem Grande (50,86%). A Barra foi empurrada para oitavo lugar, o que, segundo Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Ademi, reflete a expansão da favelização na região.

 

Rio: favela e zona oeste crescem, zona sul perde gente

O Estado de São Paulo, Bruno Boghossian, Luciana Nunes Leal, Felipe Werneck e Daniel Lima, 02/jul

Quatro bairros concentraram 68,5% de todos os lançamentos de imóveis ocorridos entre 2005 e 2010: Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Recreio e Campo Grande. Os dados são da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Barra se consolida como alvo de investimentos imobiliários

O Globo online, 21/jun

No dia 2 de outubro de 2009, em evento em Copenhague, era anunciada a vitória do Rio como cidade-sede das Olimpíadas de 2016, para a alegria dos cariocas. A região que mais comemorava, no entanto, era a Barra da Tijuca. Terreno fértil para investimentos imobiliários, a expectativa de que este segmento do mercado crescesse ainda mais nesta área e em bairros vizinhos, como Recreio e Jacarepaguá, era grande. Com a chegada de novos meios de locomoção, os compradores já não têm tanta rejeição a locais mais distantes, por exemplo, da Avenida das Américas. Muito da expansão é fruto do investimento que a Barra vem recebendo - completa Claudio Hermolin, vice-presidente da Ademi.

 

Contando os dias para a UPP

O Globo, Selma Schmidt e Ediane Merola, 26/jun

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Ruben Vasconcelos, confirma os benefícios da chegada de uma UPP: "Na Tijuca, o metro quadrado era vendido a R$ 1.800 e, hoje, bateu os R$ 6 mil".

 

Moradores de outros estados voltam a investir em imóveis no Rio

O Globo online, Felipe Sil, 18/jun

Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi, garante que o sentimento de maior segurança tem atraído, novamente, moradores de outros estados. O Rio só teria perdido o seu encanto nos últimos anos devido às frequentes notícias de violência e criminalidade que assolavam diariamente a cidade.

 

A PPP do urbanismo

O Globo, Negócios & Cia, 17/jun

A Ademi-RJ quer aproximar empresas do mercado imobiliário e governo, para estimular a execução, em parceria, de projetos na área de desenvolvimento urbano. O primeiro passo nessa direção será a realização, em conjunto com o Banco do Brasil, da 1ª edição do "Fórum desenvolvimento do estado - O legado social", afirma Paulo Fabbriani, vice-presidente da entidade carioca.

 

Paisagens cariocas agora sob novos ângulos

O Globo, Laura Antunes, 12/jun

De acordo com o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), José Conde Caldas, também presidente da Concal construtora, São Cristóvão é uma das áreas da cidade mais cobiçadas atualmente pelos empreendedores.

 

BB quer financiar compra de imóvel desde a construção

Valor Econômico, Paola Moura, 09/jun

O Banco do Brasil passará a financiar imóveis na planta para a pessoa física desde a construção. "Como o mercado está aquecido, precisamos de mais crédito para financiar as obras e também gerar mais empregos", afirma o presidente da Ademi e da Concal, José Conde Caldas.

 

O mapa do crescimento do Rio de Janeiro

Veja Rio, 1/jun

Em 2010, foram lançados aproximadamente 30 mil novos imóveis na região metropolitana do Rio de Janeiro, com valor geral de vendas alcançando a cifra recorde de R$ 6,6 bilhões. Bairros como Botafogo, Campo Grande, Vila da Penha, Del Castilho, Irajá, Méier, Recreio, Tijuca, Vargem Grande, Barra e Jacarepaguá, entre diversos outros, em todas as regiões da cidade, receberam novas opções de moradia e de prédios comerciais. Este quadro, que mostra de forma inequívoca o excelente momento pelo qual passa a indústria imobiliária, e, porque não dizer, o Rio de Janeiro como um todo, foi gerado a partir dos dados coletados pela Pesquisa ADEMI do Mercado Imobiliário.

 

Valorização dos imóveis não para de crescer no Rio

O Dia, Cristiane Campos e Max Leone, 05/jun

A onda de valorização dos imóveis residenciais e comerciais no Rio não para de crescer. Nos últimos nove anos, casas e apartamentos localizados em regiões que viveram períodos sem investimentos, como Tijuca, Centro e São Cristóvão, tiveram alta de preços de 400%.

 

Novas vias expressas que aproximam o Rio

O Dia, Cristina Nascimento, 05/jun

Melhorias que já refletem no setor de venda e aluguel de imóveis. A região que vai receber a Transoeste, por exemplo, tem previsão de crescimento, segundo a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi- RJ), de 30% por ano em lançamento de unidades habitacionais. "Tínhamos uma rejeição na Zona Oeste por causa do transporte. O corredor na região já impacta no aumento da procura", revela o vice-presidente da Ademi, Cláudio Hermolin.

 

Centro dos investimentos

O Dia, 05/jun

Pelo menos cinco complexos de salas comerciais serão entregues até junho de 2012 no Centro. "Muitas empresas foram para a Barra em busca de espaço. Agora, o Centro volta a trair empresários. A Petrobras, por exemplo, está locando os espaços que encontra", explica o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mecado Imobiliário (Ademi), Conde Caldas.

 

Construção civil e petróleo: em alta

O Dia, 25/mai

A indústria da construção civil, ao lado da de petróleo e gás e da indústria naval, está entre as que respondem pelos números de desenvolvimento econômico do estado. Cláudio Hermolin, vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes e Empresas do Mercado Imobiliário), avalia que o alinhamento entre as três esferas governamentais, os megaeventos previstos, as descobertas na camada de pré-sal e os investimentos em segurança pública são fatores decisivos para a indústria crescer e consolidar este crescimento.

 

Estandes devem mostrar imóveis não decorados

O Globo, 29/mai

Presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), José Conde Caldas alega que não cabe ao legislativo estadual regular o tema, já que a lei 4.591/1964 obriga construtoras e incorporadoras a registrarem em cartório um memorial da obra, com todas as suas especificações técnicas, além das plantas aprovadas.

 

CBIC

O Globo, Negócios & cia, 28/mai

José Conde Caldas, presidente da Ademi-RJ, foi eleito ontem para uma das vice-presidências da CBIC.

 

Imóveis em expansão

PubliMetro Rio, 20/mai

"O Rio de Janeiro será a capital do Brasil nos próximos anos e é preciso expandir para outros locais", diz o presidente Paulo Fabbriani, também vice-presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Centro do Rio volta a conquistar moradores

O Globo, Vinícius Lisboa, 22/mai

A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) contabiliza 946 novas unidades habitacionais inauguradas entre 2005 e 2010 no Centro e 1.547 em São Cristóvão.

 

Expansão passa pela Barra

Extra, Maria Clara Serra, 22/mai

"O Rio está crescendo, e é preciso lembrar que os terrenos são finitos. Na Zona Sul, já não há mais onde construir e, na Zona Norte, o espaço também vai acabar. A cidade tende a se expandir para a Zona Oeste", afirma Paulo Fabriani, vice-presidente da Ademi e presidente da Fator Realty.

 

Sinal verde para revitalização da Avenida Brasil

O Globo, Isabela Bastos, 16/mai

A proposta de legislação foi bem recebida por Rogério Chor, da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi). Segundo ele, a região tem potencial para concentrar empreendimentos imobiliários de até R$ 140 mil, construídos dentro do programa federal Minha Casa Minha Vida.

 

Curso

O Globo, Ancelmo Góis, 12/mai

David Cardeman, a convite da CM2, falará hoje no curso Estruturação Imobiliária Aplicada, na Ademi.

 

Abastecimento mais eficaz

O Globo, Amanda Moura, 12/mai

Orçadas em cerca de R$10 milhões, as instalações do Centro Operacional foram viabilizadas através de um Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Cedae e a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Rio: opções para bons negócios

Jornal do Commercio, Fernanda Martins, 26/abr

Apesar de a demanda por imóveis comerciais ainda ser dominada pela Zona Oeste, principalmente pela Barra da Tijuca, cidade tem projetos de grande porte em andamento no Centro e nas Zonas Portuárias e Norte. Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas atribui a procura pela Barra principalmente às exigência de alto padrão, qualidade, tecnologia e segurança das multinacionais que procuram o Rio para se instalar.

 

Rio se transforma na capital dos novos imóveis comerciais

O Globo, Especial Imóveis Comerciais, 28/abr

De acordo com a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), foram vendidas cerca de 19.976 unidades no ano passado, 39% a mais do que as 14.413 de 2009. Do total, 3.245 foram imóveis comerciais, segmento que teve valorização de 53%.

 

A modernização da região central

O Globo, Especial Imóveis Comerciais, 28/abr

Na opinião do presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), José Conde Caldas, em 2003 havia taxa de vacância de 15% a 25% para imóveis comerciais no Centro, mas "em prédios ruins, degradados, oferecidos praticamente a preços de custos, ou seja, cerca de R$ 3 mil o metro quadrado".

 

A bola da vez já tem nome

O Globo Barra, Flávio Dilascio, 05/mai

Bairro antes conhecido por sua atmosfera interiorana, Jacarepaguá vem mudando, aos poucos, de configuração. Só nos dois últimos anos, foram lançadas 6.168 unidades do gênero, segundo dados da Ademi-RJ. Para o vice-presidente da entidade, Cláudio Hermolin, Jacarepaguá estava defasado em relação ao restante da cidade até 2006, quando houve a mudança do PEU.

 

Estruturação Imobiliária Aplicada

O Globo, Ancelmo Gois, 08/mai

O advogado Maury Rouède Bernardes abre quinta, na Ademi, a 7ª edição do curso Estruturação Imobiliária Aplicada, da CM2.

 

O conforto de trabalhar perto de casa

O Globo, Especial Imóveis comerciais, 28/abr

"O topo de linha dos lançamentos comerciais é Campo Grande, a Avenida Abelardo Bueno e as proximidades do Autódromo, mas o retorno de grandes empresas e dos investimentos estatais e privados em transporte, refino do petróleo do pré-sal, no Comperj, na Copa e nas Olimpíadas está ampliando a ocupação residencial e, em consequência, atraindo os empreendimentos comerciais de bairro em vários lugares", afirma Hermolin, também vice-presidente da Ademi.

 

Número de novos imóveis de 1 quarto cresce 525% no Rio

Folha de São Paulo, Cirilo Junior, 01/mai

"Tudo está mais caro, especialmente no Rio. As pessoas procuram imóveis de acordo com as suas necessidades de espaço e financeiras também", afirma o vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbriani.

 

O 'boom' da Baixada

O Globo Baixada, Fernanda Thurler, 30/abr

A Baixada Fluminense vive um momento de crescimento imobiliário. É comum andar pelas ruas dos municípios e ver grandes empreendimentos em construção. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio, em 2010 foram lançadas 2.997 unidades habitacionais na região, 16% a mais do que em 2009. Esses números, segundo Cláudio Hermolin, vice-presidente da Ademi, são os mais expressivos na história da região.

 

Rocinha e Maré crescem mais que cidade

O Globo, Cláudio Motta e Selma Schmidt, 30/abr

Para Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi Rio), a expansão de Jacarepaguá, Barra e Guaratiba, cujo crescimento foi de 21,65%, mostra que uma demanda reprimida: "A Copa e os Jogos Olímpicos vão impulsionar o crescimento da região. O desafio é melhorar a mobilidade".

 

Os novos ambientes de trabalho

O Globo, Especial Imóveis Comerciais, 28/abr

Exemplo de empreendimento que agrega edifícios comerciais e espaços inéditos de convivência é o Brookfield Place Worldwide Offices, na Barra. Ele foi até destaque no Master Imobiliário 2010 da Ademi-RJ, na categoria melhor projeto de prédio comercial de grande porte. O ambiente batizado de Mall Mediterranée, uma área aberta com 3.200 metros quadrados, com jardins e espelhos d'água abrigará no futuro um mix de 20 lojas.

 

Cresce cada vez mais

Meia Hora, 28/abr

De olho em Campo Grande, construtoras oferecem imóveis com entrada de 10% facilitada em até três vezes. São mais de mil imóveis, no bairro da Zona Oeste, e o prazo de pagamento chega a 30 anos. A maioria das unidades, entre casas e apartamentos, e com preços a partir de R$ 76 mil, se enquadra no programa habitacional do governo federal, o 'Minha Casa, Minha Vida'.

 

Petróleo e siderurgia esquentam vendas

O Globo, Especial Imóveis Comerciais, 28/abr

O presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, cita alguns projetos que terão impacto direto no mercado imobiliário. Entre eles, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, que prevê a geração de mais de 200 mil empregos e deve entrar em operação em 2014. Ou a Companhia Siderúrgia do Atlântico (CSA), parceria da Vale com a alemã ThyssenKrupp, que começou a operar em junho do ano passado na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

Zona Norte cresce e se valoriza

O Globo, Especial Imóveis Comerciais, 28/abr

De apenas 18 unidades residenciais lançadas em 2006, ganhou 523 no ano passado, segundo dados da Ademi-RJ. De apenas 18 unidades residenciais lançadas em 2006, ganhou 523 no ano passado, segundo dados da Ademi-RJ.

 

Valorização...

O Globo, Controle Remoto, 27/abr

Por causa de "Insensato coração", aumentou a procura por imóveis no Horto, onde o metro quadrado está valendo R$11 mil. "Este frisson costuma durar o tempo da novela", diz Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Ademi. Segundo ele, foi assim com Búzios (em "Viver a vida").

 

Campo Grande também ganha prédios comerciais

O Dia, 24/abr

De acordo com a Ademi, foram lançadas 3.671 unidades ano passado, sendo 3.479 residenciais e 192 comerciais, contra as 2.689 unidades de 2009. Campo Grande parece um grande canteiro de obras e os outdoors com propagandas ficam lado a lado. A dica é pesquisar e verificar qual imóvel se encaixa no orçamento.

 

Mais de mil imóveis a partir de R$ 76 mil na Zona Oeste

O Dia, Cristiane Campos, 23/abr

De acordo com a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), foram lançadas 3.671 unidades ano passado, sendo 3.479 residenciais e 192 comerciais, contra as 2.689 unidades de 2009. Campo Grande parece um grande canteiro de obras e os outdoors com propagandas ficam lado a lado. A dica é pesquisar e verificar qual imóvel se encaixa no orçamento.

 

Pronta para novos desafios

A ADEMI chega aos 40 anos de atividade com fôlego renovado. Em dupla comemoração no Copacabana Palace, no último dia 4 - que contou com a presença do governador em exercício, Luiz Fernando Pezão, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes, entre outras autoridades - foram lembradas as realizações do passado com projeção de grandes ações para o futuro. Para enfrentar com conhecimento de causa os novos desafios, volta à cena um veterano de boas brigas: o arquiteto e urbanista José Conde Caldas, que assume pela terceira vez a presidência da entidade.

 

Mercado bate um bolão

O Globo, Karine Tavares, 17/abr

Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), diz que a perspectiva para os próximos cinco anos é de valorização, mas de forma um pouco mais lenta. "Quando você tem uma área valorizada e já totalmente construída, os preços não param. Mas como ali ainda há muita oferta de terrenos, a valorização tende a acontecer de forma mais gradual".

 

ADEMI faz 40 anos e tem nova diretoria

Revista Real, Editoria, 18/abr

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro comemorou 40 anos no dia 4 de abril e deu posse à nova diretoria, presidida pelo arquiteto e urbanista José Conde Caldas, eleita para o biênio 2011-2013. Com a presença do governador em exercício do Rio, Luiz Fernando Pezão e do prefeito Eduardo Paes, a sessão solene aconteceu no Hotel Copacabana Palace.

 

Vilas modernizadas

Extra Online, 17/abr

De acordo com um levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a cidade ganhou 176 casas em 2008. No ano seguinte, o número quintuplicou, com o lançamento de 911 - patamar de crescimento mantido em 2010, com 986 unidades.

 

Saudosismo disputado

Extra, Maria Clara Serra, 17/abr

A novidade foi adotada pelo programa "Minha casa, minha vida". Desde sua criação, em 2009, os cariocas vêm redescobrindo o prazer de morar com o vizinho no quintal ao lado. De acordo com um levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a cidade ganhou 176 casas em 2008.

 

Errata

O Globo, 17/abr

Diferentemente do publicado na semana passada, na entrevista com José Conde Caldas, novo presidente da Ademi-RJ, o percentual arrecadado pelo setor de construção civil que segue para o Senai é 1,5% (e não 0.5%) e há dois mil profissionais da construção sendo capacitados apenas no Estado do Rio e não em todo o Brasil.

 

Prêmio

O Globo, Gente Boa, 12/abr

Mauro Magalhães recebeu prêmio da ADEMI.

 

'Fazemos o que se fazia há 100 anos'

O Globo, Karine Tavares, 10/abr

Empossado na semana passada para sua segunda gestão na presidência da Ademi-RJ - a primeira foi entre 1999 e 2001 - , o empresário José Conde Caldas chegou fazendo barulho. Pai de três filhos, todos atuando no setor, o empresário de 68 anos diz que vai lutar pela implementação de um modelo construtivo brasileiro, que permita que prédios residenciais sejam erguidos em 12 meses e não mais em 30, como atualmente.

 

Nova gestão na Ademi

O Dia, 10/abr

A Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) comemorou 40 anos em 4 de abril, no Hotel Copacabana Palace. No evento, também foi dada a posse ao novo presidente da entidade, José Conde Caldas, que assume pela segunda vez o cargo.

 

Jacarepaguá disputado por construtoras e compradores

O Dia, Cristiane Campos, 10/abr

Jacarepaguá foi uma das regiões que mais receberam lançamentos imobiliários ano passado. Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), foram 3.479 unidades, contra 2.611 imóveis comerciais e residenciais em 2009.

 

Recrutamento

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 07/abr

Recém-empossado na presidência da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, da Concal, pretende mobilizar o setor a pleitear, junto à Firjan, a elevação dos recursos destinados a treinamento de mão-de-obra pelo Senai.

 

Escassez

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 07/abr

Contrariando estudo divulgado recentemente pela FGV, segundo o qual a média salarial de R$ 900 está desestimulando os jovens a procurarem empregos na construção civil, Conde destaca que atualmente os salários estão na faixa dos R$ 1.500.

 

Ademi 40 anos

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 04/abr

A Ademi, Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, que completa 40 anos em 2011, acaba de eleger seu novo presidente. O empresário José Conde Caldas toma posse no cargo hoje, nos salões do Copacabana Palace.

 

Em 10 anos, apartamentos em Ipanema tiveram valorização de 600%

IG, Anderson Dezan, 31/mar

"Com a facilidade ao crédito, o leque de compradores foi ampliado. Antigamente, o imóvel era financiado pela construtora em um prazo curto com uma cobrança de juros desde o início da compra. Hoje, o comprador paga juros só depois que recebe o imóvel. Em paralelo, a abertura de linhas de crédito nos bancos criou prazos longos de financiamento com taxas mais atrativas", diz o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Claudio Hermolin.

 

Posse

O Globo, Ancelmo Gois, 03/abr

José Conde Caldas assume amanhã a presidência da Ademi.

 

Construção vai brigar por verba de treinamento

O Globo, Negócios & Cia, 01/abr

A volta de José Conde Caldas, da Concal, à presidência da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário no Rio (Ademi-Rio) promete agitação. Uma das bandeiras do empresário, que toma posse segunda-feira, é conseguir mais recursos para treinamento de mão de obra na construção civil. É um dos maiores gargalos do setor, que não consegue contratar o número que gostaria.

 

Spa e lazer a partir de R$ 158 mil na Rua Retiro dos Artistas

O Dia, 27/mar

O bairro de Jacarepaguá continua atraindo construtoras que investem na região, uma das que mais tem recebido lançamentos imobiliários no Rio. De janeiro a dezembro do ano passado, o bairro recebeu 3.479 unidades, sendo 2.810 residenciais e 669 comerciais. Os dados fazem parte da Pesquisa Ademi.

 

Cedae terá centro de controle de abastecimento de água ao custo de R$ 10 milhões

Portal R7, 31/mar

Orçadas em R$ 10 milhões, as instalações foram viabilizadas por meio de um termo de cooperação técnica entre a Cedae e a Ademi (Associação de Empresas do Mercado Imobiliário). O projeto vai beneficiar cerca de 700 mil habitantes num raio de 300 km².

 

Em 90 dias, Cedae terá centro de controle geral

Jornal do Commercio online, 01/abr

Com a automação, as operações passarão a ser programadas por um software, que permite a manipulação das válvulas. Orçadas em R$ 10 milhões, as instalações foram viabilizadas através de um Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Cedae e a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Cedae terá Centro Geral de Controle de Abastecimento de Água

Jornal do Brasil, 31/mar

Orçadas em R$ 10 milhões, as instalações foram viabilizadas através de um Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Cedae e a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Inicialmente, 30 pontos de abastecimento serão acompanhados em tempo real, mas a previsão é que outros 20 sejam incluídos. O projeto vai beneficiar cerca de 700 mil habitantes num raio de 300 km².

 

José Conde Caldas assume o comando da associação de empresas do mercado imobiliário

IG, Guilherme Barros, 31/mar

O empresário José Conde Caldas assume a presidência da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi Rio) pela segunda vez. Presidente da Concal Construtora, Caldas será empossado no próximo dia 4, em evento no Copacabana Palace que também comemora os 40 anos da entidade.

 

Alta imobiliária chega até 150% na zona sul

Valor Econômico, 31/mar

O resultado imediato da virada que o Rio atravessa é a valorização dos imóveis e o início de um boom imobiliário. Segundo Rubens Vasconcelos, vice-presidente da Ademi e presidente da Patrimóvel, líder em vendas de imóveis da cidade, em três anos houve uma valorização de 100%.

 

Preços nas alturas

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 30/mar

"Pequenas acomodações vão ocorrer, com estabilização em algumas vizinhanças, mas a tendência é que o aumento continue em espaços que estavam defasados", acredita Rogério Chor, diretor executivo da construtora CHL/PDG e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Cooperação

O Globo, Ancelmo Gois, 29/mar

As instalações do Centro de Controle Operacional de Abastecimento de Água da Barra, do Recreio e de Jacarepaguá foram viabilizadas pelo Termo de Cooperação Técnica firmado entre Cedae e Ademi.

 

Cobrança ilegal, mas recorrente

O Globo, Flávia Monteiro, 27/mar

O presidente da Concal Construtora, José Conde Caldas, que em abril toma posse como presidente da Ademi, também informa que, se o comprador não pôde se mudar para o imóvel por culpa da construtora, não deve pagar a taxa.

 

Controle remoto

O Globo, Negócios & Cia, 23/mar

A Cedae inaugura 4ª que vem, em Jacarepaguá, o centro de controle operacional de águas. Investimento de R$10 milhões, em parceria com a Ademi, cuidará remotamente do abastecimento de toda a Barra e arredores.

 

Água: prédios novos vão ter medidores individuais

O Globo, Fernanda Baldioti e Ludmilla de Lima, 22/mar

O vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Claudio Hermolin, estima que 80% dos empreendimentos erguidos nos últimos oito anos estejam prontos para os equipamentos.

 

Procuram-se imóveis menores

O Fluminense, Ricardo Rigel, 20/mar

O mercado habitacional fluminense está ganhando ares do modelo europeu. Com a diminuição das famílias, o aumento dos divórcios e a chegada de novas multinacionais à região, está mudando o comportamento do comprador de imóveis. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) do Rio de Janeiro, os imóveis de um e dois quartos, lançados no Rio, representaram 68% do total.

 

Corte não afeta programa

Extra, Maria Clara Serra, 20/mar

Para o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Claudio Hermolin, o importante é que a renda acompanhe a atualização do valor do imóvel - que subiu de R$130 mil para R$170 mil - para que o programa continue a crescer.

 

Mais de 60 mil apartamentos superam a barreira de R$ 1 milhão em um ano

R7, Monique Cardone e Sérgio Vieira, 02/mar

O vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, acredita que o aumento da renda do trabalhador facilitou a aquisição da casa própria nas camadas mais baixas. "Houve um aumento muito grande da classe C e D, isso trouxe mais pessoas dispostas a adquirir o primeiro imóvel, aqueles que pagavam aluguel estão em busca do primeiro ou ainda, tem quem aumenta a família e quer um imóvel mais amplo", diz.

 

A escolha é toda sua

Meia Hora, 10/mar

"Os bancos que financiaram a obra criam dificuldades porque não querem perder o mutuário final", explica Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e diretor da Domus (companhia hipotecária).

 

Crescimento da economia brasileira reflete no preço dos imóveis no país

Globo News - Programa Conta Corrente, 12/mar

O presidente da Ademi, Rogério Chor, falou no programa Conta Corrente, da Globo News, sobre como o crescimento acelerado da economia brasileira nos últimos anos tem afetado diretamente o mercado imobiliário do país. Foram discutidos alguns dos principais efeitos desta mudança, como a saturação do setor e a alta no preço dos imóveis. Confira o programa na íntegra.

 

Rio tem alta de 95% no preço do metro quadrado, SP de 79%

Brasil Econômico, Daniel Haidar, 24/fev

O presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio e presidente da CHL, Rogério Chor, diz que os preços devem se estabilizar em breve, mas não arrisca datas. "O Rio ficou durante muitos anos adormecido e de repente se criou um clima muito favorável", diz Chor.

 

30 anos em 5

O Globo Barra, Anna Luiza Santiago, 24/fev

Quarenta e dois anos depois de o arquiteto Lucio Costa idealizar a construção do "verdadeiro coração da Guanabara", na Barra, o projeto começa a tomar forma, com muitas mudanças e objetivos diferentes dos iniciais. Cercado pelas avenidas Embaixador Abelardo Bueno e Ayrton Senna, pela Estrada dos Bandeirantes e pela Avenida Arroio Pavuna, o local tem pela frente pelo menos mais dez anos de obras, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio. Segundo Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi, a expectativa é de que o entorno fique valorizado.

 

Mutuário pode escolher a melhor taxa de juros

O Dia, Cristiane Campos, 27/fev

O mutuário que compra imóvel na planta não é obrigado a financiar o saldo devedor com o mesmo banco que financiou a obra. Os compradores têm o direito de escolher outra instituição financeira que oferece taxa de juros mais em conta, quando o imóvel estiver pronto e com habite-se. Essa prática é comum no mercado e não há impedimento legal, segundo o conselheiro da Ademi e diretor da Domus, Rodolpho Vasconcellos.

 

Conde Caldas é eleito novo presidente da Ademi-Rio

O Globo, Luciana Calaza, 27/fev

O patriarca José Conde Caldas, dono da Concal Construtora, será o novo presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio). Arquiteto, José Conde Caldas fundou a Concal em 1971.

 

Expansão do Nordeste atrai investidores

Brasil Econômico, Daniel Haidar, 24/fev

De acordo com levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi)do Rio de Janeiro e da Bahia, foram lançadas 15.957 unidades residenciais e comerciais no ano passado na capital fluminense e 14.619 unidades na capital baiana.

 

Conde Caldas será o novo presidente da Ademi-Rio

O Globo online, 23/fev

O patriarca da Concal Construtora, José Conde Caldas, será o novo presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio). Será a terceira vez que Conde Caldas assume o posto. O primeiro mandato foi em 1984, quando era vice-presidente de Mauro Magalhães, que pediu licenciamento.

 

Cabral oferece palacete no Rio para abrigar instituto de Lula

Folha de São Paulo, Gabriela Canseco e Cristina Grillo, 18/fev

O governador do Rio, Sérgio Cabral, sugeriu ao ex-presidente Lula que a sede do futuro instituto dele na cidade seja no palacete Linneo de Paula Machado, em Botafogo. Avaliação feita pela Ademi-RJ calcula que, se fosse possível construir ali, o imóvel valeria entre R$ 60 milhões e R$ 64 milhões.

 

IPCA confirma disparidade entre a inflação ao consumidor e o índice que reajusta a maioria dos aluguéis

O Globo online, 10/fev

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de janeiro, divulgado nesta quarta-feira pelo IBGE, ratifica a disparidade entre a inflação ao consumidor e o IGP-M, índice que reajusta a maioria dos contratos de locação. Para Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi e diretor da Domus, o que causa o aumento do aluguel não é o IGP-M, mas o aquecimento do mercado de locação.

 

Santa Teresa espera valorização de imóveis

O Globo, Carla Rocha, 09/fev

Santa Teresa se prepara para experimentar uma valorização imobiliária de cerca de 30% nos próximos três meses. A projeção é do vice-presidente da Ademi (Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário), Rubem Vasconcellos, prevendo para um futuro próximo um boom semelhante ao experimentado pela Tijuca após a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora.

 

Novo limite para o valor de imóvel em programa popular

O Dia, Michel Alecrim, 03/fev

O vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-Rio), Claudio Hermolin, elogiou a medida e avaliou que a elevação do teto vai destravar o programa. Segundo ele, o número de lançamentos pode aumentar 40% em relação a 2010.

 

Orgulho de ser tijucano

Veja Rio, Patrick Moraes, 31/jan

De acordo com corretores e construtores, o bom momento da Tijuca corrige uma disparidade. Ali, até os anos 80, o preço de um apartamento era comparável com o de um similar em Botafogo. "Havia uma pequena diferença, em torno de 15%. Depois dos episódios de violência, chegou a custar a metade. Hoje, encontra-se 25% abaixo, mas com potencial de valorização", afirma Rogério Chor, presidente da Ademi e da construtora CHL.

 

Perspectivas melhores do que nunca

Extra, 30/jan

Desde 2007, o mercado carioca só tem motivos para comemorar. De acordo com dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos quatro anos, a média anual de lançamentos na cidade foi de aproximadamente 13.779 unidades.

 

Construtoras vão doar 2.000 casas na região serrana

Folha de São Paulo, 25/jan

Dez construtoras que atuam no Rio se reuniram com o governo do Estado e fecharam acordo para doar 2.000 moradias populares nos municípios da região serrana afetados pelas chuvas. Segundo Rogério Chor, presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a presidente Dilma virá ao Rio na quinta fechar a parceria.

 

A velha menina dos olhos

Extra, Maria Clara Serra, 23/jan

O ano de 2011 começou com promessas de lançamentos e valorização imobiliária em todo o Rio. Até o Centro da cidade, que vem se livrando do abandono a cada ano, é apontado por especialistas como uma das regiões mais promissoras. Como os lançamentos na área não são muitos - segundo a Ademi, foram lançados 80 unidades em 2010 - e a demanda aumenta em grandes proporções, é normal que os preços subam.

 

Campeão de vendas

O Globo Zona Oeste, Camila Freitas, 15/jan

Segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Campo Grande ultrapassou a Barra e se tornou, nos dois últimos anos, líder no número de lançamentos de unidades residenciais. Somente em 2010, o bairro ganhou quase três mil casas e apartamentos. Em 2009, foram construídos 2.419. De acordo com o vice-presidente da Ademi, Claudio Hermolin, o boom imobiliário de Campo Grande atende à demanda reprimida de imóveis.

 

Um segmento em franca expansão

Revista Stand, dez/2010

De acordo com a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi Rio), nos oito primeiros meses do ano houve um crescimento de 69,4% do número de imóveis novos vendidos, no comparativo com o mesmo período de 2009. Ainda de acordo com a entidade, até novembro de 2010, foram lançados 13.732 imóveis novos na cidade do Rio de Janeiro.

 

Cidade aposta em prédios sustentáveis

O Globo, Cláudio Motta, 02/jan

O Green Building Council estabeleceu os padrões para o Hospital das Américas - da construtora Fator Towers e da incorporadora Fator Realty - que está sendo erguido atrás da Subprefeitura da Barra. Com um investimento de R$300 milhões, a unidade será inaugurada em 2011. O projeto ganhou o prêmio Destaque Ademi 2010, na categoria Sustentabilidade na Construção.

 

A todo vapor

O Globo, Flávia Monteiro, 02/jan

A previsão da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio) estima que o número de lançamentos no estado tenha crescido 25% em 2010. Uma alta puxada, principalmente, pela classe de renda baixa, por imóveis de até R$150 mil, informa seu presidente, Rogério Chor.

 

Especialistas apostam num 2011 de crescimento

Meia Hora, 30/dez

"As pessoas evitavam morar em regiões como Vargem Grande e Vargem Pequena em função da falta de infraestrutura do local. O transporte era difícil, a pavimentação precária e até mesmo a segurança. Agora, com os investimentos que serão feitos em função da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016, esses bairros vão crescer", analisa o vice-presidente da Ademi, Cláudio Hermolin.

 

Retomada dos imóveis de luxo no Rio de Janeiro

Vida Imobiliária, 01/out

Com o boom de lançamentos populares, impulsionado pelo programa Minha Casa, Minha Vida, os imóveis de 4 quartos sofreram forte retração no mercado imobiliário no ano passado. Segundo dados da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), das 10.763 unidades residenciais lançadas na capital em 2009, apenas 334 tinham 4 dormitórios.

 

Zona Norte: a queridinha dos cariocas

Extra, 19/dez

Não foi somente a cara do Rio que mudou ao longo de 2010, com o lançamento de 13.732 novas unidades até 26 de novembro, segundo a Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). De acordo com dados da Rede Rio, portal de oferta de imóveis do Sindicato da Habitação (Secovi Rio), o carioca também mudou o foco de locais para compra e locação.

 

Exemplos a serem seguidos

Extra, Maria Clara Serra, 12/dez

A primeira região a se beneficiar com o Projeto de Estruturação Urbana (PEU) foi São Cristóvão. A dificuldade de construção na região era tamanha que, entre 1985 e 2005, o bairro não recebeu sequer um lançamento. Depois da aprovação do PEU, em 2005, a região ganhou 1.779 novas unidades até 26 de novembro deste ano, segundo dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Valorização que vem das leis

Extra, Maria Clara Serra, 12/dez

Para se ter uma ideia da importância do PEU, Vargem Grande não recebia nenhum lançamento desde 2005, segundo dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Este mês, a previsão é que o bairro receba 1.167 novas unidades.

 

A qualidade de vida nas grandes cidades

Jornal do Commercio, Elza Soares, 10/dez

Até novembro deste ano, 13.732 prédios foram construídos na cidade do Rio de Janeiro, e a maioria (12.260) é residencial, segundo pesquisa realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Trinca de ouro

Anna Ramalho, 03/dez

Os 'Rogérios' da Construção Civil no Rio de Janeiro, Rogério Zylbersztajn, vice-presidente da RJZ Cyrela, e Rogério Chor, presidente da Ademi e da CHL, foram prestigiados com a presença do secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame no Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário 2010, que aconteceu na noite dessa quarta-feira, 1° de dezembro, no Hotel Intercontinental, em São Conrado.

 

Hora de comprar e vender

Extra, Maria Clara Serra, 05/dez

De acordo com dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), foram lançadas 13.732 novas unidades na cidade até 26 de novembro. Como de costume, a Zona Oeste foi o destaque, com Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Campo Grande. Os três bairros somam, juntos, 7.890 lançamentos, mais da metade de toda a cidade.

 

Beltrame é aplaudido de pé no "Prêmio Master Imobiliário"

IG, Lu Lacerda, 02/dez

Como em todos os eventos do tipo, sempre fica um clima de solenidade quando o assunto é entrega de prêmios. Mas, durante o "Prêmio Master Imobilário", oferecido pela ADEMI-RJ (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) nessa quarta-feira, no Hotel Intercontinental, foi bem diferente.

 

Beltrame e Turnowsky roubam a festa no Intercontinental

R7, Hildegard Angel, 02/dez

Paulo Casé foi o Arquiteto do Ano. O secretário de Urbanismo, Sergio Dias, ganhou como Personalidade. Rogério Chor foi o Empresário do Ano e a RJZ, de Rogério Zylbersztajn, foi a grande vencedora com quatro prêmios, seguida da CHL e da Carvalho Hosken de Carlos Carvalho. Era a entrega do Prêmio Master Imobiliário 2010, iniciativa da Ademi.

 

Basimóvel e Brookfield são destaques no setor imobiliário

O Dia, 02/dez

Foi entregue na noite de ontem uma das maiores premiações do setor da construção civil, o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2010. Entre as homenageadas pelo mercado imobiliário em 2010, está a Basimóvel, que ganhou o destaque de Melhor Imobiliária do ano no Rio e em Niterói.

 

Destaque Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 01/dez

É hoje o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2010.

 

Com as Olimpíadas, Barra valorizada

O Globo, 28/nov

Segundo o presidente da Ademi, Rogério Chor, a Barra já virou um símbolo das Olimpíadas no Rio. Com construções modernas, áreas de lazer e podendo ser vendidas como estando perto da praia e do Metrô, a região tende a valorizar ainda mais e virou um bom negócio

 

Rio 40 graus

Revista Exame, Anna Carolina Rodrigues, 01/dez

"É como se tivesse ocorrido um alinhamento de planetas, que fez com que tudo começasse a dar certo nos últimos anos", afirma Rogério Chor, dono da Construtora CHL e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Oscar do mercado

O Dia, 28/nov

Construtoras como a Calçada e a Rossi foram contempladas pelo Prêmio Destaque Ademi (Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro) - o oscar do mercado imobiliário.

 

Ademi premia os destaques do setor em 2010

O Globo, 28/nov

As construtoras RJZ/Cyrela, CHL, Brookfield e Even encabeçam a lista dos vencedores do Destaque Ademi/Prêmio Master Imobiliário 2010. A primeira conquistou quatro categorias da 11ª edição do prêmio, concedido anualmente pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro.

 

Negócio milionário tira do Leblon mais uma casa

O Globo, Isabela Bastos, 20/nov

"Já protegeram toda uma fatia do Leblon com a Apac. Não é necessário preservar tudo", diz o presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor.

 

Quintal flutuante

O Globo, Flavia Monteiro, 21/nov

Consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi, o arquiteto e urbanista David Cardeman recorda que, a partir de janeiro de 2005, os prédios já prontos também ganharam a oportunidade de construir varandas, graças à Resolução nº 578 da Secretaria municipal e Urbanismo.

 

Personalidade do Ano

O Globo, Ancelmo Gois, 18/nov

O secretário Sérgio Dias é a Personalidade do Ano do Master Ademi.

 

Oscar do mercado imobiliário premia Basimóvel e CHL

O Dia, 14/nov

Empresas como a Basimóvel e Brookfield e personalidades como Rogério Chor, da CHL, e o arquiteto Paulo Casé, foram alguns dos homenageados pelo Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2010, mais importante premiação do setor.

 

Nova Iguaçu acelera o crescimento

Extra, 14/nov

Nova Iguaçu é o maior município da Região Metropolitana do Rio. Esse dado já mostra a força deste gigante que, adormecido, praticamente não era notado pelas construtoras. Mas, como os ventos mudaram e a construção civil é um dos ramos que mais crescem no país, o gigante começou a despertar. De acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2009, o município recebeu apenas 310 novas unidades residenciais.

 

Estão muito bem na fita

Meia Hora, 11/nov

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário ratificam a tendência do mercado de investir na periferia. De janeiro a setembro, foram lançadas 5.280 unidades em Belford Roxo, Caxias, Itaboraí, Macaé, Mangaratiba, Niterói, Nova Iguaçu, Rio das Ostras e São Gonçalo.

 

Mercado busca espaços fora dos grandes centros

O Dia, Cristiane Campos, 07/nov

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) ratificam a tendência. Foram lançadas 5.280 unidades de janeiro a setembro em Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Macaé, Mangaratiba, Niterói, Nova Iguaçu, Rio das Ostras e São Gonçalo.

 

Prédio comercial com lazer

O Dia, Cristiane Campos, 31/out

As famosas áreas de lazer dos condomínios da Barra da Tijuca, que já tomaram conta da cidade começam a ser inseridas nos empreendimentos comerciais que não param de ser lançados em vários bairros e municípios do estado. De janeiro a setembro, chegaram ao mercado mais 1.083 unidades, segundo dados da Ademi. Agora, esses prédios passam a oferecer fitness, redário, terraço gourmet, spa e coffee shop, entre outros.

 

Desconto na compra da casa

O Dia, Cristiane Campos, 31/out

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que foram lançadas somente na cidade do Rio 10.551 unidades, de janeiro a setembro.

 

Construtoras estudam ampliar conclusão dos imóveis na planta para até 48 meses

O Dia, Cristiane Campos, 30/out

O boom do mercado imobiliário já começa a comprometer o prazo de entrega das chaves da casa nova e até o padrão de qualidade das construções. O setor estuda ampliar o período de conclusão dos imóveis comprados na planta, que passaria dos atuais 30 a 36 meses para entre 40 e 48 meses (4 anos). Construtoras já se mobilizam em busca de alternativas. Segundo Pesquisa da Ademi, foram lançadas na cidade 10.551 unidades comerciais e residenciais, de janeiro a setembro deste ano.

 

Olimpíada vai valorizar o metro quadrado mais caro do País

IG, Anderson Dezan e Olívia Alonso, 26/out

O mercado imobiliário carioca é reforçado com lançamentos de novas unidades em algumas áreas da cidade. De acordo com um levantamento feito pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), de janeiro a maio de 2010, foram lançadas 3.683 unidades residenciais na cidade do Rio.

 

Prazo de entrega estendido

O Dia, Cristiane Campos, 29/out

Segundo Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário), foram lançadas na cidade 10.551 unidades comerciais e residenciais, de janeiro a setembro deste ano.

 

Ritmo crescente da economia aquece indústria de construção civil no Rio

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/out

"O medo do desemprego afasta o comprador com receio de assumir dívidas. Antes havia uma grande parcela da população desassistida. Hoje, o Programa Minha Casa, Minha Vida trouxe para muitos a chance de ter um imóvel", aponta o presidente da Ademi e da CHL, Rogério Chor.

 

Imóvel como opção de investimento

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/out

Para corresponder à demanda, a oferta de imóveis tem crescido cada vez mais. De acordo com o levantamento feito pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio), em 2004, os lançamentos feitos ao longo do ano somaram 6.494 unidades, entre salas comerciais e apartamentos.

 

Mercado a todo vapor

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/out

O setor imobiliário do Rio de Janeiro prevê mais um ano de forte aquecimento. Com um mercado estimado em R$ 2,5 bilhões, a "Cidade Maravilhosa" é uma das mais promissoras do Brasil. Segundo o presidente da CHL e da Ademi, Rogério Chor, o Rio de Janeiro vive um momento histórico, que se alastra por outras capitais brasileiras.

 

Oferta cresce e investidores escolhem entre residenciais e comerciais

O Globo, Especial Mercado Imobiliário, 28/out

Para corresponder à demanda, a oferta de imóveis tem crescido cada vez mais. De acordo com o levantamento feito pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio), em 2004, os lançamentos feitos ao longo do ano somaram 6.494 unidades, entre salas comerciais e apartamentos.

 

Perspectiva econômica positiva leva empresas a bairros distantes do Rio

R7, Sérgio Vieira, 19/out

Para aproveitar a forte expansão imobiliária da região, um dos poucos locais do Rio de Janeiro ainda com oferta de terrenos, em parte do terreno de 339 mil m², futuramente, poderão ser desenvolvidos outros empreendimentos. Campo Grande é a região mais populosa do Rio de Janeiro, onde foram comercializados 10,5% dos imóveis da cidade em 2009, segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro).

 

Concurso Porto Olímpico dá a largada na terça

O Globo, Flávia Monteiro, 24/out

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, a expectativa é de que os projetos selecionados sejam viáveis economicamente. "É preciso aliar estética e qualidade para que essas unidades estejam prontas para serem ocupadas depois das Olimpíadas", diz Chor.

 

Niterói em construção

O Globo, Flávia Monteiro, 24/out

De forma geral, o metro quadrado na cidade chegaria a custar entre 30% e 40% a menos do que os ofertados no mercado carioca, segundo cálculos do presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) do Rio, Rogério Chor.

 

Tradição de volta ao páreo

Extra, Maria Clara Serra, 24/out

Vila Isabel e Tijuca sempre alimentaram uma disputa saudável pelo título de queridinha da Zona Norte. O tamanho e a imponência da Tijuca, até hoje, prevaleceram sobre a boemia da Vila. De acordo com dados da Ademi, enquanto os tijucanos ganharam 1.704 novas unidades residenciais entre 2004 e setembro de 2010, Vila Isabel recebeu apenas 241 lançamentos.

 

Explosão imobiliária inquieta especialistas

Monitor Mercantil, Primeira Linha, 22/out

A explosão imobiliária é realidade em todo o país, e, especialmente no Rio, por conta do pequeno espaço disponível na Zona Sul e diante da proximidade de eventos como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Em recente debate, realizado na Escola de Magistratura do Rio (Emerj), um dos líderes do setor, Rogério Chor, presidente da Ademi e do grupo CHL, deu números impressionantes.

 

Vendas de imóveis no Rio crescem 69% nos oito primeiros meses de 2010, mas caem em agosto

O Globo online, 20/out

Pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-Rio) constatou que as vendas de imóveis residenciais novos na cidade cresceu 69,4% nos primeiros oito meses de 2010. Foram comercializados 7.869 imóveis, enquanto no mesmo período do ano passado 4.644 unidades foram escrituradas.

 

Porto Maravilha

O Globo, Ancelmo Gois, 19/out

Murillo Allevato, da Ademi, vai falar do Porto Maravilha para investidores em Madri e Lisboa, a convite da Adit.

 

Olimpíada e UPPs inflacionam preços nos bairros do Rio de Janeiro

R7, Sérgio Vieira, 18/out

A Barra conquistou a décima colocação no levantamento entre os bairros mais caros do Rio. O metro quadrado médio fica em R$ 5.518, alcançando R$ 8.457 nos lugares mais caros. A explicação é simples. A região é relativamente nova e ainda possui muitos terrenos para expansão. Desde a década de 1990, a Barra cresceu 44%, segundo dados da Ademi-Rio.

 

Depois do boom de lançamentos populares, construtoras voltam a apostar em imóveis de quatro quartos

O Globo online, 18/out

Entre janeiro e setembro deste ano, dos 9.336 novos imóveis residenciais, 584 são de quatro dormitórios. De acordo com construtoras, essa pode ser a nova aposta para o mercado carioca. O presidente da Ademi, Rogério Chor, lembra que o aumento da participação das classes C, D e E no mercado acabou contribuindo para o maior investimento em imóveis de dois quartos em detrimento das unidades com mais cômodos.

 

Revitalizada, Lapa carioca é alvo do varejo e residenciais também avançam na região

Folha de São Paulo, Cirillo Junior, 19/out

Tradicional reduto de bares e restaurantes, o bairro carioca da Lapa vem mostrando um novo perfil, na esteira da revitalização e do aumento de residências na região. O comércio local ganha novas lojas, inclusive redes varejistas, deixando para trás a marca de que a Lapa é apenas um bairro boêmio. "Todo mundo acha a Lapa um mercado maravilhoso", diz Rogério Chor, presidente da Ademi.

 

Analistas divergem sobre bolha, mas apóiam novo índice

O Globo, 10/out

Para o empresário Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), o índice talvez não traduza a realidade do mercado no país:" Teremos valores médios, que podem não representar as realidades de cada estado. No Rio, por exemplo, o aumento do preço dos imóveis tem a ver com falta de terrenos."

 

Um montão de imóveis

Meia Hora, 07/out

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário) confirmam essa nova dinâmica. De acordo com levantamento da associação, nos últimos nove meses, foram lançados 286 unidades residenciais e mais 208 imóveis comerciais.

 

Imóvel no Brasil sai 77% mais caro do que no Chile

Extra, Maria Clara Serra e Mario Campagnani, 06/out

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, a porcentagem de interessados foi alta, considerando que o programa "Minha Casa, Minha Vida" ainda estava em fase de implementação à época da pesquisa, e deve crescer significativamente este ano.

 

Barra da Tijuca vai crescer ainda mais

AIB News, 01/out

Pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) indica que de janeiro a setembro de 2010 foram lançadas 10.419 unidades na cidade do Rio de Janeiro, sendo 9.336 imóveis residenciais e 1.083 comerciais.

 

Boom imobiliário em São Gonçalo

O Dia, 03/out

De olho nesse crescimento, construtoras investem pesado na região. Dados da Ademi (Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário) confirmam esta nova dinâmica: nos últimos nove meses, foram lançadas 286 unidades residenciais e mais 208 imóveis comerciais.

 

Destaques do ano

O Globo, 03/out

Já estão abertas as inscrições para o "Destaque Ademi -- Prêmio Master Imobiliário 2010", que premiará os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio, divididos em 28 categorias.

 

Prêmio Ademi: inscrição aberta

Extra, 03/out

As construtoras, incorporadoras e administradoras de imóveis do Rio já podem se inscrever no Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2010. A premiação vai selecionar os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio de Janeiro.

 

Mercado imobiliário sem crise

Meio & Mensagem, Erica Ribeiro, 27/set

Rogério Chor, da Ademi e da CHL, uma das empresas do setor, assinala que o mercado no Rio de Janeiro é bastante pulverizado, com espaço para empresas de todos os portes. A CHL pretende lançar oito empreendimentos, sendo cinco populares e três de classe média a classe média alta. Entre as regiões, estão Botafogo, Tijuca, São Conçalo e Duque de Caxias.

 

Marco Adnet assume nova empresa de Eike

O Globo, Danielle Nogueira, 26/set

Mal foi contratado para assumir a diretoria executiva da REX, empresa de Eike Batista que vai atuar no ramo imobiliário, Marco Adnet (ex-Rossi) já começou a circular entre os executivos do setor para apresentar os projetos da companhia. Rogério Chor, presidente da construtora CHL (grupo PDG Realty) e da Ademi, também dá boas-vindas à REX.

 

Só quatro quartos

O Globo, Negócios & Cia. 18/set

Dois lançamentos de condomínios só com unidades de quatro quartos, na Barra, vão somar, juntos, 750 apartamentos, entre este mês e o próximo. É mais que o dobro do total de novas unidades nesse segmento registrado no Rio em 2009, quando o número caiu para 334. Naquele ano, a retração foi de 65% ante 2008, segundo dados da Ademi-Rio.

 

Construção vive auge do crescimento, mas gargalos preocupam

Agência Estado, 17/set

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), Rogério Chor, comentou que, no caso do mercado do Rio, algumas obras tiveram atraso em suas entregas apenas por conta de ausência de pessoal. "É um problema sério. Atualmente existe falta de mão de obra em todos os níveis na construção", afirmou.

 

Expansão imobiliária a todo vapor no Rio

Extra, Especial Casa Própria, 17/set

O Rio não é mais o mesmo. A mutação não é de hoje e ganha força a cada ano. De acordo com a Ademi, entre 2007 e agosto deste ano, a cidade recebeu 49.546 novas unidades entre residenciais e comerciais. Há ainda o interesse gerado pelos eventos esportivos e a expectativa de melhorias na infraestrutura e na segurança da cidade, lembra o vice-presidente da associação, Cláudio Hermolin.

 

Licenciamentos têm crescimento de 67%

O Globo, 10/set

Os bairros de Barra, Recreio, Jacarepaguá, Cidade de Deus e Vargens Grande e Pequena continuam liderando os licenciamentos residenciais. Segundo o secretário municipal de Urbanismo, Sérgio Dias, o cenário promissor se deve ao programa "Minha casa, minha vida", do governo federal. O presidente da Ademi, Rogério Chor, também aponta o programa como fator determinante para o boom de construções na Zona Norte.

 

Rede hoteleira cobiça terrenos na Barra

O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 31/ago

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, elogiou a decisão de propor o pacote olímpico com bastante antecedência em relação às Olimpíadas. Segundo ele, se houver necessidade de rever ou propor mais incentivos, haverá tempo de sobra para a correção de rumos.

 

Tijuca vira o xodó de construtoras

O Globo, Ludmila de Lima, 29/ago

Para o mercado imobiliário, a Grande Tijuca é a bola da vez. Dados da Secretaria municipal de urbanismo mostram que o setor ganhou fôlego na região com o projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). De janeiro a agosto, foram lançadas 254 unidades residenciais na Tijuca, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Em todo o ano passado, foram 208.

 

As construtoras-imobiliárias

O Globo, Negócios & Cia, 28/ago

Construtoras do Rio estão usando equipes próprias de corretores para vender seus imóveis novos e em estoque. "A tendência é que as grandes incorporadoras e as voltadas à classe A usem equipes próprias", avalia Rodrigo Conde Caldas, da Concal e da Ademi-Rio. A empresa já faz vendas diretas, bem como RJZ Cyrela, MDL, Rossi, CHL e outras.

 

Grandes empresas transferem sede para a Barra

O Globo, Especial Barra da Tijuca, 27/ago

A infraestrutura disponível na Barra tem atraído executivos de São Paulo e estrangeiros, principalmente, aos que querem oferecer atendimento de alto padrão, como explica Alexandre Fonseca, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

O endereço do futuro surgiu há três décadas

O Globo, Especial Barra da Tijuca, 27/ago

O crescimento da Barra da Tijuca está longe de parar - somente entre 2013 e 2016, segundo estimativas da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) deverão ser lançadas 8.924 unidades na Barra, onde serão disputadas 19 das 39 modalidades dos Jogos Olímpicos do Rio.

 

Migração de empresas altera perfil econômico do Centro

O Globo, Especial Barra da Tijuca, 27/ago

A transferência do Centro econômico do Rio de Janeiro para a Barra da Tijuca está em franco movimento. Depois dos shopping centers, grandes supermercados, imobiliárias e muitas agências de comunicação, são diversas as empresas que estão montando suas sedes na Barra da Tijuca. "Em seis anos, será outro bairro, com novas famílias, devido à grande oferta de colégios, e mais hotéis internacionais, para receberem os turistas que virão com os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo", prevê Cláudio Hermolin, vice-presidente da Ademi.

 

Carona na expansão imobiliária

O Dia, Cristiane Campos, 22/ago

Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que, desde o início do ano, foram lançados 1.033 unidades de R$ 150 mil a R$ 250 mil. Prova do potencial do mercado é que a Dominus, Helbor e Carvalho Hosken lançam, neste fim de semana, o Comfort Stay, na Barra da Tijuca.

 

Zona Portuária de cara nova

Meia Hora, 19/ago

O projeto Porto Maravilha promete revitalizar área que até então estava esquecida na cidade. "O governo está enxergando o Porto com novos olhos. As empresas que apostarem ali serão beneficiadas", diz Cláudio Hermolin, ressaltando que a perspectiva é muito boa e que a valorização dos terrenos já está sendo percebida.

 

Obras e mais expansão à vista

Meia Hora, 19/ago

Região que mais cresceu no setor imobiliário nos últimos anos, a Zona Oeste do Rio será beneficiada com obras que visam aos Jogos Olímpicos de 2016 e a previsão é de mais expansão. Isso porque a construção da estrada TransOlímpica, que ligará a Barra da Tijuca a Deodoro, com corredores expressos para ônibus, e o projeto da TransCarioca, que reduzirá o tempo de viagem entre a Barra e a Penha, na Zona Norte, darão qualidade de vida ainda maior para quem mora na região.

 

Curso

O Globo, Ancelmo Gois, 19/ago

O advogado Maury Rouède Bernardes abre hoje, na Ademi, o 6a- curso Estruturação Imobiliária Aplicada.

 

Benefícios da concorrência

Extra, Maria Clara Serra, 15/ago

Em 2009, Campo Grande foi a terceira região que mais lançou imóveis na cidade, com 2.872 novas unidades. Após a criação do "Minha casa, minha vida", no ano passado, construtoras tradicionais passaram a disputar o mercado de moradias populares. Por que Campo Grande foi um dos primeiros bairros a sentirem a mudança no perfil dos imóveis? De acordo com o vice-presidente da Ademi, Claudio Hermolin, a resposta é: a oferta de terrenos na região.

 

Um privilégio para poucos

Extra, maria Clara Serra, 08/ago

Segundo dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), existem 2.300 vilas espalhadas pelo município do Rio, a maioria construída ainda no século 19. A explicação é simples: com a escassez e a valorização dos terrenos, construir uma vila é praticamente impossível nos dias de hoje.

 

A guinada para o subúrbio

O Globo, Isabela Bastos, 05/ago

Pela primeira vez desde os anos 1980, zonas Norte e Oeste superam Barra em volume de construções. De acordo com o presidente da Ademi, Rogério Chor, o Minha Casa, Minha Vida consolidou um movimento que já vinha sendo ensaiado pelas instituições bancárias, que começaram, há cinco anos, a prestar mais atenção às classes média e baixa, ampliando as linhas de crédito e os prazos de financiamento imobiliário.

 

Moratória, já

O Globo, André Lacaroni (Opinião), 02/ago

Um levantamento da Ademi/RJ verificou que apenas no período de janeiro de 2007 a janeiro de 2009 foram construídos 43 empreendimentos residenciais na Barra, com 5.875 apartamentos. Isto significa mais 18 mil moradores, considerando-se três pessoas por apartamento. Se cada família tiver um carro, só isto já representa um acréscimo de mais de seis mil carros.

 

Sorria, trânsito melhor à vista

O Globo, Isabela Bastos, 02/ago

Bairro que irá concentrar boa parte da movimentação de atletas e público nas Olimpíadas de 2016, a Barra da Tijuca deverá receber, nos próximos quatro anos, pelo menos R$ 2,3 bilhões em investimentos na ampliação e melhoria de sua malha viária. Para atender a população crescente - segundo a Ademi, a região tem um mercado residual de 8.924 unidades a serem lançadas entre 2013 e 2016.

 

Mãos à obra

O Globo Tijuca, Isabel Kopschitz, 29/jul

A Grande Tijuca está vivendo uma revitalização do mercado imobiliário. Nem é necessário um olhar mais atento para perceber a profusão de novos prédios residenciais sendo erguidos na região. Construtoras como a Concal e a CHL estão investindo pesado no bairro, cujos imóveis estão se valorizando, especialmente devido à instalação das UPPs nas favelas. Para Rogério Chor, presidente da Ademi e da CHL, pela primeira vez o problema da segurança pública está sendo atacado de maneira inteligente.

 

Resgate da Zona Portuária

Jornal do Commercio, Daniel Cúrio e Luan Seixas, 26/jul

"O porto é a última zona urbana da cidade que ainda pode ser explorada e é bem localizado. Ele é perto da estação de trem, da rodoviária, tem uma vista bacana, e tem uma área grande para fazer uma implantação urbanística bonita. Portanto, não restam dúvidas que a zona portuária é a solução", afirma o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Mercado imobiliário aquece no Rio

SRZD, 22/jul

O mercado imobiliário no Rio de Janeiro está aquecido. Além da valorização de algumas áreas, dados divulgados pela Associação de Dirigentes de Empresas Imobiliárias (Ademi) revelaram que 4.399 novas unidades imobiliárias foram lançadas de janeiro a maio de 2010. Desse total, 3.683 são unidades residenciais e 716, comerciais.

 

Quem é quem nas fusões

O Globo, Flávia Monteiro, 25/jul

Não vai parar por aí a onda de fusões e aquisições observadas no mercado imobiliário nacional. Traçando o perfil do setor, chegasse a um cenário favorável a investimentos como a recente aquisição, pela PDG Realty - agora a maior empresa do país - da Agre, companhia formada pelas antigas gigantes Klabin Segall, Agra e Abyara. Outro ranking, o da Ademi, aponta quais construtoras/ incorporadoras lançaram mais unidades no Estado do Rio. O levantamento mais recente, com dados de janeiro a junho, aponta a liderança da PDG Realty/CHL, com nove empreendimentos.

 

Lançamentos residenciais crescem 131,9% de janeiro a maio, na comparação com 2009

O Globo online, 20/jul

Pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) mostra o quanto o mercado do Rio está aquecido. Entre os meses de janeiro e maio de 2010, foram lançadas 3.683 unidades residenciais, número 131,9% superior ao de 2009, que chegou a 1.588 no mesmo período. Segundo a coordenadora da Pesquisa Ademi Mercado Imobiliário, Gabriella Szklo, é número mais alto dos últimos cinco anos.

 

A crise da mão de obra

O Globo, Flávia Monteiro, 18/jul

A construção civil enfrenta hoje a pior crise de mão de obra da sua história: a entrega dos imóveis do boom 2007/2008 está atrasada, e os novos empreendimentos estão sendo negociados a prazos 10% maiores do que os usuais. "Se o mutuário se acostumou com prazos entre 24 e 30 meses, agora terá que esperar um pouco mais: de 28 a 36 meses", diz o presidente da Ademi e da construtora CHL, Rogério Chor.

 

Minha Casa, Minha Vida alavanca construção civil no RJ

R7, 15/jul

O programa Minha Casa, Minha Vida do governo federal foi um dos responsáveis pelo impulso do setor da construção civil no Rio de Janeiro nos primeiros cinco meses deste ano. A constatação é da Ademi (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Imóveis da Zona Sul do Rio de Janeiro valorizam em até 76% nos últimos seis meses

SRZD, 15/jul

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), Rogério Chor, a capital fluminense está vivendo um processo de valorização em todas as regiões. Mas, na Zona Sul, a oferta é menor do que a procura.

 

Nichos aquecidos

Revista Construção Mercado, Bruno De Vizia, jul/10

O forte crescimento do mercado imobiliário não se dá por igual em todas as fatias de mercado. Nos últimos anos, pesquisas em diferentes cidades brasileiras apontam uma ligeira mudança na tipologia dos imóveis residenciais, com forte predomínio das unidades com dois e três quartos. Os dados mostram possíveis segmentos com excesso de oferta contrapostos a outros ainda demandantes de lançamentos. O mercado de imóveis residenciais no Rio de Janeiro deve crescer em torno de 15% em 2010, segundo estimativa de Rogerio Chor, presidente da Ademi.

 

Preços de imóveis no Rio sobem até 76% e especialistas veem novas altas

O Globo, Lucianne Carneiro, 13/jul

A valorização de imóveis no Rio parece a cada dia testar seus próprios limites. Em apenas seis meses, o preço médio de um apartamento de quatro quartos em Ipanema subiu nada menos que 76,59%, para R$ 2,556 milhões. As cifras dos apartamentos novos também assusta. Levantamento da Ademi-RJ mostra que o preço médio do metro quadrado de um dois-quartos lançado em Botafogo subiu 29,6% entre fevereiro de 2009 e julho deste ano, a R$ 4.880,50.

 

Mais de 4.256 imóveis novos na cidade

O Dia, 11/jul

Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que foram lançadas 4.256 unidades no Rio no período de janeiro a maio deste ano. Do total, 3.683 imóveis são residenciais e 573, comerciais. O bairro campeão em números de lançamentos nos primeiros cinco meses do ano foi a Vila da Penha, com 780 apartamentos.

 

Setor econômico puxa retomada imobiliária

O Globo, Negócios & Cia, 09/jul

O mercado imobiliário carioca somou 4.256 unidades lançadas, de projetos residenciais e comerciais, de janeiro a maio, segundo a Ademi-Rio. Quase o dobro do resultado registrado em igual período do ano passado, marcando o retorno aos patamares précrise mundial. "O plano de habitação popular do governo criou um novo mercado no segmento econômico", diz Rogério Chor, presidente da Ademi-RJ.

 

Minha Casa, Minha Vida foi o grande impulsionador da economia durante a crise

O Dia online, 01/jul

Segundo o vice-presidente da Ademi, Rubem Vasconcelos, o sonho da casa própria se aplica a todos os brasileiros, independentemente de classe social. "Faz parte da nossa vida ser proprietário. Mas, antes, a gente não tinha condição. Nós não tínhamos uma moeda estável, não tínhamos crédito fácil. E, hoje, tudo converge para a realização do sonho da casa própria".

 

'Minha Casa' impulsionou a economia, diz Cofeci

Diário do Grande ABC, 02/jul

O vice-presidente da Ademi, Rubem Vasconcelos, destacar a função social do programa de levar a moradia a muitos brasileiros que viviam o sonho da casa própria. "Nós não tínhamos um mecanismo adequado para a realização desse sonho da casa própria. E agora nós temos."

 

Setor imobiliário fluminense cresce 40% no primeiro semestre

Investimentos e Notícias, 02/jul

O setor imobiliário fluminense cresceu 40% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2009, informou o segundo vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos.

 

Setor de imóveis do Rio cresce 40% no 1º semestre

Monitor Mercantil, 05/jul

O setor imobiliário fluminense cresceu 40% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2009, informou o segundo vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos. Ele participou de evento promovido pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado do Rio de Janeiro (Creci-RJ).

 

Setor imobiliário do RJ cresceu 40% no 1º semestre

Exame online, Alana Gandra, 02/jul

O setor imobiliário fluminense cresceu 40% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2009, informou à Agência Brasil o segundo vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos.

 

Bem-me-quer, mal-me-quer

Bairros.com (Globo Zona Sul), Fernanda Dutra, 01/jun

O início das obras da Linha 4 do metrô, que vai ligar a Barra da Tijuca à Zona Sul, no último sábado, reacenderam as discussões sobre o traçado das estações. Segundo a Secretaria estadual de Transportes, São Conrado, Gávea, Leblon e Ipanema vão ganhar paradas. Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), acha que haverá significativa valorização dos imóveis nas áreas beneficiadas.

 

Orla da Lagoa ainda tem 26 casas: as últimas

O Globo, Selma Schmidt, 27/jun

"Essas casas estão na parte considerada o filé da Lagoa. No lado de Ipanema e do Leblon fica a parte nobre da região, cujo metro quadrado está custando R$13 mil, R$2 mil a mais do que há dois anos", afirma Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Rio tem três imóveis de R$ 30 milhões à venda

Portal IG, Luiz Antonio Ryff, 23/06/2010

A orla da zona sul carioca reúne os apartamentos mais caros hoje no País. O metro quadrado chega a custar mais de R$ 50 mil. Três apartamentos à venda atualmente na cidade maravilhosa estão à venda por R$ 30 milhões. Nenhum deles é novo. No quesito lançamento, os imóveis à venda não chegam a um quinto desse valor. Com vista cinematográfica para o mar azul, os três ficam na orla de Ipanema e Leblon, região que, há pouco mais de meio século, ainda era pouco mais que um areal.

 

Cedae anuncia sistema inteligente na Barra, Recreio e Jacarepaguá

O Repórter online, 17/jun

A Cedae vai criar um sistema inteligente para controle da vazão e da pressão da água na rede de distribuição que abastece os bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá, informou nesta quinta-feira (17), o presidente da Companhia, Wagner Victer. Um convênio neste sentido foi assinado nesta quinta-feira entre a empresa de águas do Rio com o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor.

 

Cedae terá sistema inteligente na Barra, Recreio e Jacarepaguá

O Dia online, 17/jun

O presidente da Cedae, Wagner Victer, e o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, assinaram um convênio para a instalação de um sistema inteligente para controle da vazão e da pressão da água na rede de distribuição que abastece os bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá.

 

Cedae assina convênio para automação da vazão de água na Zona Oeste

Monitor Mercantil digital, 17/jun

Convênio assinado nesta quinta entre a Nova Cedae e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário prevê automação da vazão de água do sistema de distribuição que abastece os bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá. O documento foi assinado pelos presidentes Wagner Victer, da Cedae, e Rogério Chor, da Ademi.

 

"Minha Casa" dobra valor de terrenos

Folha de São Paulo, Pedro Soares, 16/jun

Programa federal de habitação popular, o Minha Casa, Minha Vida acirrou a disputa de construtoras por terrenos e fez até dobrar os preços em áreas no entorno de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília e Fortaleza.

 

Após três décadas, subúrbio do Rio volta a atrair lançamentos

Folha de São Paulo, Pedro Soares, 16/jun

Alvos de favelização e esvaziamento econômico, bairros da zona norte do Rio voltaram a receber, nos últimos anos, lançamentos imobiliários após quase três décadas. Fora do mapa das construtoras, locais como Vila da Penha, Benfica, Parada de Lucas, Madureira, Pavuna, entre outros, ganharam empreendimentos do Minha Casa, Minha Vida. "Havia a tendência, mas o programa acelerou muito os lançamentos no subúrbio", diz Rogério Chor, presidente da Ademi.

 

Goleada imobiliária no Rio

Extra, Maria Clara Serra, 13/jun

A Copa do Mundo na África do Sul mal começou e já se pensa - e muito - no Mundial de 2014, no Brasil. O esporte mais popular do planeta vai provocar uma goleada de investimentos no Rio e gerar uma forte movimentação no mercado imobiliário. "Junto com os centros esportivos vem também a melhoria da infraestrutura local. Qualquer benefício gera valorização", afirma Rogério Chor, presidente da Ademi.

 

Economia que pode sair cara

Extra, Maria Clara Serra, 06/jun

Cheque se a empresa é indônea, verifique o acervo técnico da empresa com o Sindicato da Indústria de Construção Civil (Sinduscon) e com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e peça as certidões do Conselho Regional de Engemharia e Arquitetura (Crea).

 

A Freguesia tem borogodó

Extra, Maria Clara Serra, 30/mai

Proximidade da Barra, comércio mais desenvolvido e distância de comunidades carentes. Esse é o tripé que faz da Freguesia a área mais valorizada de Jacarepaguá. "Os moradores da Freguesia têm exigência por melhor padrão, apartamentos de dois, três e quatro quartos. Esse tipo de empreendimento vende muito rápido pois segue o perfil desejado - afirma Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi e diretor da Basimóvel.

 

Apart-hotéis como opção no porto

Jornal do Commercio, Luan Seixas, 27/mai

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ) e a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) não só apoiam a ideia de construir hotéis e apart-hotéis na zona portuária como começaram a se articular para propor estudos e projetos ao município. Além do porto, as entidades acreditam que a Prefeitura, contrária a empreendimentos desse tipo na Zona Sul e na Barra, poderá aprovar iniciativas semelhantes em bairros que precisam ser revitalizados e não dispõem de infraestrutura hoteleira convencional, como Ilha do Governador, Santa Cruz e Deodoro.

 

Zona portuária renasce para brilhar na Olimpíada de 2016

Jornal do Commercio, Luan Seixas, 27/mai

"A Vila Olímpica e a Vila de Mídia deverão criar cerca de 7 mil unidades habitacionais. Com isso, chegaremos a aproximadamente 15 mil unidades na região. Esse número é muito maior do que a demanda que a Barra consegue absorver por moradias", explica o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Mercado se expandiu para atender à nova clientela

O Globo, 20/mai

Para o vice-presidente da Ademi, Rogério Zylbersztajn, o investimento em imóveis é parte da tradição brasileira, que se reflete no sonho da casa própria, uma herança cultural portuguesa. Segundo ele, se há uma corrida dos investidores para o mercado de imóveis, isso se deve à coincidência de estarmos em ano eleitoral, quando geralmente se procura ativos reais.

 

"O corretor é um verdadeiro operador da compra e venda de imóveis"

Revista Stand, mar/2010

Formado em engenharia civil pela PUC-RJ, Márcio Fortes exerceu os cargos de presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi) e da Federação Internacional das Profissões Imobiliárias - Regional RJ (Fiabci). Foi vice-presidente do Conselho de Empresários da América Latina (CEAL), diretor-presidente do Banerj e Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos do Rio de Janeiro, entre outros cargos.

 

Imóveis estão no topo da lista dos investimentos

O Globo, 20/mai

Apartamentos e casas de tamanhos variados em diversos bairros da cidade do Rio registram alta. Na Tijuca, com a chegada da primeira UPP, a expectativa é de um aumento de 40% no valor dos imóveis. Os dados de um levantamento da ADEMI mostram o reaquecimento do mercado na Tijuca começou em 2008. Os lançamentos no bairro foram mais tímidos no ano passado, em comparação com2008, mas a liquidez vem aumentando e puxando o valor dos imóveis.

 

Mercado se expandiu para atender à nova clientela

O Globo, 20/mai

A nova classe média é o pricipal alvo do mercado imobiliário atual. A estabilidade da moeda, o acesso ao financiamento e os juros baixos trouxeram um novo alento ao setor, que se expandiu para atender à nova clientela. Para o vice-presidente da ADEMI, Rogério Zylberstajn, o investimento em imóveis é parte da tradição brasileira, que se reflete no sonho da casa própria, uma herança cultural portuguesa.

 

Ameaça de apagão

O Globo Barra, Fabíola Gerbase e Flávia Milhorance, 20/mai

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostram que 55% das dez mil unidades residenciais lançadas no Rio entre 2004 e 2008 estão na Baixada de Jacarepaguá. A relação entre a expansão do mercado imobiliário e o inchaço das favelas da região ainda é clara. Entre os 106 operários ouvidos na pesquisa que vivem nas redondezas, cerca de 38% são da comunidade de Rio das Pedras.

 

COI joga âncora no Porto

O Globo, Rogério Daflon, 21/mai

Ontem, numa entrevista coletiva na Barra da Tijuca, membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) aprovaram a reivindicação da prefeitura de a Região Portuária abrigar boa parte da Vila de Mídia nos Jogos de 2016. Um dos argumentos de Paes junto à Comissão do COI foi o de que estudos da Ademi mostram que não há mercado imobiliário suficiente na Barra da Tijuca pare receber um número grande de unidades habitacionais, o que aconteceria caso a Vila de Mídia ficasse no bairro em sua totalidade.

 

Explosão imobiliária

O Globo Zona Norte, Bruno Cunha, 16/mai

De olho em novas oportunidades, grandes construtoras já demarcaram território no Grande Méier e em outros bairros. Em três anos, segundo a Ademi-RJ, mais de três mil novos empreendimentos foram lançados na região, sendo 2.329 em 2009 e 1.060 em 2008. Fatores como maior renda da classe emergente, o aumento dos prazos de pagamento e a redução da taxa de juros fizeram com que a Zona Norte voltasse a ter investimentos, avalia Alexandre Fonseca, vice-presidente da associação.

 

Mercado imobiliário vê com bons olhos projeto para o Porto

Extra, 19/mai

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ) e a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) começam a se articular para propor projetos ao município, que, contrário a empreendimentos desse tipo na Zona Sul e na Barra, poderá aprovar iniciativas semelhantes em bairros que precisam ser revitalizados e não dispõem de infraestrutura hoteleira convencional, como Ilha, Santa Cruz e Deodoro.

 

Paes propõe mudanças no projeto da Rio-2016 ao COI

Folha de São Paulo, Bruna Fantti, 19/mai

O objetivo, diz o prefeito, é desenvolver a zona portuária e a região central, que carece de imóveis residenciais, ao contrário do bairro da zona oeste. O argumento da prefeitura pode ser corroborado por uma pesquisa feita pela Ademi-RJ. Na comparação do ano de 2009 com o de 2008, a Barra da Tijuca está em terceiro lugar em número de imóveis residenciais na cidade. Já no centro da cidade não existem terrenos particulares disponíveis para a construção de residências.

 

Megacondomínios chegam à Zona Norte

O Globo, Bairro.com 16/mai

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), em três anos, mais de três mil novos empreendimentos foram lançados na região, sendo 2.329 em 2009 e 1.060 em 2008. Este ano, até o momento, pelo menos 1.307 apartamentos estão à venda.

 

Ideia de aparts na Zona Portuária anima mercado

O Globo, Carla Rocha, 19/mai

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ) e a Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) não só apoiam a ideia como começam a se articular para propor projetos ao município. O consultor de Desenvolvimento Urbano da entidade, David Cardeman, achou interessantíssima a proposta. "Agora, cabe à prefeitura definir os parâmetros e em que locais os aparts poderão ser construídos. Há várias empresas interessadas", disse.

 

Para onde essa dupla olha?

IstoÉ Dinheiro, Crislaine Coscarelli. 16/mai

O mercado imobiliário voltado para o público de baixa renda é hoje o mais disputado. Nesse campo, a companhia encontrará concorrentes de peso como a Camargo Corrêa, Rossi Residencial, MRV, Cyrela e a PDG Realty, que no início do mês adquiriu a Agre e passou a atuar em regiões onde não estava, como Norte e Nordeste. "O preço do metro quadrado na capital é até três vezes maior que no interior", diz Rogério Chor, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Chegada da UPP à Tijuca pode valorizar imóveis no bairro em até 40%, dizem especialistas

Globo Online, 11/05

Às vésperas da instalação da primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na Zona Norte, o mercado imobiliário na Tijuca tende a ficar mais aquecido. Especialistas acreditam que o preço dos imóveis no bairro pode ter um aumento de até 40%. Esse movimento, naturalmente, também é reflexo da alta de preços na Zona Sul, que, segundo economistas, tem um forte componente de bolha imobiliária. 

 

Curso no Sinduscon-Rio

O Fluminense, 11/mai

O curso "Gestão de Resíduos na Construção Civil", promovido pelo Sindicato da Construção (Sinduscon-Rio) com apoio da Ademi, foi adiado para os dias 12, 13 e 14 de maio, das 8h30 ás 12h30. Serão 12 horas de aulas que ocorrerão na sede do sindicato, no Centro do Rio. Os associados da Ademi-RJ que pretenderem fazer o curso terão direito, não cumulativamente, ao mesmo desconto concedido aos associados do Sinduscon-Rio.

 

Que venham os serviços

O Globo Barra, Flávia Milhorance, 09/mai

Se a Barra da Tijuca já figura entre os territórios mais proeminentes da especulação imobiliária no Rio de Janeiro, o bairro ganhou novo título: o de campeão no número de unidades comerciais lançadas. Das 3.487 ofertadas em toda a cidade em 2009, 2.712, ou 78% do total, são na Barra, de acordo com a Ademi-RJ. "O índice deste ano foi exceção", avalia o conselheiro da associação, Paulo Fabriani.

 

O retorno de Madureira

Extra, Danielle Abreu e Maria Clara Serra, 09/mai

Bairro esquecido pelas construtoras nos últimos cinco anos, Madureira volta ao mapa residencial do Rio com força total. Desde o início do ano, mais de 350 unidades foram lançadas, o que não acontecia desde 2005. A maioria delas, enquadradas no programa "Minha casa, minha vida". Para o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, outro fator que está impulsionando o mercado na Zona Norte é a perspectiva trazida pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

 

Crescimento na Barra

Extra, 02/mai

Na última pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a Barra teve o maior número de unidades comerciais lançadas em 2009, 2.712 das 3.487 da cidade. Seguindo a tendência do mercado, a imobiliária Lopes acaba de inaugurar sua nova sede no bairro.

 

Nova sede na Barra

O Dia, 02/maio

A Lopes, imobiliária paulista, está de endereço novo. A empresa se instalou na quarta-feira nova sede na Barra da Tijuca. 0 movimento de uma das gigantes do mercado imobiliário confirma a tendência apontada pela última pesquisa realizada pela Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), em que a Barra aparece com o maior número de unidades comerciais lançadas em 2009, somando 2.712 de um total de 3.487 ofertadas na cidade.

 

A nova âncora do Porto

O Globo, Isabela Bastos, 02/mai

De acordo com o presidente da Ademi, Rogério Chor, nos últimos quatro anos, a Barra foi responsável pela venda média de 25% dos lançamentos da cidade. Como as instalações olímpicas, que serão depois convertidas em apartamentos, têm que ficar prontas praticamente ao mesmo tempo, os lançamentos das obras teriam que ser feitos no primeiro semestre de 2013, prazo considerado curto para que o mercado absorva as vendas.

 

Vila do Pan, uma lição para 2016

O Globo, Flávia Monteiro, 02/mai

Um recorde no mercado imobiliário nacional. Assim foi considerado o lançamento, em agosto de 2005, da Vila do Pan, na Barra. Na ocasião, 95% de seus 1.480 apartamentos foram vendidos em poucas horas. Agora, depois de polêmicas envolvendo o empreendimento, novas unidades serão oferecidas ao mercado: a CEF vai leiloar 153 imóveis, com lances iniciais que variam de R$ 130 mil a R$ 480 mil. Para Rogério Chor, presidente da Ademi/RJ, fica a lição de que um projeto imobiliário precisa estar bem estruturado, em todas as suas fases.

 

Lopes na Barra

Monitor Mercantil, 29/abr

A Lopes, uma das maiores imobiliárias do Brasil, se mudou esta semana para a sua nova sede na Barra da Tijuca. O movimento de uma das gigantes do mercado imobiliário confirma a tendência apontada pela última pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em que a Barra aparece com o maior número de unidades comerciais lançadas em 2009, somando 2.712 de um total de 3.487 ofertadas na cidade.

 

Tijuca começa a dar adeus ao império das armas

O Dia, Paula Sarapu, 28/abr

Imóveis no entorno das comunidades da Tijuca terão valorização de até 40%. Em todo o bairro, as unidades poderão ficar mais caras em até 20%, com a implantação da UPP. A estimativa é de José Conde Caldas, membro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Concal - que tem empreendimentos em andamento e três projetos em estudo. Ele destaca que, em 1971, o metro quadrado na Tijuca era mais caro do que em Ipanema.

 

Prazo de entrega comprometido

O Globo, Flávia Oliveira, 24/abr

A falta de mão-de-obra na construção civil já está levando empresas do setor a alongar prazos de entrega. "É uma precaução, para evitar problemas com atrasos", diz o empresário Rogério Chor, presidente da Ademi-RJ. Com a explosão da atividade no segmento, continua ele, não faltam apenas profissionais, mas também materiais e equipamentos.

 

Os endereços milionários do Rio

O Dia, Cristiane Campos, 24/abr

Os imóveis de luxo das avenidas Delfim Moreira e Vieira Souto atraem anônimos e famosos do mundo inteiro, como o costureiro italiano Valentino e a top model Naomi Campbell. Esses apartamentos, avaliados entre R$ 20 milhões a R$ 35 milhões, têm fila de espera. Para se ter uma ideia, o Rio ocupa o 75ª posição no ranking do metro quadrado mais caro do mundo. Para o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, a Barra da Tijuca também se aproxima dessa valorização.

 

Recreio em alta

O Dia, 18/abr

O bairro do Recreio dos Bandeirantes continua uma grande atração para construtores. A região não para de receber investimentos, tem vida própria, praias limpas e já contabiliza forte valorização. De acordo com a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos cinco anos, o metro quadrado valorizou 65%, pulando de R$ 2.600, em 2005, para R$ 4.300, em 2009. Neste ano, serão entregues aproximadamente 1.900 unidades no Recreio, sendo 800 em Barra Bonita - área que fica ao lado do Recreio Shopping.

 

Custo reduz lucro da construção no Minha Casa, Minha Vida 2

Brasil Econômico, Natália Flach, 06/abr

Foram meses de discussão até o governo federal lançar aquele que seria um dos principais motores da economia brasileira em 2009. O Minha Casa, Minha Vida saiu da gaveta em abril e, até dezembro, tinha quase 250 mil projetos aprovados. "Foi um ano de aprendizado. Agora, estamos avaliando o que precisa ser melhorado", afirma Romeo Braga, diretor de incorporação da Living, braço do segmento econômico da Cyrela."Outro problema é que, às vezes, os terrenos não contam com infraestrutura", diz João Paulo Rio Tinto de Matos, vice-presidente da Ademi-RJ.

 

A Zona Sul de Campo Grande

Extra, Danielle Abreu, 04/abr

Campo Grande não foi agraciado pela ilustre presença do mar, mas mesmo assim tem o seu "Leblon". O bairro, campeão de lançamentos imobiliários em 2009 - foram 2.654 novas unidades residenciais -, já revela os cantinhos preferidos do público. Dono da imobiliária Patrimóvel e vice-presidente da Ademi, Rubem Vasconcelos, disse que o bairro como um todo tem feito muito sucesso e teve uma valorização global de quase 70% em seis anos.

 

Mercado imobiliário carioca cresce 16,5% em 2009, diz pesquisa da Ademi

O Globo online, 30/mar

O número de lançamentos imobiliários no Rio de Janeiro apresentou um crescimento de 16,5% em 2009, na comparação com o ano anterior, de acordo com pesquisa da Ademi Rio. "O crescimento do mercado imobiliário em geral é um reflexo da retomada econômica. Nós tivemos um tropeço em 2008, mas em meados de 2009, o setor tomou fôlego novamente. Acredito que este ano o número de lançamentos supere 2009 em até 20%", afirma o vice-presidente da associação, Rodrigo Conde Caldas.

 

Construção civil em busca de mão-de-obra

Jornal do Brasil, Marta Nogueira, 21/mar

Os especialistas das áreas não deixam de se preocupar. O presidente da comissão de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, afirma que em 39 anos na profissão, nunca passou por um problema tão alarmante.

 

Nas prateleiras

O Globo, Flávia Monteiro, 21/mar

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Alexandre Fonseca destaca que, hoje, a valorização dos imóveis é maior na Zona Sul por conta da escassez de terrenos e, como consequência, a falta de novos lançamentos. No entanto, segundo ele, outras regiões despontam como uma boa opção de investimento a longo prazo.

 

UPPs podem valorizar imóveis na Tijuca em 30%

O Globo, Érika dos Anjos, 15/mar

Para Rubem Vasconcellos, diretor da Ademi-RJ, a segurança pública é um fator determinante para a compra de imóveis. Segundo ele, os valores estão começando a voltar à normalidade com a notícia da implantação das UPPs. "Quando se oferece mais segurança, o aumento das vendas é quase imediato", disse.

 

Foco voltado para lá da baía

Extra, Danielle Abreu, 14/mar

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, na semana passada, reforçou a intensidade dos holofotes voltados para a região. Desde 2008, quando foi lançada a pedra fundamental do complexo, as empresas de construção civil estão em polvorosa, de olho no potencial imobiliário da região. "A implantação de uma atividade econômica desse porte provoca, por antecipação, um crescimento populacional forte e que será ainda maior nos anos a seguir", disse o conselheiro da Ademi.

 

Benefícios muito além dos morros

O Globo, Elenilce Bottari, 13/mar

Os morros do Chapéu Mangueira e da Babilônia, no Leme, ganharam a sua UPP em junho passado. A nova unidade resgatou a paz nas comunidades e seus benefícios se estenderam ao asfalto, onde os imóveis se valorizaram em cerca de 30%, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio).

 

Imóveis em alta na Tijuca

O Globo Tijuca, Isabel Kopschitz, 04/mar

O mercado imobiliário da Tijuca está aquecido, e as perspectivas para este ano são ainda melhores. É o que garantem especialistas da área. Embora o número de lançamentos em 2009 (quatro, sendo três residenciais e um comercial) tenha sido menor do que em 2008, a liquidez vem aumentando, bem como o valor dos imóveis. Este ano haverá pelo menos seis empreendimentos no bairro, segundo Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi-Rio.

 

Atraso no Arco Metropolitano freia investimento de construtoras

Brasil Econômico, Natália Flach, 01/mar

Paulo Fabbriani, conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), acredita que o programa habitacional do governo pode ter sido um dos responsáveis pelo adiamento do boom nessas regiões. "O Minha Casa, Minha Vida trouxe o olhar das incorporadoras para a periferia da cidade do Rio de Janeiro, local que antes não era nem bem cogitado pelo mercado imobiliário", afirma.

 

Vendas de imóveis novos cresceram no ano passado

Extra, 28/fev

O número de imóveis novos vendidos no Rio cresceu 20% em 2009, em comparação com 2008. Os números são de uma pesquisa informal com grandes imobiliários feita pelo conselheiro da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani.

 

Bairros aquecidos

O Dia, 28/fev

O programa 'Minha casa, minha vida' está impulsionando o lançamento de unidades em bairros que estavam há vários anos sem receber novos empreendimentos. Os imóveis custam até R$ 130 mil. Bangu, Benfica e Irajá fazem parte dessas regiões, conforme revelou pesquisa de 2009 de números de unidades lançadas, da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Devolve que a casa é minha

O Globo, Flávia Monteiro, 28/fev

Um mês após as novas regras da Lei do Inquilinato entrarem em vigor, as relações entre donos de imóveis e inquilinos andam estremecidas. Segundo especialistas, as mudanças na lei tiveram um efeito psicológico, principalmente, nos proprietários. Para Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi, o aluguel atualmente é um termômetro que está registrando febre alta.

 

Imóveis continuam no andar acima da crise

O Globo Niterói, Fernanda Thurler, 27/fev

O mercado imobiliário em Niterói cresceu cerca de 20% em 2009, em comparação com o ano anterior. De acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), foram lançados 32 empreendimentos no ano passado contra 25, em 2008. Os bairros campeões em construção foram Icaraí, Jardim Icaraí, com quatro cada, Centro e Barreto, com dois cada.

 

Salas para alugar

O Dia, 14/Fev

Pesquisas da Ademi (associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que o número de lançamentos de unidades comerciais aumentou no Rio.Em 2005, foram construídos 313 imóveis e, no ano passado, o total de lançamentos chegou a 3.487. Isso mostra que os construtores estão ampliando o seu portfólio e apostando no segmento comercial

 

Mercado imobiliário do DF já é o 2º maior do país

Correio Braziliense, Diego Amorim, 07/fev

O mercado imobiliário do DF ultrapassou o do Rio de Janeiro e, em 2009, se consolidou como o segundo do país em faturamento e em número de unidades vendidas. Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi do Rio de Janeiro, pondera que a comparação entre as duas cidades é possível apenas no caso de unidades novas. "O mercado do Rio chega a ser 10 vezes maior se incluirmos o volume de vendas de imóveis usados", diferencia.

 

Imóveis são mais caros no Rio de Janeiro

Brasil Econômico, 08/fev

Aluguel na cidade aumentou entre 30% e 50%, de acordo com estudos do Sindilojas...Sem dúvida está havendo uma procura maior por imóveis comerciais devido a Copa do Mundo e as Olimpíadas", afirma Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi- RJ). Segundo dados da associação, em 2009 foram lançados dez empreendimentos comerciais na cidade. No ano anterior, foram seis empreendimentos.

 

Unidades comerciais

O Globo, 07/fev

Em 2009, foram lançados 10 empreendimentos comerciais na cidade do Rio, sendo seis na Barra da Tijuca. No total, foram 3.331 novas unidades comerciais, com valor global de vendas de R$950 milhões. O resultado foi melhor que o de 2008, quando foram lançados seis empreendimentos comerciais no município, com 1.933 novas unidades. Os números são da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio).

 

A volta do pé-direito alto

O Globo, Luciana Calaza e Isabel Kopschitz, 07/fev

O futuro vai chegar resgatando ícones arquitetônicos do passado. Diante de temperaturas que, segundo previsões de climatologistas para o Estado do Rio, estarão mais altas daqui a 50 anos entre 2 e 6 graus, recursos como o pé-direito alto, que garante maior circulação do ar, e o brise-soleil, que filtra a entrada do sol, vão nortear os projetos dos novos apartamentos.Para o arquiteto David Cardeman, diretor de Desenvolvimento Urbano da Ademi-Rio, os prédios do futuro tendem a ser autossustentáveis.

 

Especulação imobiliária da paz

O Dia, Maria Luisa Barros, 31/jan

Administradoras de imóveis estimam uma recuperação entre 20% a 50% no preço de casas e apartamentos em regiões como Copacabana, Leme e Botafogo, onde as UPPs foram implantadas. Para a Ademi, a valorização dos imóveis é imediata. "No início ninguém acreditava na ocupação. Agora, basta o anúncio para a especulação começar. É um chamariz para os corretores aumentaram suas vendas", diz o conselheiro Alfredo Lopes.

 

Valorização na Zona Norte

Extra, Danielle Abreu, 31/jan

Basta um passeio rápido pelo entorno do NorteShopping, no Cachambi, para perceber a quantidade de prédios novos ou em construção que surgiram por ali. Segundo dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), quase 2.400 unidades foram lançadas na região entre 2007 e 2009. A presença do shopping e do estádio Engenhão valorizaram as ruas do entorno ao longo dos anos em, pelo menos, 30%.

 

Lançamento de livro "Estruturação Imobiliária Aplicada - Fundamentos"

Base Blog, 27/01

A Editora Renovar, no Centro, lança no dia 28 de janeiro, a partir das 17h30, o livro "Estruturação Imobiliária Aplicada - Fundamentos". A publicação tem introdução do professor Melhim Chalhub e, entre os autores, o advogado Maury Rouède Bernardes, consultor jurídico da ADEMI RJ. O trabalho apresenta os fundamentos para a montagem e o desenvolvimento de negócios imobiliários.  

 

Lei do Inquilinato e o impacto na venda de imóveis

Rádio Nacional, 25/01

O conselheiro da Ademi, Paulo Fabbriani, pondera que a alteração pode não trazer grande impacto na locação de imóveis. "A mudança não vai trazer uma grande oferta de avulsos. E o preço, também, dificilmente vai cair. Com as alternativas de investimento nos patamares de taxas de retorno dos últimos anos, muitos proprietários vem alugando os seus imóveis, optando pela renda imobiliária ao invés de deixar o imóvel fechado, mesmo correndo o risco da legislação anterior. Afinal, o imóvel como ativo real passou a ser procurado por investidores, inclusive pela segurança que oferece".

 

O primeirão do Rio

Extra, 24/jan

Campo Grande ficou com o primeiro lugar no ranking dos bairros que ganharam o maior volume de novas moradias em 2009. Os dados são da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi Rio).

 

Poupança: crédito concedido em 2009 foi recorde

O Globo, 24/jan

No Rio de Janeiro, o número de lançamentos residenciais teve ligeiro crescimento, em 2009, informou a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio): foram 10.262 unidades, um pouco superior aos 10.111 de 2008. Entre os bairros analisados, Campo Grande (com 2.625 unidades) superou Jacarepaguá, bairro-líder de 2008, em 5,3%.

 

Campo Grande concentrou o maior número de lançamentos residenciais em 2009, segundo pesquisa da Ademi

O Globo online, 19/jan

Mesmo com a crise dos bancos, desencadeada no primeiro semestre de 2008, o número de lançamentos imobiliários residenciais no Rio não sofreu queda, conforme divulgado na pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi Rio).

 

O setor de escritórios de luxo

Rádio CBN, 16/jan

O mercado imobiliário do Rio de Janeiro começa o ano comemorando principalmente os resultados e as projeções para os escritórios de luxo. O conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do mercado Imobiliário, Rodolpho Vaconcellos, destaca que o investidor deve preferir os imóveis comerciais no Rio, onde a locação chega a 1% do valor das salas enquanto os residenciais não passam de 0,4%.

 

Barra campeã

O Dia, Fernando Molica, 19/jan

A Barra foi o bairro que mais cresceu em 2009. Pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) revela que, dos 13.749 empreendimentos lançados na cidade, 3.634 foram construídos por lá. Jacarepaguá, Recreio e Campo Grande vêm logo depois.

 

Uma cidade que atrai muitas construtoras

O Globo, Especial Nova Iguaçu, 15/jan

Muitos habitantes com renda alta, boa infraestrutura e facilidade na aprovação de projetos. Esses três fatores, de acordo com representantes do mercado imobiliário, tornam Nova Iguaçu a melhor cidade da Baixada para investimentos. "Todos os investimentos feitos na cidade nos últimos anos tiveram muito sucesso. Com certeza, o número total de 2010 ultrapassará essas 1.100 unidades já previstas", diz o consultor Alfredo Lopes, da Ademi.

 

Novo piso sobe renda do 'Minha Casa, Minha Vida'

O Dia, Tamara Menezes, 10/jan

Vice-presidente da Ademi , Rubem Vasconcelos acredita que outros ajustes são necessários. "Quem tem renda menor só compra imóvel de R$ 130 mil se tiver poupança ou FGTS altos. Nesse caso a pessoa se interessa por outros produtos", analisa. Porém, segundo o secretário estadual de Habitação, Leonardo Picciani, o programa não mudará: "Nossa expectativa é que os trabalhadores sejam reajustados. Devemos manter o mesmo padrão".

 

Revitalização em São Cristóvão

Jornal do Commercio, Viviane Faver, 10/jan

A valorização imobiliária já esta ocorrendo no bairro. De acordo com o conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi - RJ), Paulo Fabbriani, com o relançamento do bairro de São Cristóvão como um polo em desenvolvimento a valorização dos imóveis cresce. Esse fator é muito positivo para cidade. "Estão adotando o modelo que foi feito na Barra da Tijuca para São Cristóvão.

 

Início de ano a pleno vapor

Extra, Danielle Abreu, 10/jan

Os projetos de novos empreendimentos para 2010 estão pulverizados pela cidade. Mas a vedete deste ano promete ser a Zona Norte, segundo Rubem Vasconcelos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Alphaville é campeão

O Dia, 10/jan

O empreendimento Alphaville Barra da Tijuca, no Rio, lançado pela Gafisa em parceria com a Alphaville Urbanismo, foi vencedor  do Ademi Prêmio Master Imobiliário 2009, na categoria Marketing/Comercialização. A estratégia de marketing e vendas ganhadora destacou o produto, o consumidor e a confiança do corretor.

 

Pedra de Guaratiba está em alta

O Dia, Cristiane Campos, 03/jan

O programa 'Minha Casa, Minha Vida', além de reduzir o déficit habitacional e gerar emprego, está levando os construtores a lançar empreendimentos em regiões que não recebiam unidades novas há muitos anos. A Rossi, por exemplo, terá o Rossi Ideal Vila Guaratiba, na Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste. Segundo o vice-presidente da Ademi e diretor da Basimóvel, Alexandre Fonseca, há investidores estudando negócios na Pedra de Guaratiba.

 

Deflação do IGP-M dá direito a redução de aluguel, mas nem sempre locatário consegue. E, na renovação de contrato, alta chega a 30%

O Globo online, Lucianne Carneiro, 29/dez

Nesta terça-feira, a Fundação Getulio Vargas divulgou que o IGP-M registrou deflação de 1,72% em 2009, a primeira variação negativa em um ano desde o início da série histórica, em 1989. Os resultados acumulados em 12 meses do indicador mostram deflação desde julho. Segundo Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi, nos últimos anos, o mercado imobiliário colocou no mercado apenas um quarto do que seria necessário para atender ao crescimento populacional do Estado do Rio no período.

 

Mercado aquecido impede queda no aluguel

O Globo, Lucianne Carneiro, 30/dez

Desde julho, quem mora em casa alugada se depara com deflação no índice que rege a maioria dos contratos, o IGP-M. Pela lei, o locatário tem direito a pedir redução no aluguel, na hora do reajuste anual. Mas o que se vê, num mercado aquecido, é que nem sempre o inquilino exige esse direito, com medo de azedar a relação e ter problemas na renegociação (a cada 30 meses). Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi, diz que a oferta não acompanha o avanço da população do Rio, por isso, o espaço para reajustes é grande.

 

Especialista da Ademi Rio fala sobre o mercado imobiliário na capital carioca

O Globo online, 25/dez

Na hora de pensar a compra do novo imóvel, é comum o pretendente ser assaltado por muitas dúvidas. A começar pela valorização do mercado imobiliário carioca devido a Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas de 2016. De acordo com o especialista da Ademi Rio, Alexandre Fonseca, se o Brasil e, especialmente, o Rio de Janeiro fizerem o "dever de casa" corretamente, os imóveis terão um ganho real daqui para lá

 

Lapa no ritmo das novas construções

O Dia, Gisele Domingues e Valéria Souza, 27/dez

Os imóveis que valem ouro e atraem moradores de outras regiões são os que oferecem área de lazer caprichada. "Há estudos para a construção de novo empreendimento para a classe média", profetiza Alfredo Lopes, conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Nós vamos entrar em 2010 cantando pneu

O Globo, Flávia Monteiro, 20/dez

O empresário Rogério Chor, presidente da Ademi/RJ, está otimista. Afinal, passada a crise, o setor não apenas demonstrou sinais claros de recuperação, como ganhou novo fôlego com incentivos vindos das esferas públicas municipais e federais. Para 2010, ele prevê um crescimento entre 20% e 30%.

 

Ânimo redobrado para 2010

O Globo, Flávia Monteiro, 20/dez

O ano começou tímido, com o mercado imobiliário temendo os reflexos da crise financeira. Mas na contramão das empresas que optaram por adiar lançamentos, o ânimo do consumidor manteve-se inabalável em 2009. A Ademi espera encerrar o ano com 13.100 novos imóveis, sendo dez mil residenciais e 3.100 comerciais.

 

Força da Barra

O Globo, Flávia Oliveira, 16/dez

A construção de espaços comerciais dobrou no Rio este ano, segundo prévia da Ademi. O número de novas unidades subiu de 1.966, em 2008, para 3.100. A Barra foi o bairro campeão em lançamentos no setor, com 2.480, ante 1.195 no ano passado. Mas perdeu o 1º lugar no ranking residencial para Jacarepaguá, que somou 2.500 novas unidades.

 

Os patriarcas ainda ditam as tendências

Dois patriarcas do mercado imobiliário carioca foram os grandes homenageados do Prêmio Ademi 2009. José Conde Caldas, presidente da Concal, e Carlos Fernando de Carvalho, da Carvalho Hosken, receberam, no dia 7 de dezembro, os troféus de "Empresário do ano" e "Personalidade do ano", respectivamente.

 

Os patriarcas ainda ditam as tendências

O Globo, Luciana Calaza, 13/dez

Dois patriarcas do mercado imobiliário carioca foram os grandes homenageados do Prêmio Ademi 2009. José Conde Caldas, presidente da Concal, e Carlos Fernando de Carvalho, da Carvalho Hosken, receberam, na última segunda-feira, os troféus de "Empresário do ano" e "Personalidade do ano", respectivamente.

 

Terreno de Apac no Leblon não terá nova construção

O Globo, Elenilce Botarri e Ana Cláudia Costa, 10/dez

O prefeito Eduardo Paes disse nesta quarta-feira que não vai dar licença para construções no número 570 da Avenida Bartolomeu Mitre, no Leblon. Ao reagir à decisão do juiz João Felipe Nunes Ferreira Mourão, da 5ª Vara de Fazenda Pública, que determinou a exclusão do imóvel da Área de Proteção ao Ambiente Cultural (Apac) do Leblon. O valor do metro quadrado do bairro varia de R$ 8 mil a R$ 21 mil, de acordo com o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca.

 

Oscar imobiliário

O Dia, 06/dez

A entrega da 10ª Edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário em 2009 será amanhã no Hotel Intercontinental e coincidiu com a maior conquista esportiva já obtida pela cidade do Rio. O direito de sediar os Jogos Olímpicos de 2016 motivou a Ademi a escolhê-los como tema para a homenagem do mercado imobiliário.

 

No topo

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 07/nov

Pela primeira vez houve uma votação unânime em uma das categorias do Prêmio Ademi Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, que escolhe os melhores da construção. José Conde Caldas, presidente da construtora Concal, foi eleito o empresário do ano. Ele, que também é vice-presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, busca junto ao poder público melhorias para a revitalização de São Cristóvão.

 

Entrega de prêmio

Extra, 06/dez

A Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi RJ) promoverá, amanhã, o prêmio Destaque Ademi 2009. Neste ano, a premiação homenageará os eventos olímpicos conquistados pelo Rio, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O evento será no Hotel Intercontinental, em São Conrado.

 

Prêmio

O Globo, Joaquim Ferreira dos Santos, 07/dez

Rubem Vasconcelos, da Patrimóvel, recebe hoje o 10º Prêmio Ademi de Imobiliária do Ano.

 

Eventos esportivos valorizam setor imobiliário

Globonews, 19/nov

O setor imobiliário está otimista. Os imóveis no Rio de Janeiro se valorizaram entre 15% e 20% nos últimos dois anos, segundo o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, que complementa: haverá forte valorização de imóveis na cidade com os Jogos Olímpicos

 

UPPs vão beneficiar 300 mil pessoas em favelas do Rio até fim de 2010

O Globo, Antônio Werneck e Vera Araújo, 01/dez

O governo do estado pretende triplicar até o fim de 2010 o número de pessoas beneficiadas no Rio por Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), informou ontem o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Atualmente, são cem mil habitantes atendidos. Com novas UPPs, esse número chegará a 300 mil - ou cerca de 30% dos habitantes de favelas na capital. Segundo a Ademi, as UPPs refletiram positivamente também no mercado imobiliário.

 

Dando a volta por cima

O Globo, Henrique Gomes Batista, Fabiana Ribeiro e Bruno Rosa, 29/nov

Se a recessão no Brasil foi estancada no segundo trimestre de 2009, agora a herança da crise está ficando para trás. Graças principalmente ao consumo interno, a economia está aquecida e vários dos seus principais indicadores já superam os números de setembro de 2008, quando o agravamento da crise mundial atingiu o país em um bom momento. O setor de imóveis está entre os que deverão crescer. Segundo a Ademi, haverá uma alta de 5% no número de lançamentos imobiliários e nas vendas.

 

Com juros baixos, imóveis voltam ao foco

Jornal do Commercio, Tatiana Gurjão, 30/11

Depois de passarem um tempo esquecidos, diante da exuberância dos mercados acionários, os imóveis voltaram a atrair a atenção dos investidores, na medida em que as altas deste ano nas bolsas parecem limitar as possibilidades de ganhos para o futuro. De acordo com Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi, o reaquecimento deste segmento começou em 2006 e foi potencializado com a crise, que aumentou a desconfiança em relação ao mercado acionário por parte de investidores menos propensos a riscos.

 

Prêmios

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 27/nov

A RJZ Cyrela  conquistou seis prêmios na edição do estaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2009.

 

O verdadeiro cinema em casa

Revista Síndico, outubro/2009

Ter uma mega estrutura de lazer e serviços é um diferencial que a maioria dos interessados em adquirir um imóvel procura nos empreendimentos. Em alguns casos, o que dita a localização da área de lazer comum é a planta do terreno. Em Botafogo, um empreendimento tem a piscina não no alto do prédio, mas numa área mais elevada do terreno. "Acabou ficando bem charmoso, pois a piscina não foi a feita em cima do concreto e sim numa área cercada pelo verde. É esse tipo de solução que valoriza os empreendimentos, adotando áreas de lazer mais criativas", conta Rogério Chor, presidente da CHL e da Ademi.

 

Onda imobiliária

Valor Econômico, Paola de Moura, 17/nov

Os fundos imobiliários vivem um momento para lá de especial. A forte procura por parte dos investidores tem feito com que essas aplicações comecem a ganhar volume, depois de 15 anos desde a sua criação. Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi, diz que o volume ainda é pequeno e a falta de liquidez do mercado secundário é o principal entrave para que os fundos imobiliários ganhem volume de verdade.

 

Aprovação de empreendimentos imobiliários no Rio de Janeiro será concedida em até 30 dias

Construção Mercado, Thiago Oliveira, 17/nov

Empresários da construção civil do Rio de Janeiro receberam com entusiasmo o Decreto Municipal 31.165, assinado no último dia 25 de setembro pelo prefeito Eduardo Paes."Até então, levava-se um ano do pedido de aprovação até o lançamento do empreendimento, sendo nove meses para legalizar e três meses para lançar", contabiliza Rogério Chor, presidente da Ademi-RJ e diretor da construtora e incorporadora CHL.

 

50 mil casas no Porto do Rio

O Dia, 10/nov

A revitalização do Porto do Rio vai contribuir para a construção de 50 mil unidades residenciais na região. A previsão é da Secretaria Municipal de Habitação, que tem feito o mapeamento de imóveis e terrenos abandonados na área, a maioria com dívidas de IPTU. O trabalho fez a demanda por imóveis na região subir nos últimos 12 meses. O presidente da Ademi, Rogério Chor, afirma que todos os construtores estão interessados no projeto do Porto.

 

O bairro que é um sucesso

Extra, Danielle Abreu, 08/nov

Jacarepaguá é o bairro campeão do Rio. A região ficou em primeiro lugar no ranking dos locais com mais lançamentos imobiliários na cidade este ano. Segundo dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), foram lançados 998 novos imóveis no bairro no primeiro semestre de 2009.

 

Emenda da prefeitura no projeto do Plano Diretor prevê pagamento para atuais gabaritos

O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 06/nov

Os representantes da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) se manifestaram contra a aplicação da outorga onerosa na Zona Sul. Alegam que o objetivo seria apenas aumentar as receitas municipais, uma vez que a região já tem infraestrutura.

 

Artigo 72, muito prazer

Revista da Abami, outubro/novembro de 2009

Maury Bernardes, consultor jurídico da ADEMI, também acredita que o artigo 72 da Lei 11.977/09 veio dissipar dúvidas e acrescenta. "Considerando que o Código Civil de 2002 na redação do parágrafo 2º do artigo 1.334 já equipara o promitente comprador ao condômino, ao afirmar que: "São equiparados aos proprietários, para os fins deste artigo, salvo disposição em contrário, os promitentes compradores e os cessionários de direitos relativos às unidades autônomas", observa-se que a novidade introduzida pelo artigo 72 está mesmo no enquadramento do condômino adquirente devedor fiduciante, quando se refere ao credor fiduciário ao determinar expressamente que: "....será notificado o titular do domínio pleno ou útil, inclusive o promitente vendedor ou fiduciário".

 

Terrenos da Zona Oeste são apontados como principal destaque para Olimpíadas

Brasil Econômico, 29/out

"Queremos ser como Barcelona e não como Atlanta, onde tudo foi preparado apenas para os Jogos e hoje não tem mais nada. O movimento de valorização da Barra e Jacarepaguá já ia acontecer, afinal esses setores sempre chamaram a atenção dos investidores. A Olimpíada é apenas a cereja do bolo", afirma Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi.

 

Após um ano, pacificação valoriza Botafogo

Jornal do Brasil, João Pequeno, 30/out

O desenvolvimento imobiliário no bairro também contribui para maior valorização. Bom exemplo disso é a quantidade de unidades lançadas nos últimos anos, que vem crescendo ou mantendo-se em bom patamar, segundo a Pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Aliança público-privada

O Globo, Flávia Oliveira, 24/out

É quarta que vem o marco zero da aproximação entre o setor privado e a Prefeitura em torno dos projetos relacionaos à Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas de 2016 na cidade. Os conselhos empresariais de construção civil e Infraestrutura da Firjan vão se reunir com o secretário especial Ruy Cezar, dedicado à Rio 2016. A reunião terá a participação de empresários associados à Sinduscon-Rio, Ademi, Aerj e Sinicon, todos ligados ao mercado imobiliário de construção.

 

Sorteios e brindes para atrair quem planeja comprar imóvel

O Dia, Cristiane Campos, 25/out

Para incrementar as vendas e se livrar das unidades estocadas em construção ou prontas, construtoras investem mais pesado em ações que contemplam os compradores com prêmios, bônus e sorteio de R$ 1 milhão, vale-mudança, TV LCD e kit cozinha, entre outros. "Facilitar a vida do cliente após a aquisição de um imóvel é o melhor caminho para se vender mais", explica Alexandre Fonseca, diretor da Basimóvel e vice-presidente da Ademi.

 

Construção atrai investimento estrangeiro

Brasil Econômico, Natália Flach, 17/out

Para Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi  RJ), os grandes responsáveis pela vinda dos estrangeiros são a estabilidade econômica e a profissionalização do setor. "A abertura de capital de algumas empresas, que anteriormente tinham um perfil familiar e, agora, contam com executivos no comando, foi o pontapé inicial do processo de expansão do setor", afirma.

 

Polo de desenvolvimento

O Dia, 18/out

Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), avalia que apesar da crise e de uma retração do mercado, os investimentos na região ainda lideram: " A região é dotada de charme especial pela proximidade com a praia, a boa estrutura urbana, com inúmeros shoppings centers e os lançamentos inovadores".

 

Construtora sorteia prêmio de R$ 1 milhão no Rio

O Dia, 18/out

O mercado imobiliário ganhará sua primeira edição do Big Brother. A construtora CHL sorteará R$ 1 milhão para quem comprar uma unidade, a partir do dia 24, do Residencial Estrelas, na Barra da Tijuca. Na data, estarão à venda 400 apartamentos dois e três quartos, com preços a partir de R$ 227 mil. "Além do grande potencial de valorização dos imóveis na região, os clientes terão a chance de mudar de vida. Depois de presentear os moradores com um carro, a CHL está inovando novamente. A chance de ganhar R$ 1 milhão é real, já que são apenas 400 unidades", explica Rogério Chor, presidente da CHL e da Ademi.

 

Valorização olímpica

O Globo, Luciana Calaza, 18/set

Nos estandes de venda dos empreendimentos próximos ao Autódromo e ao Riocentro - região que concentrará 50% dos locais de jogos - a visitação de pretensos compradores já aumentou. Na Avenida Abelardo Bueno, onde será erguido o Parque Olímpico, há fila de espera para a comra de unidades comerciais e residenciais. Segundo Rogério Chor, presidente da Ademi, foi formada uma comissão de representantes das secretarias de Transportes, Urbanismo, Habitação e Obras para analisar as obras do Minha Casa, Minha Vida.

 

Ademi sugere hotéis metade apart, metade condomínio

O Globo, Carla Rocha e Flávio Tabak, 16/out

"No condo-hotel, os apartamentos são comprados por particulares que, por lei, têm que entregar a administração do negócio a uma operadora",  diz o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos.

 

Migração deixa oportunidades

Brasil Econômico, 14/out

O primeiro semestre do ano não foi bom para o mercado de Luxo na cidade maravilhosa. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado [mobiliário (Ademi-RJ), foram lançados apenas 74 Imóveis de alto padrão no Rio de Janeiro,enquanto no mesmo período de 2008, foram 102. " A crise fez com que as empresas colocassem o pé no chão, mas os sonhos de comprar um imóvel de luxo continuam aí. É por Isso que eu acho que o mercado deve crescer", analisa Paulo Fabriani, vice presidente Ademi - RJ.

 

Olimpíada dispara especulação imobiliária

O Dia, Cristiane Campos e Mahomed Saigg, 15/out

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e diretor da Basimóvel, Alexandre Fonseca, já houve um reajuste nos preços. "Em alguns casos foram retirados os descontos das construtoras", explica Fonseca.

 

Alta em Botafogo

O Globo, Zona Sul, 15/out

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos é cauteloso em relação aos impactos no mercado imobiliário. Para ele, ainda é cedo para falar em percentuais: "Essa tendência vale para todo lugar onde houve intervenção nas comunidades".

 

Casas P, M e G

O Globo, Flavia Monteiro, 11/out

Em Jacarepaguá, bairro onde a nova geração de apartamentos de dois quartos têm tamanho médio de 50 metros quadrados, os usados saem na frente, com uma média de 69 metros quadrados. Essa diferença, garante o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Rodrigo Caldas, não implica perda de qualidade.

 

Gafisa em Botafogo

O Dia, 11/out

O bairro de Botafogo não para de receber lançamentos imobiliários, segundo dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). A Gafisa, por exemplo, lançou o Estação Sorocaba. O grande destaque são os apartamentos gardens, que apresentam um novo conceito ao consumidor: comodidade, lazer e segurança de uma casa em um condomínio vertical.

 

Valorização de aluguel impulsiona venda de imóveis de luxo

Revista Construção Mercado, 12/out

Segundo dados da Ademi-RJ, o aluguel de imóvel comercial de luxo rende atualmente entre 0,8% e 1,2% ao mês, concentrando um número maior de investidores que o segmento residencial, em que o retorno fica entre 0,4% e 0,8%.

 

Vontade política e o Minha Casa, Minha Vida

Jornal do Brasil, Arnon Velmovitsky, 12/out

A retomada da força do segmento imobiliário se verificou nos recentes dados divulgados pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi): em junho deste ano, os financiamentos habitacionais chegaram a R$ 2,9 bilhões, superando em 24,7% o montante contratado em maio deste mesmo ano e beneficiando 25.840 famílias.

 

Minha casa, minha vida' tem 10 mil moradias à venda no Rio

Extra, Bernardo Moura, Danielle Abreu e Valeria Maniero, 11/out

O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), Rogério Chor, acredita que o Rio será o número um do programa no país. "Os prazos de licença da prefeitura foram encurtados. Isso vai ter um reflexo rápido", diz ele.

 

O dobro de imóveis em 2016

Extra, Danielle Abreu, 11/out

O aquecimento do mercado imobiliário no Rio virá por vários caminhos, segundo Rogério Chor, presidente da Ademi e da construtora CHL: pelo aumento do dinheiro em circulação, a partir de uma maior oferta de emprego; por funcionários de empresas que virão trabalhar no Rio; e por brasileiros de outros estados que voltarão a ver a cidade como opção para um segundo imóvel.

 

Unidades até 50% mais caras

Extra, 11/out

O aquecimento do mercado imobiliário no Rio terá um efeito colateral: o preço. De acordo com o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, os imóveis na região da Barra, principalmente, serão reajustados em cerca de 50%. Os outros bairros deverão ter os preços aumentados também, mas em percentual menor.

 

Imóveis da 'nova Barra' terão valorização de 50% com Rio 2016, prevê mercado

G1, Daniella Clark, 08/out

A estimativa é do presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Alexandre Fonseca. Segundo ele, a carência de terrenos na Zona Sul e a favelização presente em muitas áreas da Zona Norte fazem com que a região da Barra e de Jacarepaguá seja responsável hoje por 70% dos lançamentos imobiliários do Rio. "O Rio é uma cidade bem populosa e geograficamente pequena. E o carioca gosta de morar perto da praia. Ali, com certeza, é hora de comprar para investir", diz Fonseca.

 

De Deodoro à Barra da Tijuca: imóveis no Rio terão alta de 50% com Olimpíadas

Site Infomoney, Gladys Ferraz Magalhães, 02/out

A escolha da cidade do Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, deve fazer com que os preços dos imóveis na capital fluminense cresçam, no mínimo, 50%, nos próximos sete anos. A avaliação é do vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Alexandre Fonseca, para quem a valorização nos preços das unidades comerciais será ainda maior.

 

Se essa vila fosse minha

Jornal do Brasil, Revista Domingo, 04/out

No Rio, as vilas surgiram no começo do século 20, junto com o surgimento das fábricas, principalmente nos bairros do Jardim Botânico, Botafogo e Flamengo. Nesses locais, as casinhas originais são reconhecidas não só pela arquitetura, mas pela quantidade de pavimentos. "Normalmente. São as mais baixas", explica David Caderman, arquiteto e consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

União amplia valor de imóvel em outra linha

Extra, 03/out

A elevação dos valores de avaliação dos imóveis nos financiamentos habitacionais, anunciada na quinta-feira pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi, não valerá só para a compra de unidades do programa "Minha casa, minha vida". "A mudança é positiva porque o governo equiparou as localidades", disse o conselheiro da Ademi, Rodolpho Vasconcellos.No Rio, serão contempladas as cidades de Petrópolis, Campos e Volta Redonda.

 

Um impulso de R$ 22 bi para o PIB

O Globo, 03/out

O presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, está convencido não só da valorização de terrenos na Barra como em toda a cidade: "É a grande chance de virada do Rio. Não é no dia seguinte. Mas, de imediato, muda o humor. Isso contagia. Um ano e meio depois vamos sentir, de fato, reflexos econômicos, com o aumento do turismo e da renda", diz.

 

Investimento em imóveis comerciais

Revista Infra Facility Property, Set/2009

A taxa de juro em queda promete aquecimento de vários setores da economia e, certamente, um que aponta um cenário muito positivo é o mercado imobiliário. O setor é movido pela mola dos financiamentos bancários, que por sua vez acaba de atingir ótimos índices de crescimento, depois de alguns meses de paralisação por conta da crise. Os investidores já mostram sinais de retorno ao mercado com o novo patamar de juros, que pode até chegar a 8,5% nos próximos meses.

 

Programa habitacional

Jornal do Commercio, Editorial, 29/set

O encontro do prefeito Eduardo Paes com empresários e representantes da sociedade civil, a convite da Ademi, e as medidas por ele anunciadas para diminuir, através de novas regras, o prazo de licenciamento de empreendimentos imobiliários, somam-se a outras iniciativas em cujo contexto sobressai o de revitalização dos programas na área habitacional.

 

Licença habitacional: prazo cai de um ano para 30 dias

Jornal do Commercio, Luan Seixas, 28/set

A aprovação de projetos imobiliários no Rio de Janeiro ficará mais rápida. Decreto assinado na última sexta-feira pela prefeito Eduardo Paes na Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) determina prazo máximo de 30 dias para a liberação de empreendimentos imobiliários, independentemente do tamanho dos projetos.

 

Apartamentos sem paredes

Extra, Danielle Abreu, 27/set

Um levantamento da Ademi-RJ mostra que foram lançados 258 lofts no Rio, nos últimos cinco anos. Boa parte dessas unidades foi de apostas da RJZ Cyrela no segmento. Dois empreendimentos - Le Parc e Mandarin - já foram lançados pela construtora.

 

Novos projetos de casas populares em Santa Cruz

O Globo, Isabela Bastos, 26/set

Dois prédios localizados no Largo do Bodegão, em Santa Cruz, conhecidos como He Man e Esqueleto, serão implodidos até o fim do ano pela prefeitura. O anúncio foi feito pelo prefeito Eduardo Paes em um almoço com empresários e representantes da sociedade civil, promovido pela Ademi, no Jockey.

 

Espaço livre para criar

O Globo, Flávia Monteiro, 27/set

Comprar um imóvel ou um lote para construir a própria residência? Eis a questão que perturba o sono de muitos candidatos à casa própria. Seja qual for o desejo do cliente, a decisão inspira cuidados. É preciso checar se o lote que está sendo adquirido não é irregular, ressalta Rogério Chor, presidente da Ademi.

 

Sinal verde para imobiliárias

O Globo, Flávia Oliveira, 25/set

O prefeito Eduardo Paes assina hoje, em almoço da Ademi, decreto para desburocratizar o licenciamento de projetos imobiliários no Rio. O compromisso é aprová-los em 15 dias, se não houver exigências; ou em até 30, se houver. "A redução do prazo de avaliação, que antes levava até um ano, tem impacto direto no custo de capital das construtoras", diz Rogério Chor.

 

Licenças para construir serão emitidas em 1 mês

O Globo, Marcelo Dutra, 25/set

O prefeito Eduardo Paes assina hoje um decreto determinando prazo máximo de 30 dias para a liberação de empreendimentos imobiliários, independentemente do tamanho do projeto. A medida, que visa dar mais agilidade ao mercado, será anunciada hoje durante almoço de Paes na Ademi.

 

Vice, com orgulho!

O Globo Zona Oeste, Fred Raposo, 19/set

Uma pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) revela que, em 2008, Campo Grande abocanhou 9,5% (ou 1.107) das 11.603 unidades lançadas no ano passado. Ou seja, um em cada dez lançamentos acontecem no bairro - resultado que o catapultou do quinto para o terceiro lugar, atrás apenas da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá.

 

Respeito ao meio ambiente é marca da construção civil

O Fluminense, Flávio de Oliveira, 21/set

Medidas de sustentabilidade ambiental já são realidade entre diversos segmentos da construção civil. De acordo com o arquiteto e consultor de desenvolvimento da Ademi-RJ, David Cardeman, com a adoção de práticas sustentáveis de conservação e uso racional no setor é possível reduzir entre 30% e 40%, o consumo de energia e de água.

 

Entre na lista de espera

O Globo, Morar Bem, Lino Rodrigues e Flávia Monteiro, 20/set

A fila de candidatos para aluguel de imóveis de um e dois quartos praticamente triplicou nos últimos dois anos na cidade de São Paulo. No Rio, a situação é semelhante. Dados da Ademi revelam que, hoje, de cada cem lançamentos, somente 3,9 são de um quarto. Vice-presidente da associação, Rubem Vasconcelos destaca que, embora a maior demanda para compra seja por imóveis de dois e três quartos, o quarto-e-sala atende a diversos públicos.

 

Investimentos buscam repovoar Zona Portuária

Jornal do Brasil, João Pequeno, 14/set

Evitar a consolidação de Saúde, Gamboa e Santo Cristo como bairros fantasmas é um dos pontos cruciais do projeto Porto Maravilha, que começa a ser discutido hoje na conferência "A Revitalização da Zona Portuária do Rio de Janeiro", no auditório do BNDES, no Centro. Vice-presidente da Ademi, José Conde Caldas fará palestra amanhã na conferência.

 

Zona Portuária pronta para zarpar

Jornal do Brasil, João Pequeno, 13/set

Idealizada desde o fim dos anos 70 e elaborada em projetos da Secretaria Municipal de urbanismo no início desta década, a tão falada, e adiada, revitalização da Zona Portuária do Rio parece mais perto de sair do papel agora. Um seminário vai discutir o assunto no auditório do BNDES, com a presença, entre outros, de José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi.

 

Bairros que não param de crescer

O Dia, Andréa Machado, 06/set

Campo Grande, Guaratiba, Jacarepaguá, São Cristóvão e Santa Cruz são alguns bairros do Rio que não param de crescer. A chegada de novos moradores tem explicação: por causa do programa do governo 'Minha Casa, Minha Vida', vários empreendimentos estão sendo lançados nos bairros cariocas, com previsão de abertura de mais de 6 mil unidades, segundo Alexandre Fonseca, diretor da Basimóvel e vice-presidente da Ademi-RJ.

 

Imóveis valendo o dobro

O Globo, Luciana Calaza, 06/set

Em média, os preços dos imóveis no Rio subiram 100% em oito anos. Para Rodolpho Vasconcelos, conselheiro da Ademi e diretor de Operações da Domus, a alta no valor dos imóveis na cidade é um bom indicativo para o mercado.

 

Contra a maré

Jornal do Commercio, Aziz Ahmed, 31/ago

Apesar dos pesares, a construção civil gerou, em julho, 32.175 empregos formais. "Para aprovar um empreendimento imobiliário são necessárias hoje cerca de 20 certidões, que precisam ser renovadas mensalmente, onerando em até 9% o valor dos imóveis", ressalta Rogério Chor, presidente da Ademi.

 

Vice-presidente na Ademi

Extra, 30/ago

Marco Adnet, diretor da regional Rio da Rossi Residencial há nove anos, foi eleito vice-presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro.

 

Agulhas no palheiro

O Globo, Luciana Calaza, 30/ago

Na falta de terrenos para construir novos prédios nas ruas mais nobres da cidade, os olheiros das empresas redobram a atenção. Assim, de vez em quando, acaba surgindo um novo condomínio em ruazinhas escondidas e, por isso mesmo, mais tranquilas. "Além de menos poluição e barulho, as ruas pequenas têm, como atrativo, uma arquitetura mais aconchegante, já que os prédios costumam ser mais baixos, via de regra, de cinco ou seis pavimentos", afirma David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi-Rio.

 

À espera de ações e normas legais

Jornal do Commercio, Lucas Vettorazzo, 25/ago

O vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Alexandre Fonseca, afirmou que a aprovação da nova legislação será a primeira sinalização do governo de que a iniciativa privada pode começar a investir na área. Ele ressalta, contudo, que o que vai determinar o tipo de empreendimento a ser construído no local e para qual classe social ele será voltado é o cumprimento da garantias de segurança e infraestrutura (limpeza, iluminação) anunciadas pelo governo.

 

Respeito ao meio ambiente

O Fluminense, Érika Torres, 24/ago

É com a intenção de preservar o meio ambiente, evitar o aquecimento global, diminuir as despesas com água, energia elétrica e tratamento de resíduos que os empreendimentos imobiliários estão investindo em um novo design, ecológico. "A sustentabilidade tem relação direta com a economia", afirma David Cardeman, consultor de desenvolvimento da Ademi-RJ.

 

A caminho de Campo Grande

Extra, Danielle Abreu, 23/ago

O programa habitacional "Minha casa, minha vida" (MCMV), do governo federal, começa a tomar conta dos catálogos das construtoras do Rio. Segundo o diretor da Basimóvel e vice-presidente da Ademi-RJ, Alexandre Fonseca, Campo Grande tem condições favoráveis para o programa do governo porque tem uma população com boa renda e que não se interessa em morar longe dali.

 

Segmento popular

O Dia, 23/ago

O diretor regional da Rossi, Marco Adnet, foi eleito vice-presidente da associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ). O executivo destacou o bom momento que o setor está vivendo com o programa "Minha casa, minha vida", para lembrar que a incorporadora já atua nesse setor há vários anos.

 

Minha Casa, Minha Vida ajuda setor

Jornal do Brasil, Marta Nogueira, 23/ago

O programa "Minha Casa, Minha Vida", que visa facilitar a construção e o financiamento de moradias para famílias com renda de até 10 salários mínimos (R$ 4.650), saiu do papel há apenas quatro meses e já traz bons resultados para o setor imobiliário. "A Rossi espera atingir a meta de 13 a 15 mil unidades vendidas até dezembro deste ano, sendo que 30% delas no Rio de Janeiro", informa o diretor regional RJ da construtora e vice-presidente da Ademi, Marco Adnet.

 

Especialistas apontam aquecimento do mercado imobiliário de luxo no Rio

O Globo Online, Ystatille Gondim, 18/ago

Apesar da crise econômica ter afetado grande parte das empresas brasileiras, o mercado imobiliário carioca aponta um aquecimento no setor de luxo. É o que indicam os especialistas. De acordo com os dados da Ademi, somente neste ano, até julho, foram 79 lançamentos de imóveis residenciais acima de R$ 1 milhão. E, de acordo com o vice-presidente da entidade, Rodrigo Conde Caldas, a demanda é cada vez maior por esse tipo de empreendimento.

 

Todos querem um closet

IstoÉ, Francisco Alves Filho, 18/ago

O closet, ou quarto de vestir, é um dos mais cobiçados itens nas casas das famílias brasileiras. Da classe média para cima, todos sonham ter um espaço exclusivo para guardar e trocar de roupas. É um dos símbolos de status do momento. "Donos de imóveis antigos têm criado closets para aumentar o preço de venda", afirma Alexandre Fonseca, vice-presidente da Ademi.

 

Nem sempre cabe mais um

O Globo, Luciana Calaza, 16/ago

Uma pesquisa, promovida pelos institutos Mediator e Contexto Brasil, mostra o que quer o morador de um condomínio de classe média, onde os apartamentos são compactos, e as áreas de lazer e serviços, amplas. Para Alexandre Fonseca, diretor-executivo da Basimóvel e vice-presidente da Ademi, a tendência de imóveis compactos em grandes condomínios-clube é irreversível.

 

A estrela da Zona Norte

O Dia, 16/ago

Bairro queridinho da Zona Norte do Rio, a Tijuca está entre os preferidos do carioca para morar. De 2007 para 2008, segundo a Ademi, o bairro teve crescimento de 500% no número anual de unidades lançadas, saltando de 96 para 464 novos apartamentos. Para Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Concal e vice-presidente da Ademi, a Tijuca é o bairro de maior liquidez na Zona Norte.

 

Ecoeficiente

O Globo, Ancelmo Gois, 13/ago

O arquiteto David Caderman falará sobre Construção Ecoeficiente, amanhã, no curso CM2 Estruturação Imobiliária, na Ademi.

 

Crédito volta para casa

O Globo, Aguinaldo Novo e Fabiana Ribeiro, 11/ago

Depois de quatro meses de estagnação, o volume de financiamentos imobiliários com recursos da caderneta de poupança deu um salto em junho, no melhor mês desde agosto do ano passado. Segundo Rogério Chor, presidente da Ademi, foi justamente o aperto nos financiamentos - e não uma crise na demanda - que deu um freio nos lançamentos imobiliários no ano passado no Rio. Com mais crédito, o setor volta a ter força para crescer.

 

Copacabana perde penúltima casa da orla

Estado de São Paulo, Felipe Werneck, 08/ago

A casa rosa que abriga o Consulado Geral da Áustria, a penúltima da orla de Copacabana, foi vendida. O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, disse que a casa fica no ponto mais valorizado de Copacabana, o Posto 6, e que o metro quadrado construído ali custaria R$ 12 mil.

 

Barra terá conjunto popular

O Dia, Cristiane Campos, 08/ago

A Barra da Tijuca, uma das regiões mais nobres da cidade, vai abrigar empreendimento do programa 'Minha Casa, Minha Vida'. Serão 1.410 unidades na Avenida Salvador Alende, quase esquina com a Avenida Abelardo Bueno. Segundo o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, o megaprojeto não vai desvalorizar a região.

 

Imóveis no lugar de ruínas

Extra, Danielle Abreu, 09/ago

De um lado, um mundo de água. De outro, concretos em ruína, prédios abandonados e casas velhas... Mas não por muito tempo. Para cá do Porto do Rio, há muito o que ser reaproveitado. Especialmente as moradias. O consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi, David Cardeman, acredita que muitas famílias se interessam por morar na área.

 

Curso Estruturação Imobiliária Aplicada

O Globo, Ancelmo Gois, 06/ago

A CM2 inicia amanhã, na Urca, com apoio da Ademi-RJ, seu 4º curso Estruturação Imobiliária Aplicada.

 

Onde o Rio pode crescer

O Globo, Luciana Calaza, 02/ago

O mercado imobiliário do Rio poderia ter traçado um caminho diferente, mais homogêneo. A avaliação, feita pelo arquiteto e urbanista Carlos Fernando Andrade, superintendente do Iphan no Estado do Rio, encontra respaldo não só no esboço do novo Plano Diretor, como no discurso de construtores, como José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi. Caldas concorda, em parte, com a tese.




 

Para analistas, inquilinos não terão redução

O Globo, Mariana Schreiber e Aguinaldo Novo, 31/jul

A deflação de 0,67% do IGP-M nos últimos 12 meses vai ajudar os inquilinos que estão negociando o reajuste do aluguel. Segundo agentes do mercado imobiliário, a tendência é de que o valor pago mensalmente caia ou permaneça estável. Para Paulo Fabbriani, conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o IGP-M favorece o inquilino cujo contrato de aluguel está fazendo aniversário.




 

Aluguéis não param de subir em São Paulo

TV Globo, Bom Dia Brasil, 30/jul

De janeiro a junho de 2009, o preço do aluguel em São Paulo teve variação de 20%. No Rio de Janeiro, a oferta também vem caindo. Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário revelam que, hoje, de cada cem lançamentos, somente quatro têm um dormitório.

 

O momento é agora

Veja Rio, 16/jul

Segundo a ADEMI, entre 2007 e 2008 foram lançados no Rio cerca de 13.959 unidades. A Barra da Tijuca tem o maior número de unidades disponibilizadas (cerca de 4.945). Nos últimos anos, o segmento residencial representou mais de 90% dos lançamentos.

 

Empregos na construção civil

Rede Record, 22/jul

A construção civil se firmou como um dos setores que mais tem empregado profissionais, apesar de faltar mão de obra qualificada. "O novo plano do governo federal faz com que o mercado tenha um crescimento muito grande nos próximos anos e uma contratação de mão-de-obra cada vez maior", afirma o conselheiro da ADEMI, Paulo Fabbriani.

 

Canais livres para imóveis econômicos

Valor Econômico, Edson Pinto de Almeida, 20/jul

Confiantes no sucesso do programa, as construtoras calculam que a capacidade de faturamento do setor poderá dobrar, uma vez que, por volta de 2016, o mercado de imóveis até R$ 150 mil deverá superar o volume do mercado tradicional. "Ele será fundamental não só para atender às famílias mais pobres, mas também para a saúde das empresas", afirma Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Apartamentos de cobertura são cada vez mais raros em prédios de classe média

O Globo online, 14/jul

São muitos os que sonham em morar numa cobertura. Daquelas com vista para a paisagem do Rio e um terraço que permita uma série de atividades impensáveis no confinamento de um apartamento padrão. "Quanto mais sofisticado for o empreendimento, a cobertura tem mais sentido de ser construída", diz Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Ademi.

 

Sanfona demográfica de um bairro

Jornal do Brasil, João Pequeno, 19/jul

Praticamente um ponto de turismo - inclusive para cariocas de outros locais - São Cristóvão, o bairro imperial, deve aumentar sua população em torno da Quinta, cheia de prédios em construção após a mudança o Plano de Estruturação Urbana (PEU), aprovado em 2004. os lançamentos imobiliários em São Cristóvão dispararam a partir de 2006, acumulando 750 novas unidades até o ano passado, segundo o vice-presidente Ademi, Rubem Vasconcelos.

 

Que nem São Tomé

O Globo, Luciana Calaza, 12/jul

Se o Rio, de fato, renascer no Cais do Porto, como esperam as autoridades, as moradias na região, no futuro, poderão alcançar preços de bairros da Zona Sul. O presidente da Ademi, Rogério Chor, acredita que a Zona Portuária tem potencial para receber moradias para classe média alta.


 

 

 

A tradição contra a decadência

Jornal do Brasil, João Pequeno, 12/jul

Os 250 anos que a Tijuca completa neste mês marcam o choque entre a tradição e a desvalorização nos valores de casas e apartamentos próximos a favelas. Segundo José Conde Caldas, do Conselho de Desenvolvimento Urbano da Ademi, há uma reação do mercado no bairro, evidenciada com a venda total na região de dois prédios lançados pela Concal em 2008.




 

Expansão imobiliária no Estado do Rio deverá atingir novos municípios

O Globo Online, 06/jul

A falta de terrenos na Zona Sul do Rio tem estimulado a construção de novos empreendimentos em Jacarepaguá e na Barra da Tijuca. Isso faz com que essas regiões liderem há cinco anos o ranking de lançamentos. Em 2008, a pesquisa da Ademi do Rio de Janeiro apontou que cerca de 70% dos lançamentos estavam concentrados nessas áreas. No entanto, de acordo com Paulo Fabrianni, conselheiro da Ademi, em 20 anos, esses bairros não terão mais possibilidades de expansão.

 

Necessária ou supérflua?

O Dia, Cristiane Campos, 05/jul

Construtoras e incorporadoras investem cada vez mais na decoração das partes comuns dos empreendimentos, contratando arquitetos, designers e paisagistas renomados. "Os moradores vão encontrar o empreendimento totalmente decorado e funcionando", explica o conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Paulo Fabbriani.






 

A fronteira da vez

O Globo, Luciana Calaza, 05/jul

Considerado o pedaço mais valorizado de Jacarepaguá, a Freguesia fica ao pé da serra e é porta de entrada, a leste, para quem chega pela antiga Estrada Grajaú-Jacarepaguá (atual Avenida Menezes Cortes). David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi, lembra que o PEU, aprovado em 2006, acabou sendo determinante para o surgimento de novos imóveis.

 

Frio, design e negócios

Arquitetura e Decoração, 01/jul

Em uma época em que a decoração passou a ser um negócio, a Região Serrana do Rio se destaca como um polo de bons profissionais e eventos grandiosos. Além disso, por abrigar construções de alto luxo, trata-se de uma das áreas que mais se valorizam no Rio, diz José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi.

 

Quanto mais popular, melhor

O Globo, Dandara Tinoco, 27/jun

De olho no programa habitacional "Minha casa, minha vida", construtoras e imobiliárias planejam lançamentos de empreendimentos residenciais populares, com unidades de até R$ 80 mil, e econômicos, cujos preços variam de R$ 80 mil a R$ 150 mil. De acordo com Alexandre Fonseca, vice-presidente da Associação Ademi e diretor da Basimóvel, o programa dará continuidade ao boom imobiliário que vem ocorrendo na Baixada há três anos.

 

Um teto para dar lucro

O Globo, Luciana Calaza, 28/jun

Os imóveis estão de volta à lista de boas opções de investimento. Segundo executivos do mercado imobiliário, o movimento de compra de unidades para alugar teve um crescimento da ordem de 20% no mês de junho. Na comparação com a poupança - que rende mensalmente 0,5% mais TR (na quinta, esse resultado era de 0,56%) -, o retorno financeiro, por ora, é semelhante, diz Rodolpho Vasconcelos, conselheiro da Ademi e diretor de operações da Domus.

 

Pé no freio

O Globo, Flávia Oliveira, 23/jun

O município do Rio registrou lançamento de 3.080 unidades imobiliárias de janeiro a maio, segundo a Ademi. O resultado ficou bem abaixo dos 4.102 de 2008.

 

Cedae estreita relações com a construção civil

Jornal do Commercio, Luan Seixas, 22/jun

Empresários do mercado imobiliário da construção civil e a Cedae firmaram parceria, na sexta-feira, para aprimorar o processo de instalação de projetos habitacionais ou comerciais, em conjunto com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio) e a Associação do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). O presidente da Ademi, Rogério Chor, acredita que esse novo relacionamento trará dividendos para o estado.

 

Aposta na queda de juros

O Globo, Luciana Calaza, 21/jun

Com as sucessivas quedas da Selic (a taxa básica de juros), a maioria dos especialistas recomenda um plano com juros pós-fixados. Para Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi, mesmo que houvesse uma alta da Selic, o impacto nas prestações seria insignificante.

 

Apesar da crise, filas para imóveis de luxo crescem

Jornal do Brasil, Natalia Pacheco, 21/jun

Alheio à crise mundial, o setor imobiliário de luxo, com destaque para o Brasil, passa ao largo dessa tormenta. Segundo o vice-presidente da Ademi, Rodrigo Caldas, o bom preço atrai muitos estrangeiros que querem passar uma temporada no país.





 

 

Baixada ainda mais aquecida

O Dia, Cristiane Campos, 14/jun

O mercado imobiliário da Baixada Fluminense ganha ainda mais fôlego com o programa do governo 'Minha Casa, Minha Vida', que prevê imóveis de até R$ 130 mil. Para o presidente da Ademi, Rogério Chor, o mercado agora está caminhando para atender a diversas áreas do Rio.

 

Em nome do conforto

Extra, Danielle Abreu, 14/jun

O que é melhor, morar em um apartamento pequeno na Zona Sul ou num com o dobro do tamanho na Zona Norte? Depende, mas tem muita gente que prefere a segunda opção. Segundo o consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi, David Cardeman, transporte diversificado é um dos trunfos da Zona Norte.




 

Condomínio de alto luxo na Barra terá 22 unidades

Jornal do Commercio, Tatiana Gurjão, 11/jun

Descolado da crise, o setor imobiliário residencial de alto luxo continua de vento em popa, no que depender da procura. No fim do mês, será lançado condomínio residencial na Barra da Tijuca, no qual os preços variam entre R$ 2,2 e R$ 4,6 milhões. Apesar da tendência, porém, o mercado de alto luxo, encontra dificuldade para se expandir, de acordo com Paulo Fabbriani, conselheiro da Ademi.

 

Uma cidade que precisa cada vez mais de estacionamentos

A Tribuna, Pamela Araujo, 06/jun

A pouca oferta de vagas nas ruas da cidade, devido ao aumento da frota de veículos, além da falta de segurança nessas vias, leva o niteroiense a buscar vagas nos poucos edifícios garagens ou estacionamentos privados para estacionar seu carro.

 

Renegociação de aluguéis

TV Brasil, 30/mai

Pelo terceiro mês consecutivo, o IGP-M encerrou maio com deflação de 0,07% segundo os números divulgados FGV. "No fim do ano passado tivemos uma situação atípica do IGP-M, em alta, que não se configurou em tendência. As condições de crédito para aquisição da casa própria estão mais atraentes, mais um fator de vantagem para o inquilino", afirmou Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi.

 

A nova onda

O Globo, Alessandra de Paula, 07/jun

As construtoras vêm criando espaços inimagináveis em condomínios, investindo principalmente em áreas de lazer. De acordo com Rogério Chor, presidente da Ademi, no futuro os condomínios serão mais seletivos ao oferecer alternativas de lazer.

 

Bancos disputam mutuários

O Globo, Geralda Doca e Eduardo Rodrigues, 06/jun

Num movimento iniciado pelas instituições privadas e já seguido pelo Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal anunciou ontem a redução dos juros cobrados no crédito imobiliário para novos contratos. Segundo a Ademi, em maio foram lançadas 260 unidades residenciais no Rio, número semelhante ao registrado no mesmo período do ano passado.

 

Índice que reajusta aluguéis tem nova queda

O Globo, Lino Rodrigues e Érica Ribeiro, 29/mai

Pelo terceiro mês consecutivo, o IGP-M encerrou maio com deflação de 0,07% - após resultados negativos de 0,15% de abril e de 0,74% em março - segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi, diz que os inquilinos serão beneficiados no momento de renegociar os aluguéis este ano.





 

A trilha da volta

O Globo, Miriam Leitão, 29/mai

Há sete meses, a Bolsa brasileira bateu no ponto mais baixo dos últimos anos. De lá para cá, já subiu 80%. Olhando para a economia real, as luzes amarelas, porém, ainda estão acesas no painel. O setor imobiliário, por exemplo, sofreu um baque em plena temporada de lançamentos, mas Rogério Chor, da Ademi, dá um bom sinal da melhora recente. Segundo ele, neste segundo trimestre sua empresa voltou a conseguir antecipação de recebíveis.

 

Revitalização do porto do Rio pode ser um bom negócio

Gazeta Mercantil, Natália Flach e Carlos Braga, 21/mai

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, assinou uma parceria com o Ministério do Turismo para promover a revitalização do zona portuária. O programa terá investimento de US$ 187 milhões. David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi, defende que a área se torne um local misto, com empreendimentos residenciais e comerciais.






 

De volta ao Grajaú

Extra, 24/mai

Desde 2003 sem lançamentos imobiliários, segundo uma pesquisa da Associação de Dirigientes de Empresas do Mecado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), o bairro do Grajaú volta a receber investimentos.

 

O Rio tem boas oportunidades

Veja Rio, 24/mai

A confiança voltou ao mercado imobiliário carioca depois dos efeitos provocados pela crise financeira internacional. As medidas de estímulo aos negócios adotadas pelo governo começam a surtir efeito, especialmente na oferta de crédito para a compra da casa própria. Para Rogério Chor, presidente da Ademi, a principal tendência dos empreendimentos é uma completa estrutura de lazer e serviços, semelhante a que se tornou marca dos grandes condomínios da Barra da Tijuca.

 

Novas estrelas na cidade

O Dia, Cristiane Campos, 24/mai

Depois de São Cristovão, que atualmente, é uma das regiões mais valorizadas da Zona Norte, construtoras e incorporadoras passam a investir em regiões como Benfica, Flamengo, Grajaú, Madureira e o famoso condomínio Nova Valqueire. Segundo o vice-presidente da Ademi, Alexandre Fonseca, o fato da região não receber lançamento há muito tempo representa que existe uma demanda reprimida muito grande.

 

Pacificação lenta e gradual

Jornal do Brasil, João Pequeno, 25/mai

Enquanto as "pacificações" - ocupações da polícia em favelas para retirar domínios de tráfico ou de milícias - ainda enfrentam dificuldades, a prefeitura inicia a primeira escala de 24 horas da Guarda Municipal (GM), no Leme e anuncia sua extensão aos outros bairros "pacificados", assim como à Lapa. Segundo agentes imobiliários de órgãos como a Ademi, ruas próximas a morros no Leme devem custar a chegar à média de preços do bairro.

 

Cariocas querem casa

O Globo, Paula Dias, 24/mai

Pesquisa do Ibope, feita por encomenda de empresas do mercado imobiliário, mostra que 21% dos chefes de domicílios cariocas pensam em comprar um imóvel residencial ainda este ano. Rogério Chor, presidente da Ademi, diz que os motivos que protegem o mercado da crise também têm a ver com incentivos recentes do governo, como o "Minha casa, minha vida".

 

Ecológico de verdade

Veja Rio, Vanessa Barbosa, 18/mai

As campanhas de venda de imóveis acrescentam um novo argumento de venda, intitulando de "prédio verde" muitos empreendimentos. Não basta ter um jardim bem cuidado ou meia dúzia de árvores para merecer o crédito. Segundo David Cardeman, consultor da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) trata-se de uma aposta do setor, viável e lucrativa."

 

Falta quarto e sala no Rio

O Globo, Paula Dias, 17/mai

A oferta de apartamentos de um quarto é cada vez menor na cidade. "O aumento no número de pessoas que moram sozinhas é reflexo do mundo moderno em que vivemos. Mas há empecilhos legais que dificultam a aposta das construtoras nesse tipo de imóvel", afirma o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Ocupação de morros do Leme pode voltar a valorizar imóveis do bairro

O Globo, Isabel Kopschitz, 18/mai

A pacificação dos morros da Babilônia e do Chapéu Mangueira, no Leme, resultará numa recuperação de 30% a 40% do valor dos imóveis do bairro, no período de um ano. A estimativa é do vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Rubem Vasconcelos.

 

PM em morro não valoriza prédios

Jornal do Brasil, João Pequeno, 14/mai

O anúncio de que os morros do Leme serão os próximos ocupados pela polícia com as chamadas unidades pacificadoras não deve ser suficiente para valorizar os imóveis na região. Segundo Rubem Vasconcellos, presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Ademi, casas com vista para favelas são vendidas e alugadas até 70% abaixo do valor.

 

Feirão da Caixa: imóveis novos superam usados

O Globo, Luciana Casemiro, 13/mai

Em um só lugar, um leque de opções de 66.163 imóveis, entre novos, usados e na planta, com valores de R$ 42 mil a R$ 1,5 milhão e a garantia de financiamento da Caixa de até 100% do valor, em 30 anos. Rogério Chor, presidente da Ademi, se diz otimista com as novas perspectivas do mercado imobiliário.

 

Botafogo ganha mais condomínios

O Dia,10/mai

Botafogo continua atraindo construtores e interessados na compra do imóvel. Segundo a Ademi, houve 79 lançamentos no bairro, de janeiro a abril. No ano passado, a região recebeu 197 unidades.

 

Realização do sonho "Minha casa, minha vida"

O Fluminense, Raphael Martiniano, 26/abr

O plano habitacional "Minha casa, minha vida movimenta o setor no Estado do Rio, que será contemplado com a construção de 74.657 casas. A possibilidade de desenvolvimento urbano e imobiliário é confirmada com otimismo pelo conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) do Rio, Paulo Fabbriani.

 

Obras apoiam esporte

Extra, 03/mai

A Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) lançou apoio à candidatura do Rio de Janeiro à sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

 

Ademi engajada

O Dia, 03/mai

A Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário) lançou seu apoio à candidatura do Rio à sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

 

Mercado fluminense se recupera em março

Gazeta Mercantil, Natália Flach, 23/abr

O medo da turbulência econômica fez com que construtoras e incorporadoras trancassem seus caixas a sete chaves, até que o cenário mundial fique mais nítido. De acordo com Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Ademi-RJ e da construtora Concal, o ano começou fraco devido à tradicional sazonalidade do mercado imobiliário - entre o Natal e o Carnaval - e ao que ele chamou de "apavoramento".

 

Furto reaviva medo em Santa Teresa

Jornal do Brasil, Marcelo Migliaccio, 28/abr

Apesar da falta de segurança em Santa Teresa, o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rubem Vasconcelos, acredita que com a Copa do Mundo e a candidatura às Olimpíadas a situação vai melhorar. "A ocupação é que protegerá o bairro contra a degradação", afirma.

 

Faltam imóveis de um quarto no mercado

O Globo, 26/abr

Enquanto cresce o número de brasileiros que moram sozinhos - em uma década, quase dobrou, chegando a 6 milhões de pessoas, segundo o Censo 2008 -, a oferta de apartamentos de um quarto é cada vez menor. Hoje, no Rio, de cada cem lançamentos, somente 2,2 são de um quarto. É o que mostra pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio).

 

O milionário caminho do metrô

O Globo Zona Sul, Duilo Victor e Renato Grandelle, 16/abr

A sinergia entre prefeitura e governo estadual já produz frutos na Câmara de Vereadores. O primeiro projeto de lei apresentado por Eduardo Paes à Casa pretende dar um destino a dezenas de terrenos desapropriados para implantação da Linha 1 do metrô. Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos considera o projeto bem-vindo.

 

Casa nova com mil vizinhos

Extra, Danielle Abreu, 19/abr

O pacote habitacional lançado pelo governo federal - que pretende viabilizar a casa própria para um milhão de pessoas no país - deve contribuir para o aumento do número de mega condomínios no Rio. Segundo dados da Ademi, os condomínios de grande porte são uma tendência que vieram para ficar.

 

Rogério Chor fala sobre as medidas da prefeitura para estimular o setor

Em entrevista ao programa Jornal do Rio, da TV Band, no dia 08/04, o presidente da ADEMI, Rogério Chor, falou sobre as medidas previstas pela prefeitura para se adequar ao programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. Segundo Chor, são iniciativas que fazem com que o valor da prestação de compra da casa própria caia significativamente. "Poderão atender a uma classe que, há no mínimo uns vinte anos, não está sendo atendida pelo mercado", comentou. Clique para assistir o vídeo da entrevista.

 

Crise faz oferta de imóvel novo cair

Destak, 09/abr

Segundo a Associação de Empresas de Mercado Imobiliário do Estado (Ademi/RJ), foram lançados na cidade 400 imóveis residenciais no primeiro trimestre deste ano. No estado, a oferta de unidades residenciais somou 1.303.

 

Fôlego para o setor

O Dia, 12/abr

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que a queda no número de unidades lançadas na cidade foi de 73,3% no primeiro trimestre do ano comparado com o mesmo período de 2008.

 

Apartamentos em alta

O Dia, Cristiane Campos, 12/abr

Mudança no conceito dos investimentos em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio - com construtoras investindo mais em prédios do que em casas -, vem transformando o perfil da região. Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que, no ano passado, Campo Grande ficou em terceiro lugar no número de unidades lançadas, com 10% do mercado, no total de 1.107 imóveis.

 

Incentivos para moradia popular

Extra, 12/abr

No rastro do programa "Minha casa, minha vida", do governo federal, a Prefeitura do Rio está preparando um pacote de incentivos fiscais para estimular a construção e a compra de imóveis populares na cidade.  O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, aprovou a decisão de desburocratizar a concessão de licenças.

 

"Marolinha no mercado imobiliário"

Extra, Danielle Abreu, 12/abr

A polêmica frase do presidente Lula sobre os efeitos da crise financeira no Brasil - "lá (nos EUA), ela é um tsunami; aqui, se chegar, será uma marolinha" - fez sentido para o mercado imobiliário do Rio. Os números da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) demonstram o movimento de reaquecimento dos lançamentos: foram postas à vendas 280 novas unidades residenciais em março, número quase três vezes maior que o de janeiro.

 

Paes vai lançar pacote para setor imobiliário

Jornal do Commercio, Breno Marques, 09/abr

Um pacote de medidas para estimular o setor imobiliário será lançado pela Prefeitura na semana que vem. O presidente da Ademi-RJ, Rogério Chor, acredita que o novo pacote habitacional auxiliará na instalação de empreendimentos em áreas como Campo grande, Santa Cruz, Jacarepaguá, Méier e Vila Valqueire.

 

Oferta de imóvel novo no Rio cai 73%

O Globo, Cássia Almeida, 08/abr

O número de lançamentos residenciais e comerciais na cidade caiu 73,3% no primeiro trimestre, frente ao mesmo período de 2008. Segundo Rogério Chor, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e da CHL, o crédito mais escasso explica esse recuo forte no número de lançamentos.

 

Construtoras já têm projetos para o Rio

O Globo, 02/abri

O mercado imobiliário carioca já havia demonstrado seu interesse em atrair consumidores da classe média emergente, lançando empreendimentos sofisticados nas zonas Norte e Oeste. "A construção civil investe onde vê potencial", diz o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Evento aborda o mercado imobiliário na Baixada

Extra, 05/abr

O mercado imobiliário na Baixada Fluminense nunca esteve tão aquecido. Segundo números da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos dois anos, foram lançadas 2.794 unidades residenciais em Nova Iguaçu e Duque de Caxias.

 

Para ganhar com aluguel, investidor prefere comprar unidades comerciais

O Globo, 02/abr

O sucesso de vendas de empreendimentos comerciais comprova que os investidores têm fugido das oscilações financeiras de outras aplicações e optado por adquirir imóveis em busca de solidez. "Houve redução de lançamentos, mas não a paralisação do setor", avalia o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Um empurrãozinho para ampliar o uso do SFI

O Globo, 02/abr

O impulso à utilização do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), um dos destaques do programa de estímulo à habitação, pelo governo federal, tem por objetivo atrair empresas para o sistema. Segundo o vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani, o SIF deverá substituir o Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

 

Ademi promove encontro de empresários com prefeito do Rio

O Globo, Ancelmo Gois, 02/abr

Rogério Chor, presidente da Ademi, reunirá dia 8 empresários do setor imobiliário em almoço com Eduardo Paes, no Jockey Club.

 

Especialistas indicam as regiões do Rio com ofertas de imóveis até R$ 500 mil

O Globo Online, Ystatille Gomes, 31/mar

A disparidade de oferta de imóveis na Barra, Campo Grande,Vila da Penha e Jacarepaguá em relação aos outros bairros é grande e mostra, segundo a Ademi, que esta é a tendência natural de crescimento da cidade. Nestas regiões há uma maior disponibilidade de terrenos a menores custos e uma legislação que não impõe tantas limitações quanto às de outras áreas, como a Zona Sul. Além disso, segundo Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Ademi, os lançamentos dessas áreas da cidade oferecem uma boa infra-estrutura, difícil de ser encontrada em outras regiões.

 

Estoque de imóveis até 15% maior

O Globo, Luciana Casemiro, 28/mar

Rogério Chor, presidente da CHL e da Associação de Dirigentes de Empresa do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), admite que o estoque está maior, mas diz que parte dessa alta decorre dos recordes de lançamento: - Se você lança mil unidades e sobram 10%, são cem. Se lançar duas mil e sobrarem os mesmos 10%, são 200. Não houve tempo para um excesso de oferta.

 

Rogério Chor fala sobre os condo-hotéis à rádio CBN

Em entrevista ao programa CBN Rio na última quinta-feira (26/3), o presidente da ADEMI, Rogério Chor, falou sobre a polêmica da construção de condo-hotéis no Rio de Janeiro para atender a demanda da Copa do Mundo de 2014. "O problema é que, passada a euforia e a grande demanda da Copa, o que os investidores farão com os quartos se o hotel não gerar renda?", questionou. Clique para acessar a entrevista.

 

Construtoras fazem mudança rápida de curso

O Globo, 27/mar

Um dia depois do anúncio do pacote habitacional, construtores puseram suas equipes para rever o planejamento e priorizar empreendimentos econômicos, até R$ 130 mil. Segundo Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi/RJ), há condições de retomar crescimento.

 

Barra da Tijuca atrai unidades de escritórios

Gazeta Mercantil, 26/mar

Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a Barra da Tijuca fechou a lacuna dos imóveis residenciais e agora a demanda reprimida dos comerciais ganha fôlego. "Isso ocorre principalmente porque as pessoas gostam de morar perto de onde trabalham" explica.

 

Novo limite na classe média

O Dia, Cristiane Campos, 26/mar

Presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rogério Chor disse que esse é o primeiro pacote do governo voltado ao setor da construção civil que atua na demanda. Com isso, dá mais chance a quem quer comprar imóvel. "Por outro lado, com as medidas de desoneração de impostos, tal como a redução da alíquota do Regime Especial de Tributação da Construção Civil, o setor vai poder vender imóveis mais baratos, com efetiva redução no preço final", diz.

 

Rio planeja construir cem mil casas populares

O Globo, Eliane Oliveira e Francisco de Gois, 26/mar

O presidente da construtora CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Rogério Chor, disse que será preciso acelerar a aprovação de projetos: - Hoje o prazo é de quatro a cinco meses, e terá que ser de 30 dias.

 

Teto público

O Globo, Miriam Leitão, 26/mar

Uma qualidade do programa é ser, como explicou o presidente da Ademi-RJ, Rogério Chor, um programa que tem incentivos à demanda.

 

Pacote habitacional terá subsídios de R$ 2 mil a R$ 23 mil por imóvel

O Globo, Geralda Doca, Luciana Casemiro e Bruno Rosa, 25/mar

O governo conseguiu fechar as contas e vai garantir investimentos de pelo menos R$ 28 bilhões no pacote habitacional a ser lançado hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serão R$ 16 bilhões da União para construir 400 mil casas (valor médio de R$ 40 mil) para famílias com renda entre zero e três salários mínimos, totalmente subsidiadas. Segundo Rogerio Chor, presidente da CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), nenhuma empresa, entre as grandes, está perto de quebrar atualmente no país: "O mercado não está parado". Acesse a íntegra do Plano Nacional de Habitação, lançado em 25 de março de 2009.




 

Juros e ações em queda, imóveis de volta ao topo

O Globo, Felipe Frisch, 23/mar

Rodrigo Conde Caldas,vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e da construtora Concal, considera um equívoco considerar apenas o aluguel mensal como rentabilidade. Ele estima que um apartamento na Zona Sul do Rio se valorize mais de 15% ao ano.

 

Leitores preferem o SAC, diz enquete

O Globo, 23/mar

Para Rodolpho Vasconcelos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), as duas opções têm prós e contras. Ele lembra que os bancos deixaram de usar a Price apenas devido a impedimento legal.

 

Novo eixo na Barra

Jornal do Commercio, 23/mar

O mercado de imóveis comerciais está ajudando a conter a queda dos lançamentos imobiliários no Rio de Janeiro. Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2007, foram lançadas 870 unidades comerciais na cidade, de um total de 13.531 unidades construídas; ano passado, o número de lançamentos comerciais foi de 1.641, para um total de 11.603 unidades. A avaliação do mercado imobiliário é de que a queda foi menor do que se esperava, já que previa-se redução de 30% em função da crise econômica mundial iniciada em setembro de 2008.

 

Processo de encantamento seduz classe A

Globo Zona Sul, Duilo Victor, 19/mar

O vice-presidente da Ademi, Rodrigo Conde Caldas, admite que a crise forçou a pausa técnica nas vendas, mas ressalta que ela já foi revertida: "No auge da crise, em janeiro, o setor de alto luxo estava parado, mas, a partir de então, vimos o seguinte efeito: descrentes dos fundos que deram prejuízos com a crise, os investidores resgataram seus recursos para aplicar em imóveis, pois têm um valor mais substancial."

 

Hoteleiros e construtores em rota de colisão

O Globo, 15/mar

Presidente da Ademi e da construtora CHL, Rogério Chor diz que não tem nada contra os condo-hotéis, apenas duvida sobre o potencial deles: "Se o projeto da ABIH for viável, ótimo. Se for aprovado o condo-hotel, vou construir e, se vender mil, ficar satisfeito. Mas acho que não há mercado para isso. Quem investe em imóvel quer ser dono do apartamento 404, não de uma cota de 1% de um empreendimento".

 

Opção comercial dribla crise com dobro de ofertas

O Dia, Cristiane Campos, 08/mar

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que o número de imóveis comerciais no Rio praticamente dobrou, de 870 unidades em 2007 para 1.641 em 2008.

 

Pacote habitacional: Prestações serão menores

O Dia, Cristiane Campos, 05/mar

Segundo o conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rodolpho Vasconcelos, a medida é positiva e já houve modelo parecido por meio do FCVS (Fundo de Compensação das Variações Salariais) - criado para cobrir o saldo devedor no fim do contrato. "O problema é que o fundo foi usado com outra finalidade, acabou perdendo foco e gerando um rombo de US$ 60 bilhões", lembra Vasconcelos.

 

Quartos só para investir

O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 04/mar

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ) quer alterar temporariamente as regras que regulamentam a construção de mais hotéis na cidade.O objetivo é cumprir a meta de abrir 6.356 leitos em 17 novos empreendimentos apenas na capital. "O que os investidores desejam é justamente não ficar reféns de operadores de hotéis. Querem ter a liberdade oferecida pelos aparts", disse o presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos.

 

Onde a desordem ainda manda

O Globo, Zona Sul, Renato Grandelle, 26/fev

O congestionamento da Praia de Botafogo não se restringe às pistas de trânsito. Ambulantes e moradores de rua espremem os pedestres. Nem a desordem urbana fez o mercado imobiliário desistir de Botafogo. Em 2007, o bairro recebeu 46 novas edificações. Segundo Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), O preço de venda em Botafogo é até 40% menor do que o registrado nos bairros mais ricos da Zona Sul.

 

Mercado quer menos imposto para material

Jornal da Tarde, 28/fev

No âmbito da classe média baixa e média alta, a desoneração poderia ser praticada a partir da dedução do Imposto de Renda (IR) dos juros já pagos na compra do imóvel, como sugere Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi). "Já houve esse mecanismo no passado, e ele induziria a classe média a tomar crédito."

 

Rio atrai projetos na área comercial

Valor, Chico Santos, 03/mar

"O que acontece, na verdade, é que primeiro vem um "boom" residencial e, a reboque, vem sempre um "boom" comercial", disse Rodrigo Caldas, vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ) e da construtora Conde Caldas (Concal). Bairros como Campo Grande e Jacarepaguá e cidades da Baixada Fluminense como Duque de Caxias e Nova Iguaçu receberam nos últimos anos muitos lançamentos residenciais.

 

Imóveis dos sonhos

O Dia, 01/mar

Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), os números de lançamentos de imóveis residenciais de luxo no Rio mostram que o segmento esteve aquecido nos últimos anos. Em 2005, foram lançados 330 empreendimentos que custavam mais de R$ 1 milhão. Nos dois anos seguintes, houve uma ligeira queda nesse montante: em 2006, foram 278, e em 2007, 296. Em 2008, o total registrado foi de 235 imóveis.

 

Boom imobiliário

O Globo, Morar Bem Niterói, 28/fev

A expansão do mercado imobiliário em Niterói segue a todo vapor. Pesquisa recente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) aponta para um super crescimento de 631% no número de unidades lançadas na cidade. De 163, em 2007, para 1.030 em 2008. De acordo com o vice-presidente da Ademi, Rodrigo Conde Caldas, o fato de as empresas terem ido para o mercado de capital por meio da oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) gerou uma necessidade de expansão.

 

Setor imobiliário: vendas vão de vento em popa

O Globo Zona Oeste, 28/fev

Emprendimentos que agregam o conceito de moradia da Barra da Tijuca alavancaram o setor imobiliário na região nos últimos anos. Em 2008, o bairro alcançou o terceiro lugar, atrás de Barra e Jacarepaguá, no número de lançamentos residenciais e comerciais no Rio. Foram 1.107 novas unidades, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). "Dinheiro não falta, pois quem financia é a poupança",  explica o vice-presidente da AdemiRJ, Rodrigo Caldas.

 

De R$3 milhões pra cima

O Globo, Luciana Calaza, 01/mar

O sonho de morar numa cobertura no Leblon se tornou possível em 1951, conta David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Naquele ano, uma nova legislação passou a permitir o aproveitamento do terraço com 20% da área do pavimento inferior.

 

Negócio de R$ 150 milhões

O Globo, Isabela Bastos, 27/fev

A prefeitura quer vender 11 terrenos, alguns destinados por lei a escolas e áreas de lazer e utilidade pública. "O não desembolso de caixa hoje é importante para a preservação da saúde das empresas. Não acredito, neste momento, no sucesso de uma licitação assim, devido à conjuntura - disse o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos.

 

Esbanjando Luxo

Aqui Imóvel, 01/fev

No último ano, o número de unidades construídas para a classe C e D foram bem maiores do que as voltadas para a parcela mais rica da população. Segundo a ADEMI (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), até novembro de 2008 houveram 174 lançamentos de alto luxo na cidade, número bem inferior a 2007, quando foram 296.

 

A festa na sexta-feira

Jornal do Commercio, 15/fev

O número de unidades lançadas no mercado imobiliário do Rio, segundo a Ademi, cresceu 39% no biênio 2007/2008 em relação a 2005/2006, chegando a 12.500 unidades, em média.

 

O socorro do governo basta?

Fórum Arquitetura e Construção, jan/fev 2008

"O setor precisa de menos burocracia para o comprador que tem que tirar 20 certidões para comprar um imóvel e precisa de linhas de financiamento - que, aliás, os bancos são obrigados a oferecer", afirma Rogério Chor, presidente da ADEMI.

 

Demanda na Tijuca

Extra, 15/fev

As construtoras Enes e Zayd e a imobiliária Basimóvel já venderam 80% do empreendimento Premium Tijuca. O condomínio terá quatro pavimentos, com unidades de dois e três quartos, com churrasqueira na varanda e preços a partir de R$180 mil. A Tijuca está em quinto lugar entre os bairros mais procurados do Rio, segundo a Ademi.

 

Mudança de imóvel sim; de bairro, não

O Globo, 05/fev

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) diz que o número de unidades novas na Tijuca aumentou de 96, em 2007, para 464, no ano passado: acréscimo de quase 500%.

 

A segunda onda

O Globo, 05/fev

"Quem comprou apartamentos começa a movimentar outros mercados, e eles passam a ter interesse em se desenvolver", avalia Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Zona Oeste em alta

O Dia, 02/fev

Pesquisa Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que foram lançadas 11.603 unidades no município do Rio no ano passado, queda de 14,24% em relação a 2007, com 13.531 imóveis. No ranking de lançamentos, a Barra da Tijuca voltou a ocupar o primeiro lugar, seguido de Jacarepaguá. Na terceira posição aparece Campo Grande, que saltou do quinto lugar para ficar entre os três primeiros com o maior número de lançamentos. Foram 1.107 unidades, sendo 446 delas imóveis comerciais.

 

Choque de ordem para atrair novos investimentos

Jornal do Brasil, 01/fev

"A Tijuca teve uma melhora com a chegada do metrô, mas esperamos que se melhore ainda as condições de segurança e ordenamento no bairro", afirma o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Ademi e presidente do grupo Concal, José Conde Caldas.

 

A Barra no topo do ranking

Extra, 01/fev

A Barra da Tijuca voltou ao primeiro lugar dentre os bairros que tiveram o maior número de lançamentos de unidades residenciais e comerciais em 2008. A Pesquisa Ademi de Mercado Imobiliário mostra que o bairro atingiu o total de 4.467 imóveis, um crescimento de 49,2% sobre o ano anterior, quando foram lançadas 2.993 unidades.

 

O CEP dos sonhos

O Globo, Luciana Calaza, 01/fev

"A Urca foi alvo do primeiro Projeto de Estruturação Urbana (PEU) do Rio, em 1978, que inibiu a construção de novas edificações. É um bairro congelado, que não vai mudar", diz David Cardeman, consultor em desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), que fica sediada num imóvel tombado na Urca.

 

Inflação na construção civil deve cair pela metade em 2009

Agência Estado, Alessandra Saraiva, 2ª quinzena/jan

Após atingir o auge em 2008, a inflação na construção civil deve diminuir de ritmo e cair quase pela metade esse ano. Especialistas do Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) apostam que a trajetória de preços na construção entrará em 2009 em uma curva descendente, podendo voltar a atingir os níveis de 2006 e 2007, quando subiram em torno de 6%.

 

Quando a casa de veraneio se torna moradia

O Globo Barra, 25/jan

E a aposta de crescimento da Barra continua valendo. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), 67% dos lançamentos imobiliários na cidade em 2008 concentraram-se na área de Barra, Recreio e Jacarepaguá.

 

O vendedor de sonhos

Jornal do Commercio, Paulo Fabbriani, 27/jan

Com base na percepção de todos, temos hoje a enorme oportunidade de utilizar, para o bem comum, e da reconstrução de valores de nossa sociedade, a âncora da produção imobiliária. Necessário se faz uma política habitacional estratégica e consistente, de longo alcance e que privilegie, acima de tudo, a capacidade de nossos cidadãos em contratar financiamentos imobiliários de longo prazo.

 

Barra volta ao topo do ranking de lançamentos

O Globo, 25/jan

Depois de ter ficado atrás de Jacarepaguá em 2007, a Barra da Tijuca voltou ao topo do ranking de lançamentos de imóveis no ano passado. De acordo com pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), em 2008 foram lançadas 4.467 unidades no bairro, em crescimento 49,2% sobre o ano anterior. A Zona Oeste, de maneira geral, continuou no topo. Jacarepaguá caiu para o segundo lugar, com 2.238 unidades, e Campo Grande e Recreio ficaram em terceiro e quarto lugares.

 

Novos edifícios de luxo atraem a elite carioca

Gazeta Mercantil, Natália Flach e Lourdes Rodrigues, 22/jan

Os ícones do mercado de luxo carioca - Cap Ferrat, em Ipanema, Juan Le Pins, no Leblon, e Golden Green, na Barra da Tijuca - ganharam grandes concorrentes nos últimos anos. "O mercado de luxo vem crescendo muito e, apesar da crise, continua existindo uma demanda grande", avalia Paulo Fabriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

A Lapa é a anfitriã

O Globo, Luciana Calaza, 19/jan

Para Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da São Miguel Realty, o Centro é, hoje, o principal alvo dos incorporadores. Afinal, todos os imóveis dos dois últimos empreendimentos foram vendidos em duas horas.

 

Setor continua aquecido no Rio de Janeiro

Gazeta Mercantil, 15/jan

Analisando o mercado globalmente, Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi e presidente da São Miguel Realty, garantiu: "2009 será o ano da recuperação". Do quê? "Do crédito, da confiança, da credibilidade".

 

Crédito garantido para casa própria

O Dia, Cristiane Campos, 11/jan

Segundo o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Paulo Fabbriani, 90% dos contratos são assinados com adimplência premiada, ou seja, se o mutuário pagar em dia durante a obra terá o crédito liberado automaticamente na entrega do imóvel. Para o executivo, a situação deve se complicar para unidades acima R$ 350 mil, pois conta com recursos próprios do banco e não da poupança.

 

Tudo bem perto, tudo ao seu alcance

Síndico, 01/jan

Os novos empreendimentos com a estrutura de condomínio clube já são uma realidade em todo país, e para o futuro a tendência é que exista cada vez mais. De acordo com os dados da ADEMI (Associação Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), só no Rio de Janeiro, de um total de 63 empreendimentos lançados entre janeiro e o início de novembro de 2008, cerca de 90% é do tipo condomínio clube.

 

Campinho de cara nova em 2009

O Globo, Eduardo Maia, 04/jan

"O bairro tem uma localização estratégica e grande oferta de transporte. A cidade precisa de novas áreas de expansão e Campinho é um local muito interessante",  afirma o consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi), David Cardeman.

 

O Guia do Patrimônio

O Globo, Joaquim Ferreira, 04/jan

O Guia do Patrimônio Cultural carioca está sendo reeditado pela Secretaria do Patrimônio em parceria com a Ademi e CHL.

 

2009 = 2008

O Globo, Luciana Calaza, 04/jan

Apesar do cenário nacional, para o mercado carioca de imóveis novos, 2008 foi decepcionante, diz o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor.

 

Contratos e tarifas de energia terão impacto

Jornal do Brasil, Gabriel Costa, 30/dez

Além dos aluguéis, as tarifas de energia elétrica e gás residencial estão entre os itens que sofrerão em 2009 os reflexos da alta no Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M). No caso dos aluguéis, o impacto é imediato, segundo o conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Rodolpho Vasconcellos. O especialista ressalta, no entanto, que o índice deve manter a trajetória de queda iniciada em agosto.

 

"Minha prioridade será o Bairro-Escola"

O Globo, Jaciara Moreira, 27/dez

Vamos fazer as obras de que Nova Iguaçu precisa: urbanização, iluminação, ciclovias, calçadas. Vamos mudar a cara da cidade. Semana passada, a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) premiou os melhores empreendimentos do estado e, de 20 construções, duas estavam em Nova Iguaçu. Tenho que preparar a cidade para o futuro.

 

É um luxo só

O Globo, Thaís Britto, 27/dez

Prova disso são os condomínios residenciais que, já há algum tempo, vêm se espalhando pelo bairro, com suas imensas áreas de lazer e apartamentos confortáveis. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2007 o bairro ficou em quinto lugar em número de lançamentos no município do Rio.

 

Projetos migram para o subúrbio no Rio

Gazeta Mercantil, Ana Cecília Americano, 26/dez

O ano começou aquecido no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, mas não o suficiente para que o número de lançamentos deste ano superasse o de 2007. Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2008 foram lançados 10.506 unidades residenciais, entre casas e apartamentos, um número 17% abaixo dos 12.661 imóveis colocados no mercado em 2007.

 

Mercado já reage

O Dia, 21/dez

O mercado imobiliário ainda sofre com os efeitos da crise financeira mundial, mas a previsão para o ano que vem é de recuperação rápida. A afirmação é do vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Paulo Fabbriani.

 

Setor manteve solidez em 200

Jornal do Brasil, Gabriel Costa, 21/dez

Para 2009, representantes de empresas e entidades do setor imobiliário contaram ao Jornal do Brasil suas impressões sobre o ano que passou e expectativas para o futuro diante da crise econômica.

 

Baixada e Zona Norte no embalo dos imóveis populares

Extra, 21/dez

Se os imóveis de alta renda podem sofrer um revés, as unidades construídas para o público que ganha um pouco menos devem continuar avançando, segundo especialistas do mercado imobiliário. Nesse embalo, municípios da Baixada Fluminense, como Nova Iguaçu e Duque de Caias já demonstram vocação para se tornarem canteiros de obras.

 

Entre o antigo e o novo Rio

Extra, Bernardo Moura, 21/dez

O novo e o antigo Rio estão na lista das boas apostas do mercado imobiliário para 2009. Segundo representantes do setor, o crescimento das vendas e o aumento da procura por aluguel de imóveis estarão concentrados no Centro da cidade e nas recém-ocupadas áreas da Zona Oeste.

 

Credito de até 90%

O Dia, 15/dez

Construtoras e incorportadoras têm investido bastante em Jacarepaguá. A região recebe lançamentos a cada fim de semana. Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que, de janeiro a novembro, foram lançadas 2.141 unidades residenciais.

 

Abaixo a burocracia

Jornal do Commercio, Aziz Ahmed, 12/dez

A burocracia representa 10% do custo das empresas de construção civil, na avaliação da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). As certidões necessárias para compra e venda de imóveis são tantas que emperram o desenvolvimento do setor também no quesito agilidade.

 

Mercado imobiliário elege os melhores

Jornal do Brasil, 09/dez

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi) vai premiar hoje os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário da cidade.

 

Prêmio Ademi

O Globo, Ancemo Gois, 09/dez

Sérgio Conde Caldas recebe hoje o Prêmio Ademi.

 

PDG Realty conquista seis prêmios Destaque ADEMI com quatro da CHL

A PDG Realty teve a maior participação dentre os escolhidos para receber hoje o Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário 2008, totalizando seis conquistas.  A empresa estará representada por meio da CHL em quatro prêmios, nas categorias Empresa do Ano, Retrofit (Metropolitan), Projeto de Prédio Comercial de Grande Porte (O2 Corporate & Offices) e Marketing/Comercialização de Grande Porte (Estrelas Full Condominium).

 

Estande de vendas é premiado pela ADEMI

Jornal do Brasil, 07/dez

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário conferiu a um estande de vendas, Barra Experience, no mini-bairro da Península, o prêmio Destaque ADEMI de "Criatividade imobiliária". Projeto de 4,5 mil m² da RJZ Cyrela e Carvalho Hosken, o Barra Experience é o maior show-room de vendas do mercado imobiliário na América Latina.

 

Prêmiação imobiliária

Extra, 07/dez

Os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio de Janeiro já foram selecionados para receber os prêmios do Destaque ADEMI Prêmio Master Imobiliário 2008. A cerimônia de entrega dos prêmios será realizada no dia 9 de dezembro.

 

Destaque Ademi 2008

O Dia, 07/dez

O mercado imobiliário do Rio premia, na terça-feira, os destaques do setor, na nona edição do Prêmio Ademi. O evento é considerado o oscar do segmento.

 

Construtoras confirmam vantagens para vendas

Jornal do Brasil, 02/dez

Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Paulo Fabbriani, caso seja firmado oficialmente o acordo entre Cedae e construtoras, conseqüências positivas surgirão.

 

A janela aberta para paz

O Dia,Paula Sarapu, 04/dez

De acordo com o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel, Rubem Vasconcellos, apartamentos no entorno da favela chegam a valer 80% menos do que imóveis similares longe da área de risco. A aposentada R., 82 anos, vive há mais de 40 anos diante do Dona Marta, mas confessa que tem muito medo das balas perdidas.

 

A necessidade de uma política habitacional

Gazeta Mercantil, 04/dez

Artigo de Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), conta que muito se escreveu nas últimas semanas com relação ao virtual duelo dos renomados economistas e seus discípulos acadêmicos.

 

 

 

Destaques do setor são premiados no Rio

Gazeta Mercantil, 04/dez

Há nove anos, os destaques do setor imobiliário são premiados pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ). Os 21 eleitos desta edição vão se reunir, na próxima terça-feira, aos mais de 170 profissionais que já receberam a homenagem.

 

De carona na crise dos ricos

O Dia, Rachel Vita, 01/dez

Responsáveis pelo incremento nas vendas de diversos setores com a economia aquecida, as classes C e D ainda não foram atingidas em cheio, mas começam a sentir as conseqüências. No setor imobiliário, o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani, diz que o mercado sentiu a retração dos compradores das classes C e D, responsáveis por metade desse segmento.

 

O valioso m² das favelas

O Globo, Ruben Berta, 01/dez

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, disse que, apesar de alguns valores altos de indenização, o poder público está acertando ao tomar a atitude de fazer intervenções nas favelas.

 

Eldorado carioca

Jornal do Commercio, Vinicius Medeiros, 01/dez

Dados da seccional fluminense da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) mostram que o Rio cresce em direção à Zona Oeste, puxado principalmente pelos projetos imobiliários na Barra. O bairro concentra os principais lançamentos da cidade: de janeiro de 2006 a setembro de 2008, a Barra deteve 4.386 das 20.690 unidades residenciais e comerciais lançadas no Rio, ou 21,1% do total.

 

Ademi premia os destaques do setor em 2008

O Globo, 30/nov

Concal Construtora e RJZ/Cyrela encabeçaram a lista dos vencedores do Destaque Ademi/Prêmio Master Imobiliário. As duas conquistaram quatro categorias da nona edição do prêmio, concedido anualmente pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro.

 

Desconto em folha ganha mercado

O Globo, Luciana Calaza, 30/nov

"Imagine que filão seria conceder crédito com desconto em folha para funcionários de empresas estatais, ou de economia mista, que têm empregados concursados e com ótimos salários. O risco, para os bancos, seria praticamente nenhum", considera José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi.

 

 

Mercado imobiliário carioca premia

Jornal do Brasil, 30/nov

Os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio já foram selecionados para receber os prêmios do Destaque ADEMI Prêmio Master Imobiliário 2008. A entrega dos prêmios acontece dia 8 de dezembro, no Hotel Intercontinental, em São Conrado.

 

São Cristóvão dá um salto para o século 21

Gazeta Mercantil, 27/nov

"O parque da Quinta da Boa Vista, os vários museus, duas estações de metrô próximas e o novo PEU tornaram o bairro muito atrativo à iniciativa privada", comenta o empresário José Conde Caldas, presidente da construtora Concal e ex-presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Um jeito cinco-estrelas de morar

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 23/nov

"São considerados de luxo os imóveis que custam mais de 1 milhão de reais", explica Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Nesse padrão, nos últimos quatro anos foram construídas 1.006 novas unidades.

 

Inversão de papéis

O Globo, Luciana Calaza, 23/nov

Os proprietários de um terreno na Lagoa encomendaram a uma arquiteta o projeto de um edifício residencial para, só depois da aprovação pela prefeitura, escolher, por concorrência, a empresa que vai construí-lo. Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi, afirma: um imóvel como esse deve custar, em média, R$ 2,5 milhões.

 


 

 

CHL lança prédio comercial

O Dia, 09/nov

Segundo o presidente da empresa, Rogério Chor, o edifício será construído em um dos pontos de maior visibilidade. Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelou que, até julho, foram lançadas 252 unidades, em Campo Grande e 1.392 em Jacarepaguá.

 

Ocupar é regra para desenvolver

O Globo, 09/nov

"Em São Cristóvão, a infraestrutura já está pronta, pois o bairro já teve mais habitantes do que hoje, além de os terrenos serem mais bem lotados, o que não ocorre na Barra", explica José Conde Caldas, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Concal, que ergue o condomínio Paço Real.



 

 

Turbulência pode desaquecer as vendas

Gazeta Mercantil, 06/nov

Rogério Chor não apenas preside a CHL, uma construtora que deverá vender imóveis no valor de R$ 500 milhões este ano no Rio de Janeiro, como está à frente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) no estado fluminense, uma das principais entidades do setor, com atuação desde 1971.

 

Itaú e Unibanco mantêm linhas de crédito com regras diferenciadas

O Dia, Cristiane Campos, 04/nov

De acordo com o conselheiro da Ademi, Rodolpho Vasconcelos, a fusão é boa, mas reduz o número de instituições dispostas a oferecer crédito imobiliário e, conseqüentemente, diminui a concorrência  prática que tem ajudado os interessados na compra da moradia e a conseguir taxas abaixo de 12% ao ano mais TR (Taxa Referencial) pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação).

 

Novo cenário força companhias a mudar estratégia

Valor, Chico Santos, 04/nov

O empresário carioca Rogério Chor, 49, presidente da construtora CHL (grupo PDG Realty) e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), disse que é um erro o governo, por intermédio da Caixa Econômica Federal (CEF), aplicar dinheiro na compra de participações acionárias de empresas de construção civil, como prevê a Medida Provisória (MP) nº 443. "Não há necessidade de um socorro dessa magnitude, de o governo comprar ações das empresas imobiliárias", afirmou.

 

Casa própria em conta

Correio Braziliense, 26/out

Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de laneiro (Ademi-RJ), avalia que, no curto prazo, é .possível que ocorra redução de preço em algumas cidades.

 

Balanço parcial

O Globo, Miriam Leitão, 31/out

O pacote de empréstimos para as construtoras pela Caixa foi bem recebido pelo setor. Entrevistei no "Espaço aberto", da Globonews, os empresários Luis Simões Lopes, da Brascan, e Rogério Chor, da Ademi e da CHL. Eles disseram que financiamento de capital de giro e das operações de recebíveis é exatamente o que as empresas estavam precisando. Ao contrário da idéia, rejeitada pelas empresas, de a Caixa comprar participações ou o controle de construtoras, como está previsto na MP 443.

 

Crise afeta construção civil

Extra, Bernardo Moura, 29/out

As construtoras revisaram para baixo a expansão do setor em 2008, de 40% para até 15%, de acordo com Rogério Chor, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas Imobiliárias do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Linha de R$ 3 bi para construção deve sair hoje

Valor, 29/out

Na visão do presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, a medida que amplia a linha de crédito para capital de giro no setor é boa porque vai permitir algum crescimento no ano que vem, apesar da crise. Ele diz que os últimos dois anos e meio foram de "euforia" e as construtoras, na média, estão bem financeiramente.

 

Lançamentos de imóveis de fim de ano são adiados

O Globo Online, 29/out

O presidente da Associação Brasileira dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor que também é presidente da CHL,afirma que há uma redução nos lançamentos imobiliários, apesar de não ter ainda números fechados sobre quantos deixaram de ser colocados à venda. Ele também defende que o mercado está mais seletivo.

 

Casinha pequenina

O Globo, Joaquim Ferreira dos Santos, 29/out

A venda de imóveis no Rio de Janeiro caiu cerca de 50% no mês de outubro em relação aos meses de setembro e agosto. "Nós éramos felizes e não sabíamos", disse Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Ademi.

 

Construtoras: não faltarão recursos para entrega de empreendimentos

TV Brasil, 27/out

O conselheiro da ADEMI, Marcelo Parente, ressalta que existem linhas de crédito das cadernetas de poupança e mais recursos do FGTS para financiar as pequenas e médias empresas do setor. "Algumas grandes empresas que abriram capital e usaram os recursos obtidos para comprar matéria-prima e terrenos dependem de financiamento. Mas o governo está estudando medidas para ajudar estas companhias para que finalizem os empreendimentos que começaram a construir", afirmou.

 

Salas na Freguesia

O Dia, 26/out

As unidades comerciais começam a ganhar destaque no mercado imobiliário no Rio. Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que, de janeiro a dezembro, foram lançadas 810 imóveis comerciais contra 348 do mesmo período do ano passado diferença de 462 salas.

 

'Racha' na construção

O Dia, Cristiane Campos, 26/out

O vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rodrigo Conde Caldas, afirma que qualquer medida que traga dinheiro para o mercado é positiva, mas é preciso garantir a liquidez para que as empresas possam cumprir seus compromissos: "O socorro tem que ser democrático e não se restringir às 25 empresas que abriram capital".


 

O Xis da questão

O Globo, Luciana Calaza e Júlia Motta, 26/out

Segundo Paulo Fabbriani, presidente da Máxima Asset Management e vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), os planos pós-fixados são mais vantajosos.





 

Os imóveis construídos sob medida

Jornal do Brasil - JB Barra, Eliane Nóbrega, 15/out

No Rio de Janeiro, o mercado imobiliário manteve nos primeiros sete meses do ano um forte ritmo de crescimento, com 6.597 imóveis lançados um aumento de 6% em comparação a igual período do ano passado, segundo dados da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Antes de anúncio oficial, construção já reclama de medidas

Valor Econômico, 23/out

Para Rogério Chor, da Associação dos Dirigentes de Empresas do Setor Imobiliário (Ademi) do Rio de Janeiro, o governo está atacando o lado errado da questão. "Precisam assegurar que o comprador continue no mercado". Para ele, o setor não está numa situação tão negativa quanto se diz. "Não se pode esquecer que foram três anos de enorme expansão."

 

Bancos não precisam ser resgatados pelos bancos públicos

TV Globo, Bom Dia Brasil

O setor imobiliário precisa, segundo Rogério Chor, presidente da Ademi, de menos burocracia para o comprador que tem que tirar 20 certidões para comprar um imóvel e precisa de linhas de financiamento - que, aliás, os bancos são obrigados a oferecer ao setor.

 

Novos riscos

O Globo, Míriam Leitão, 23/out

O presidente da Ademi-RJ, Rogério Chor, avalia que o mercado imobiliário não tem crise, apesar da queda das vendas das últimas semanas. Ele teme as muitas distorções que podem ser criadas por esta nova empresa da Caixa para comprar ações de empresas do setor.

 

Empresários divididos sobre MP de estatização

O Globo, Bruno Villas, 23/out

Para Rogério Chor, presidente da Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (AdemiRJ), a adesão ao plano tende a ser pequena, devido à queda das ações na Bolsa. Segundo ele, os controladores teriam de emitir grande volume de ações para se capitalizar, diluindo a participação na empresa.

 

Pacote recebido com ressalva

Extra, 22/out

Rogério Chor, presidente da Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), acredita que a medida pode ser perigosa.

 

Empurrão para construção civil

O Globo, Geralda Doca e Erica Ribeiro, 18/out

Representantes do setor de construção civil dizem que toda ajuda do governo para garantir crédito será bem-vinda. Mas, para Rogério Chor, presidente da Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), o governo deveria aproveitar o momento para reduzir a burocracia e incentivar a compra de imóveis como investimento.

 

O reconhecimento da responsabilidade ambiental

Jornal do Brasil, 19/out

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) anunciou recentemente sua associação ao Green Building Council Brasil (GBC Brasil), organização sem fins lucrativos que visa fomentar o desenvolvimento da indústria nacional da construção civil com foco na sustentabilidade sócio-ambiental.

 

Casa própria: juros sobem

O Dia, Cristiane Campos, 10/out

A crise no mercado financeiro mundial já começa a ter reflexos na liberação do crédito para a compra do imóvel. Bradesco e Itaú são os primeiros a elevar as taxas de juros do financiamento habitacional. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, HSBC, Santander e Real, por enquanto, mantêm as planilhas. Segundo o conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rodolpho Vasconcellos, os bancos ficarão mais rigorosos para liberar essa modalidade de empréstimo.

 

Aqui a casa não vai cair

IstoÉ, 08/out

Tanto os lançamentos como a procura por imóveis andam em alta em São Paulo. O mesmo tem ocorrido no Rio de Janeiro, onde foram lançados 6% a mais de imóveis no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado, num total de 6.218 unidades. E espaço para o crescimento existe porque o ramo da construção civil ainda é tímido dentro do PIB nacional. "Representa apenas 2%. No México, por exemplo, este número salta para 15%", explica Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associção de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Crédito curto pode levar a fusões em construtoras

O Globo, Cássia Almeida, 08/out

Presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, da CHL, também acredita num processo de fusões no mercado imobiliário.

 



 

 

De olho no furacão

O Globo, Julia Motta, 05/out

"Neste momento, estamos no olho do furacão. É muito difícil avaliar os impactos a longo prazo, mas o país pode passar por problemas. A queda das ações da construção civil reflete um momento de pânico", observa Chor, presidente da ADEMI. "Mas o mercado imobiliário é um porto seguro e quem tem dinheiro na mão para adquirir a casa própria está tranqüilo. A insegurança em função da crise pode adiar a decisão de comprar um imóvel via financiamento e, se isso acontecer, vamos avaliar se será necessário fazer mudanças nas datas de futuros lançamentos."

 

Mercado do Rio cresce 6% no primeiro semestre

Isto É, 24/set

O mercado imobiliário do Rio de Janeiro manteve nos primeiros sete meses do ano um forte ritmo de crescimento, com 6.597 imóveis lançados - um aumento de 6% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram lançados 6.219 imóveis, segundo dados da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário).

 

O velho Rio rejuvenesce com novos empreendimentos

Isto É, 24/set

O crescimento imobiliário do Rio confirmou o indicado pelos planos urbanísticos traçados na década de 60, estabelecendo a região da Barra da Tijuca e Jacarepaguá como área preferencial. Os urbanistas não previram, no entanto, que bairros ocupados há mais de 100 anos viessem a conhecer, no Terceiro Milénio, uma revitalização puxada não apenas pelos investimentos culturais, mas também por novos lançamentos. "Onde existe espaço e a legislação permite, existe construção", resume o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Duplex e lofts: o modismo nas moradias

Isto É, 24/set

"Muitos projetos de dúplex são maravilhosos e capazes de oferecer uma excelente alternativa para quem sonha em morar numa casa. É interessante que ele seja instalado num lugar bacana porque terá toda paisagem bem próxima", pondera Paulo Fabriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Adeus ao novo rico. Barra atrai tradicionais

O Estado de São Paulo, Márcia Vieira, 28/set

Segundo a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos quatro anos foram lançados 552 apartamentos de alto luxo na Barra. São imóveis com mais de 200 m² e preços acima de R$ 1,5 milhão. No mesmo período, Ipanema não teve nenhum lançamento nesse padrão e o Leblon, apenas 35.

 

Crédito impulsiona o mercado imobiliário

Guia Aqui Imóvel, 01/out

"Existe muito espaço para o crédito imobiliário se expandir. Mesmo ante a perspectiva de expansão, o Brasil continuará na lanterna em relação à proporção do crédito habitacional. No Chile, o segmento representa 13% do PIB. Nos EUA, está na faixa de 65%, e, na Holanda, atinge 111%", analisa o conselheiro da ADEMI, Rodolpho Vasconcellos.

 

Vida sustentável

Revista Síndico, 01/set

O consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi-RJ, David Cardeman, destaca o surgimento de construções sustentáveis em todo o país. "Essa preocupação com o aquecimento global gera uma redução do consumo de água e energia elétrica, e, como conseqüência, garante a redução do valor do condomínio", ressalta.

 

Os últimos espaços disponíveis na Zona Sul

Isto É, 24/set

"Botafogo foi o último bairro da Zona Sul a ter Apac. Por isso houve tantos lançamentos", diz Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), que anuncia para breve o fim das grandes incorporações na região. "Em dois ou três anos, não haverá novos prédios na Zona Sul. Falta espaço e houve muita preservação", afirma.

 

Classe C atrai investimentos para novas áreas da cidade

Isto É, 24/set

Segundo o presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, a expansão dos empreendimentos teve como destino certo a classe C. Para ele, graças à expansão do crédito e com a variedade de financiamentos habitacionais existentes, esse segmento social já começa a concretizar o sonho da casa própria.

 

A onda da sustentabilidade chega à construção civil

Isto É, 24/set

O GBC Brasil, que ganhou recentemente a adesão da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), tem a função de adaptar os requisitos brasileiros para o processo de conquista da mais reconhecida e respeitada certificação sustentável do mundo: o LEED Liderança em Design Ambiental ou Leadership in Eyergy and Environmental Design, em inglês, que confere o selo de green building (edifício verde) às obras sustentáveis.

 

Facilidade de financiamento embala o sonho da casa própria

Isto É, 24/set

Segundo o presidente da Ademi, Rogério Chor, as grandes incorporadoras estão muito capitalizadas, seja por associações, por abertura de capital ou associação com estrangeiros e isso faz com que, muitas vezes, o próprio incorporador financie o imóvel.

 

Atrás do boom imobiliário

Jornal do Commercio, Vinicius Medeiros, 22/set

Em 2007, o Rio registrou cerca de 13 mil empreendimentos, segundo a seccional fluminense da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). O aquecimento do mercado proporciona boas oportunidades para novos negócios, com investimento inicial de R$ 30 mil a R$ 200 mil.

 

De frente para o mar do Leblon

O Globo, Renata Leal, 18/set

De acordo com David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a idéia do setor é adquirir prédios antigos e dar lugar a novos empreendimentos na Zona Sul da cidade.

 

Mercado imobiliário continua aquecido

O Globo, Barra, 11/set

O ano de 2007 foi um marco para o mercado imobiliário de Jacarepaguá. Pela primeira vez, o bairro bateu a Barra em número de lançamentos imobiliários: foram 4.298 unidades lançadas, contra 2.993 do vizinho. E este ano as estatísticas apontam para o mesmo caminho. De acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), de janeiro a julho 1.552 unidades residenciais foram lançadas em Jacarepaguá, contra 1.198 na Barra da Tijuca.

 

Tempo de grandes transformações

Jornal do Brasil, Ana Cecilia Americano, 14/set

Bairros como Vila Valqueire e Abolição e municípios como Nova Iguaçu, São Gonçalo e Belford Roxo, na Região Metropolitana, ganham as páginas dos classificados com, respectivamente, 240, 340, 354, 488 e 390 unidades à disposição de novos consumidores, a maioria proveniente da classe C ascendente. Isso só este ano, segundo a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi).

 

Minibairros à vista

O Globo, Luciana Calaza, 14/set

David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), explica: "Toda a região chama-se Baixada de Jacarepaguá. O Autódromo Nélson Piquet, por exemplo, por ser conhecido como Autódromo de Jacarepaguá, confunde, mas ele está na Barra".

 

Em 'praias' cariocas a busca pela classe C

Gazeta Mercantil, Ana Cecilia, 11/set

Segundo Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), como o segundo semestre é sazonalmente mais aquecido, o mercado tende a equilibrar oferta e demanda até o final do ano.

 

Em defesa do Rio

Jornal do Commercio, 10/set

De todo modo, a mobilização de parlamentares fluminenses, independentemente de diferenciações partidárias, bem como de entidades como a Firjan, a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e o Clube de Engenharia, faz-se a esta altura indispensável, não só em relação aos temas citados como quaisquer outros em que transpareçam legítimas razões de interesse do desenvolvimento do Estado e da melhoria das condições de vida de sua população.

 

Frente Pró-Rio fiscalizará processo

O Globo, Mariana Gonçalves, 09/set

Além de Francis Bogossian, estiveram presentes ao encontro representantes da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), da Concremat, da Firjan, do Clube de Engenharia, do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (SindRio) e do Fórum Permanente da Alerj; os deputados federais Hugo Leal (PSC) e Otávio Leite (PSDB);e o médico Jairo Cabral, assistente da direção do Hospital do Fundão.

 

No país, setor vive crescimento

O Globo, Nadja Sampaio, 08/set

O mercado de imóveis do Brasil está vivendo um momento diferente e não deve passar por turbulência semelhante à americana, diz o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas. Ele afirma que o setor passa por um movimento de expansão na construção de imóveis, principalmente para a classe C.

 

Revival dos dúplex

O Globo Online, Luciana Ackermann, 02/set

Para Paulo Fabriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), muitos projetos de dúplex são maravilhosos e capazes de oferecer uma excelente alternativa para quem sonha em morar numa casa, mas não se sente seguro diante da violência das grandes cidades. Mas, destaca que não é em todo o lugar que esse tipo de imóvel é bem-vindo.

 

Ofertas que atraem um novo perfil

Jornal do Brasil Barra, Eduardo Tavares, 02/set

A imensa oferta de imóveis na região não tem como conseqüência apenas o seu crescimento rápido e contínuo. No aspecto social, o boom imobiliário também mostra suas marcas. Antes considerada reduto da classe alta, a Barra e bairros vizinhos já abrigam moradores de menor poder aquisitivo, de olho nos preços convidativos dos imóveis. "Está ocorrendo hoje na Barra uma revolução no sistema de moradia", garante o vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbriani.

 

Estabilidade que muda costumes

Jornal do Brasil, Gabriel Costa, 31/ago

Enquanto há dois anos 82% das vendas de imóveis eram feitas à vista ou com financiamento do construtor, em 2007 o cenário já havia mudado de forma brusca: 49% dos negócios eram feitos à vista ou direto com o construtor, e o financiamento por meio dos bancos já abocanhava 51% dos negócios. Os dados são da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Na onda do superprime

O Dia, Cristiane Campos, 31/ago

De acordo com o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e diretor da Carmo e Calçada, João Paulo de Matos, dois fatores foram fundamentais para o setor: a quantidade de recursos e redução na taxa de juros, além das mudanças na legislação para dar mais garantias na transação imobiliária.

 

Casa de veraneio própria

O Globo, Luciana Calaza, 31/ago

Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da imobiliária Patrimóvel, Rubem Vasconcelos, 2009 será o grande ano do mercado de segunda residência.

 

Boom do mercado imobiliário

Espaço K, 01/ago

A estabilidade da moeda, a desburocratização do crédito e a tendência à queda dos juros são os principais motivos desse boom imobiliário, não só no Rio, mas em todo Brasil. É o que afirma o vice-presidente da Ademi-RJ, Rubem Vasconcelos.

 

Cresce a procura pelo 1° imóvel

Extra, Danielle Abreu, 23/ago

O vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) Rodrigo Conde Caldas confirma a tendência e diz que isso ocorre porque as prestações hoje têm valores semelhantes ao aluguel.

 

 

 

 

Lançamentos no Rio dobram em 2008

O Globo, Informe Publicitário, 25/ago

Participaram do evento o ministro do Esporte, Orlando Silva; o secretário municipal de Urbanismo, Augusto Ivan de Freitas Pinheiro; o diretor-geral da Infoglobo, Paulo Novis; o presidente da Ademi, Rogério Chor; e o presidente da GL Events Brasil, Arthur Repsold. De acordo com o superintendente de Crédito Imobiliário do Banco Real, Antônio Barbosa, de janeiro a junho deste ano 12,24 mil unidades foram financiadas no estado, um aumento de 28% com relação ao mesmo período do ano anterior.

 

Especialistas debatem rumos para o Rio de Janeiro

O Globo, 21/ago

Entre os presentes, estarão o governador Sérgio Cabral, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, e o secretário municipal de Urbanismo, Augusto Ivan de Freitas Pinheiro. Já do lado da iniciativa privada estarão, além de Rubem Vasconcelos, o diretor executivo de Crédito Imobiliario do Banco Real, José Roberto Machado; o presidente da Ademi, Rogério Chor; e o diretor-geral da Infoglobo, Paulo Novis.

 

Baixada fluminense, o novo pólo de crescimento da construção civil

O Globo, 21/ago

Os novos rumos do mercado imobiliário carioca já fazem parte do quadro de ofertas do Salão do Imóvel 2008. Sem receber investimentos do setor há anos, a Baixada Fluminense e alguns bairros da Zona Norte carioca tornaram-se as novas meninas-dos-olhos de construtores e incorporadores. Rogério Chor, presidente da Ademi, explica que, depois de muito tempo parado, sem crédito, agora é o momento de o setor crescer.

 

O tema da Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 19/ago

O tema da Ademi no Salão do Imóvel será "Construção Sustentável".

 

Jovens investem na casa própria

O Dia, Cristiane Campos, 16/ago

Na opinião do vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Paulo Fabbriani, essa tendência é positiva e mostra que o jovem aposta que o imóvel que está comprando a longo prazo vai se valorizar.

 

Novo feirão alimenta o desejo de quem sonha com a casa própria

Extra, 17/ago

"A Prefeitura do Rio e a Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) serão parceiros", disse o presidente da Patrimóvel, Rubem Vasconcelos.

 

Na Zona Oeste, um novo 'boom' imobiliário

O Globo, Fernanda Pontes, 15/ago

Paulo Fabbriani, vice-presidente da Ademi, disse ainda que, além dos megacondomínios, a periferia da cidade passa a abrigar outro conceito em urbanismo: "Estamos reunindo escritórios e residências na mesma área, como já vem ocorrendo na Barra. A distância e a falta de opções de transporte vão transformar essas áreas em pequenos centros urbanos", afirma ele.

 

Campo Grande aquecido

O Dia, Cristiane Campos, 10/ago

O bairro de Campo Grande virou mesmo o favorito das construtoras na Zona Oeste do Rio. As mineiras MRV e Tenda estão anunciando lançamentos de mais de 3 mil unidades na região no semestre. São empreendimentos para todas as faixas de renda, com financiamento de até 100% e taxa de juros abaixo de 12% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O prazo de pagamento chega a 30 anos. O potencial pode ser confirmado na pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Mercado imobiliário inabalável

Extra, Danielle Abreu, 03/ago

"O bom momento está acontecendo e vai continuar. Os bancos continuam fazendo o seu papel e o crédito está farto. Não vejo motivo de preocupação, por enquanto", disse o conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Marcelo Parente.

 

Negociação imobiliária

Extra, 03/ago

A Ademi está apoiando a realização do curso "Técnica de Negociação Imobiliária Aplicada", entre os dias 18 e 20 de agosto. O objetivo é ensinar fundamentos básicos sobre prática de negociação para consultores imobiliários e corretores autônomos, entre outros profissionais.

 

Salão do Imóvel 2008: maior e melhor

O Globo Online, 23/jul

A segunda edição do Salão do Imóvel chega ao Rio de cara nova. O jornal O Globo, a Prefeitura do Rio de Janeiro e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) estão apoiando a iniciativa. A realizadora é a Fagga Eventos.

 

Imóvel cresce 50% no Rio de Janeiro

DCI, 29/jul

Apesar do otimismo de várias empresas, a alta dos juros traz previsões menos otimistas para os lançamentos voltados aos segmentos de imóveis populares, que têm um público-alvo mais dependente de crédito, afirma Marcelo Parente, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Campo Grande ganhará mais 1.480 unidades

O Dia, Cristiane Campos, 25/jul

Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a região está se tornando local muito procurado pelas construtoras e incorporadoras e já é o quinto bairro em lançamentos de imóveis na cidade. A MRV também procura terrenos no bairro de Bangu.

 

Condomínio fechado ganha versão classe C

Folha de São Paulo, Janaina Lage, 28/jul

As unidades foram ficando compactas e "o lazer passou a ser um ponto fundamental. Daí o sucesso do conceito condomínio clube", diz Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). Há apartamentos de dois quartos à venda com até 46 metros quadrados.

 

Recorde na casa própria: R$ 9,1 bi

O Dia, Cristiane Campos, 25/jul

Campo Grande ganhará mais 1.480 unidades. Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), a região está se tornando local muito procurado pelas construtoras e incorporadoras e já é o quinto bairro em lançamentos de imóveis na cidade. Para especialistas de mercado, a alta da taxa básica de juros (Selic), que passou para 13% ao ano, não terá grande impacto no mercado imobiliário.

 

Um sucesso previsto e confirmado

Extra, Danielle Abreu, 20/jul

A previsão dos executivos do mercado imobiliário no ano passado, de que 2008 seria o ano dos imóveis econômicos, virou realidade. A quantidade de lançamentos habitacionais na faixa de R$50 mil a R$150 mil no primeiro semestre deste ano foi 11% maior do que o número registrado no grupo de unidades com valores de R$150 mil a R$400 mil. Os dados são da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Renovação do aluguel deve seguir bom senso

O Fluminense, 20/jul

Os contratos de aluguel que têm vencimento em julho vão sofrer reajuste, por causa da alta registrada no acumulado de 12 meses do Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), de 13,44%. "Caso isso aconteça, vamos cair no mesmo vício do passado, nos tempos de inflação alta", destaca Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

 

Campo Grande: a menina dos olhos do mercado imobiliário

Aqui Imóvel, 01/jul

Em 2007 a região ficou em quinto lugar no ranking de lançamentos do Rio, atrás de Jacarepaguá, Barra da Tijuca, Recreio e Del Castilho. Segundo a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) foram lançadas 721 unidades na região. A previsão é que até 2010 sejam criadas mais 1.920 unidades.

 

Investidores apostam no crescimento do mercado imobiliário da Baixada

ZM Notícias, 16/jul

O mercado imobiliário na Baixada Fluminense nunca esteve tão aquecido. Segundo números divulgados recentemente pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Nova Iguaçu surge como um dos principais destinos para novos empreendimentos. Nos primeiros meses de 2008, o número de unidades lançadas na Baixada Fluminense, principalmente em Nova Iguaçu e Duque de Caxias, já supera todo o ano de 2007, que teve 1.353 apartamentos lançados.

 

Alta da inflação pressiona reajuste de aluguéis

Brasília em tempo real, jul/08

Especialistas ressaltam que a maior ameaça é a inflação de demanda. "Caso isso aconteça, vamos cair no mesmo vício do passado, nos tempos de inflação alta", destaca Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).



 

Drible na inflação

O Globo, Rodrigo March, 13/jul

O setor da construção civil também já sente o impacto dos reajustes de insumos básicos, conta Rodrigo Conde Caldas, vice-presidente da construtora Concal e da Ademi/RJ: "Com o boom do mercado, a demanda aumentou. Buscamos fazer acordos para evitar que os fornecedores aumentem demais a sua margem de lucro. Além disso, temos que ter mais cuidado no orçamento de obras novas", diz ele.

 

WTorre negocia contrato de locação com a Petrobras

DCI, 11/jul

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos cinco anos, pelo menos 200 endereços da região central do Rio de Janeiro passaram por obras de retrofit (reformas que preservam a fachada e modernizam o interior do imóvel) ou ganharam novas construções.

 

Área do Complexo Frei Caneca será revitalizada

Jornal do Commercio, Gabriel Simi, 03/jul

O governador Sérgio Cabral assinou em 2 de julho a licitação para a venda do Complexo Frei Caneca, em almoço com empresários da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Cabral afirmou que revitalizar áreas degradadas do Rio de Janeiro é uma de suas prioridades. Os recursos oriundos da transação serão investidos em complexos prisionais em outra região.


 

Escritórios aquecem construção

O Globo Barra, Miguel Caballero, 26/jun

A explicação, para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Paulo Fabbriani, está no número de empreendimentos comerciais. "Foram muitos este ano, como o 02 e as unidades comerciais do Península. A Barra, que recebe cada vez mais moradores, tem uma carência de escritórios: hoje, a maioria está concentrada ao longo da Avenida das Américas", diz ele.

 

Ecos do canteiro de obras

O Globo, Rodrigo March, 06/jul

"Quando se alimenta a construção civil, uma série de outras indústrias e o sistema financeiro são aquecidos, inclusive indiretamente, como no caso de decoradores e designers de móveis", exemplifica Marcelo Parente, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Novos prédios em toda a região

O Globo Zona Norte, 29/jun

Em toda a cidade foram lançadas, nos primeiros cinco meses do ano, 5.775 unidades habitacionais - sendo 12% na Zona Norte. Para o conselheiro da Ademi Marcelo Parente, o controle da inflação e dos juros permite que o financiamento seja feito em mais tempo, reduzindo o valor das prestações.

 

Empreendimentos com atrativo

O Globo Baixada, Marta Paes, 29/jun

Cidades como Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Belford Roxo têm atraído grandes investimentos no setor imobiliário. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), foram lançadas 1.353 unidades na Baixada em 2007. Este ano, já são 390 novas unidades, de janeiro a abril, e há outras 1.471 com lançamento previsto até julho.

 

A campanha

Jornal do Brasil, Hildegard Angel, 04/jul

A campanha pega fogo. Na terça-feira, enquanto Sérgio Cabral almoçava na Ademi, a convite de Rogério Chor, e fazia balanço impressionante dos resultados de seu período de governo, verdadeira prestação de contas (favorecendo por tabela seu candidato a prefeito, Eduardo Paes, que estava presente), a candidata do PCdoB, Jandira Feghali, almoçava com as figuras top da construção pesada do Rio de Janeiro, na sede da Associação das Empresas de Engenharia.

 

Homenagem

O Globo, Ancelmo Gois, 02/jul

A Ademi homenageia hoje Sérgio Cabral em almoço no Jockey Club, no Centro. Na pauta, obras do estado, como o Arco Metropolitano.

 

Padrão da Barra chega à região

O Globo, Mariana Gonçalves, 26/jun

De acordo com Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), com a maior oferta de lazer, o preço do metro quadrado também aumenta.


 

 

Serviços, compras, lazer e um ótimo negócio

Extra, 29/jun

As unidades próximas aos grandes centros de compras têm o metro quadrado cerca de 15% mais caro, se comparado a outras localidades do mesmo bairro. A previsão é do vice-presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Conde Caldas, e vale não somente para imóveis novos como também para os usados.

 

Inflação pressiona reajuste de aluguéis

Jornal do Brasil, Cláudia Dantas, 28/jun

Especialistas ressaltam que a maior ameaça é a inflação de demanda. "O pior é ficar com o imóvel vazio, o proprietário tem de reconsiderar, e o inquilino, negociar, porque quase 13,5% pesa no orçamento", destaca Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).


 

No centro dos negócios

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 02/jul

"As pessoas estão redescobrindo o Centro", atesta Rogério Chor, presidente da CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).



 


 

O Advogado

O Globo, Ancelmo Gois, 26/jun

O advogado Maury Rouède Bemardes, consultor jurídico da Ademi, integra a recém criada Comissão de Direito Imobiliário da OAB-RJ.

 

Aluguéis em disparada

O Dia, Rachel Vita, 21/jun

Para o vice-presidente da Ademi, Paulo Fabbriani, o reajuste dos aluguéis tem sido maior em algumas regiões da cidade, como na Zona Sul. "A média é de aumento de 20%", revela Fabbriani. Segundo ele, o bom momento do setor imobiliário, com novos lançamentos, impulsionado pelo aumento na liberação de crédito para o consumidor, inverteu a situação no mercado.

 

Muita oferta e muita procura

O Globo, 22/jun

"A Abelardo Bueno será o endereço corporativo do Rio. Ela ainda não pegou preço de verdade. Quando isso acontecer, vai se equiparar em valor à Avenida das Américas, no esteio dos novos empreendimentos" diz o presidente da Patrimóvel e vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Rubem Vasconcellos.


 

 

Mercado de imóveis em alta

O Dia Baixada, Marcos Galvão, 16/jun

O mercado imobiliário na Baixada Fluminense tem motivos de sobra para comemorar. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), morar na região nunca esteve tão na moda.

 

Expansão fluminense

Construção Mercado, Guilherme Conte, mai/08

"A construção do Arco Metropolitano é fundamental para se pensar em expansão econômica no Estado", afirma Rodrigo Caldas, vice-presidente da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas Imobiliárias do Rio de Janeiro). "Com certeza serão geradas muitas oportunidades de negócios."

 

O posto sumiu!

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 16/jun

No terreno do que funcionava ao lado do Rio Sul será feita uma expansão do shopping; no da esquina da Avenida Vieira Souto com o Jardim de Alah está sendo construído um prédio de alto luxo. Este último teria sido vendido, em 2007, por 24 milhões de reais. "É a lei de oferta e procura: com a carência de terrenos, essas áreas ficaram valorizadíssimas", afirma Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi). "É uma tendência mundial", acrescenta ele. "Não há postos nas áreas valorizadas de Paris ou Nova York."

 

Trocando a favela pelo asfalto

Extra, Danielle Abreu, 15/jun

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos, a migração deve se fortalecer a partir de 2009.

 

 

 

 

Por um quintal só seu

Extra, Danielle Abreu, 15/jun

No ano passado, mais de 350 unidades desse tipo (conjuntos de casas) foram lançadas no Rio, segundo a Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Mercado Imobiliário cresce na Baixada

Extra, 04/jun

O mercado imobiliário na Baixada Fluminense está em plena expansão. "O mercado como um todo está buscando locais e faixas de renda que nunca tinham focado. Isso ocorre porque há novas modalidades de financiamento, com prazo maiores, que permitem que mais pessoas tenham acesso ao crédito",  disse o presidente da ADEMI, Rogério Chor.

 

Convênio para combater a dengue nos caminhos de obras

Extra, 08/jun

A Secretaria municipal de Saúde do Rio (SMS) e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) firmaram convênio para combater a dengue nos canteiros de obras. Apesar de o número de casos da doença ter diminuído no Rio, os dois órgãos decidiram treinar grupos de funcionários nos edifícios em construção, que serão multiplicadores do conhecimento.

 

A ocupação da Zona Norte

O Dia, Cristiane Campos, 08/jun

Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que, de janeiro a abril, já foram lançadas 690 unidades na Zona Norte, contra 52 imóveis do mesmo período do ano passado. Para reforçar ainda mais o potencial da região, está prevista mais uma novidade este mês.

 

Nova chance para a casa própria

Extra, Danielle Abreu, 09/jun

Quem procura um imóvel, mas não conseguiu ir ao 4° Feirão Caixa da Casa Própria, que terminou ontem, no Riocentro, na Barra, vai ter mais uma chance de ver num só lugar construtoras, imobiliárias e agente financeiro. Trata-se do 2° Salão do Imóvel do Rio, organizado pela Patrimóvel. "O tema será os 50 anos da Bossa Nova. O local vai estar decorado com esse tema. A Prefeitura do Rio e a Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário, a Ademi, também serão nossos parceiros no evento", disse Rubem Vasconcelos.

 

SMS e Ademi: luta contra a dengue

Jornal do Brasil, 08/jun

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS) e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) fecharam, na sexta-feira, uma parceria de combate à dengue. Educadores da SMS ensinarão funcionários de imóveis em construção a eliminar focos do mosquito da dengue e a água parada. A estimativa é a de que a iniciativa alcance cerca de 5 mil funcionários.

 

Todos de olho na Baixada

Extra, Danielle Abreu, 08/jun

Segundo dados da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o número de lançamentos naqueles municípios, nos primeiros seis meses de 2008, já é 37,54% maior do que o registrado durante todo o ano passado. E o crescimento vai continuar. Até o mês que vem, pelo menos seis construtoras vão lançar mais de 1.400 unidades.

 

SMS e Ademi firmam parceria na luta contra a dengue

Jornal do Brasil, 05/jun

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS) e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) assinam, nesta sexta-feira, às 10h, uma parceria na luta contra dengue. O evento acontece na Rua 19 de fevereiro, 45, em Botafogo.

 

Aumento de crédito favorece o mercado imobiliário

Revista Empresário, 01/mai

O crescimento do mercado imobiliário é percebido em números e um dos grandes fatores para esse resultado positivo é a oferta de crédito. Segundo o conselheiro da ADEMI, Rodolpho Vasconcellos, a grande oferta por parte dos bancos, com dinheiro barato, é um incentivo ao setor. "Esse montante incrementa o mercado", diz.

 

Mercado imobiliário aquecido na Baixada

O Globo, Flávia Oliveira, 03/jun

O número de lançamentos imobiliários do primeiro semestre na Baixada Fluminense ultrapassará o total do ano passado. Em 2007, foram lançadas 1.353 unidades na região, segundo a Ademi.

 

Um fôlego que não diminui

Extra, Danielle Abreu, 25/mai

A Zona Oeste não pára mesmo de crescer. Não é de hoje que as construtoras estão de olho na região, mas o fôlego imobiliário daqueles bairros não acaba. Duas grandes empresas anunciaram que estão levando para lá dois megaempreendimentos. Segundo dados da Ademi, o número de lançamentos na região registrou aumento de 46% no ano passado, se comparado com 2006.

 

Fórum Bovespa discute Índice Imobiliário

A Bovespa manterá no ar até o dia 2 de junho uma consulta pública eletrônica para a elaboração de um índice imobiliário. A ADEMI convida seus associados a participarem desse fórum e, assim, deixarem suas colaborações para o desenvolvimento do  trabalho. Neste link é possível obter mais informações e acessar o fórum de discussão.

 

Franca expansão, tijolo sobre tijolo

Jornal do Brasil, Eduardo Tavares, 25/mai

A escassez de terrenos e as medidas restritivas impostas pela prefeitura na Zona Sul da cidade, nos últimos quatro anos, estão fazendo com que a Barra e Jacarepaguá sejam as melhores opções para se construir ou adquirir um imóvel. A constatação é de Rogério Chor, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Em 2007, Jacarepaguá, por exemplo, foi responsável por 34% dos imóveis lançados na cidade.

 

Uma garantia de tirar o sono

O Dia, Cristiane Campos, 25/mai

A garantia da alienação fiduciária divide opiniões. Se, por um lado, o imóvel é retomado mais rápido, por outro, o modelo contribuiu para a redução nas taxas de juros e no alongamento do prazo de pagamento. Para o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Paulo Fabbriani, a alienação fiduciária existe desde 1997, mas na prática, só começou a ser usada a partir de 1999 pela Caixa Econômica nos contratos assinados pelo SFI (Sistema Financeiro Imobiliário).




 

Mercado Imobiliário: crescimento e facilidades para o consumidor

O Globo, Informe Publicitário, 17/mai

Uma pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) comprova ritmo acelerado do crescimento do mercado imobiliário do Rio. O número de unidades lançadas em 2007 chegou 13 mil unidades/ano contra 9 mil unidades/ano lançadas em 2006. Os bairros da Barra Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá concentraram 65% do total de emprendimentos lançados em 2007.

 

Mosquito na obra

O Globo, Ancelmo Gois, 17/mai

A Ademi e a Secretaria de Saúde de Cesar Maia firmaram parceria para um trabalho de prevenção à dengue nos canteiros de obras do Rio. Em junho, brigadas antimosquito vão a mais de 50 obras.

 

Usados continuam em alta

Extra, Danielle Abreu, 18/mai

O banco, que até agora exigia entrada de 20% na compra de imóveis usados com recursos do FGTS (para quem tem renda de até R$4.900), passou a financiar 100% do valor do bem. Segundo o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), Paulo Fabbriani, a decisão vai acabar com o desequilíbrio de crédito para novos e usados.

 

Excelentes perspectivas de crescimento no mercado residencial imobiliário brasileiro

Revista ArquiShow, 01/mar

No Rio de Janeiro, segundo a ADEMI/RJ, foram lançadas no período de Janeiro a Junho 2007, 4.637 unidades, contra 3.390 em igual período do ano de 2006. As vendas nesse período foram de 3.143 unidades.

 

Áreas nobres na carona do PAC

Jornal do Brasil, Felipe Sil, 10/mai

Para Rubem Vasconcellos, vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), a sociedade carioca volta, aos poucos, a olhar para São Conrado como uma grande oportunidade de comprar imóveis de qualidade e com acesso fácil a outras áreas nobres do Rio.

 

Um nicho do bairro que é tudo de bom

O Globo, 07/mai

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, não pensa duas vezes ao afirmar que o Jardim Pernambuco é a área mais valorizada do Rio. Uma casa de 300 metros quadrados pode ser vendida, segundo ele, por R$ 3 milhões.

 

Olho gordo no quintal do batalhão

O Globo, Fernanda Pontes, 07/mai

A proposta do estado também não foi vista com bons olhos pelo vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos: Não adianta pedir um preço que não tenha viabilidade econômica.

 

"Ser sinônimo de sucesso é ser focado"

Revista Síndico, Juliana Pate, 01/abr

"O que faz a divisão de um empresário de sucesso de um cara maluco é o fio de uma navalha. Se tudo dá errado, dizem: 'tá vendo esse cara? Era maluco'. E se deu certo: 'você é um empresário genial'," resume Rogério Chor, presidente da ADEMI para o mandato 2007/2009 e presidente da Construtora CHL, sinônimo de sucesso.

 

Um Rio de Janeiro estratégico

Revista Síndico, Marcelo Carvalho, 01/abr

O setor imobiliário já está sofrendo influência pela construção do Arco Metropolitano. Construtoras, como a Gafisa, RJZ, Cyrela Brazil Realty e Klabin Segall, ampliaram sua área de atuação, e já têm empreendimentos lançados ou em construção em cidades cortadas pelo Anel. De acordo com um estudo elaborado pela Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), o total de unidades desses empreendimentos chegou a 1.353, no período de janeiro a dezembro de 2007.

 

Palacetes à venda

Veja Rio, Fernanda Thedim, 07/mai

O elevado valor de taxas como o IPTU e a trabalhosa manutenção de uma casa, que inclui cuidados permanentes com a infra-estrutura, fora a despesa com jardineiro e cães de guarda, por exemplo, são fatores fundamentais para a crise do mercado. "À medida que a família envelhece e os filhos se mudam, ocorre uma migração natural para imóveis menores", afirma Marcos Levy, vice-presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário e presidente da incorporadora Brascan, que lançou em 2004 o Santa Mônica Jardins, o último grande condomínio de casas inaugurado na Barra.

 

Rio vivencia disputa por terrenos em regiões nobres

Valor, Chico Santos, 04/mai

Rogério Chor, presidente da CHL e da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), disse que a partir de agora vai ser cada vez mais difícil construir na orla da zona sul do Rio, mas considera exagerado falar em último prédio.

 

Dólar que não pára de entrar

O Globo, Isabel Kopschitz, 04/mai

De acordo com Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação das Empresas de Dirigentes do Mercado Imobiliário no Rio (Ademi-RJ), os estrangeiros estão de olho no Brasil, pois a economia local oferece segurança e imóveis baratos.






 

Planejamento para o futuro

Extra Imóveis Especial, Danelle Abreu, 30/abr

O boom do mercado imobiliário está fazendo com que as secretarias de urbanismo preparem as cidades para receberem tantos empreendimentos. Segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), foram celebrados 101 lançamentos no Rio, até outubro do ano passado.

 

"O caminho é o da construção popular"

Extra Imóveis Especial, Danielle Abreu, 30/abr

Para se ter uma dimensão clara, vamos aos números: a quantidade de unidades habitacionais lançadas pelo mercado imobiliário carioca passou de 6,7 mil no biênio 2003/2004 para 9 mil entre 2005 e 2006. No ano passado, o crescimento do setor alcançou a marca de 45%. Os dados são da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Expansão imobiliária no Rio

Istoé, 30/abr

O cheiro de tinta se espalha pelo subúrbio e já chegou à Baixada, onde a Carmo e Calçada lança um condomínio de 120 apartamentos em Duque de Caxias com jeito de Barra: a área de lazer terá até pista de boliche. Para João Paulo Matos, vice-presidente da Ademi, a construção deve se pulverizar mais este ano.

 

Campo Grande para cima

O Globo Especial, 20/abr

"Campo Grande é o maior bairro do Rio de Janeiro e até então não tinha grandes empreendimentos. É um verdadeiro oásis para as construtoras, já que tem muitos terrenos e uma boa infra-estrutura", diz Rodrigo Caldas, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

No canteiro

O Globo, 27/abr

O Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-Rio) promoverá, nos dias 14, 15 e 16 de maio, das 9h às 13h, o "Curso de noções básicas de gestão de resíduos". Serão 12 horas de aulas, que ocorrerão na sede do sindicato. Para associados do Sinduscon e da Ademi-RJ, o curso sai a R$300.

 

ITBI - Crescimento econômico e crédito garantem aumento

Revista Multi Cidades - Finanças dos Municípios do Brasil, ano 3/2007

O bom desempenho do ITBI deve ser creditado à expansão do mercado imobiliário brasileiro. Segundo o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Conde Caldas, o setor tem tido forte demanda por conta da facilidade de crédito e do aumento da renda da população.

 

Novo fôlego ao mercado

Revista da Abami, edição nº 2

"Coincidência ou não, a realização dos Jogos Pan-americanos provocou um processo de aceleração da atividade do nosso mercado. Os resultados alcançados por diversos lançamentos imobiliários foram surpreendentes. Foi como se o carioca despertasse para o desejo de mudar de casa, de melhorar de vida, de propiciar mais qualidade de vida para sua família", afirma o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Seminário sobre INSS

O Globo, 13/abr

O Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-Rio) promoverá, na próxima quinta-feira, das 9h às 18h, o seminário técnico "INSS na construção civil - Procedimentos, necessidades e exigências". Associados da Ademi-RJ ou do Sinduscon pagam R$250.

 

A Delta

O Globo, 13/abr

A Delta Incorporações é a nova integrante da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ ).

 

Máxima Asset decide entrar no ramo imobiliário

Valor, Chico Santos, 09/abr

A própria contratação de Fabbriani simboliza a intenção da empresa de colocar o setor imobiliário entre suas prioridades maiores. O executivo era vice-presidente da Carvalho Hosken, uma das mais conhecidas construtoras do mercado carioca, e é vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Delta filia-se à Ademi e anuncia obras

Jornal do Brasil, 06/abr

A Delta Incorporações é a nova filiada da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ). Criada em 2005, a Delta Incorporações já lançou cinco empreendimentos no Estado, sendo dois em Niterói, dois em Macaé e um no Méier. Os empreendimentos, que somam 532 unidades, totalizam valor geral de vendas (VGV) de R$ 72 milhões.

 

Na onda do boom imobiliário

Veja Rio, Sofia Cerqueira, 02/abr

"Como o mercado andou de lado ou para trás durante muito tempo, vários profissionais migraram de setor", frisa Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e da CHL. Há cinco anos, sua construtora alcançou um volume geral de vendas de 100 milhões de reais.

 

Recorde de fusões e aquisições

O Globo, Luciana Calaza, 30/mar

Para Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e da construtora CHL, a cultura de gestão familiar de grande parte das empresas ainda é uma barreira para o crescimento do número de aquisições e fusões.

 

O Curso

O Globo, Ancelmo Gois, 28/mar

Começa hoje, na Ademi-RJ, o curso Estruturação Imobiliária Aplicada. Entre os palestrantes, o advogado Maury Bernardes.

 

Favelas avançam e preços recuam

Jornal do Brasil Barra, Pat Zinger, 23/mar

Em 2007, a região da Barra e bairros vizinhos registrou 65% dos lançamentos imobiliários, o maior em relação a outros bairros, todos eles longe das favelas, segundo pesquisa da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

É melhor dever ao banco ou à construtora

O Globo, Luciana Calaza, 16/mar

No caso dos imóveis chamados de econômicos, o financiamento bancário é mais vantajoso, por outro lado, diz o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e da construtora CHL, Rogério Chor, há outra justificativa para a preferência de alguns compradores pelas construtoras: a maior flexibilidade nas negociações.

 

Comprar ou alugar, eis a questão

Jornal do Brasil, Claudia Dantas, 16/mar

Segundo a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), em 2006, o percentual de unidades vendidas à vista ou financiadas pelo construtor chegava a 82%. Já os financiamentos bancários não passavam de 18%. O relatório do ano passado registrou outro panorama: 49% de unidades vendidas à vista ou direto do incorporador contra 51% de bancos.

 

Garagens mal planejadas e espaço reduzido podem ser a causa da dor de cabeça de muitos motoristas

O Globo Online, Mariane Thamsten, 11/mar

O arquiteto e conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) Afonso Kuenerz defende o espaço de 2,5m² X 5m², determinado pela lei."Sem dúvida alguma, o espaço de 2,5m² para cada carro é adequado. Se somar as distâncias entre um veículo e outro, terá mais de um metro, o que dá para abrir a porta confortavelmente. Pela largura, não há problema algum", disse Kuenerz.



 

Imóveis retomados só crescem

Imóveis retomados só crescem

O número de brasileiros que perdem a casa própria por ter uma dívida superior ao valor da propriedade no final do financiamento ainda é grande no Brasil. De 2006 para 2007, houve um aumento de mais de 60% dos imóveis retomados por falta de pagamento e levados a leilão pela Empresa Gestora de Ativos (Emgea), que administra contratos antigos da Caixa Econômica.

 

Premiação ao longo do contrato

Extra, Danielle Abreu, 09/mar

Mas os bons pagadores não são premiados somente na hora da aprovação do crédito. Segundo o conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) Rodolpho Vasconcellos, alguns bancos já oferecem vantagens durante o financiamento para quem não atrasa prestações.

 

Patrimônio urbano em risco

O Globo, Luiz Ernesto Mgalhães, 06/mar

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, disse que a entidade ainda não tem posição fechada sobre a situação.

 

Grande Méier vira a nova opção para a classe média

O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 02/fev

A Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) calcula que 5 mil novos imóveis residenciais serão construídos nos próximos anos. Muitos desses prédios terão serviços semelhantes a condomínios da Barra, com piscinas, saunas e quadras esportivas.

 

Mulheres no comando

Meia Hora, 29/fev

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Rodrigo Conde Caldas, o aumento na oferta do financiamento imobiliário possibilitou que a classe média comprasse o apartamento. "Além disso, as mulheres têm aumentado sua participação no mercado de trabalho. Sempre foram elas que decidiram a compra, mas, no passado, era o homem quem pagava. Hoje, são elas que arcam com a despesa", diz Caldas.

 

Botafogo é líder em construções na região

O Globo Zona Sul, Jackeline Mota, 28/fev

Bairro de passagem, só no imaginário carioca. Com cerca de 80 mil moradores (dados do Censo de 2000), Botafogo hoje lidera o ranking de novos empreendimentos residenciais na região. Em 2007, foram lançadas 416 novas unidades no bairro, contra 112 em 2006, um crescimento de 271% segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). O Humaitá fica em segundo lugar, com 73 unidades.

 

A hora do vizinho brilhar

Extra imóveis Especial, 28/fev

Segundo dados da Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Jacarepaguá responde hoje por 34% dos empreendimentos lançados na cidade. O bairro passou a frente, inclusive, da sua vizinha Barra da Tïjuca. Na pesquisa, outra região da moda, Campo Grande, também mereceu destaque: teve 6% de todos os empreendimentos lançados em 2007.

 

Segmento em expansão

Exta imóveis Especial, 28/fev

Marcelo Parente, da Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), faz coro com Vasconcelos. Segundo ele, o cenário favorável para a realização do sonho da casa própria é resultante do tripé estabilidade da moeda, diminuição dos juros e crédito facilitado.

 

A adimplência premiada, mais vantagens para o bom pagador

Revista Brascan & Você, 27/fev

"A adimplência premiada representa a volta do Sistema Financeiro da Habitação, o SFH, que são os bancos fazendo o seu papel, de financiar, e as construtoras fazendo o seu, que é construir", comemora o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel, Rubem Vasconcelos.

 

IML arruma as malas, deixa o Centro e segue para Leopoldina

Jornal do Brasil, Angélica Paulo e Jaime Gonçalves Filho, 24/fev

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-RJ), Rubem Vasconcelos prevê que a área será revitalizada, atraindo novos inquilinos.

 

Mercado imobiliário seduz as mulheres

O Dia, Cristiane Campos, 23/fev

Segundo o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rodrigo Conde Caldas, o aumento na oferta do financiamento imobiliário possibilitou que a classe média comprasse o apartamento.

 

Prioridade para empreendedoras

Jornal do Brasil, 17/fev

Paulo Fabbriani, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário pediu, porém, mais transparência no FGTS, e citou o sistema de fundo de garantia do México. Lá, explicou, o trabalhador vai ao banco e recebe a carta de crédito com o saldo e o limite de financiamento. Com essas informações, procura um imóvel. Aqui, há o movimento oposto - comparou Fabbriani. "A transparência facilitaria muito o desenvolvimento do setor de habitação." diz Fabbriani.

 

Um passado bastante atual

Extra, Danielle Abreu, 17/fev

Segundo o consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), David Cardeman, existem hoje no Rio cerca de 2.300 vilas, a maioria datada do século 19. De acordo com ele, poucas construtoras se interessam em construir conjuntos de casas porque o solo está muito caro.

 

Mercado investe nas famílias de até 2 filhos

O Globo, Luciana Calaza, 17/fev

A informação é do presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, que confirma ainda a preferência dos jovens por imóveis na planta até porque, hoje em dia, há construtoras que permitem que o comprador parcele a entrada de 10% e ainda lhe garantem financiamento de 25 anos, junto a um banco, para os 90% restantes.

 

Campo Grande em alta

Meia Hora, 15/fev

No ano passado, foram lançadas 721 unidades na região, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Com esse desempenho, o bairro já ocupa o quinto lugar em número de novos imóveis na cidade do Rio.

 

Política de financiamento ainda dificulta a compra

Jornal do Brasil, 10/fev

Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), também avalia que a oferta de crédito para novos é que impulsiona o aumento das vendas. Para o conselheiro, os preços dos usados não estão acessíveis o bastante para atrair compradores.

 

Jacarepaguá em alta

O Dia, 10/fev

Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que, pela primeira vez, nos últimos quatro anos, a Barra da Tijuca não é a campeã em lançamentos. Jacarepaguá assumiu essa colocação, em 2007, alcançando 34% de tudo o que foi lançado no ano.

 

Avanço em Campo Grande

O Dia, Cristiane Campos, 10/fev

Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) mostram que, no ano passado, foram lançadas na região 721 unidades. Com esse desempenho, o bairro já ocupa o quinto lugar em número de novos imóveis.

 

'Boom' imobiliário em Campo Grande

O Globo, Flávia Oliveira, 09/fev

Os lançamentos imobiliários previstos para Campo Grande nos próximos meses já superam todo o resultado de 2007, quando a Ademi registrou 721 novas unidades.

 

Decisão sobre TR afeta mutuários

Jornal do Brasil, Claudia Dantas, 03/fev

Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), também reforça que o valor de correção não tem relevância, mas considera que, sob o aspecto legal, o tema pode gerar polêmica.

 

Del Castilho em alta

O Globo Zona Norte, Marcelo de Mello, 27/jan

A pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário de 2007 revela que Del Castilho foi o bairro da Zona Norte com o melhor desempenho: 967 imóveis, o que corresponde a 7% do total da cidade. Em 2006, o título regional foi do Méier, com 14%.

 

Jacarepaguá passa a Barra em número de lançamentos

Extra, 27/jan

Pela primeira vez nos últimos quatro anos, a Barra da Tijuca não foi, em 2007, a campeã em lançamentos no Rio de Janeiro. De acordo com a pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Jacarepaguá assumiu a liderança com 34% do total, seguido da Barra, com 23%.

 

Jacarepaguá no pódio

O Globo, 27/jan

Depois de quatro anos seguidos, a Barra não foi campeã de lançamentos imobiliários do Rio. De acordo com pesquisa da Ademi, em 2007, Jacarepaguá assumiu a liderança, com 34% de tudo o que foi lançado. Juntos, Barra, Recreio e Jacarepaguá concentraram 65% das construções residenciais da cidade. No total, foram lançadas 13 mil unidades, o que representou crescimento de 45% sobre 2006.

 

Unidade de Alto Padrão

O Dia, 20/jan

Pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revela que de janeiro a outubro do ano passado foram lançadas 1.349 unidades acima de R$ 400 mil na cidade.

 

Forasteiros da construção civil

O Globo Barra, Paula Dias, 17/jan

Que a região da Baixada de Jacarepaguá continua sendo um dos maiores destinos de novas construções no Rio, não é novidade. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), bairros como Barra, Recreio e Jacarepaguá concentraram 65% dos lançamentos da cidade no ano passado.

 

Execução de imóvel nem sempre quita a dívida de financiamento

O Globo, Luciana Calaza, 20/jan

"O imóvel alienado pode ser vendido para terceiros, mas com autorização, por escrito, do agente financeiro", ressalta Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Rarity fuels boom in Rio de Janeiro's hottest neighborhood

International Herald Tribune, Sue Chester, 18/jan

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da ADEMI, José Conde Caldas, dá entrevista para o Herald Tribune sobre a valorização do bairro do Leblon. 

 

Preços dos aluguéis caem na maioria dos bairros do Rio

Extra, Danielle Abreu, 16/jan

"Isso já pode ser a demonstração de que lançamentos com prestações iguais ou inferiores aos aluguéis estão pressionando o mercado de locação, puxando os preços para baixo ", concordou o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Conde Caldas.

 

Bairros da Zona Norte tiveram a maior valorização em 2007

Extra, Danielle Abreu, 12/jan

A justificativa está no crédito, que ficou mais fácil. Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Conde Caldas, os juros mais baixos e os prazos alongados liberaram uma demanda que estava reprimida.

 

Busca pelo melhor lugar

Extra, Carlos Monteiro, 13/jan

"É uma tendência do mercado imobiliário, que vem sendo beneficiado pelo crescimento ou surgimento de centros comerciais, pólos de serviços e unidades de ensino em vários pontos da cidade. Áreas nas proximidades de vias expressas e de estações de transporte público também passaram a atrair grandes investimentos do setor", diz David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Barra terá mais 83 mil moradores em 5 anos

O Globo,Selma Schmidt,13/jan

Mas, se não foi feita contagem populacional ano passado na capital, os números apresentados pela Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) e o otimismo de incorporadores e construtores mostram as tendências.

 

A nova locomotiva da economia brasileira

Gazeta Mercantil, Rafael Camargo, 11/jan

Depois de décadas de estagnação, o mercado imobiliário das principais cidades brasileiras vive um momento de rara euforia. Estima-se que, somente em São Paulo, aconteçam dois lançamentos imobiliários por dia. O fenômeno se repete em todo o País. No Rio, de acordo com levantamento da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), foram lançadas, em 2007, mais de dez mil unidades para diferentes faixas de renda.

 

Leblon, endereço mais caro do País

O Dia, Cristiane Campos, 10/jan

Segundo o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) e da Concal, Rodrigo Conde Caldas, o Leblon tem o metro quadrado mais caro da América Latina. Ele lembra que, um imóvel vendido há oito anos por R$ 500 mil, hoje custa R$ 2,5 milhões.

 

Imóvel escapa do IOF

O Dia, Cristiane Campos, 05/jan

Para a Ademi (Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário), as mudanças no IOF e na CSLL não vão impactar o mercado imobiliário. O argumento é que os bancos estão muito competitivos e há vários lançamentos, ou seja, a oferta é grande.

 

O eldorado dos empreendimentos

Jornal do Brasil, 23/dez

Infra-estrutura e mudança na legislação. Estas são as razões que José Caldas, presidente da comissão de desenvolvimento urbano da Ademi, defende para o crescimento dos lançamentos em Jacarepaguá.

 

Mercado bem próximo de seu recorde histórico

O Globo, Luciana Calaza, 30/dez

"Ele quase beira a ciência", diz Rogério Chor, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), que também é presidente da CHL.

 

Barra, Recreio e Jacarepaguá reuniram, em 2007, 66% dos novos empreendimentos da cidade

Jornal do Brasil, Eliane Nóbrega, 23/dez

As expectativas se confirmaram e, por mais um ano, a Barra, Recreio, Jacarepaguá e região foram os bairros com o maior número de lançamentos do mercado imobiliário este ano. Segundo pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), dos 11.710 novos empreendimentos da cidade, cerca de 66% aconteceram na região.

 

O Rio Cresce

O Dia, 23/dez

Levantamento inédito da Ademi indica que a cidade ganhou11.710 novos apartamentos este ano.

 

RAF Arquitetura

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 19/dez

Já o Prêmio Ademi, na categoria Comercial de Grande Porte, foi conquistado com o projeto da Torre Norte Shopping.

 

Construtoras começam a brigar pela baixa renda no Rio

(Agência Estado, Alessandra Saraiva e Chiara Quintão, dez/07)

A tendência é de que esse movimento de alta persista nos próximos anos. Segundo o consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Davi Cardeman, esse ciclo virtuoso deve continuar por pelo menos dois ou três anos.

 

Nordestinas com sotaque carioca

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 09/dez

Para Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), a disputa entre construtoras é saudável para o mercado, e deve, a médio prazo, provocar a queda nos valores dos apartamentos em todo o país.

 

Ademi premia os melhores de 2007

Guia Aqui Imóvel, 01/dez

Chegou a hora de reconhecer as principais obras, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio de Janeiro. A oitava edição do Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário, um dos eventos mais importantes do setor, mais uma vez reconhece e estimula a excelência profissional do mercado de construção, que continua em constante aprimoramento em 2007.

 

RJZ ganha o Top de Marketing ADVB

Monitor Mercantil, 08/dez

Depois de ganhar sete prêmios Ademi e ser escolhida a "Empresa do Ano", a RJZ Cyrela subirá ao podium mais uma vez na 38ª edição do prêmio Top de Marketing da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) com o case de sucesso do Les Palais Botafogo.

 

Venda da Patrimóvel provoca concentração

Valor, Chico Santos, 07/dez

"Concentração nunca é boa, mas não acredito que vá ocorrer", analisa Rogério Chor, presidente da CHL Incorporadora e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Zayd

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 05/dez

A construtora Zayd foi premiada na categoria Comercialização/Marketing no Prêmio Ademi.

 

Setor imobiliário investe em novas unidades

Meia Hora, 23/nov

De acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário(Ademi), o número de unidades lançadas na cidade do Rio entre janeiro e outubro deste ano é quase duas vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2006:10.122 contra 5.185.

 

O que perguntar antes de comprar um imóvel

O Globo, Luciana Casemiro, 28/nov

Na cidade do Rio, o número de unidades lançadas praticamente dobrou: de 5.185 para 10.122 de janeiro a outubro, segundo dados da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi). Há muitos detalhes que as pessoas se esquecem de perguntar na hora da compra e depois acabam gerando problemas.

 

Prêmio Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 04/dez

João Paulo Matos foi eleito Empresário do Ano pela Ademi.

 

O Centro do Rio renasce

Revista Síndico, nov/07

Na opinião do consultor de Desenvolvimento Urbano da Ademi-RJ, David Cardeman, o processo de revitalização empregado no Centro do Rio é amplamente positivo. Ele explica que durante anos esteve em prática a estratégia de tornar a região uma área voltada para a realização de negócios, com poucas opções de moradia.

 

O Grupo Santa Isabel

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 03/dez

O Grupo Santa Isabel recebe hoje o Prêmio Ademi na categoria Shopping Center. A Concal receberá o prémio de Projeto Residencial de Pequeno Porte, e a Rossi, na de Marketing e Comercialização.

 

A RJZ Cyrela

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 02/dez

A RJZ Cyrela recebe, amanhã, sete prêmios na edição do Destaque Ademi-Prêmio Master Imobiliário.

 

Melhores do setor

O Globo, 02/nov

Será amanha, no Hotel Intercontinental, em São Conrado, a entrega do Prémio Master Imobiliário, da Ademi, que chega à oitava edição no Rio. São 35 categorias de premiação. A RJZ/Cyrela foi a grande vencedora: além de conquistar sete prêmios, foi considerada a "Empresa do ano" pela entidade.

 

Rossi

O Globo, Ancelmo Gois, 03/dez

Hoje, a Rossi recebe o prêmio Master Imobiliário, da Ademi-RJ.

 

Ademi elege os destaques

Extra, 02/dez

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ) entrega amanhã, no Hotel Intercontinental de São Conrado, o prêmio Destaque Ademi Master Imobiliário 2007.

 

Prêmio Ademi

Jornal do Brasil, Claudia Penteado, 03/dez

Acontece hoje, no Intercontinental, a entrega do Destaque ADEMI - Prêmio Máster Imobiliário 2007. A RJZ Cyrela é a empresa que receberá o maior número de prêmios. Já a Carmo e Calçada recebe prêmio na categoria Marketing/Comercialização de Empreendimento de Médio Porte, com o La Maison Gauguin, na Península.

 

Ele merece

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 02/dez

Carlos Carvalho comemora. Na cerimônia do Prêmio Ademi, amanhã, no Hotel Intercontinental, a Carvalho hosken, em parceria com a RJZ Cyrela, levará os troféus nas categorias Desenvolvimento Urbano e Empreendimento de Médio Porte, respectivamente, pelo Cidade Jardim e o Mandarim da Península.

 

Oscar do mercado

O Dia, 02/dez

O Prêmio Master Imobiliário (Destaque Ademi) será entregue amanhã no hotel Intercontinental em São Conrado. A RJZ Cyrela foi a grande vencedora, pois além de conquistar sete prémios, foi considerada a Empresa do Ano pela entidade.

 

Puro poder

Jornal do Brasil Barra, Anna Ramalho, 29/nov

O Grupo Carmo e Calçada alcançou este ano o topo do Prêmio Ademi, cuja cerimônia será segunda-feira, no Hotel Intercontinental. João Paulo Matos, diretor do grupo, levará o troféu de Empresário do Ano.

 

Jacarepaguá a todo vapor

Revista Síndico, Marcelo Carvalho, 07/nov

Os números relacionados a Jacarepaguá são excelentes. De acordo com os números da Ademi-RJ, levando-se em consideração o primeiro semestre de 2007, o bairro conquistou o primeiro lugar no ranking de unidades lançadas em toda a cidade - com 1.591 unidades, superando a Barra da Tijuca, que registrou 673 unidades.

 

Desafio da habitação

Jornal do Commercio, 16/nov

É significativo, aliás, a esse respeito, o levantamento da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), mostrando terem sido lançadas neste ano mais de dez mil unidades em várias faixas de renda.

 

Prêmio Ademi Master Imobiliário 2007

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 26/nov

A Renta Engenharia ganhou o Prêmio Ademi Master Imobiliário 2007 na categoria Gerenciamento de Obras.

 

João Fortes Engenharia ganha prêmio

O Globo, Cleo Guimarães, 24/nov

A João Fortes Engenharia vai receber um dos prêmios do Destaque Ademi/RJ no dia 03 de dezembro, no Intercontinental.

 

Classe média alta aproveita crédito farto para diversificar investimentos

O Globo, Luciana Calaza, 25/nov

As melhores condições para a compra de imóveis - conseqüência da estabilidade econômica, da desburocratização do crédito e da queda de juros - abrem novas perspectivas inclusive para o mercado de luxo. É o que afirma o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, segundo quem, não há milagres: para oferecer condições de pagamento mais atraentes, as empresas precisam fazer o que ele chama de "ajustes de preços".

 

Destaque Ademi 2007

O Dia, Jan Theophilo, 26/nov

A RJZ Cyrela conquistou oito prêmios na edição Destaque Ademi 2007.

 

Premiação da Ademi

Extra, 25/nov

No próximo dia 3, será realizada no Hotel Intercontinental, em São Conrado, a oitava edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário, que tem como objetivo reconhecer e estimular a excelência profissional do mercado de construção.

 

Prêmio Ademi Master Imobiliário 2007

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 22/nov

A Renta Engenharia conquistou o Prêmio Ademi Master Imobiliário 2007 na categoria Gerenciamento de Obras.

 

Obra Social ganha prêmio da ADEMI

Diário Oficial do Município, 21/nov

A Obra Social da Cidade receberá, dia 3 de dezembro, o prêmio Destaque Ademi Master Imobiliário 2007, na categoria Obra Pública/Social. O reconhecimento se deve ao sucesso de seus programas, entre eles os de capacitação profissional, segurança alimentar, inclusão social, lazer e cultura para pessoas carentes e de todas as idades. A notícia teve chamada de capa no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro.

 

Uma via à espera de revitalização

O Globo, Jacqueline Costa, 21/nov

Segundo Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), não há como estimar o valor dessas áreas: "São terrenos, em diferentes pontos, que poderiam se prestar a diferentes fins. Na área de influência da Avenida Rio Branco, o metro quadrado de uma sala comercial custa, em média, R$ 1.200. Não é muito porque houve o êxodo das grandes empresas do Centro para a Barra. Na região hoje mais degradada da Presidente Vargas poderiam ser feitos apartamentos de R$ 80 a R$ 130 mil.", diz Rubem.

 

Da casa popular para as mansões

Jornal do Brasil, Regiane de Oliveira, 18/nov

"Com a ampliação dos prazos de financiamento, queda da taxa de juros e estabilidade da economia, todo brasileiro deve ser encarado como um cliente com potencial para adquirir a casa própria.Hoje, podemos construir em qualquer bairro, que o retomo do investimento está garantido.", afirma Rogério Chor, presidente da CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Mercado caminha de vento em popa

O Dia, 18/nov

As empresas do mercado imobiliário estão fazendo investimentos pesados, aproveitando o bom momento do setor. De acordo com dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), o número de unidades lançadas entre janeiro e outubro deste ano é quase duas vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2006: 10.122 agora contra 5.185 no ano passado, na cidade do Rio de Janeiro.

 

Inclusão da classe média

O Globo, Luciana Calaza , 11/nov

O setor da construção comemora a decisão. Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, essa faixa de renda foi a que ganhou mais lançamentos este ano.

 

O sonho concreto da casa própria

Veja Rio, Karina di Nubila, 14/nov

"Os empresários que se associarem vão crescer, se tornarão grandes construtores e começarão a absorver as empresas menores. Essa é a tendência do setor", opina Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Para vender, vale até vôo de balão

Veja Rio, Ricardo Linhares, 14/nov

O empresário Rogerio Chor, presidente da construtora CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), prevê que os interessados em adquirir imóveis ainda vão deparar com muitas iniciativas inusitadas, mas haverá ajustes. "O exagero será retirado", diz. "E daqui a dez anos vamos achar engraçado o que se faz hoje."

 

Bairro da Lagoa tem hoje quatro subdivisões imobiliárias

O Globo, 18/nov

O segundo trecho mais valorizado fica do lado do Jardim Botânico, na Avenida Borges de Medeiros, nas proximidades do Clube Piraquê. De acordo com o diretor da Ademi, a "terceira" Lagoa fica na altura do Parque do Cantagalo, onde os prédios de alto luxo puxaram os preços para cima, embora o trecho do bairro não seja o melhor.

 

As áreas ainda ociosas na valorizada Lagoa

O Globo, Laura Antunes, 18/nov

O construtor José Conde Caldas, presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), diz que a orla da Lagoa Rodrigo de Freitas perde em valorização apenas para os terrenos à beira-mar de Ipanema e Leblon, onde o metro quadrado está entre R$ 20 mil e R$ 22 mil.

 

A Basimóvel

O Globo, Ancelmo Gois, 15/nov

A Basimóvel ganhou o Prêmio Ademi Destaque Imobiliário.

 

A Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 14/nov

A Ademi premiou a RJZ Cyrela (empresa do ano), a Patrimóvel (imobiliária do ano) e Oscar Niemeyer (arquiteto do ano)

 

Impacto na redução de favelas ainda é dúvida

O Globo, Luciana Casemiro, 14/nov

"A longo prazo, acredito, sim, que será possível reduzir o adensamento das favelas, mas há ainda muito a fazer", avalia David Cardeman, consultor de desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Modelo mexicano inspira propostas para mercado de baixa renda no Brasil

O Globo, Luciana Casemiro, 14/nov

As vendas nesse segmento, diz Rogério Chor, presidente da Ademi/RJ, são um sucesso: "A velocidade de venda dos empreendimentos nessa faixa é imbatível, mas não vamos deixar de ter lançamentos em outros patamares. O que acontece é que o mercado ampliou seus tentáculos", diz.

 

Um teto para caber no bolso

O Globo,Luciana Casemiro, 14/nov

Pelo levantamento da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), já foram lançadas mais de dez mil unidades em várias faixas de renda. Todos esses números parecem grandiosos, mas os especialistas garantem que são pequenos perto da necessidade de moradias do país.

 

Choque de ordem nos sinais

O Globo, Fernanda Pontes, 13/nov

A maior quantidade dos divulgadores fica nos principais acessos à Barra, seja na Zona Sul ou na Zona Norte, quando os lançamentos são mais populares. A estimativa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) é de que 400 pessoas trabalhem nesse tipo de atividade nas ruas do Rio.

 

Em fase de construção

Veja Rio, Alessandra Medina, 14/nov

Basta dar uma caminhada pela região para constatar: Botafogo é o bairro da Zona Sul com o maior número de lançamentos imobiliários. "É uma região privilegiada, porque fica perto do centro da cidade e dos principais elos viários entre as zonas Sul e Norte, os túneis Rebouças e Santa Bárbara", diz David Caderman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Nova regra, novo boom

Extra, 04/nov

As mudanças nas condições de financiamento com recursos do FGTS, anunciadas na semana passada pela Caixa Econômica Federal, deverão impulsionar ainda mais as vendas de casas e apartamentos no Estado do Rio. A previsão é de Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

O estouro da bolha

Revista Construção & Negócios, 01/out

José Conde Caldas, presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), também acredita que a crise já era esperada. "O mercado imobiliário norte-americano crescia de 5% a 6% ao ano e os bancos ofereciam financiamentos pela janela, muitas vezes ultrapassando o valor do imóvel".

 

A zona norte é hoje a zona de futuro

SRZD, Sidney Rezende, 29/out

O mercado imobiliário do Rio de Janeiro está em lua-de-mel com a zona norte da cidade. José Conde Caldas, que é presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Ademi, afirma: "Isso é uma atração. É o modelo de sucesso da Barra repetido ali. Fica muito interessante e cria um novo modo de viver".

 

A maldição que balança o comércio

Jornal do Brasil, Anna Luiza Guimarães, 28/out

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, diz que o imóvel, apesar da má-fama, não perde o valor. "O local é privilegiado e o valor é estipulado de acordo com o ponto", explica Rubem. "Eu acredito que este seja um erro do tipo de comércio escolhido para o local."

 

No topo da lista de preferidos

Extra, 28/out

Uma pesquisa da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ) mostra que o bairro da Zona Oeste ultrapassou a região da Barra da Tijuca em quantidade de lançamentos: de janeiro até setembro, foram colocadas à venda mais de 3.200 unidades, a maioria nos sub-bairros da Freguesia e da Taquara.

 

Nova Barra cresce e aparece

Jornal do Brasil, Felipe Sil, 26/out

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel, Rubens Vasconcelos, garante que a Nova Barra vai experimentar um desenvolvimento intenso nos próximos anos.

 

Um imóvel cinco estrelas

O Globo, Revista Morar Bem, 25/out

Já faz algum tempo que hotéis não são vistos apenas como opções de lazer e estadia. Hoje, grandes grupos financeiros e pessoas físicas apostam nesses estabelecimentos como forma de diversificar seus investimentos. O empresário Sérgio Goldberg, presidente da construtora Agenco e conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), também vê muitos benefícios nesse tipo de produto.

 

Região vizinha ao Bangu Shopping deverá ser valorizada

Extra, 21/out

A vizinhança tem ainda outros motivos para comemorar. Segundo o consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), David Cardeman, a região próxima ao Bangu Shopping deverá se valorizar.

 

Ocupação urbana em debate

O Globo, 18/out

Na opinião do presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, o evento acontece em um ambiente mais do que propício para o setor. "Vivemos durante muito tempo a angústia e o encolhimento do mercado imobiliário. Atualmente, as cartas de crédito dos bancos, os descontos de recebíveis e abertura de diversas empresas de construção de capital na bolsa impulsionam o aquecimento do setor", enfatizou.

 

CM2 oferece curso

O Globo, Ancelmo Góis, 18/out

A CM2 Estruturação Imobiliária abre amanhã, na Ademi-RJ, o curso Estruturação Imobiliária, com palestras do advogado Maury Rouède Bernardes.

 

Proposta anti-favelização

Jornal do Commercio, 18/out

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Chor, esse é o melhor momento da economia para o setor imobiliário. "Com toda essa liquidez do mercado atual, diversas barreiras puderam ser quebradas para facilitar a vida do consumidor. A atuação das corretoras no estado tem se intensificado bastante, principalmente na Zona Oeste, considerado um dos melhores lugares em qualidade de vida", assinalou.

 

Rocinha também desvaloriza imóveis na Gávea

O Globo, Daniel Engelbrecht , 18/out

Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Caldas, o aumento geral do preço dos imóveis nos últimos anos não foi superior ao de outros lugares, nem exclusivo do Rio. Ele atribui o fenômeno ao aumento do financiamento a longo prazo.

 

Salão do Imóvel vai agitar mercado

Jornal do Brasil, JB Barra, Eliane Nóbrega, 17/out

A programação visual do evento, que tem a chancela da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), é inspirada nos cartões postais da cidade maravilhosa. Estarão lá os Arcos da Lapa, o calçadão de Copacabana, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar.

 

Salão do Imóvel pode gerar R$ 200 milhões

Jornal do Commercio, Francisco Albuquerque, 15/out

O I Salão do Imóvel tem como proposta oferecer empreendimentos para todos os níveis de renda, com opções de dois, três e quatro quartos, além de coberturas, casas, terrenos e salas comerciais. "A programação foi inspirada nos cartões postais da cidade maravilhosa. Estarão em um mesmo local os Arcos da Lapa, o Calçadão de Copacabana, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, elaborados pela Ademi", explicou Rubem Vasconcelos.

 

Rio de Janeiro sem fronteiras

Norte Shopping Magazine, set/07

"O financiamento possibilitou que os empresários investissem em projetos bons, com grande volume de unidades, o que viabilizou a que chegássemos a preços mais acessíveis às classes média e média baixa", diz Conde Caldas, vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ).

 

A polêmica dos juros na obra

O Globo, Luciana Calaza, 07/out

O presidente da Ademi, Rogério Chor, dono da construtora CHL, chega a explicar que essa não é uma questão contra os agentes financeiros: "Os bancos não podem deixar de cobrar juros. O que queremos é que a construtora banque, para o consumidor, essa diferença causada pelos juros. E não repasse para ele."

 

Obra levou à tão sonhada integração das artes

O Globo, 30/set

O arquiteto David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), conta que votou duas vezes no prédio, no concurso das 7 maravilhas do Rio, promovido pelo GLOBO. E diz porquê.

 

Lei proíbe prédios em área de quartel no Leblon

O Globo, Fernanda Pontes e Paulo Marqueiro, 04/out

Do ponto de vista comercial, o terreno do BPM é considerado uma raridade pelas imobiliárias. Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), classifica a área como espetacular: "Uma área daquele tamanho é especial. Não há outra disponível na Zona Sul, principalmente no Leblon.", diz ele.

 

MP vai apurar cobrança de juros na construção

O Globo, Flávia Oliveira, 03/out

Rodrigo Terra, do MP estadual, vai se reunir amanhã com Rogério Chor (CHL) e Rodrigo Caldas (Concal), presidente e vice da Ademi. Em pauta, a volta da cobrança de juros durante a construção de imóveis.

 

Juros da discórdia

O Globo, Flavia Oliveira, 27/set

O mercado imobiliário do Rio entrou em estado de alerta esta semana. Na última segunda-feira, a Ademi, entidade que representa o setor, enviou aos associados uma circular na qual deixa claro o temor com a retomada de uma prática comercial que parecia sepultada desde o início de 2006.

 

Nova aposta do mercado

Extra, 23/set

"Consolidamos nossa marca na Zona Sul e na região da Barra, mas, hoje, percebemos que a expansão do setor toma outras direções e Campo Grande tem uma enorme demanda de empreendimentos", diz Rogério Chor, presidente da CHL e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ).

 

A poucos minutos de casa

O Globo/Revista Morar Bem Especial, 20/set

Segundo David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a proximidade do trabalho é um dos fatores mais importantes na compra de um imóvel.

 

Negocie

O Globo/Revista Morar Bem Especial, 20/set

Segundo o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da ADEMI, José Conde Caldas, em 2007 o setor do Rio de Janeiro deve chegar a 12 mil unidades lançadas, número bastante expressivo, mas que representa apenas metade da capacidade produtiva.

 

O marketing por trás dos lançamentos imobiliários

Meio & Mensagem, 1º set

O bom momento pelo qual passa o mercado imobiliário brasileiro, graças, sobretudo, à facilidade de crédito e ao panorama macroeconômico favorável, vem estimulando a criatividade em campanhas publicitárias. O mercado de compra presencia a entrada de cena de pessoas que, até bem pouco tempo atrás, nem sonhavam em comprar um imóvel.

 

Ganhando terreno

O Globo Megazine, Adriana Barsotti, 11/set

O boom no mercado imobiliário teve início ano passado, segundo Marcelo Parente, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Mas ele conta que, mesmo tendo motivos de sobra para comemorar, os representantes de construtoras reclamam da falta de profissionais bem preparados.

 

Quem tem pressa poderá cadastrar imóvel para ser vendido em leilão

O Globo, Luciana Calaza, 09/set

No setor institucional do salão, já garantiram espaço 16 construtoras. Carvalho Hosken, Carmo e Calçada, Gafisa, Rossi, RJZ/Cyrela, CHL, Concal, Direcional, CR2, Canopus, Brascan, Klabin Segal, Agenco, PDG, Esfera e Modal vão apresentar aos visitantes seus empreendimentos em fase de lançamento e também com unidades já prontas. No primeiro semestre do ano, segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), foram lançadas no Rio cerca de quatro mil unidades, 15,8% a mais que no mesmo período de 2006.

 

Canteiro de mão-de-obra

TV Globo, RJ TV, 04/set

"Estamos vivendo um boom como nunca existiu. A tendência do mercado este ano é dobrar em relação ao ano passado e continuar daí para frente", avalia o presidente da associação das empresas do mercado imobiliário, Rogério Chor.

 

Caixa: com prazo maior, valor financiado cai

O Globo, Danielle Abreu, 30/ago

A previsão é que, com isso, muitas famílias consigam se livrar da locação e realizar o sonho da casa própria. Para José Conde Caldas,da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ) está prestes a acontecer o que houve no início da década de 1980, quando muitas famílias trocaram o aluguel pelo financiamento da casa própria.

 

Financiamento da casa própria em até 30 anos deixa prestação próxima do aluguel

Extra, Danielle Abreu, 30/ago

Hoje, há cerca de 200 mil imóveis residenciais alugados no Rio. Para José Conde Caldas, da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), está prestes a acontecer o que houve no início da década de 80, quando muitas famílias trocaram o aluguel pelo financiamento da casa própria.

 

Setor imobiliário aposta em aumento da procura

O Globo, Geralda Doca e Luciana Rodrigues, 29/ago

O setor de construção comemorou as novas regras de financiamento. O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), Rogério Chor, ressalta que o maior prazo de pagamento e as quedas nos juros aumentam a base da pirâmide de potenciais compradores.

 

Zerando as contas

O Globo, Revista Morar Bem, 16/ago

Na opinião de Afonso Kuenerz, que também é conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a preocupação com a natureza deve ser uma questão ética e profissional para as empresas relacionadas à indústria da construção civil. "Precisamos ter responsabilidade, usar os recursos de forma que não prejudiquem as gerações futuras", afirma.

 

Setor imobiliário deve crescer mais de 5% no país, na contramão dos EUA

O Globo, Luciana Rodrigues, 26/ago

"Os bancos estão voltando a financiar o setor, muitas empresas abriram capital em bolsa, e os juros mais baixos facilitaram essa expansão. Os prazos de pagamento estão maiores, o que permite uma nova demanda, de clientes de baixa renda", afirma Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Nome em português vende bem, garante empresário

O Globo, Luciana Calaza, 26/ago

O estrangeirismo já foi alvo de um projeto de lei - que não chegou a ser aprovado - prevendo punição para quem usasse palavras estrangeiras que pudessem ser substituídas por equivalentes em português. De qualquer forma, o arquiteto Afonso Kuenerz, conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), garante que há um cuidado, por parte das empresas, para que as palavras usadas, em outros idiomas, sejam aquelas já integradas à nossa cultura.

 

Bens diferentes

O Globo, George Vidor, 27/ago

Rogério Chor, presidente da Ademi (associação que congrega as empresas do mercado imobiliário no Rio), diz que a única forma de a crise americana afetar o mercado brasileiro seria por via indireta, no caso extremo de o mundo cair em uma recessão aguda.

 

Furo na bolha americana pode provocar retração

Valor, Chico Santos, 20/ago

No Rio, segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), o total de lançamentos no primeiro semestre deste ano chegou a 3.926 unidades, recorde da década para o período.

 

Se essa rua fosse minha...

Revista O Globo, Isabela Caban, 19/ago

"A partir dos anos 70, passaram a ser obrigatórios nas novas construções espaços para garagem, apartamento para o zelador e área de recreação infantil com um mínimo de 40 metros quadrados. Fica caro cumprir essas exigências em vilas, que têm como característica poucas unidades, logo poucas vendas", diz o urbanista David Cardeman, consultor da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi).

 

Brasil não corre risco de crise imobiliária

O Globo, 19/ago

"As empresas de concessão de crédito passaram a enfrentar a inadimplência. E o calote atingiu também os investidores que emprestaram dinheiro a elas. Sem receber as prestações, a empresa não repassa o dinheiro", explica o presidente da Ademi, Rogério Chor, lembrando que o investidor, para reduzir suas perdas, vende ações de outros negócios na bolsa e, com isso, as ações despencam.

 

Caem mitos da zona sul

O Globo, Luciana Calaza, 12/ago

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodrigo Caldas, ressalta que as condições oferecidas pelas construtoras para a compra de imóveis na planta também ajudam a dificultar a venda de usados em Ipanema e Leblon.

 

A nova onda de investimentos na Lapa

Carta Capital, 13/ago

"O esvaziamento econômico e a deterioração das construções tinham afastado os investidores. Mas as construtoras perceberam que esta é uma região com a infra-estrutura toda pronta e preços acessíveis", analisa David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi.

 

Os segredos de Del Castilho

O Dia, Cristiane Campos, 12/ago

A Zona Norte tem se destacado no número de unidades lançadas na cidade, mais precisamente o modesto bairro de Del Castilho, que garantiu a terceira posição no ranking de empreendimentos no primeiro semestre, ficando atrás apenas da Barra da Tijuca (673) e de Jacarepaguá (1.591), na Zona Oeste. O bairro, que conta com uma âncora de peso, o Norte Shopping, ultrapassou o Recreio dos Bandeirantes. Os dados são da Pesquisa Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Pane seca em toda a orla

O Globo, Fernanda Pontes, 07/ago

"Os terrenos junto à praia são muito valorizados. O metro quadrado de um apartamento na Avenida Sernambetiba, por exemplo, chega a custar 12 mil reais. A ocupação por prédios acaba sendo inevitável. A pressão imobiliária é enorme", afirmou o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos.

 

Rio registra recorde de obras no semestre

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 02/ago

"O número de construções de janeiro a julho deste ano foi 15,8% maior que o total registrado no mesmo período do ano passado, quando foram construídas 3.390 unidades", diz a coordenadora da pesquisa da Ademi, Gabriella Szklo.

 

Del Castilho é 3º em lançamentos, diz Ademi

O Globo, Flavia Oliveira, 04/ago

O lançamento do Norte Village, em Del Castilho, pôs o bairro em evidência no ranking da Ademi-Rio. O empreendimento conjunto de RJZ Cyrela e Brascan, com 614 apartamentos, foi o terceiro em unidades lançadas no primeiro semestre. Com 16% dos lançamentos imobiliários, Del Castilho quase encostou na Barra (17%). O líder foi Jacarepaguá, com 42% da oferta.

 

Botafogo bate recorde de construções este ano

Jornal do Brasil, Denise de Almeida e Duilo Victor, 31/jul

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliários (Ademi), Botafogo lidera os lançamentos, na área, com 113 novas construções, surgidas de janeiro a junho deste ano. Laranjeiras tem 20 empreendimentos, no mesmo período , e Humaitá, nove.

 

Licitação abre espaço para a iniciativa privada

Jornal do Commercio, Gisela Alvares, 30/jul

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostram a evolução dos negócios na Barra da Tijuca e Jacarepaguá, onde foram lançados, respectivamente, de janeiro a junho, 498 e 1.545 apartamentos. Ano passado, foram 2.273 na Barra e 2.394 em Jacarepaguá, revelando que a já promissora região pode ficar mais atraente ainda com instalação de serviços comerciais.

 

Adeus, patinho feio

O Globo, Luciana Calaza, 22/jul

Segundo Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ) e dono da construtora CHL - que já lançou edifícios com essa característica, no Leblon e no Jardim Botânico - o preço de um apartamento de primeiro andar tradicional normalmente fica 12% a 15% mais barato do que o do pavimento inferior à cobertura. Mas, quando o primeiro andar tem área de lazer privativa, o valor cobrado é similar ao dessa unidade, diz.

 

Ofertas até R$ 120 mil

O Dia, Cristiane Campos, 22/jul

Cada vez mais construtoras estão se capitalizando para investir em imóveis de até R$ 120 mil. Para o mercado, o segmento ainda tem muito potencial de crescimento. Dados da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) revelam que, de janeiro de 2005 a julho deste ano, foram lançadas 22.314 unidades, mas apenas 1.639 se encaixam nesta faixa.

 

Vista para o Engenhão dobra valor de imóvel

O Dia, 23/jul

Vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos aposta na expansão urbana da área, chamada de Boulevard do Pan. "São 3,5 milhões de metros quadrados que trazem grande expectativa", diz, prevendo valorização de imóveis em 20% logo após os Jogos.

 

Recreio dos Bandeirantes: tranqüilidade à beira-mar

Casa.com, junho/2007

"Por ser mais isolado, o bairro sempre atraiu muita gente que queria morar próximo ao mar, mas não tinha dinheiro para pagar um imóvel na Barra da Tijuca", observa David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi).

 

Garfada na caderneta

O Globo, Patricia Duarte, Felipe Frisch e Luciana Casemiro, 20/jul

Os empresários do setor imobiliário, por sua vez, comemoraram a expectativa de uma TR menor daqui para frente, graças à queda dos juros:"Cai um custo que não oferece nenhum valor agregado ao comprador", diz Rogério Chor, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ).

 

Centro Metropolitano a todo vapor

Jornal do Brasil Barra, Luisa Belchior, 14/jul

Com a ocupação gradativa, o desenvolvimento do Centro Metropolitano de Jacarepaguá promete reverter um quadro que a Barra vem apresentando há dois anos, quando os números de lançamentos imobiliários no bairro começaram a cair. Dados da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) mostram que a Barra vem perdendo, em números, espaço para o Recreio e Jacarepaguá.

 

Condomínios com ofertas de serviço e lazer

O Globo Barra, 28/jun

Os empreendimentos que oferecem lazer e serviço estão crescendo. As pessoas preferem morar com conforto e segurança diz Rogério Chor, presidente da CHL e da Ademi.

 

Uma nova cidade

Veja Rio, 27/jun

Segundo pesquisas da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ), o número de unidades lançadas na cidade passou de 6.700 em 2004 para cerca de 9.000 unidades em 2006, um aumento de 34%. E tudo indica que, em 2007, a tendência de alta será mantida.

 

Morando sem o perigo

O Dia, Cristiane Campos, 04/jul

Para o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), José Conde Caldas, há preocupação em ampliar a área de lazer para a terceira idade com piscina coberta e aquecida, hidromassagem, praças e salões. O Secovi Rio (Sindicato da Habitação) já estuda criar programa específico para esse público.

 

Investidor caça imóveis de luxo

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 29/jun

Enquanto a oferta de prédios comerciais para os milionários está retraída, o número de moradias direcionadas a este público nunca foi tão alto. Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ) mostram que, no ano passado, foram lançadas no Rio 588 unidades residenciais de classe A e AA.

 

Mercado imobiliário vive o melhor momento dos últimos anos

O Globo Suplemento Especial, 28/jun

O presidente da ADEMI, Rogério Chor, considera que, em 2007, o Rio não terá apenas um "bairro da vez". Em sua opinião, as construtoras estão interessadas em conferir e estudar a viabilidade de qualquer terreno que lhes seja ofertado, não importando em que bairro ficam. "No ano passado, surgiram opções de moradia em bairros fora do eixo de interesse das construtoras, como Lapa e São Cristóvão".

 

Jacarepaguá vai ganhar quase mil novas unidades

O Globo Barra, 28/jun

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), as construtoras associadas lançaram diversos empreendimentos na Freguesia, entre 2005 e 2007.

 

Crédito aumenta em 70%

O Dia, Cristiane Campos, 24/jun

Quando foi criado o SFH (Sistema Financeiro de Habitação), em 1964, o pagamento era de até 30 anos, mas com a instabilidade econômica, o prazo foi reduzido de 30 para 20 anos. O conselheiro da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Rodolpho Vasconcellos, acredita que hoje é possível oferecer prazo superior a 20 anos. Ele lembra que em países desenvolvidos o pagamento já ultrapassa 40 anos.

 

Crescimento que divide opiniões

Jornal do Brasil Barra, Eduardo Tavares, 15/jun

"Houve um grande estouro de crescimento com relação ao Recreio no ano passado. Principalmente na Avenida das Américas", confirma o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Ademi, José Carlos Caldas.

 

Concorrência acirrada faz construtoras investirem nos projetos das fachadas

O Globo, Luciana Calaza, 17/jun

O crescimento do mercado imobiliário está acirrando a concorrência, inclusive, entre as construtoras. Resultado: depois de um longo período em que a maioria das fachadas dos prédios cariocas parecia saída de uma linha de montagem, vêm surgindo empreendimentos de plástica mais arrojada no belo cenário da cidade. Sérgio Caldas, o "arquiteto do ano" da ADEMI, trabalha com grandes panos de vidro, até nos peitoris de janelas. 


 

 

Engenho de Dentro e bairros vizinhos vão receber pelo menos dez empreendimentos

Extra,17/jun

A construção do estádio impulsionou lançamentos residenciais e uma ampliação do comércio e de serviços, o que já valorizou em 20% os imóveis da região diz José Conde Caldas, presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Cresce mais porque é maior ou é maior porque cresce mais?

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 17/jun

"Nas praias de Ipanema e do Leblon o metro quadrado custa R$ 20 mil, enquanto em São Paulo o metro mais caro não passa de R$ 7 mil.", compara José Conde Caldas , presidente da comissão de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). "É claro que em São Paulo a oferta de espaço é maior, mas esse não é o único fator que torna a cidade mais atrativa para as construtoras. A legislação paulista não tem tantas restrições quanto a do Rio e lá as áreas nobres não estão todas concentradas em uma única região."

 

Curso na Ademi

O Globo, Ancelmo Góis, 15/jun

Hoje, a CM2 abre, na Ademi-RJ, o curso de Estruturação Imobiliária Aplicada, com palestra do advogado Maury Rouède Bernardes.

 

Violência faz Barão da Torre desvalorizar em até 70%

Jornal do Brasil, Breno Costa e Felipe Murta, 13/jun

Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), Rubem Vasconcellos, esse canto de Ipanema se tornou uma exceção dentro da classificação de "princesinha do Rio", dada por ele ao restante do bairro e ao Leblon.

 

Jeitinho que alivia bolso do morador

O Dia, 10/jun

O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Rogério Chor, diz que o Rio está vivendo o momento dos megaempreendimentos, que acabam encarecendo o valor do condomínio devido às opções de lazer. "Por outro lado, o número expressivo de unidades faz o custo ser diluído por uma gama maior de moradores, conseqüentemente, a cota será mais acessível", prevê Chor.

 

Aluguel nas alturas

Revista Veja, Fátima Sá, 06/jun

Em São Paulo, a propagação dos negócios criou boas áreas residenciais em várias regiões. "E a geografia de lá não impõe tantos limites à construção", aponta Rogério Chor, dono da construtora CHL e presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Santa Cruz e Campo Grande, o próximo 'boom' imobiliário

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 02/jun

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) também está acompanhando de perto o fluxo de investimentos em direção à Zona Oeste. "Já estamos desenvolvendo um estudo de impacto urbano para avaliar a faixa de renda que será o principal foco de investimento do setor", afirma o presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Ademi, José Conde Caldas.

 

Posse na Ademi

O Dia, 03/jun

A Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) elegeu oficialmente na segunda-feira a nova diretoria para o biênio 2007/2009. A entidade será presidida por Rogério Chor, da CHL. Entre os vice-presidentes estão Rodrigo de Gouveia Conde Caldas, da Concal; Rubem Vasconcelos, da Patrimóvel; Flávio Ramos, da Klabin Segall; João Paulo Rio Tinto de Matos, da Carmo e Calçada; João Paulo Rossi, da Rossi Residencial e Rogério Jonas Zylbersztajn, da RJZ/Cyrela.

 

Negócios imobiliários

O Globo, 03/jun

Começa no dia 15 deste mês o "Curso de estruturação imobiliária aplicada" da Ademi-RJ, voltado para profissionais que atuam no setor. Com 30 horas/aula, o curso custa R$ 1,2 mil para associados e R$ 1.350 para não-associados.

 

Centro Metropolitano de Jacarepaguá a caminho

O Globo, Flávia Oliveira,30/maio

Anteontem, na posse de Rogério Chor (CHL) na presidência da Ademi, o prefeito contou que, mesmo sem critérios urbanísticos definidos, chovem pedidos de construção na área.

 

Passagem, que nada! Botafogo é para morar

Jornal do Brasil, Renato Grandelle, 27/maio

"À exceção da praia, o preço do metro quadrado em Botafogo é muito parecido ao da Barra. Uma das maiores diferenças é o acesso aos transportes. Com a extensão do metrô ao Cantagalo, o bairro ficou ainda mais próximo de Copacabana e Ipanema.", destaca o vice-presidente da construtora RJZ/Cyrela e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rogério Zylbersztajn.

 

Força da construção

O Globo, Fabiana Ribeiro, 24/mai

Rogério Chor, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), calcula que de 40% a 50% dos custos do setor vêm dos materiais de construção. Desse total, de 10% a 15% são influenciados pelo dólar.

 

Imóveis: ritmo de liberação vai resultar em superoferta

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 19/maio

"As construtoras podem estar muito otimistas com o volume de recursos liberados, mas se não houver adequação de características de crédito para o consumidor, as vendas não vão mesmo acompanhar os lançamentos. O volume de crédito liberado para habitação ainda está incompatível com a capacidade de pagamento da maioria da população", observa Rodolpho Vasconcellos.

 

Vem muito mais por aí

O Globo, Bruno Rosa, 13/maio

"A tendência é que, com mais lançamentos, os preços comecem a ficar mais atraentes", diz Rodolpho Vasconcellos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Juros de mutuário serão de 8,6%

Extra, 05/maio

Com a queda de 10,16% para 8,66% ao ano mais TR (Taxa Referencial), a economia do mutuário será de cerca de R$ 100. Para o conselheiro da Ademi, Rodolfo Vasconcellos, a medida vai ampliar a demanda pela compra da casa própria.

 

Aposta maior na casa própria

O Dia, Cristiane Campos, 29/abr

"Os bancos estrangeiros foram os primeiros a apostar neste mercado no Brasil, devido à experiência positiva que têm em outros países", explica Rodolpho Vasconcellos, conselheiro da ADEMI (Associação de Dirigentes e Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Estruturação imobiliária

Extra, 29/abr

Estão abertas as inscrições para o curso "Estruturação Imobiliária Aplicada", realizado pela CM2, com apoio da Ademi. O programa abordará os fundamentos que norteiam a montagem e o desenvolvimento de negócios imobiliários e de base imobiliária. As aulas serão nos dias 15, 16, 22, 23 e 29 de junho. Mais informações no site www.ademi.org.br.

 

Novos empreendimentos de alto luxo chegam ao Leblon

Jornal do Brasil, Luciana Gondim, 22/abr

"A criação das Áreas de Proteção do Ambiente Cultural (Apac) limitou ainda mais o crescimento do bairro. Mas pouco a pouco, as construtoras vão reconquistando a região, mantendo o padrão elevado", afirma o presidente da Ademi, Rogério Chor.

 

Empreendimentos imobiliários

O Globo, George Vidor, 23/abr

Os dados são da Associação das Empresas de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), agora presidida por Rogério Chor, da CHL. Na diretoria da entidade as grandes empresas do setor estão representadas agora por executivos.

 

Chor é eleito para a Ademi

Extra, 22/abr

O engenheiro civil Rogério Chor foi eleito o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) para o mandato 2007/2009. Carioca de 46 anos, Chor é preside também da CHL Incorporações. Na assembléia da instituição foram também eleitos os vice-presidentes e os conselheiros.

 

'Baixa renda ainda não é atendida'

O Globo, Luciana Calaza , 22/abr

Empossado semana passada como presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi/RJ), até 2009, o engenheiro civil Rogério Chor, que também é presidente da construtora CHL, fala sobre planos para colaborar com a prefeitura na análise de novos empreendimentos, sobre o mercado da classe média baixa e para onde vai o crescimento.

 

Moradores do Catumbi tentam voltar as suas rotinas

Jornal do Brasil, Breno Costa, 19/abr

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos, os imóveis localizados na boca de favelas estão desvalorizados, em média, em 70%.

 

Estrangeiro ajuda com experiência de fora

Valor, 18/abr

A expansão dos bancos estrangeiros no mercado brasileiro, com a abertura ocorrida nos anos 1990, é computada pelo vice-presidente da Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Rodolpho Vasconcellos, como um dos fatores importantes que estão permitindo agora a crescente expansão do crédito imobiliário.

 

O desafio de crescer com ordem

Jornal do Brasil, Renato Grandelle, 15/abr

"A Rocinha cresceu por estar perto das oportunidades que surgiram na Zona Oeste", analisa David Cardeman, consultor da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Ademi-RJ elege novo presidente

Jornal do Brasil, 15/abr

O engenheiro civil Rogério Chor é o novo presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ). Chor, que é carioca e em 2006 ganhou o prêmio de Empresário do Ano do setor imobiliário, preside também a CHL Incorporações, empresa cujo faturamento anual já atinge R$ 180 milhões.

 

Crédito imobiliário

O Globo, 15/abr

Nos dia 24 e 25, o International Quality & Productivity Center (IQPC) realiza o seminário "Financiamento e crédito imobiliário", no hotel Blue Tree Towers Faria Lima, em São Paulo, com apoio da Ademi/RJ.

 

Alto luxo chega a Jacarepaguá

Jornal do Brasil, Luisa Belchior, 05/abr

O reflexo está nos números de um levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Em 2004 o bairro teve 1.365 unidades habitacionais lançadas, um número já expressivo se comparado a bairros vizinhos - como o Recreio, que teve 657 unidades. Já em 2005 este número foi de 1.785, e continuou crescendo até o ano passado, chegando a 2.394.

 

Aniversariante polêmica e querida

Jornal do Brasil, Renato Grandelle, 08/abr

"Não há empreendimentos desde 1980", revela David Cardeman, consultor em desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). "O bairro já está consolidado, e, a não ser que revoguem as áreas tombadas, ninguém acredita que a Urca vai mudar".

 

Recreio: o horizonte é o limite

Jornal do Brasil, Ellane Nóbrega, 05/abr

Segundo a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), das 8.793 unidades lançadas no ano passado na cidade, 1.645 ocorreram no bairro. Em apenas três anos os lançamentos mais que duplicaram.

 

Um setor que não pára de crescer

Jornal do Brasil, Karla Queiroz, 05/abr

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), no ano passado houve predomínio no número de lançamentos de imóveis com três quartos, mas já se verifica uma tendência de empreendimentos menores, que deve se concretizar ainda este ano.

 

Estruturação Imobiliária Aplicada

Jornal do Brasil, 08/abr

Estão abertas as inscrições para o curso Estruturação Imobiliária Aplicada, promovido pela CM2 com apoio da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). O curso, em junho, apresentará os fundamentos do desenvolvimento de negócios imobiliários. Informações no site http://www.ademi.org.br/.

 

Este imóvel não está à venda pede-se não insistir

Jornal do Brasil - Revista de Domingo, Flávia Belaciano e Rafael Sento Sé, 08/abr

A negociação entre os dois lados costuma ser longa. "Às vezes oferecem uma troca: a casa por dois apartamentos. Mas tudo depende da metragem. Quando o vizinho vende junto, eles pagam mais", explica Vera, com ar professoral. Não por acaso, o empresário Rogério Chor, presidente da construtora CHL e da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio), concorda plenamente. "A negociação tem vários momentos. Não desisto nunca. Tem casa que só consegui comprar depois de três anos", afirma.

 

Vias vencem distâncias,mas não a violência

O Globo, Marina Gonçalves e Marta Paes, 05 /abr

O crescimento imobiliário em toda a Zona Norte é outra mudança.Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos últimos três anos, foram quase 2.500 novos apartamentos.

 

Dez anos depois da criação do SFI, setor vive bom momento, com crédito farto e oferta variada

O Globo,Luciana Casemiro,01/abr

Em 2006, 62,42% das unidades lançadas custavam entre R$100 mil e R$300 mil destaca a chefe de Pesquisa da Ademi/RJ, Gabriella Szklo.

 

Desafio de unir espaços. E pessoas

O Globo, Luciana Calaza, 01/abr

Rogério Chor, da construtora CHL, presidente eleito da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), diz que este é o "momento dos megaempreendimentos". Ele admite que a oferta das áreas de uso coletivo está relacionada à diminuição do tamanho dos apartamentos, mas ressalta que há outras questões que levam os clientes a procurarem condomínios com esse perfil:

 

Por onde andam os gringos

O Globo, Flávia Oliveira,24/mar

O Guia Ademi, do Rio, teve procura 20% maior de estrangeiros nos três primeiros meses do ano. Esse consumidor tem mais de 50 anos, vai se aposentar e procura imóveis na Lagoa e com vista para o mar.

 

Infra-estrutura da Barra não segue a expansão imobiliária

Jornal do Commercio,Mariana Paiva,26/mar

De acordo com o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel - que detém 85% do mercado carioca de venda de imóveis - Rubem Vasconcelos, a previsão para o bairro é de que cerca de 5 mil unidades sejam lançadas e o volume gerado de vendas (VGV) atinja R$ 1,4 bilhão este ano. Em 2006, 4 mil unidades foram vendidas, resultando em um VGV de R$ 1 bilhão.

 

Chor assumirá Ademi-RJ

Jornal do Brasil, 18/mar

Em abril, Rogério Chor, presidente da construtora e incorporadora CHL, tomará posse na Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ). Chor tem larga experiência no mercado. Fundou há vinte anos a CHL, que fechou o ano de 2006 com um volume geral de vendas de R$200 milhões. Para este ano, há previsão de lançamentos em diversos bairros.

 

Rio Zona Norte sinônimo de lucro

O Globo,Erica Ribeiro e Maria Fernando Delmas, 18/mar

Atrás de gente como o casal Nundes, o mercado imobiliário vem apostando na região. Segundo o presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Marcio Fortes, a cidade crescia para a Barra, onde muitos moradores da Zona Norte e da Baixada Fluminense compraram imóveis.

 

São Cristóvão no mapa da moda

O Globo, Laura Antunes, 19/mar

Em cinco anos, o bairro terá entre 12 a 15 mil moradores novos garante o vice-Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas.

 

Marquises são demolidas no Centro

O Globo,Jacqueline Costa , 14/mar

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Afonso Kuenerz, afirma que as marquises existem no mundo inteiro, inclusive nas cidades mais modernas.

 

Chor presidirá a Ademi-RJ

Extra,11/mar

Rogério Chor, presidente da construtora e incorporadora CHL, será o próximo presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ). Chor, que assume o cargo em abril, fundou a CHL há vinte anos e pretende lançar 12 empreendimentos este ano.

 

Presidência

O Globo,Ancelmo Gois,07/mar

Rogério Chor, da CHL, assume a presidência da Ademi-RJ.

 

Bom sinal para a construção

O Globo, Luciana Casemiro, 07/mar

A redução da TR pode trazer mais investidores para o setor da construção civil, diz o presidente da Patrimóvel Imobiliária, Rubem Vasconcelos. Já o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), Rodolpho Vasconcellos, acredita que a medida visa muito mais a alinhar os ativos do que o mercado imobiliário.

 

 

Disputa muito acirrada

O Dia, Cristiane Campos, 04/mar

O vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), Afonso Kuernez, explica que há demanda para todos os tipos de empreendimentos na região. "O Recreio é uma boa opção porque os terrenos ainda são mais em conta", afirma.



 

 

Um bairro dentro de um bairro

O Globo, 04/mar

A viagem é longa. E o local, ainda precisa de, digamos, retoques: mais iluminação e podas de árvores, por exemplo. A busca por qualidade de vida, no entanto, tem feito da Barra Bonita - espécie de mini-bairro dentro do Recreio dos Bandeirantes - uma das novas apostas do mercado imobiliário.

 

Série de prédios conta a história do Império

O Globo, 25/fev

"Há uma série de prédios contando a história do Império no Brasil", diz o consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, David Cardeman.


 

 

Tudo por um comprador

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 26/fev

No ano passado, segundo números da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), as construtoras lançaram mais de 9 mil unidades, número semelhante ao registrado em 2005. Essa oferta significa 34% de imóveis a mais que 2004, ano em que o financiamento imobiliário começava a ganhar força.


 

 

Unidades na planta

O Dia, 18/fev

O número de unidades lançadas anualmente no mercado imobiliário do Rio saltou de 6.700, no biênio 2003/2004, para 9 mil, no período 2005/2006. 0 crescimento foi superior a 34% na comparação entre os biênios. Os dados foram divulgados pela Ademi (Associação Brasileira de Dirigentes do Mercado Imobiliário).

 

O momento do mercado imobiliário

Rádio CBN, 11/fev

Em entrevista para a Rádio CBN, O presidente da ADEMI, Márcio Fortes, analisou o momento pelo qual passa o mercado imobiliário do Rio de Janeiro. Na reportagem, o dirigente destacou a necessidade de construção de moradias para todas as classes sociais, como forma de desenvolver a nossa cidade.

 

Estrangeiros estão atrás de imóveis no Rio

O Globo, 11/fev

"Lá fora, um apartamento numa cidade litorânea com as mesmas características custa, no mínimo, o dobro", afirma o superintendente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Murillo Allevato, lembrando que, em 2005, a entidade lançou o "Guia Ademi: Viver e investir no Rio/Manual do comprador de imóveis", bilíngüe (português e inglês), com esclarecimentos sobre tributos que incidem na transação imobiliária, documentação para efetivar o negócio e informações peculiares de cada bairro.

 

Um retrato do mercado

Extra, 11/fev

O Rio cresce em direção à Zona Oeste. Isso pode ser comprovado em um levantamento dos empreendimentos feito pela Ademi: em 2006, a região concentrou 73% do total, 4% a mais do que no ano anterior. Mas o estudo também revela que a quantidade anual de lançamentos na Barra da Tijuca está diminuindo.

 

Vender mais por menos

Extra, Carlos Monteiro, 11/fev

Este é o ano das pessoas de classe média que ainda não têm casa própria. Quem garante é o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) do Rio, José Conde Caldas.

 

Número de unidades aumenta

Jornal do Brasil, 04/fev

O número de unidades lançadas anualmente no mercado imobiliário do Rio de Janeiro passou de um patamar de cerca de 6.700 unidades/ano no biênio 2003/2004 para cerca de 9.000 unidades/ano no período 2005/2006.

 

Lançamentos no Rio

O Globo, 04/fev

O número de unidades lançadas no mercado imobiliário do Rio passou de um patamar de 6.700 unidades/ano no biênio 2003/2004 para cerca de 9.000 unidades/ano no período 2005/2006 - um crescimento de mais de 34%. A pesquisa é da Ademi.

 

PAC beneficiará também classe média baixa

O Globo, 04/fev

"Na pirâmide da classe média, a base é a mais carente de crédito e, por isso, a que deve ser mais atendida pelo PAC. A ponta, financiada pelos recursos da caderneta de poupança, já está bem atendida, com financiamento a juros mais baixos e prazo para pagamento maior", destaca o vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), Rodolpho Vasconcellos, lembrando que os efeitos da medida só devem ser sentidos em seis meses.

 

Barra Bonita, a mais recente aposta do mercado Imobiliário

Jornal do Brasil, 28/jan

Com o tempo, sentimos a necessidade de criar o Recreio Shopping, que valorizou ainda mais a região e ajudou em seu desenvolvimento conta Marcelo Parente, diretor da construtora Santa Isabel e conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Mercado imobiliário cresce 34% no Rio

O Globo, Maria Fernanda Delmas, 02/fev

Subiu de 6.700 no biênio 2003/2004 para 9 mil, em 2005/2006, o número de unidades lançadas no mercado imobiliário carioca, revela análise feita pela Ademi. O resultado 34% melhor foi puxado por três empreendimentos de 2005: a Vila Pan-Americana, da Agenco, com 1.480 unidades; o Cores da Lapa, da Klabin Segall, com 688; e o Quartier Carioca, da CHL, com 880.

 

Casa própria bate os cem mil

O Globo ,Cássia Almeida , 17/jan

Rogério Zylbersztajn, vice-presidente da Construtora RJZ/Cyrela, acredita que Caxambi, Méier, Vila da Penha são mais viáveis. David Cardeman, urbanista da Ademi, a associação empresarial do setor, prevê que, em até um ano, surjam projetos na Avenida Brasil.

 

Av. Brasil será nova opção de moradia

Jornal do Brasil, Felipe Sáles, 16/jan

O consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, David Cardeman, acredita na revitalização da área, apesar da violência que afugentou empresas da região. Leia a reportagem do Jornal do Brasil e acesse o Decreto n. 27533 de 12-01-07 - pgs. 01 e 03, que estimula o uso residencial e misto na Área de Planejamento - 3 da Cidade.

 

IML parcialmente interditado

Globo.com, RJ/TV, 12/jan

"É questão de oferta. Havendo a oferta e a região estando adequada para moradia, haverá os moradores. O IML deve sair daqui. Isso não é mais lugar para IML", defende Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Áreas nobres mudam de dono no Rio

DCI, 16/jan

O que está acontecendo no Rio de Janeiro, de acordo com o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado   Imobiliário (Ademi/RJ), Rodolpho Vasconcellos, é um movimento típico de grandes cidades, em que negócios como distribuição de combustíveis são substituídos por prédios residenciais, justamente pelo fato de a carga tributária inviabilizar o negócio.

 

Preço é só um detalhe

O Dia 17/dez

Construtores estão investindo em imóveis de alto padrão na cidade. São unidades com metragem privilegiada, requinte, conforto e segurança. Os números comprovam a tendência: 1.292 unidades lançadas desde 2004. O levantamento é da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Cresce procura por coberturas

O Fluminense, Marina Neves, 17/dez

Na avaliação dos empresários da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a idéia é fazer com que nas coberturas as famílias tenham uma vantajosa área para receber os amigos com mais intimidade.

 

Volta por cima premiada

Extra, 17/dez

A entrega do Prêmio Master Imobiliário 2006 (concedido pela Ademi-RJ) no último dia 8, coroou uma verdadeira volta por cima no mercado. Sucesso de vendas, o empreendimento Excellence, da Carmo e Calçada, na Península (Barra), foi o vencedor da categoria Conjunto Residencial de Médio Porte depois de substituir um projeto que não teve êxito comercial.

 

É a hora do Recreio

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 17/dez

Há duas décadas, o bairro era considerado ideal para veraneio dos moradores da Zona Sul. Hoje, registra uma valorização real de 20% em três anos e só até dezembro teve 1.397 unidades lançadas no ano, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Mudança de patamar no mercado imobiliário

O Globo, Luciana Anselmo, 17/dez

A diversificação dos negócios é outro fator que promete se consolidar no ano que vem, segundo o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas. A oferta escassa de terrenos na Zona Sul e a demanda reprimida por moradias em bairros até recentemente fora do eixo de interesse das construtoras criaram um novo panorama para o segmento.

 

Executivo do ano

O Globo, Joaquim Ferreira dos Santos, 15/dez

Marco Adnet, da Rossi Residencial, foi escolhido pela Ademi o executivo do ano do mercado imobiliário.

 

A ordem é construir

O Globo e Extra, Suplemento Especial, 15/dez

Um levantamento da Ademi - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário - acaba de comprovar que, nos últimos dois anos, até novembro de 2006, pelo menos 15 mil unidades foram lançadas e, o melhor, para todos os bolsos.

 

Homenageado

Jornal do Brasil, Fred Suter, 14/dez

A Ademi premiou os melhores lançamentos imobiliários de 2006, com festa no Intercontinental. Ayrton Xerez saudou o grande homenageado, da noite, Carlos Carvalho.

 

Prêmio para os melhores

Jornal do Brasil, 10/dez

A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) premiou, na sexta-feira, os melhores projetos, empresas e profissionais do ano com o troféu Destaque ADEMI - Premio Master Imobiliário 2006 - Rio de Janeiro. Classificaram-se 21 empreendimentos, definidos por uma comissão de especialistas.

 

Oscar do mercado

O Dia,11/dez

O Prêmio Master Ademi (Associação de Empresas do Mercado Imobiliário) reconhecido como o Oscar do setor reuniu na sexta-feira os empresários da construção no hotel Intercontinental, em São Conrado. Entre os premiados está Sérgio Conde Caldas, 34 anos, contemplado com o Prêmio Arquiteto do Ano.

 

Ademi-RJ elege os melhores

Extra, 10/dez

Em uma cerimônia realizada na sexta-feira no Hotel Intercontinental, em São Conrado, empresas e profissionais do mercado imobiliário receberam o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2006, um dos mais importantes do setor.

 

Os bons tempos voltaram

Extra, 10/dez

Para se ter uma idéia do sucesso que fazem, vale citar alguns exemplos. São Cristóvão não ganhou sequer um empreendimento de 2001 a 2005, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). Mas, somente de janeiro a agosto deste ano, mais de 200 unidades residenciais foram lançadas no bairro.

 

Frase

O Dia, 08/dez

"São Paulo deveria se tornar um país independente. Pagariam pelo petróleo, aço e energia que eles não têm. E ficaríamos livres dos seus carros" - do deputado Márcio Fortes sobre São Paulo.

 

Prêmio Ademi para Four Points

Monitor Mercantil, Márcia Brito, 08/dez

Nesta sexta, dia 8, o Four Points by Sheraton Macaé comemora a conquista do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2006 - Rio de Janeiro, na categoria "Hotel, Apart-Hotel e Residence Service de Grande Porte".

 

Four Points Macaé ganha prêmio Destaque ADEMI

Sobre Turismo, 01/dez

Empreendedores do Four Points by Sheraton Macaé recebem prêmio Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário 2006 - Rio de Janeiro na categoria Hotel, Apart-Hotel e Residence Service de grande porte.

 

Empreendedores do Four Points by Sheraton Macaé recebem prêmio

Sierramar, 02/dez

O Four Points by Sheraton Macaé comemora a conquista do Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário 2006 - Rio de Janeiro na categoria "Hotel, Apart-Hotel e Residence Service de Grande Porte".

 

Os melhores projetos imobiliários

Jornal do Commercio, Marcia Peltier, 07/dez

Os melhores projetos imobiliários, empresas e profissionais do ano serão conhecidos, na sexta-feira, na festa do Destaque Ademi, no Intercontinental.

 

Arquiteto do ano pela Ademi

O Globo, Ancelmo Gois, 06/dez

Sérgio Conde Caldas foi eleito o arquiteto do ano pela Ademi.

 

Prêmio Ademi de arquiteto do ano

O Globo, Flavia Oliveira, 06/dez

Sergio Conde Caldas recebe sexta-feira o Prêmio Ademi de arquiteto do ano. Aos 34 anos, ele é o mais jovem vencedor na categoria.

 

Bela homenagem

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 05/dez

Presidente da Carvalho Hosken, Carlos Fernando Carvalho será o homenageado na noite de entrega do Prêmio Ademi Master do Mercado Imobiliário 2006. Carlos entra para uma galeria que conta com nomes como Roberto Marinho e José Isaac Perez.

 

Fusões e associações

O Globo, Luciana Casemiro e Luciana Anselmo, 03/dez

A queda das taxas de juros, avalia Rodolpho Vasconcelos, vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), deve aumentar o número de financiadores desse mercado.

 

Novamarca 500 adianta os melhores lançamentos de 2007

Jornal do Brasil, 03/dez

Depois de, em menos de um ano de existência, conquistar o prêmio de empresa Revelação do Ano, pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a imobiliária Novamarca 500 volta seus planos para 2007.

 

Rossi lança na Barra

O Dia,04/dez

Segundo o diretor regional da Rossi no Rio, Marco Adnet, premiado como o executivo do ano pelo Prêmio Ademi, o Liberta fica na Avenida Di Cavalcanti e terá mais de 6 mil metros quadrados de lazer. "Nosso foco é resgatar a liberdade que se tinha ao brincar na rua e unirá modernidade' dns 110vos empreendimentos", declara Adnet.

 

Sorria, você está na Barra!

O Globo, 30/nov

"Por mais críticas que a Barra desperte, é o único bairro do Rio de Janeiro que, em qualquer ponto, se vê o céu completamente. Ninguém precisa quebrar o pescoço na janela para saber como está o tempo", brinca o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Afonso Kuenerz, radicado há 30 anos no bairro, que elogia também a fartura de espaços para estacionamento, imprescindíveis em uma região que exige o deslocamento por automóvel.

 

A Agenco

O Globo, Ancelmo Gois, 27/nov

A Agenco recebeu três prêmios "Destaque Ademi 2006".

 

Prefeitura vai mapear áreas para construção

Extra, 26/nov

Segundo o vice-presidente da Ademi, José Conde Caldas, sua construtora já procura terrenos em zonas que tenham facilidade de acesso e infra-estrutura para a construção de novos condomínios. Ele cita como exemplo as áreas entre as ruas 24 de maio e Marechal Rondon.

 

Ademi do Rio concede 30 destaques no setor

O Globo, 26/nov

Os principais projetos, empresas e profissionais do mercado imobiliário do Rio de Janeiro já foram escolhidos pela sétima edição do Destaque Ademi/Prêmio Master Imobiliário. Divididos em 18 categorias, oito indicações a título de reconhecimento e uma homenagem, 30 projetos e/ou personalidades foram selecionados por uma comissão de especialistas.

 

RJZ/Cyrela

O Globo, Ancelmo Gois, 24/nov

A RJZ/Cyrela foi eleita a empresa do ano pela Ademi.

 

Pais corujas

Jornal do Brasil, Hildegard Angel, 22/nov

Sérgio Goldberg e Ricardo Amaral estão distribuindo charutos. Sua parceria em empreendimentos imobiliários acaba de dar à luz a mais um prêmio. Na verdade, são trigêmeos! Em três categorias, a Agenco do Goldberg abiscoitou a "Destaque Ademi - Prêmio Máster Imobiliário Rio de Janeiro 2006".

 

Destaque do ano

O Dia,19/nov

O presidente da construtora e incorporadora CHL, Rogério Chor. foi eleito o Empresário do Ano pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi- RJ).

 

Empresário do ano

O Globo, 19/nov

O presidente da CHL, Rogério Chor, foi eleito o Empresário do Ano pela Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi/RJ). A categoria faz parte do prêmio Master Imobiliário, que homenageia as empresas e os executivos que se destacam anualmente no setor. A festa de premiação será no dia 8 de dezembro, no Hotel Intercontinental, em São Conrado.

 

Carlos Carvalho

O Globo, Ancelmo Gois, 17/nov

Carlos Carvalho foi eleito duas vezes Personalidade do Ano. pela Ademi e pela OAB.

 

Rogério Chor

Extra, 12/nov

O presidente da construtora e incorporadora CHL, Rogério Chor, foi eleito o Empresário do Ano pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ). A categoria faz parte do prêmio Master Imobiliário 2006. A festa de premiação acontecerá no dia 8 de dezembro, no Hotel Intercontinental.

 

Pague pelo tamanho do seu imóvel

Jornal do Brasil , Carolina Machado , 12/nov

No condomínio La Plaia, na Barra da Tijuca, um impasse se arrasta desde 1991, sem solução aparente. É que, como prevê a convenção, os moradores da cobertura pagam o dobro pela cota de condomínio. São quatro contra 36 apartamentos de quatro quartos, com, em média, 140 metros quadrados, que variam poucos metros.

 

Empresário do Ano

O Globo, Flavia Oliveira, 11/nov

Rogério Chor, presidente da CHL, foi escolhido empresário do ano pela Ademi-RJ.

 

As cicatrizes da violência

O Globo, Isabela Bastos e Selma Schmidt, 05/nov

Presidente da Associação Brasileira de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Márcio Fortes diz que o crime acabou por condenar determinadas áreas da cidade para o mercado imobiliário. O problema atinge principalmente o alto da Tijuca e bairros da Zona da Leopoldina.

 

Estados trocam particularidades locais

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 29/out

Varandas extensas, churrasqueiras dentro do apartamento, áreas comuns menores, destaque para o paisagismo, amplas áreas de lazer, são algumas das características de cada região do país. Com atuação nacional, as construtoras acabam trocando conceitos entre os Estados.

 

Vale quanto pesa

O Globo, Luciana Anselmo, 29/out

Simulações feitas a partir das novas regras para os contratos imobiliários mostram que linhas de crédito prefixadas - com TR travada ou sem TR - podem ser mais vantajosas do que as usadas antes, pelo Sistema de Financiamento Habitacional (SFH).

 

Cresce mercado de imóveis de luxo no Rio

Valor, Chico Santos, 27/out

Segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi), o total de lançamentos de imóveis com valor de venda superior a R$ 1 milhão de janeiro a outubro deste ano chegou a 360 unidades, mais que cinco vezes o total de 2004 (70) e quase o dobro das 184 lançadas no ano passado.

 

Evento para construtores

Jornal do Brasil, 22/out

A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) realizará o workshop alternativo ao financiamento à produção em projetos residenciais nesta quarta-feira. Em pauta, estará a comparação entre as diversas modalidades de financiamento à construção. O evento começa às 14h30, e será na sede da Ademi-RJ, na Av. Portugal, 466, Urca.

 

Cautela e tempo podem gerar bons negócios para mutuário

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 22/out

Segundo vice-presidente da Ademi-RJ, Rodolpho Vasconcellos, o mercado imobiliário carioca ainda está muito focado no financiamento através do SFH. As outras formas, diz Vasconcellos, vêm se somar à modalidade que já existe, via bancos.

 

Workshop na Ademi

Extra imóveis, 22/out

Na quarta-feira, especialistas do mercado imobiliário se reunirão na sede da Ademi para o workshop "Alternativas ao financiamento à produção em projetos residenciais". Em pauta estará a comparação entre modalidades de financiamento à construção e a securitização de recebíveis após obtenção de habite-se e durante as obras.

 

Legislação facilita investimentos

O Globo Zona Norte, 08/out

De acordo com a subsecretária municipal de Urbanismo, Madalena Saint Martin, toda a área do Engenho de Dentro estava inserida numa zona industrial, tolerando apenas o uso residencial limitado a até duas edificações por lote (unifamiliar).

 

Empresários de destaque

Jornal do Brasil, 08/out

Terminam no dia 13 as inscrições para a 7ª edição do Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2006 - Rio de Janeiro. O evento é considerado a festa do mercado imobiliário, e acontece no fim do ano. Empresas e profissionais poderão participar do Destaque Ademi em 33 categorias.

 

Prêmio da Ademi

O Globo, 08/out

Serão encerradas, na próxima sexta-feira, dia 13 de outubro, as inscrições para a 7ª edição do "Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2006, Rio de Janeiro". Empresas e profissionais poderão participar em 33 categorias, englobando centros empresariais, conjuntos residenciais, hotéis e shopping centers, entre outras.

 

Moradores ajudam na conservação

O Globo Tijuca, 05/out

A participação dos frequentadores pode fazer a diferença nas praças. Segundo o consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, David Cardeman, a legislação também poderia ser mais favorável em certas áreas. Segundo ele, a própria lei dificulta a construção civil nos arredores das praças Niterói, Condessa Paulo de Frontin e Roberto Campos.

 

Freguesia já supera a Barra da Tijuca

O Globo, Luciana Ancelmo, 01/out

O bairro de São Cristóvão não registrou um novo empreendimento de 2001 a 2005, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). De janeiro a agosto deste ano, no entanto, 150 unidades residenciais foram lançadas lá. Os dados sobre a Freguesia mostram também uma expansão significativa.

 

A reboque do crescimento

O Globo, Luciana Ancelmo , 01/out

Lapa, São Cristóvão, Freguesia, Méier, Taquara, Campo Grande, Catete e Jacarepaguá. Esses são alguns endereços da expansão imobiliária do Rio de Janeiro. Bairros que durante muito tempo não seduziam construtoras começam a mostrar grande potencial para lançamentos residenciais.

 

Em ritmo de espera pela casa própria

O Globo, Luciana Anselmo, 24/set

O vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rodolpho Vasconcelos, diz que as medidas anunciadas não terão efeito a curto prazo.

 

Crédito consignado pode ser diferenciado

O Globo, Luciana Anselmo, 24/set

"A possibilidade de estabelecer prestações fixas, a longo prazo, me faz ter dúvidas sobre o crédito consignado." Diz Rodolpho Vasconcelos, vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Empregos em construção

Extra, Danielle Abreu, 24/set

"Pelos projetos que estão maturando, ano que vem vamos ultrapassar as dez mil unidades", disse o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da construtora Concal, José Conde Caldas.

 

A nova onda do mercado imobiliário carioca

O Globo, Paulo Marqueiro, 17/set

De acordo com os dados mais recentes da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), nos cinco primeiros meses do ano foram lançadas 2.146 unidades, 9,8% a mais do que no mesmo período do ano passado (1.954 apartamentos).

 

Bancos lideram na concessão de crédito

O Dia, Cristiane Campos, 10/set

Dados da pesquisa da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) já confirmam o crescimento dos empréstimos concedidos pelos agentes financeiros.

 

Mais obras em menos tempo

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 10/set

Prova de que a construção civil no país tem avançado é o terreno onde está sendo erguido o Shopping Leblon. Para o conselheiro da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Marcelo Parente, o terreno, entre rochas, foi liberado com tecnologia estrangeira e idéias brasileiras.

 

De olho na poupança da classe média

O Globo, Flávia Oliveira, 07/set

Construir empreendimentos para a classe média é a saída para o mercado imobiliário carioca, na opinião de Rodolpho Vasconcelos, vice-presidente da Ademi, atento ao déficit habitacional do país. A falta de terrenos livres nas áreas de maior concentração urbana e de opções de crédito para o comprador final estariam restringindo o setor no Rio.

 

Construção civil propõe medidas

Jornal do Brasil, 06/set

O estudo 'A Construção do desenvolvimento sustentado', que será entregue aos presidenciáveis, foi apresentado pelo setor da construção civil com objetivo de incrementar em R$ 30 bilhões por ano os investimentos no setor, atingindo R$ 51,5 bilhões.

 

Construção apresenta propostas

Jornal do Commercio, 06/set

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Paulo Safady Simão, apresentou nesta terça-feira, na sede do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-Rio), a empresários do setor, o documento "A construção do desenvolvimento sustentado".

 

Barra vira pólo comercial

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 03/set

Segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), José Conde Caldas, a Barra, hoje, tem mais de 300 mil habitantes. A maioria com alto poder aquisitivo.

 

A conta da construção de um PIB melhor

O Globo, Flávia Oliveira, 02/set

A injeção de R$ 30 bilhões no setor de construção poderia elevar em mais de um ponto percentual a taxa de investimento no PIB. O cálculo está no documento que será divulgado na terça por Ademi-RJ e Sinduscon-Rio e, em seguida, enviado aos candidatos à Presidência da República.

 

Investimento em luxo na Barra

Jornal do Commercio, Mariana Paiva, 04/set

Somente no ano passado, esse setor movimentou R$ 1,6 bilhão na cidade e a expectativa para este ano, segundo o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e presidente da Patrimóvel-Rio, Rubem Vasconcelos, é de aumento de 30% no volume de vendas, praticamente todo na Barra.

 

Lançamentos puxam venda de imóveis usados no Rio

Jornal do Brasil, Bruno Rosa e Carolina Machado, 30/ago

O aquecimento no mercado imobiliário, com o lançamento de mais de 19 mil unidades desde 2004, de acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) está se refletindo na venda de imóveis usados.

 

Dúvida suspende ajuda ao Pan

Jornal do Brasil, Florença Mazza e Julio Calmon, 26/ago

No fim do ano passado, a Agenco ganhou quatro prêmios pelo projeto da Vila. A construtora também levou o título de Empresa do Ano, concedido pela Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Sonhamos de olhos bem abertos

Folha de São Paulo, Janela, 20/ago

Três desejos nos moviam quando a Diretoria do Sinduscon-SP assumiu há dois anos a condução da entidade: que o governo removesse os obstáculos à construção; que o setor tivesse o respeito merecido pelo seu papel estratégico no desenvolvimento sustentável; e que as empresas e empresários da construção fossem valorizados.

 

Endereços mais nobres pelo verde

Jornal do Brasil, Joana Dale, 21/ago

Além de ser uma exigência da legislação, o verde das novas construções é, hoje, uma exigência do consumidor, segundo Rogério Zylbersztajn, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

O luxo da tecnologia

O Globo, Luciana Anselmo, 20/ago

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), das 431 unidades lançadas no Rio de Janeiro, de 2001 a 2005, nessa faixa de preço, 210 estão na Barra. Sendo que, em alguns lançamentos feitos agora no bairro, quase tudo pode ser controlado só com um toque à distância (via celular, Internet ou computador de bolso).

 

Novas perspectivas para a casa própria

Folha de São Paulo, Janela, 13/ago

O governo promete lançar nas próximas semanas novas medidas de estimulo ao setor da construção. Uma delas seria a extensão do crédito consignado para a aquisição da casa própria.

 

Justiça menos lenta

O Globo, Luciana Casemiro, 13/ago

Câmara de arbitragem do setor imobiliário ganha fôlego no Rio. Além de Abadi e Secovi, a câmara inclui o Sindicato da Indústria da Construção Civil(Sinduscon-Rio), a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), o Instituto de Engenharia Legal (IEL) e a Federação Internacional das Profissões Imobiliárias (Fiabci).

 

Mercado espera alta no segundo semestre

Jornal do Brasil, Carolina Mchado, 13/ago

Números da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) mostram que no ano passado o número de lançamentos passou de 2.481 imóveis no primeiro semestre para 6.629 de julho a dezembro. Este ano, de janeiro a maio, foram 2.146.

 

Orla de Ipanema perderá último terreno sem prédio

O Globo, Isabela Bastos, 05/ago

O leilão inflacionou o metro quadrado do futuro condomínio, que não deverá sair por menos de R$22 mil, 29% maior que a média de R$17 mil para empreendimentos de alto padrão na região. O vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubens Vasconcellos, considerou o valor inviável.

 

Construtoras em acirrada concorrência

Jornal do Commercio, Lucianne Carneiro, 07/ago

"As condições são favoráveis e os astros estão em bom alinhamento. Não acredito que haja bolha. Com o crescimento da economia daqui para a frente, as pessoas tendem a se sentir mais seguras, consolidando a expansão do setor", diz o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RI), Rodolpho Vasconcellos.

 

Meio ano vale ano inteiro

O Globo, Luciana Anselmo, 30/jul

"Usamos novas técnicas construtivas, como a alvenaria estrutural, que simplificam e barateiam o projeto", conta o presidente da Concal, José Conde Caldas, também vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Condomínio com casa ganha mercado

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 30/jul

Dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) mostram que de janeiro de 2004 até este mês foram lançadas 11.932 unidades na Barra da Tijuca. Os condomínios de casas têm respondido por boa parte desse sucesso.

 

Onde o horizonte é mais caro

Jornal do Brasil, Joana Dale, 23/jul

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), São Paulo fica em segundo no ranking, com um máximo de R$ 12 mil o metro quadrado, no bairro de Jardins. No mercado de imóveis de alto padrão carioca, a localização, quesito mais importante no nicho, é sinônimo de vista.

 

Vem muito mais por aí

O Globo, Luciana Casemiro, 09/jul

Para Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), outros avanços precisam ser feitos para que os recursos não fiquem concentrados no financiamento de imóveis usados.

 

Em 5 anos, orçamento individual de bancos supera o de todo o sistema

O Globo, 09/jul

Para Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), outros avanços precisam ser feitos para que os recursos não fiquem concentrados no financiamento de imóveis usados.

 

Empresas aproveitam o Pan 2007 para tirar seus projetos da gaveta

O Globo, Fernanda Pontes e Luiz Ernesto Magalhães, 10/jul

"A idéia é atrair uma população de classe média que tem recursos mas deseja permanecer na região", explicou o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos.

 

Marca de sucesso em expansão

Jornal do Brasil Barra, Karla Queiroz, 02/jul

Há apenas um ano e meio no mercado, a Novamarca 500 já conquistou grande parte do setor imobiliário carioca. Com nove meses de fundação, a empresa recebeu da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) o troféu Revelação do Ano.

 

Setor imobiliário mostra aquecimento

O Globo Tijuca, Guilherme Freitas, 29/jun

A Grande Tijuca, com boa oferta de serviços e de comércio, volta a atrair a atenção do setor imobiliário após um período de retração, segundo José Conde Caldas, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Rio tem público diferenciado

Gazeta, 29/jun

A demanda externa por informações do mercado imobiliário levou a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio) a lançar, em setembro, um guia para aquisição de imóveis na cidade. A publicação envolve informações desde direito imobiliário a pesquisa de mercado e desenvolvimento urbano.

 

Setor imobiliário está aquecido

O Globo, Ana Cristina Campos, 29/jun

"A legislação complexa e os preços onerosos fazem parte da realidade da Zona Sul", diz Márcio Fortes, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresa do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Estrangeiros invadem a orla

O Dia, Cristiane Campos, 25/jun

Atenta à invasão dos gringos, a Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) está divulgando o "Guia Ademi Viver e Investir no Rio - Manual do Comprador". Segundo o presidente da Ademi, Márcio Fortes, o manual é inspirado e dedicado aos estrangeiros.






 

Os queridinhos do Rio

O Globo, Luciana Casemiro, 25/jun

Na pesquisa só de imóveis novos, que a Patrimóvel também faz, a lista dos cinco mais procurados inclui - além de Barra e Botafogo - Recreio, Jacarepaguá e Méier. Interesse ratificado pelo registro de venda de lançamentos da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Solução sem briga judicial

Extra, Carlos Monteiro, 18/jun

Para tentar desafogar os tribunais, algumas instituições vêm tomando importantes iniciativas. Uma delas é a criação da Câmara Imobiliária de Mediação e Arbitragem (Cima). O órgão foi idealizado e apoiado por importantes entidades do setor no Estado do Rio, entre elas a Associação Brasileira de Advogados do Mercado Imobiliário (Abami), a Associação Brasileira de Administradores de Imóveis. (Abadi), o Sindicato da Habitação (Secovi-RJ) e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Botafogo a um passo da escassez

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 18/jun

Para o consultor em desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), David Cardeman, Botafogo tem recebido a parcela de investimento que não pôde ser aplicada em Ipanema e no Leblon, que tiveram muitos imóveis tombados.

 

Barra apela por projeto viário

Jornal do Commercio, Joana Fróes, 12/Jun

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Rubem Vasconcelos, o crescimento do setor imobiliário na Barra da Tijuca se deve à escassez de mercado na Zona Sul da cidade.

 

Reconstrução da expectativa de crescimento

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 11/Jun

Para o vice-presidente da Associação dos Dirigentes de. Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Rodolpho Vasconcellos, o setor vem se recuperando de uma crise "complicada" nos últimos dois anos, com fissuras ainda mais acentuadas no Rio de Janeiro.

 

Barra Bonita: região em pleno crescimento

O Globo, Maíra Amorim, 08/Jun

Uma área do Recreio dos Bandeirantes está chamando atenção e recebendo cada vez mais investimentos imobiliários. É a Barra Bonita, atrás do Recreio Shopping. A região, que em 2002 ganhou o prêmio de melhor projeto em urbanismo e desenvolvimento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), vem sendo chamada de sub-bairro.

 

Compra de imóveis na planta ganha incentivos

O Globo, 04/jun

O HSBC acaba de lançar uma linha que garante o crédito no ato da assinatura da promessa de compra e venda entre o comprador e o construtor. Já outros bancos, como Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal (CEF), estão garantindo a aprovação do crédito, sem burocracia, para quem pagar em dia as prestações à construtora, até a entrega das chaves. Márcio Fortes, presidente da Ademi/RJ, aplaude as novidades: - No passado, antes da Encol, tivemos um cenário como esse. Essas linhas de financiamento dão segurança ao cliente e estimulam a compra na planta e, conseqüentemente, a construção. Por isso, todos os meus aplausos.

 

Márcio Fortes estará hoje no programa "Jogo do Poder", na CNT, às 20h30m.

O Globo, Ancelmo Góis, 01/Jun

Márcio Fortes estará hoje no programa "Jogo do Poder", na CNT, às 20h30m.

 

Barra não quer cemitério defendido por Cesar

O Globo, Fernanda pontes e Luiz Ernesto Magalhães, 31/Maio

"A Avenida Ayrton Senna tem vocação para empreendimentos da classe média. É inaceitável construir um cemitério no coração da Barra", disse o vice-presidente da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcellos.

 

O novo centro da cidade é aqui

Jornal do Brasil, Karla Queiroz, 28/Maio

Uma estatística feita pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), mostra que, entre os anos de 2003 e 2005, foram lançadas mais de duas mil unidades comerciais na Barra.

 

Cesar Maia insiste num novo PEU para a região de Vargem Grande

O Globo, 20/Maio

"Antes um projeto deficiente do que nenhum. Sem regras, Vargem Grande e Pequena estão como terra-de-ninguém. O prefeito não precisava vetar o projeto inteiro, mas sim os pontos dos quais discorda", afirmou Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Efeito Manoel Carlos

Revista de Domingo, 14/Maio

Marcio Fortes, presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), o Leblon é o bairro mais exclusivo do Rio, pois não é passagem. "Ali acaba o Rio. São Conrado e Barra são outra cidade", brinca.

 

Zona sul já perdeu cinco postos de gasolina

O Globo, Célia Costa e Fernanda Pontes, 13/Maio

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), Rubem Vasconcellos, explica que a falta de espaço para construir na Zona Sul está levando construtoras a negociarem com donos de postos. Segundo ele, a procura por terrenos em áreas nobres como Humaitá, Leblon e Ipanema é maior do que no restante da cidade.

 

Plano Diretor ainda sem data para ser discutido

Jornal do Commercio, Joana Fróes, 10/Maio

O representante da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi) e membro do Compur, José Conde Caldas, informou que devido à mudança do secretariado, a prefeitura estendeu o prazo para a discussão sobre o Plano Diretor. O prefeito Cesar Maia foi procurado para esclarecimentos, mas não respondeu.

 

Moradores são vítimas de estelionato, furtos e assaltos

Jornal do Brasil, Bremer Lemos, 07/Maio

Segundo o consultor jurídico da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), Maury Rouède Bernardes, o comprador deve ir ao cartório procurar pela Certidão do Registro de Imóveis.

 

Nas ondas do Rio de Janeiro

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 07/Maio

A Brascan Imobiliária Incorporações trabalha seguindo as curvas há um bom tempo e ganhou até o Prêmio de Destaque da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) do ano passado pela fachada do Reserva de Itaúna, na Barra da Tijuca.

 

Bairro já foi sinônimo de tranqüilidade

O Globo, Jacqueline Costa, 05/Maio

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi), Rubem Vasconcelos, disse que a demanda para a compra de imóveis na Ilha do Governador está zerada. Segundo ele, um imóvel no Jardim Guanabara, que já foi considerado o melhor lugar da Ilha do Governador, está hoje 40% mais barato do que há três anos.

 

"Momento imobiliário não é um mar de rosas"

FIABCI Hoje

"Reconheço os avanços do setor no momento atual, apontados por Daniel Citron. Mas entendo também que o momento político é de alta instabilidade e que a estabilidade na economia hoje aqui evocada é apenas macroeconômica: é fato, a inflação está contida, os juros caindo, o dólar e o Risco Brasil também, entre outros indicadores, mas é só."

 

Empreendimento residencial dará cara nova à Barrinha, a área mais antiga do bairro

O Globo, 30/Abr

"É natural que a renovação urbana da Barra comece pela Barrinha, a área mais antiga do bairro. Acho que esse empreendimento vai motivar a renovação de outros lotes da região", avalia o arquiteto e urbanista David Cardeman, consultor da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi).

 

Pan valoriza imóveis no bairro

Jornal do Brasil, Karla Queiroz, 02/Maio

"Em 35 anos foram construídas aproximadamente 100 mil habïtações, todas por iniciativa do próprio mercado imobiliário", disse Márcio Fortes.

 

Aprovado projeto que iguala aparts e hotéis

O Globo, Célia Costa, 26/Abr

"A rede hoteleira não quer investir e mesmo assim exige reserva de mercado", segundo Rubem Vasconcelos, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Mercado e Pan

O Dia, 24/Abr

O ex-deputado Márcio Fortes fará uma palestra na sexta-feira a convite da Acibarra.

 

De volta para o futuro

O Globo, Fabio Rossi e Luciana Casemiro, 23/abr

Hoje Botafogo é a menina dos olhos de construtores: há três anos é um dos cinco bairros do Rio com maior número de imóveis lançados, Botafogo não tem espaços públicos de lazer, como o Jardim Botânico. Fora a praia, não há nenhum grande parque ou praça. Por isso, acho que a área de lazer é importante para esta nova geração de empreendimentos - avalia o arquiteto David Cardeman, que é consultor da Ademi/RJ.

 

Comissão avalia propostas para o Plano Diretor do Rio

Extra, 23/abr

A prefeitura do Rio enviou ao Compur as propostas para o novo Plano Diretor da cidade. Para analisar o projeto e desenvolver sugestões foi criada a Comissão de Relatoria do Plano Diretor do Rio de Janeiro. Entre as entidades participantes, a Ademi analisa os instrumentos de gestão do uso do solo, do IPTU progressivo, do consórcio imobiliário, da outorga onerosa do direito de construir e do relatório de impacto de vizinhança. A entidade está recebendo sugestões pelo e-mail planodiretor@ademi.org.br. Mais informações no site: http://www.ademi.org.br/.

 

Construtoras dão facilidades

Extra, 23/abr

Presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Márcio Fortes atribui os lançamentos para a classe média a um esforço próprio das construtoras. Para manter o setor ativo quando falta capital à população, diz ele, as empresas reduzem as margens de lucros e oferecem condições de pagamento mais acessíveis.

 

Prefeitura e conselho divergem sobre Plano Diretor

O Globo, 18/Abr

O Compur é formado por quatro entidades do setor empresarial (Firjan, Sinduscon, Ademi e Sebrae), quatro da sociedade civil (Federação das Associações de Moradores do Rio, Federação das Associações das Favelas do Rio, Comissão dos Moradores de Loteamento e Apedema) e quatro entidades técnicas (IAB, Clube de engenharia, Sindicato dos Engenheiros e Associação dos Arquitetos e Engenheiros da Zona Oeste).

 

Construção vive fase de otimismo

Jornal do Commercio, Luciana de Moraes, 17/Abr

A redução da taxa básica de juros e a perspectiva de aumento dos recursos para o financiamento habitacional ao longo do ano têm sido os pilares de sustentação das projeções otimistas mantidas pelo setor de construção civil.

 

 

Prefeitura quer criar áreas por toda a cidade para construir casas populares

O Globo, Luiz Ernesto Magalhães, 17/abr

A prefeitura planeja criar áreas destinadas exclusivamente à construção de casas populares em quase toda a cidade. A proposta, que tem como objetivo tentar conter o crescimento das favelas, com a maior oferta de moradia em lotes urbanizados, consta do anteprojeto do novo Plano Diretor da cidade, que está sob análise do Compur. O projeto será um dos temas em discussão na primeira reunião geral da entidade, hoje, na sede da Ademi, na Urca, após o documento ter sido entregue ao Compur, no fim de março.

 

Apartamento novo em um clique

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 16/abr

A negociação de imóveis pela internet ainda está engatinhando entre os brasileiros, mas, de acordo com o presidente da Ademi, Márcio Fortes, as grandes empresas já incorporaram o acesso e a disponibilidade de imóveis pela internet às suas práticas de mercado. - A internet ainda é uma ferramenta muito nova. A figura do corretor impera no mercado imobiliário, mas hoje é crescente o número de empresas que investem na divulgação e comercialização de seus imóveis pela rede - explica Fortes.

 

Anteprojeto é recebido com críticas e elogios

O Globo, 12/Abr

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Rubem Vasconcelos, a proposta da outorga onerosa (em que o proprietário pagaria uma taxa à prefeitura para ocupar até o limite máximo do terreno) provocará uma explosão nos preços dos imóveis no Leblon.

 

Barra pode ter mais obras; e favelas, maior controle

O Globo, 11/Abr

Os empresários da construção civil, por exemplo, são contrários à sobretaxa. Numa das últimas reuniões do Compur, o representante da Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, criticou o projeto. O entendimento do setor, explicou na reunião, é que a outorga onerosa até caberia em situações excepcionais.

 

Sem Alívio na prestação

O Globo, Morar Bem, Luciana Calaza, 26/mar

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a cobrança de juros mais baixos para o financiamento de imóveis com valor até R$150 mil está direcionando a construção:
- Empreendimentos como Vila do Pan, Cores da Lapa e Quartier Carioca, no Catete, são resultado desta política. Havendo facilidades para o tomador de classe média baixa, a tendência é haver lançamentos para essa renda.

 

A hora do 'juro zero'

Extra, 26/mar

Quatro meses depois de o Ministério Público estadual firmar um acordo com construtoras que resultou no fim da cobrança de juros durante a obra, o mercado imobiliário do Rio começa a testar o impacto da medida nas vendas. Na última quarta-feira, a RJZ e a Cyrela apresentaram, em parceria com o banco Pactual, o primeiro empreendimento do Brasil que segue a nova regra. Para Márcio Fortes, deputado federal e presidente da Ademi do Rio de Janeiro, o fim da cobrança de juros durante a obra mudará o comportamento dos interessados na compra de imóveis.

 

Entre o tombamento e a economia

Jornal do Brasil, Mariana Filgueiras, 22/Mar

De acordo com o consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Davi Cardeman, a Apac desvaloriza os imóveis em até um terço do valor original: "Os proprietários são prejudicados, porque não podem construir anexos ou fazer obras de melhoria. A desvalorização pode ser desastrosa, o que nós lamentamos, porque o mercado imobiliário tem interesse no bairro."

 

Direito Imobiliário

Jornal do Commercio, Flavia Arbache, 23/Mar

Entre os participantes estarão Pedro Wähmann, presidente do Secovi-RJ, o advogado Hamilton Quirino e o vice-presidente da Ademi, César Thomé Júnior. Informações pelos telefones (21) 2272-8009 e 2266-9150 ou no site http://www.secovi-rj.com.br

 

Pagando para ver

Jornal do Brasil, 19/mar

Na casa que vendeu seu espaço aéreo e que fica do lado direito do prédio funciona uma clínica médica. O acordo entre as envolvidas foi fechado um mês depois da promulgação da lei. De acordo com a Ademi a prática era inédita no país antes da iniciativa da Marcus Cavalcanti e do autor do projeto do Residencial Joana Angélica, o arquiteto Bertoldo Pogrebinschi.

 

Vista por tempo determinado

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 19/mar

A lei que permite a compra do espaço aéreo, segundo o consultor jurídico da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Maury Rouède Bernardes, está no Estatuto da Cidade e atende pelo número 10.257/01.

 

Pactual amplia investimento em imóveis com projeto da RJZ Cyrela

Valor, Catherine Vieira, 20/mar

O investimento no empreendimento da RJZ Cyrela, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi um dos maiores feitos pelo fundo e traz uma novidade dentro do mercado carioca no formato de financiamento. Segundo o presidente da RJZ, Rogério Zylbersztajn, o Barra Family Resort será o primeiro que isento de cobrança de juro e correção monetária durante as obras. As empresas do setor tinham feito um acordo nesse sentido, no âmbito da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), mas o projeto Barra Family é o primeiro a colocar em prática a novidade, segundo o executivo.

 

Mazelas do crescimento

O Globo, Barra, Rodrigo March, 16/Mar

Em 2004, de acordo com a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a região respondeu por 69,3% das unidades lançadas nos empreendimentos imobiliários da cidade. A AP-4 é a área do município com o maior número de licenças de construção.

 

Centro Médico Informatizado

Jornal do Commercio, 15/Mar

Será inaugurado oficialmente hoje o Recreio Medical Center, ampliando a oferta de serviços de saúde na região.O projeto arquitetônico do Recreio Medical Center foi vencedor do Prêmio Master Imobiliário - ADEMI 2005.

 

Comprar terreno requer cuidados

Jornal do Brasil, Barra, Karla Queiroz, 05/Mar

Antes de comprar um terreno é necessário estar atento para uma série de procedimentos burocráticos. Um sonho, muitas vezes, transforma-se em pesadelo. Consultor jurídico da Associação de Dirigentes de Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi), Maury Rouède Bernardes dá dicas de como não cair numa cilada.

 

Aplausos e críticas no Rio

Extra, 12/Fev

"A diminuição da tributação só vai ser sentida nos lançamentos. Mas temos que levar em conta que o valor final do imóvel depende também do terreno, da construção e da margem de lucro da incorporadora", Rodolpho Vasconcellos, Vice-presidente da Ademi.

 

Cheios de boas intenções

O Globo, Morar Bem , Luciana Casemiro, 05/Fev

Levantamento realizado pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ) com as empresas que atuam na cidade, confirma aquecimento no último trimestre de 2005.

 

Mudanças nas regras do financiamento

Jornal do Brasil, Barra, Valeria Vianna, 29/jan

A Justiça decidiu recentemente alterar a regra de financiamento imobiliário que, a partir de agora, obriga construtores e agentes financeiros a não cobrarem mais juros nas prestações dos imóveis até o momento da entrega das chaves. Maia ressalta que a medida, na verdade, foi um Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e o Ministério Público, para favorecer o comprador.

 

Rio, metrópole de casas

O Globo, Morar Bem, Luciana Casemiro, 29/jan

A troca de casas por apartamentos, está aquém do que se imaginava -avalia David Cardeman, arquiteto e urbanista, consultor da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

R$ 1,8 bilhão para o penhor

O Dia, 28/jan

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, José Conde Caldas, a queda de 15% a 20% nos preços dos insumos reduz em 10% o custo do imóvel.

 

Crédito imobiliário consignado

O Dia, 30/jan

O vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), José Conde Caldas, lembra que, no passado, o BNH (Banco Nacional de Habitação) e a Caixa Econômica Federal financiaram imóveis para seus funcionários com desconto em folha.

 

Comemoração com debates

Extra, 29/jan

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ) comemora 35 anos com uma série de debates que serão realizados ao longo de 2006.

 

Planta pode ter preço atrativo

Extra, 29/jan

Márcio Fortes, deputado federal e presidente da Ademi: "O comprador não tem medo de comprar imóvel na planta, mais barato do que um já pronto. O que falta para o mercado imobiliário deslanchar é a redução da taxa de juros. O governo federal deveria fazer isso logo."

 

Ademi comemora 35 anos na cidade do Rio de Janeiro

Jornal do Brasil, 29/jan

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) comemora 35 anos de existência. Para comemorar a Ademi-RJ receberá os associados para um coquetel de confraternização, em sua sede, na Urca.

 

Paulista no Rio

O Globo, 22/jan

Pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rj) apontou a construtora paulista Klabin Segall como primeira no ranking das que mais passaram escrituras de janeiro a novembro de 2005.

 

Ademi festeja os 35 anos com debates

O Globo, 22/jan

Criada num momento de ebulição do mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ) comemora 35 anos, discutindo os rumos do setor.

 

Babel na orla carioca

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 22/jan

Diante do cenário de grande procura de moradores de fora do país, apresentado pelas construtoras e imobiliárias do Rio de Janeiro, a Ademi-RJ criou o "Guia Ademi: Viver e investir no Rio - Manual do comprador de imóveis", lançado em outubro de 2005, na Feira de Imóveis.

 

Cesar Maia veta projeto com normas para construção em Vargem Grande

O Globo, 18/1/06

Para o presidente da Câmara Comunitária da Barra, Delair Dumbrosck, deixar a área sem um projeto de urbanismo é pior do que aprovar a proposta com as 19 emendas. A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) ficou decepcionada com as mudanças no projeto.

 

Prestação sem juros na planta

O Dia, Cristiane Campos, 15/jan

Quem planeja comprar o imóvel à vista deve pedir desconto. A recomendação é do presidente da Ademi, Márcio Fortes. "O mercado chegou a um consenso e todos estão trabalhando da mesma forma", explica.

 

Em busca de muros e guaritas

O Dia, Cristiane Campos, 08/jan

O movimento é mais intenso na Tijuca, onde imóveis com menos serviços de segurança estão até 50% mais baratos, segundo Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Agrados para a cidade

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 08/jan

Construtoras preocupadas com o entorno de suas obras promovem mudanças para garantir o próprio negócio. Algumas empresas apostam em ação de Responsabilidade Social. A construtora Agenco mereceu até uma estatueta na última edição do Prêmio Master Imobiliário, realizado pela ADEMI-RJ, pelo retrofit da Escola Municipal Senador Corrêa, em Laranjeiras.

 

Mais investimentos e carga tributária menor

Jornal do Commercio, 28/dez

O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ), Márcio Fortes, diz que a MP 255 deve incentivar o uso da figura do patrimônio de afetação, modalidade que separa a contabilidade do empreendimento da contabilidade da empresa construtora, de forma que, em caso de falência, os compradores possam concluir a obra contratando terceiros.

 

Entrega dos prêmios Ademi 2005

Jornal do Commercio, Fred Suter, 26/dez

Daniela Maia e Luiz Felipe Maciel na entrega dos prêmios Ademi 2005, no teatro Sesc-Ginástico

 

Dois anos bons para a casa própria

O Globo, Morar Bem, Luciana Casemiro, 18/dez

O deputado Márcio Fortes, presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio de Janeiro (ADEMI/RJ) avalia o primeiro trimestre como uma época ruim para o setor. Se trata de aumento real de preço, ou seja, que se está apenas passando para o valor de tabela o que seria pago em juros.

 

Que tudo se realize...

Extra, 18/dez

Queremos que o governo federal coloque a disposição, de forma plena, todo o instrumental do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para a produção no setor. Isso seria um verdadeiro incentivo - diz Márcio Fortes, presidente da Ademi e deputado federal.

 

RJZ, Agenco e Patrimóvel ganham Destaque Ademi

Extra, 18/dez

As empresas que se destacaram no mercado imobiliário em 2005 foram premiadas este mês pelo Destaque Ademi 2005. Ao todo, 22 trabalhos foram escolhidos pelo júri. O destaque foi a RJZ Engenharia, com maior número de prêmios, seis no total.

 

Pode melhorar em 2006

Extra, 18/dez

A caderneta de poupança e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço têm correção inferior a 1% ao mês. Assim, não há motivo de o setor trabalhar com financiamentos de 12% ou mais. É preciso crédito e incentivos específicos para a construção civil - diz Márcio Fortes, deputado federal e presidente da Ademi.

 

Presentes de fim de ano

Jornal do Brasil, 18/dez

Ganhadoras em diversas categorias do prêmio Master Imobiliário realizado pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), além do Top de Marketing com o empreendimento Lanai Condomínio SPA - e o Supertop de Marketing, pelo comercial Le Monde Office, a RJZ e a Cyrela finalizam 2005 com mais um lançamento.

 

Satisfeitos com 2005

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 18/dez

Fenômeno de vendas, a Vila, empreendimento da construtora Agenco teve 1,4 mil unidades das 1480 disponíveis vendidas em uma noite. O lançamento foi responsável pelo aumento de 100% do faturamento anual da Agenco, que ainda levou o título de Empresa do Ano, concedido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Contra o crime, 92 dicas

Extra, 11/dez

O aumento da criminalidade vem transformando as funções de síndicos e porteiros: hoje, conhecer regras de segurança predial virou algo tão importante quanto entender de gastos ou cuidados com a infra-estrutura do edifício.

 

Gafisa comemora prêmio ADEMI-RJ em 2005

Jornal do Brasil, 11/dez

Hoje, a Gafisa, a Redevco e a Disa Catisa promovem um evento em comemoração aos dois prêmios que o Empreendimento Blue Condomínio das Américas ganhou na 68 edição do Destaque ADEMI - Prêmio Master Imobiliário, o mais importante do mercado imobiliário carioca.

 

Alienação Fiduciária e os atos registrais na sede da Ademi-RJ

Jornal do Brasil, 11/dez

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ) realizará dia 13, terça-feira, em parceria com a Associação dos Notários Registradores (Anoreg), um seminário sobre alienação fiduciária.

 

Prevenção gera proteção

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 11/dez

Manter um condomínio em ordem não depende só dos síndicos. Moradores também podem e devem colaborar, principalmente quando o assunto é manutenção predial e prevenção contra acidentes.

 

Prêmio Ademi

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 09/dez

Francisco Pedroso, ao lado do arquiteto Sérgio Gattás e namorada, Patrícia Moreira, saíram da Barra na direção do Centro para buscar os prêmios recebidos pela Ademi.




 

Revelação Imobiliária

Jornal do Brasil, 07/dez

Os sócios da Novamarca 500, Francisco Couto, Maurício Goldbach e Alberto Bottino comemoraram o Prêmio Revelação do Ano, concedido pela Ademi-RJ, em cerimônia no Teatro Sesc Ginástico, realizada na noite de ontem.



 

Viva Natalino!

O Globo, Ancelmo Góis, 07/dez

Entre os agraciados com o Prêmio Master Imobiliário 2005, da Ademi, ontem, estava Natalino Rabinovitch, in memoriam.

 

Prêmio Master Imobiliário

Jornal do Brasil, Informe Econômico, 06/dez

A Gafisa, que ganha hoje o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário, tem motivos para festejar neste fim de ano.

 

Destaque Ademi

O Globo, Gente Boa, 06/dez

Ricardo Macieira recebe hoje, às 19h, no Sesc da Graça Aranha, o Destaque Ademi pela projeto de obra pública das Casas Casadas.

 

Novamarca500 é revelação do ano

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 06/dez

No mercado há apenas oito meses, imobiliária conquista prêmio da Ademi-RJ e se prepara para lançamentos voltados à baixa renda

 

Prêmio Ademi

O Globo, Ancelmo Góis, 04/dez

A Santa Isabel recebeu o prêmio Ademi por desmonte de rocha em áreas urbanas sem explosivos.

 

Ademi premia destaques do setor em 2005

O Globo, Morar Bem, 04/dez

A edição do Prêmio Master Imobiliário 2005, promovido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), teve dois grandes destaques. A RJZ Engenharia, com o maior número de prêmios - seis no total.

 

Nas festas de fim de ano, cuidados redobrados

O Globo, Morar Bem, Luciana Casemiro, 04/dez

São orientações que vão do horário de chegada de bufê a cuidados com a instalação de equipamentos elétricos para evitar sobrecarga. Além de indicações como a de manter extintores extras em casa - destaca Thomé, que é vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Ademi premia os melhores

Jornal do Brasil, 04/dez

Os "tops" do mercado imobiliário estarão reunidos nesta terça-feira, dia 6, na entrega do 6° prêmio Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2005, Rio de Janeiro. Serão contemplados 22 trabalhos.

 

Seminário na sede da Ademi

Extra, 04/dez

A Ademi realiza no próximo dia 13, em parceria com a Associação dos Notários Registradores (Anoreg), um seminário sobre alienação fiduciária.

 

Prêmio Master

O Dia, 04/dez

A cerimônia de entrega do Prêmio Master Imobiliário 2005, considerado o Oscar do setor, será na terça-feira no Teatro Sesc Ginástico, no Centro. Serão premiados 22 trabalhos.

 

Melhor projeto

O Globo, Gente Boa, 02/dez

Carlos Eduardo Calmon, melhor projeto para edificação comercial da Ademi, recebe o prêmio terça-feira.

 

No Guinness

Jornal do Commercio, Fred Suter, 01/dez

A Construtora Santa Isabel, responsável pela construção do Shopping Leblon, recebe na próxima terça-feira o Prêmio Ademi de Inovação Tecnológica, por ter alcançado, nesta obra, o recorde mundial em desmonte de rocha, em áreas urbanas, sem explosivos.

 

Pole position

Jornal do Brasil, Hildegard Angel, 30/nov

Pelo segundo ano consecutivo, Rogerinho Zylbersztajn está na pole position dos prêmios da Ademi. Sua RJZ foi a mais premiada do setor imobiliário: sete prêmios! Além disso, Rogerinho recebeu da ADVB o top e o super top de marketing.

 

Imobiliário

Jornal do Commercio, Fred Suter, 28/nov

Sergio Gatáss foi escolhido o Arquiteto do Ano no Destaque Ademi 2005, o mais importante prêmio do mercado imobiliário carioca.

 

Vila do Pan leva ouro em marketing

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 27/nov

Além do prêmio da ABMN, a Vila garantiu à Agenco o título de Empresa do Ano, concedido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ).

 

Premiação

O Dia, 27/nov

A construtora Agenco foi a grande vencedora do Prêmio Master Imobiliário 2005 da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e ainda recebeu o título de Empresa do Ano, pela construção da Vila Pan-Americana.

 

Prêmio

O Globo, Ancelmo Góis, 27/nov

A Gafisa ganhou o prêmio de empresa criativa da Ademi.

 

Prêmio Máster Imobiliário

O Globo, Ancelmo Góis, 25/nov

A Agenco ganhou cinco categorias no Prêmio Máster Imobiliário da Ademi.

 

Prêmio Ademi de Empresário do Ano

Jornal do Brasil, Hildegard Angel, 23/nov

A Construção Civil carioca tem um Conde, que não é o arquiteto Luiz Paulo. É o José Conde Caldas, da Concal, que acaba de ser coroado com o prêmio Ademi de Empresário do Ano.

 

Joá, um bairro à venda

Jornal do Brasil, Juliana Valentim, 23/nov

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Márcio Fortes, o grande número de imóveis à venda é uma das conseqüências do esvaziamento econômico do Rio.

 

Paraíso invadido pela ilegalidade

Jornal do Brasil, Barra, Rita Capell, 22/nov

Na opinião do deputado estadual Márcio Fortes, presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a solução está na construção de conjuntos habitacionais para a população de baixa renda.

 

Construtora ganha prêmio

Extra, 20/nov

Com o empreendimento Bernini, na Barra, a Carmo e Calçada conquistou o Prêmio Master Imobiliário da Ademi na categoria "Projeto de prédio residencial de grande porte".

 

Aprovada, mas com ressalvas

Extra, 20/nov

"A iniciativa da Caixa é válida para a classe média. Quem utilizar a linha fará um bom negócio, os imóveis sempre se valorizam nem que seja a médio prazo, três ou quatro anos após a assinatura do contrato. Mas os juros poderiam ser menores", diz Márcio Fortes, presidente da Ademi.

 

Geração 'Barra work'

Jornal do Brasil, Barra, Bel Ramalho e Rita Capell, 13/nov

Segundo pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), só nos primeiros cinco meses de 2005 a Zona Oeste já contava com 594 novos empreendimentos.

 

No Centro das atenções

Jornal do Brasil, Imóveis, 13/nov

De acordo com o consultor em desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), David Cardeman, a expectativa é que haja uma reativação do mercado na região, com a expansão imobiliária retornando ao Centro.

 

Em busca de uma nova imagem

O Dia, Michel Alecrim 06/nov

O consultor de desenvolvimento urbano da Ademi, David Cardeman, garante que os terrenos na região estão baratos e que há grande possibilidade de valorização. Caso o Cores da Lapa tenha boa aceitação, poderá haver uma procura por construtoras na área e vizinhança.

 

Habitação em xeque

O Globo, O Globo, Morar Bem, Luciana Casemiro, Helena Celestino, 30/out

E quando se fala em déficit, afirma o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi), Márcio Fortes, não adianta trabalhar exclusivamente para uma ou outra faixa de renda.

 

Os urbanistas do morro

O Dia, 23/out

O projeto vem sendo elaborado desde maio do ano passado, por iniciativa da Associação de Moradores de São Conrado. Em vez de só cobrar soluções das autoridades para a violência, resolveu-se buscar melhores condições de vida. Houve participação de quatro associações de moradores e de entidades como o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Sinduscom. Ademi, PUC-Rio, OAB-RJ, FirJan e Câmara Comunitária da Barra.

 

Prêmio Ademi

O Globo, Morar Bem, 23/out

Foram prorrogadas até o dia 28 as inscrições para a sexta edição do Destaque da Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2005, promovido pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário.

 

Juros de fora

O Globo, Morar bem, Luciana Casemiro, 23/out

O que motivou o Ministério Público a fazer a convocação foi a vitória que obteve em primeira instância numa ação civil pública contra a Brascan Imobiliária. Além da liminar que proíbe a empresa de cobrar os juros antes da sentença final. Luiz Antônio Campos Mello, advogado da Brascan e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ), recorreu.

 

Inscrições são prorrogadas

Extra, 23/out

Foram prorrogadas as inscrições para o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2005. Devido à grande procura, o prazo acabou sendo estendido até sexta-feira.

 

Isenção de imposto

O Dia, 23/out

A Cbic encaminhou ao ministro Palocci ofício pedindo a dedução no Imposto de Renda dos juros pagos na casa própria. "O Governo vai arrecadar mais imposto com a cadeia produtiva da construção já que as construtoras vão produzir bastante. Esse é o incentivo que faltava para alavancar o setor e gerar empregos", explica José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi.

 

Destaque Ademi recebe inscrições até sexta

Jornal do Brasil, 23/out

As inscrições para o Destaque Ademi-RJ - Premio Máster Imobiliário 2005 foram prorrogadas até sexta-feira, dia 28 de outubro. Realizado pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, o evento chega a sua 6a edição com o objetivo de reconhecer e estimular a excelência profissional do setor no Rio de Janeiro.

 

Acima das expectativas

Jornal do Brasil, 23/out

Para o presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), Márcio Fortes, os bancos estão, na verdade, seguindo as respostas dadas pelo mercado, que se mantém otimista.

 

Reação

Jornal do Brasil, Barra, Anna Ramalho, 19/out

O mercado imobiliário da Barra da Tijuca, que andava meio jururu, voltou a comemorar. Depois da realização do Salão imobiliário da Ademi, mês passado no CasaShopping, os estandes de venda das principais incorporadoras registraram um substancial aumento de visitas e de compras - qualquer coisa em torno de 30%.

 

E o Leblon bateu no teto

O Globo, Luciana Casemiro, 16/out

Com o metro quadrado chegando a R$ 19 mil na Delfim Moreira, os imóveis do Leblon, bairro mais cobiçado do Rio, têm hoje uma velocidade de vendas bem abaixo dos lançamentos de Botafogo - das unidades oferecidas entre janeiro e agosto deste ano, a média de vendas no Leblon ficou em 3,9%, contra os 11,7% de Botafogo, informa a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Classe média, luxo e requinte

O Dia, Cristiane Campos, 16/out

Construtoras de alto padrão estão investindo mais em empreendimentos para famílias com renda de até R$ 4.900. Outra novidade é a integração da estação de trem com o Metrô. Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, a ligação será feita por escada rolante. O bairro fica a 10 minutos do Centro.

 

O desafio da preservação

Jornal do Brasil, Duilo Victor e Florença Mazza, 02/out

Para o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Afonso Kuenerz, é fundamental a aprovação do Plano de Estruturação Urbana (PEU) de Vargem Grande, Vargem Pequena, Camorim e parte do Recreio para que o desenvolvimento da região não ocorra de forma desordenada.

 

Pró-Rio apela à União por mais verbas para o Estado

Jornaldo Commercio, Paula Sarapu, 02/out

Estiveram presentes o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio (Sinduscon-Río), Roberto Kauffman; o primeiro secretário da Fecomércio, Natan Schipper; o presidente da AD-Rio, Francisco Pinto; o superintendente-geral da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Murillo Allevato Filho; o presidente da Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio (Seaerj), Eduardo Konig; Milton Tito, da Associação Comercial do Rio de Janeiro; e Bernardo Griner, do Clube de Engenharia do Estado do Rio de Janeiro.

 

Números animadores

Jornal do Brasil, Barra, 02/out

O 1º Salão Imobiliário da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do estado do Rio (Ademi-RJ) termina hoje no CasaShopping. E os resultados já são comemorados pelos organizadores.

 

Pró-Rio

Jornal do Brasil, Hildegard Angel, 01/out

Um grupo de entidades representativas de vários setores de produção, municiado com dados escandalosos que provam o desinteresse do Governo da União em relação ao Rio, organizou-se na frente Pró-Rio… Eles são a Ademi, de dirigentes do mercado imobiliário, a Fecomércio, a Aeerj, de empresas de engenharia, a Seaerj, de arquitetos e engenheiros, a Aderio, Agência de Desenvolvimento do Rio, o Clube de Engenharia, a Associação Comercial, o Sinduscom, da Indústria da Construção, a OAB-RJ, o Crea-RJ, a Firjan e o Tribunal Contas do Município…

 

A solução nas mãos de César

O Globo, Natanael Damasceno, Selma Schmidt e Taís Mendes, 03/out

Para o empresário Roberto Kauffmann, presidente do Sindicato das Empresas de Construção Civil (Sinduscon-RJ) e membro da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), a solução para o problema está longe dessa discussão.

 

Salão Imobiliário

O Dia, 02/out

Termina hoje o Salão Imobiliário da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), no Casa Shopping. Todos os imóveis ofertados contam com financiamento da Caixa Econômica Federal. Os juros máximos são de 12,5% ao ano mais TR (Taxa Referencial). O prazo de pagamento é de até 20 anos.

 

Taxa que cabe no orçamento

O Dia, 02/out

Segundo o vice-presidente da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), José Conde Caldas, está havendo competição muito grande entre os bancos privados, graças a determinação do Banco Central. "Os agentes financeiros são obrigados a investir parte do recurso da poupança em financiamento habitacional. A medida também beneficia quem está à procura da casa própria, que terá taxas menores no crédito imobiliário e preços mais em conta devido ao número de ofertas no mercado", explica Caldas.

 

Salão de imóveis termina domingo

Jornal do Brasil, Barra, 30/set

A temporada de negócios do Salão Imobiliário da Ademi/RJ termina depois de amanhã no Riocentro. Construtoras, imobiliárias e incorporadores puseram à disposição do público 24 mil imóveis de diferentes bairros da cidade.

 

Guia Ademi

O Globo, Ancelmo Góis, 29/set

Hoje às 19h30m, será lançado no Casashoping o "Guia Ademi - Viver e investir no Rio - Manual do comprador de imóveis".

 

Salão Imobiliário

Jornal do Brasil, Informe Econômico, 28/set

Em apenas cinco dias, o 1º Salão Imobiliário Ademi já recebeu quase 7 mil visitantes.

 

ADEMI lança publicação bilíngüe voltada também para compradores estrangeiros

O Globo, 25/set

O aumento da procura de estrangeiros e brasileiros residentes no exterior por informações sobre como investir na compra de imóveis na cidade do Rio levou a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ) a elaborar o "Guia Ademi: Viver e investir no Rio - Manual do comprador de imóveis".

 

Para não perder o cliente

Extra, 25/set

A maioria das construtoras participantes do Salão Imobiliário da Ademi preparou ofertas especiais para o evento. Leia a seguir as vantagens que 16 empresas estão dando para  seus clientes.

 

Palestra no Casa Shopping

Extra, 25/set

Na próxima sexta-feira, Laudimiro Cavalcanti, delegado do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-RJ) na Barra da Tijuca, apresentará o tema "Com ou sem crise, faça parceria - Bolsa de Imóveis", no fórum de palestras do Salão Imobiliário da Ademi, no Casa Shopping.

 

É hora de pechinchar

Extra, Carlos Monteiro e Gustavo Fernandes, 25/set

José Conde Caldas, presidente da construtora Concal e vice-presidente da Ademi, também afirma que é hora de negociar e checar bons descontos no Salão Imobiliário, que tem muitas ofertas para a classe média.

 

O pioneiro na arte do condomínio

Jornal do Brasil, 25/set

Nova Ipanema e Novo Leblon fazem parte da lista de projetos de Edmundo Musa. Apesar de não ter áreas tão amplas para construção, a Zona Sul também aderiu ao formato dos condomínios da Barra. De acordo com pesquisa mensal realizada pela Ademi, no Rio, até maio deste ano, foram lançadas 932 unidades em Botafogo.

 

Mais de 3,6 mil negócios no Feirão da Casa Própria

Jornal do Commercio, Juliana Ennes, 26/set

O Salão Imobiliário Ademi, com o patrocínio e as linhas de crédito da Caixa, continuará funcionando até o dia 2 de outubro, no Casa Shopping, das 14h às 22h, nos dias úteis, e das 10h às 22h no final de semana.

 

A vez do Catete

Jornal do Brasil, Carolina Machado, 25/set

Uma pesquisa da Ademi-Rio indica que foram lançadas 104 novas unidades no bairro este ano. A expansão continua com outras 800 unidades, a serem lançadas pela Patrimóvel e CHL em novembro.

 

Último dia do Feirão de Imóveis

O Dia, Cristiane Campos, 25/set

O Salão Imobiliário da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) funciona no Casa Shopping, na Barra da Tijuca até o dia 2. O evento reúne as melhores construtoras em um só lugar.

 

Salão Imobiliário

O Dia, 25/set

O Salão Imobiliário da Ademi-RJ funciona no Casa Shopping, na Barra da Tijuca até o dia 2.

 

Salão Imobiliário da Ademi

Jornal do Brasil, Anna Ramalho, 23/set

A Sociedade Civil Amigos da Península (SCAP) estará organizando transfers para o primeiro bairro ecológico da cidade, com saídas de hora em hora do 1º Salão Imobiliário da Ademi, que vai até 2 de outubro, no CasaShopping.

 

Feirão da Casa própria supera expectativas

O Dia, 26/set

Terminou ontem o Feirão da Casa Própria da Caixa, que levou 58 mil pessoas interessadas em adquirir um imóvel ao Salão  Imobiliário Ademi, que continua até o dia 2 de outubro.

 

Feirão: certidões mais baratas

O Dia, 22/set

Quem está comprando imóvel no Feirão da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal, em parceria com o Salão Imobiliário da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário) vai economizar R$ 1.050 na escritura pública e no registro do imóvel.

 

Feirão no Rio atrai 7 mil

O Dia, Cristane Campos, 22/set

O feirão da Caixa acontece junto com o Salão Imobiliário Ademi, voltado para as classes média e alta. Para a compra do imóvel financiado, é preciso levar identidade, CPF e comprovantes de renda e residência. Para os trabalhadores com renda informal, é necessário apresentar cópia de três meses de comprovante de aluguel mais extratos de pagamento de cartão de crédito.

 

Fila para comprar casa própria

Extra, Gustavo Fernandes, 22/set

Foi aberto ontem, na Barra da Tijuca, o Feirão da Caixa Econômica Federal e o Salão Imobiliário da Ademi/RJ, com a oferta de 24 mil imóveis entre novos, na planta e usados.

 

Caixa quer financiar mais 60% em imóveis este ano

Jornal do Commercio, Paula Sarapu, 22/set

Na abertura do Feirão de Imóveis, Jorge Herede, vice-presidente da Caixa, Jorge Mattoso, José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi, e José Domingos Vargas, superintendente da Caixa.

 

Feirão de imóveis da Caixa começa hoje

O Dia, 21/set

O Feirão Nacional da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal, em parceria com o Salão Imobiliário da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário), começa hoje às 14h e vai até o dia 2 de outubro, no Casa Shopping, na Barra da Tijuca. São quase 24 mil imóveis para todas as faixas de renda. Os interessados poderão comprar unidades na planta, novas e usadas.

 

Ferirão de imóveis amanhã

O Dia, 20/set

Começa amanhã o Feirão Nacional da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal em parceria com o Salão Imobiliário da Ademi (Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário). A partir das 14h, no Casa Shopping, estarão á venda 23.754 imóveis.

 

Shopping Leblon

Jornal do Brasil, Anna Ramalho 18/set

O Shopping Leblon, o maior empreendimento comercial da Zona Sul nos últimos 25 anos e com inauguração prevista para novembro de 2006, vai apresentar sua maquete na feira da Ademi.

 

Imóveis para todos os bolsos

Veja Rio, Fátima Sá, 21/set

Os organizadores já chamam o evento de Casa Cor da Construção. Trata-se, na verdade, de um evento duplo, o primeiro é promovido pela Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi) e tem patrocínio da Caixa Econômica Federal.

 

União de forças para atrair negócios

Jornal do Brasil, Barra, 18/set

Pela primeira vez no Rio de Janeiro, construtoras, incorporadoras e imobiliárias apresentarão os seus imóveis à venda - cerca de 24 mil, de diferentes bairros da cidade e principais municípios do Estado - em um só lugar. É o Salão Imobiliário da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ) - Todos os imóveis em um só lugar, que abre na próxima quarta-feira, no CasaShopping, na Barra da Tijuca. Simultaneamente, será realizado o Feirão Nacional da Casa Própria, da Caixa Econômica.

 

Feirão da Casa Própria negocia 24 mil imóveis

Jornal do Commercio, 19/set

O evento, que ocorrerá no Casa Shopping, na Barra da Tijuca, será realizado em parceria com a Ademi (Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário). A expectativa é que sejam colocados em oferta 24 mil imóveis, entre novos, na planta e usados.

 

Imóveis com ótimos preços

O Dia, 18/set

Quem comprar uma das 23.754 unidades habitacionais no Feirão Nacional da Casa Própria da Caixa Econômica Federal e do Salão Imobiliário da Ademi (Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário) terá descontos de 42% nos documentos necessários para o fechamento do negócio.

 

Feirão da Caixa e da Ademi - Um só lugar para tudo

Extra, 18/set

Todos os imóveis do Rio num só lugar. Com este conceito, a Caixa Econômica Federal promove, em parceria com a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi/RJ), o Feirão Nacional da Casa Própria e o Salão Imobiliário da Ademi. Cerca de 24 mil imóveis, entre novos, na planta e usados, localizados em diversos bairros e municípios vizinhos, estarão disponíveis no evento, que será realizado no CasaShopping, na Barra da TIjuca, para os interessados na compra da casa própria.

 

Imóveis para todas as rendas

Jornal do Brasil, Marina Ramalho, 18/set

Milhares de imóveis à venda, tecnologia arrojada para expor os apartamentos aos compradores, profissionais auxiliando em dúvidas e serviços, além de palestras e restaurante. A infra-estrutura do Feirão Nacional da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal, em conjunto com o Salão Imobiliário da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), vai oferecer uma oportunidade imperdível para encontrar o imóvel dos sonhos.

 

Feirão da Casa Própria acontece semana que vem no Rio

Globo.com, Danielle Abreu, 15/09

A Superintendência da Caixa Econômica Federal do Rio anunciou, nesta quinta-feira, que Feirão Nacional da Casa Própria, que acontecerá entre os dias 21 e 25 de setembro, no Casa Shopping, na Barra da Tijuca. O evento ocorrerá simultaneamente como o Salão Imobiliário da Ademi/RJ, que se estenderá até o dia 2 de outubro.

 

Caixa espera vender 3 mil imóveis em Feirão no Rio

Jornal do Commercio, Paula Sarapu, 16/set

Simultaneamente ao Feirão, será realizado o Salão Imobiliário da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ).

 

Feira ofertará 24 mil imóveis

Jornal do Brasil, Marina Ramalho, 16/set

Pela primeira vez no Rio de Janeiro, construtoras, incorporadoras, imobiliárias e Caixa Econômica Federal vão se unir em um único local, para colocar à venda cerca de 24 mil imóveis de diferentes bairros e principais municípios do Estado. Trata-se do Feirão Nacional da Casa Própria, que será realizado de 21 a 25 de setembro, simultaneamente ao Salão Imobiliário da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi-RJ), que vai até 2 de outubro, no Casa Shopping, na Barra da Tijuca.

 

Mais de 23 mil casas à venda

O Dia, Cristine Campos, 11/set

O Feirão da Casa Própria, da Caixa Econômica Federal em parceria com o Salão Ademi (Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário), vai gerar 18 mil empregos diretos e indiretos na construção civil no Rio.

 

Fachadas desfiguradas

Jornal do Brasil, Marina Ramalho, 11/set

Sem se preocupar com a legislação, moradores fazem obras em imóveis e mudam aparência dos prédios. Para David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi-RJ, é importante preservar as características dos projetos originais.

 

Feira terá 24 mil imóveis com financiamento

O Globo, Luciana Casemiro, 11/set

Em um só lugar, serão oferecidos cerca de 24 mil imóveis, novos e usados, espalhados pelas zonas Norte, Sul e Oeste do Rio - sendo somente menos de 10% retomados de inadimplentes. Com preços entre R$ 25 mil e R$ 2,6 milhões, todos têm garantia de financiamento da Caixa Econômica Federal. É com esses números e o slogan "Todos os imóveis num só lugar" que serão realizados simultaneamente, de 21 de setembro a 2 de outubro, no CasaShopping, na Barra, o Feirão Nacional da Casa Própria, da Caixa, e o Salão Imobiliário da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ).

 

Pequeno, só o preço

Extra, Carlos Monteiro, 11/set

Terceiro maior bairro do Rio, Campo Grande vira sinônimo de expansão imobiliária. - A grande quantidade de ofertas no bairro mantém os preços baixos e aquece o setor da construção civil - diz David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi.

 

Imóveis novos em alta na Barra

Jornal do Commercio, Elizabeth Oliveira, 04/set

Os negócios imobiliários na Barra da Tijuca e entorno continuam aquecidos, apesar do grande número de lançamentos na região. É o que asseguram construtoras e a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Ademi abre inscrições para Destaque Master 2005

Jornal do Brasil, 04/set

As inscrições para o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2005 já estão abertas. O objetivo é reconhecer e estimular a excelência profissional no setor imobiliário do Rio de Janeiro, premiando e divulgando o desempenho das empresas e dos profissionais.

 

PEU só muda São Cristóvão em 2007

O Globo, Zona Norte, Flávia Monteiro, 29/ago

Aprovado há mais de um ano, o Projeto de Estruturação Urbana (PEU) de São Cristóvão ainda não foi posto em prática. Mas segundo o consultor de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), David Cardeman, há uma explicação para a demora no surgimento de novos empreendimentos no bairro.

 

Inscrições para o Destaque Ademi começam na quinta

Extra, 28/ago

Vem aí o Destaque Ademi - Prêmio Master Imobiliário 2005. As inscrições estarão abertas a partir de quinta-feira. O objetivo é reconhecer e estimular a excelência profissional no setor imobiliário do Rio de Janeiro, premiando e divulgando o desempenho de empresas e profissionais. Serão 32 categorias de premiação.

 

Ademi promove palestra sobre a influência do vetor ambiental

Jornal do Brasil, 28/ago

A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Rio) realiza, no dia 1° de setembro, a palestra O Vetor Ambiental e os Empreendimentos Imobiliários, das 16h às 18h, na sede da entidade. A palestra contará com os advogados Antonio Fernando Pinheiro Pedro e Maria Aline Ladeira Rodrigues.

 

Vale o que foi escrito

O Globo, Luciana Casemiro, 28/ago

A partir de janeiro de 2006, finalmente, valerá o que está escrito na Resolução 3.177 do Conselho Monetário Nacional (CMN). Ou seja, não haverá acordo com o governo, e os bancos privados terão de aplicar, em sua totalidade, 65% da poupança em crédito imobiliário, o que significará R$ 10 bilhões em recursos. José Conde Caldas, vice-presidente da Ademi/RJ, diz que o empresariado já tem projetos na manga.

 

Meio ambiente

O Globo, 28/ago

"O vetor ambiental e os empreendimentos imobiliários" é o tema da palestra que será realizada na próxima quinta-feira, das 16h às 18h, na Ademi/RJ , Avenida Portugal 466, Urca.

 

De volta às origens

O Globo, Luciana Casemiro, 21/ago

Num terreno de 11.700 metros quadrados, onde funcionava a antiga fábrica da Antarctica, será construído o condomínio. Para o urbanista David Cardeman, consultor da Ademi/RJ, há outros espaços no Centro adequados à classe média: - Além disso, os preços da Zona Sul são proibitivos para a classe média. E nem todo mundo está disposto a mudar para a Barra, longe do trabalho.

 

Expansão e novos negócios

O Dia, Cristiane Campos, 21/ago

O Recreio dos Bandeirantes vai ganhar mais mil unidades residenciais até o fim do ano. Além disso, o bairro tem despertado o interesse de imóveis comerciais. Dados da Ademi revelam que foram lançadas 190 unidades comerciais, de janeiro a junho na região. Esse tipo de construção ganhou fôlego a partir de 2003.

 

Palestra de advogados

Extra, 21/ago

A Ademi realiza, no próximo dia lº, a palestra "O Vetor ambiental e os empreendimentos imobiliários", às 16h, na sede da entidade (Avenida Portugal 466, Urca), A palestra será ministrada pelos advogados Antonio Fernando Pinheiro Pedro e Maria Alice Ladeira Rodrigues, dos escritórios Pinheiro Pedro Advogados Associados e Fraga Bekierman, Pacheco Neto Advogados Associados.

 

Compre de olho na lei

Extra, 21/ago

Afonso Kuenerz, vice-presidente da Ademi, chama a atenção para outros problemas: - Alguns lotes estão sendo vendidos com tamanho inferior ao permitido pela legislação. Além disso, vale lembrar que nem todos os donos de loteamentos cumprem as exigências de infra-estrutura feitas pela prefeitura. São coisas que podem comprometer a legalidade do negócio. O vice-presidente da Ademi também lembra que, por lei, o dono de um loteamento deve doar 8% da área para a prefeitura, que utiliza o espaço para a criação de ruas, praças ou escolas.

 

O êxodo causado pela violência

O Globo, 14/ago

Segundo o presidente da Abadi, George Masset, a degradação provoca desvalorização de 30% nos aluguéis de imóveis. A queda de preço pode chegar a 50%, caso o imóvel esteja na linha de tiro. O mercado acompanha a falta de demanda. O presidente da Ademi, Márcio Fortes, diz que não estão sendo lançados novos prédios nessas regiões. Sirkis defende a criação de mecanismos que permitam dar maior agilidade na mudança de uso dos terrenos, assim como na conversão desses locais [Joá e Alto da Boa Vista] de ZR-1 (Zona Residencial 1) para ZR-3 (Zona Residencial 3).

 

Ademi realiza salão para concentrar vendas

Jornal do Brasil, 14/ago

A Ademi promove de 10 a 18 de setembro, no CasaShopping, o I Salão Imobiliário. O evento reunirá as mais importantes incorporadoras, construtoras e imobiliárias da cidade, oferecendo todos os serviços para a compra de um imóvel, seja em lançamento ou usado, residencial ou comercial. Serão 40 estandes, incluindo bancos, financeiras e cartórios, para permitir a escritura dos imóveis na hora. O comprador poderá utilizar o imóvel usado como entrada em um novo. O CasaShopping fica na Avenida Ayrton Senna 2.150, na Barra da Tijuca.

 

Maior e mais atraente

Extra, 14/ago

Segundo uma pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a região ganhou 2.098 unidades residenciais em 2004 e, nos primeiros cinco meses deste ano, teve 594 lançamentos.

 

Vila Pan-Americana atrai craques do futebol, como Romário e Pet

O Dia, Cristiane Campos, 12/ago

O Pan-Americano acelerou ainda mais o crescimento imobiliário na Barra da Tijuca. A Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) explica que a expansão é natural porque só há terreno na área e o Pan está antecipando os lançamentos, principalmente, na Avenida Abelardo Bueno que já ganhou o apelido de "Avenida do Pan".

 

Salão Imobiliário

O Globo, 07/ago

A Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) está organizando o Salão Imobiliário, que vai reunir construtoras, incorporadoras e imobiliárias da cidade, oferecendo todos os serviços para a compra de um imóvel, seja em lançamento ou usado. Serão cerca de sete mil unidades. O evento será realizado entre 10 e 18 de setembro, no CasaShopping, das 10h às 22h.

 

Um lugar redescoberto

Extra, 07/ago

Se o poder público reduzir impostos e continuar planejando incentivos, poderemos ter uma bela expansão residencial no Centro do Rio - afirma David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Rio fará em setembro um feirão de sete mil imóveis

Extra, 07/ago

Pelo menos sete mil imóveis para todos os gostos e bolsos, à venda num único lugar e com oferta de financiamentos bancários. Estes são alguns dos atrativos do 1º Salão Imobiliário que a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) vai promover, de 10 a 18 de setembro. O evento, que será realizado no CasaShopping, na Barra.

 

Prédios antigos, novos usos

Jornal do Brasil, 07/ago

A CHL Incorporações iniciou, há dois meses, obras num antigo prédio comercial que será transformado num edifício de apartamentos. A empresa já havia se aventurado nesse ramo em 2004 - pelo projeto, ganhou prêmio da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário no Rio de Janeiro (Ademi- RJ) na categoria retrofit.

 

Que 'boom', que nada

O Globo, 07/ago

Para o mercado imobiliário funcionar, é preciso ter a ponta principal, que é o comprador, e que espera crédito com condições atraentes: juro mais baixo, prazo maior, percentual de entrada menor - diz o vice-presidente da Ademi/RJ, Rodolpho Vasconcellos.

 

Imóveis novos estão em alta na região

O Globo, Tijuca, 28/jul

O mercado de imóveis na Grande Tijuca vai de vento em popa. Novos empreendimentos estão sendo lançados e os prédios construídos mais recentemente estão em constante valorização. Segundo José Conde Caldas, vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, os investimentos no bairro só tendem a crescer nos próximos meses.

 

Pan aquece o mercado imobiliário

O Globo, 28/jul

Apenas um empreendimento, em construção, lançará, de uma só vez, mais da metade das unidades postas à venda na Barra (2.758) durante todo o ano passado, segundo informações da Ademi (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Bem longe do estresse

Extra, 31/jul

Uma pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) revela que, nos últimos cinco anos, o número de unidades residenciais criadas na região que engloba Vargem Grande e Guaratiba chegou a 1.123 - em toda a década de 90, a quantidade de empreendimentos nestes bairros não passou de mil.

 

Hegemonia irreversível

Jornal do Brasil, 24/jul

Os dados, da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), demonstram um aumento na variação de lançamentos entre a Zona Oeste e o restante da cidade em relação ao ano passado.

 

Inquilinos ainda têm a faca e o queijo nas mãos

O Globo, 24/jul

Vemos muita gente tendo dificuldade de conseguir empréstimo. Mas, se de fato o programa do governo deslanchar, em dois anos os inquilinos ganham mais força - diz o vice-presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), César Thomé.

 

Proteção derruba valor

Jornal do Brasil, 24/jul

David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi-Rio, explica que as Apacs tiveram impacto imediato sobre os valores dos imóveis de cada bairro. A escassez de terrenos disponíveis para aproveitamento das construtoras fez com que os preços de novos prédios fossem às alturas. Esse valor, repassado ao comprador final, causou o encarecimento de todos os imóveis da área.

 

No rastro do metrô

Jornal do Brasil, 17/jul

David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi-Rio, explica que a expansão de transportes é indutor fundamental da transformação urbana. Não é à toa que bairros como Botafogo e FIamengo foram criados seguindo as antigas linhas de bonde.

 

O bairro onde o Rio mais cresceu

Jornal do Brasil, 17/jul

De janeiro a junho deste ano, foram 600 unidades lançadas na Barra, segundo a Associação de Diretores de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). - A Baixada de Jacarepaguá tornou-se a menina-dos-olhos da construção civil. Principalmente a Barra, graças à proximidade com a praia - explica David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Ademi.

 

Equilibrando as contas

O Globo, 17/jul

De janeiro a junho, de acordo com a Ademi, foram lançadas 2.142 unidades no Rio de Janeiro, contra 2.794 no mesmo período do ano passado - quando o mercado já estava retraído e chegaram a sobrar R$ 2 bilhões do orçamento de habitação.

 

Securitização pode ser o melhor caminho

Guia Seconci

A exigibilidade de aplicação de recursos da poupança para fomento da construção civil parecia ter trazido um novo alento ao setor. Mas a realidade dos fatos demonstra que as pequenas e médias construtoras - algo em torno de 95% do total em atividade - têm dificuldades de acesso aos bancos. Para que o sistema possa funcionar com a desenvoltura de antes, hoje perdida, é preciso que haja uma verdadeira transformação cultural do setor. No eixo central dessa transformação, um conceito parece se impor: securitização.

 

Antigo e novo vão se casar

Extra, 10/jul

Para David Cardeman, consultor de desenvolvimento urbano da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), São Cristóvão já mostra que é o bairro do Rio que melhor alia tradição com modernidade.

 

Mercado Imobliário na Barra da Tijuca

Rádio CBN

Em entrevista ao programa CBN Rio, o presidente da ADEMI, Márcio Fortes, falou sobre as peculiaridades do mercado imobiliário da Barra da Tijuca.

 

Novidades não se limitam à Vila Pan-Americana

Jornal do Brasil, Barra, 03/jul

Pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) no ano passado revela que foram lançadas 6.687 unidades no município do Rio. Do total, 3.345 estão localizadas na área da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá, sendo 2.948 (1.552 residenciais) na Barra.

 

Ademi divulgá preços no Rio

Extra, 03/jul

O valor médio, por bairro, do metro quadrado de imóveis lançados no Rio será uma informação à qual todos terão acesso a partir deste mês. É que a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi/RJ) passará a divulgar os preços ao público em geral. A pesquisa, criada há pouco mais de um ano, era acessível apenas aos associados.

 

Imóveis do Pan 2007

O Dia, 26/jun

Pesquisa da Ademi revela que, no ano passado, foram lançadas 6.687 unidades no Município do Rio. Do total, 3.345 estão localizadas na área da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá. Somente na Barra, foram lançadas 2.948 unidades, sendo que 1.552 são residenciais.

 

Zona Norte de bola cheia

Extra, 26/jun

Bairros como o Engenho de Dentro (onde vem sendo construído o Estádio Olímpico João Havelange) já dão sinais de fortalecimento: o metro quadrado de área construída teve uma valorização média de 20% em relação ao ano passado, de acordo com a Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Botafogo, o bairro da vez

Jornal do Brasil, 19/jun

Uma pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio (Ademi-RJ) mostrou que, apenas em dezembro de 2004, o bairro teve 87 unidades residenciais vendidas, contra 50 no Recreio e 34 na Barra da Tijuca - tradicionais locais de expansão.

 

Medo da 'copacabanização'

O Globo, Zona Sul, 16/jun

De um lado, moradores da região, sobretudo do Leblon, preocupados com a saturação da região, por conta do surgimento de grandes empreendimentos comerciais e residenciais. De outro, construtores e incorporadores, insatisfeitos com as restrições à expansão da construção civil na Zona Sul.

 

Ademi divulgará o valor médio de lançamentos

O Globo, 05/jun

O preço médio, por bairro, do metro quadrado dos imóveis lançados no Rio será uma informação a que todos terão acesso a partir de julho. É que a Ademi passará a divulgar esses valores ao público em geral: a entidade está abrindo alguns dados da pesquisa, criada há pouco mais de um ano, que eram acessíveis apenas aos associados.

 

Pesquisa Ademi de cara nova

O Globo, 29/mai

A pesquisa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Rio (Ademi) está de cara nova.

 

Imóveis que cabem no bolso

O Dia, 29/mai

Mercado habitacional oferece mais de 400 unidades novas, na planta ou em construção, em vários bairros da cidade. A Ademi informou que não há lançamento imobiliário na faixa de R$ 50 mil desde o ano passado.

 

Novos bares põem Flamengo no circuito da badalação

Jornal do Brasil, 15/maio

Quem não tem condições de morar no Leblon escolhe o Flamengo, onde se paga a metade do preço pelo metro quadrado e encontra-se apartamentos antigos, com cômodos mais amplos - explica David Cardeman, consultor de Desenvolvimento Urbano da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), confirmando o rejuvenescimento do bairro.

 

Na contramão da Zona Sul

O Globo, 08/mai

Preços menores, apartamentos maiores, condomínios mais baratos, boa infra-estrutura de transporte e lazer estão levando as classes média e média alta do Rio a se interessarem por uma parte da orla carioca que andava meio esquecida: o trecho que vai da Praia de Botafogo à Avenida Beira-Mar, no Centro.

 

Atraso na entrega supera os seis meses de tolerância

Folha de São Paulo, 10/maio

Os contratos de compra de imóvel na planta costumam indicar o mês e o ano em que o empreendimento será entregue, mas já prevêem um período de tolerância, geralmente de seis meses. Mas a espera pode ser maior "por motivos de força maior ou caso fortuito", conforme é especificado nos contratos, pontua Maury Rouede Bernardes, 65, consultor jurídico da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário).

 

Construtores divergem quanto às regras do SFH para imóvel usado

O Globo, 08/mai

Nem os construtores se entendem quando o assunto são as novas metas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o SFH. Principalmente quando o assunto é a aprovação do uso de multiplicador - que permite que os bancos contabilizem, em duplicidade, créditos concedidos aos mutuários - para o financiamento de imóveis usados.

 

A natureza mora ao lado

Jornal do Brasil, 08/mai

Imóveis isolados e cercados pelo verde atraem quem busca sossego, mas apresentam baixa liquidez para venda e locação.

 

Longe do barulho, perto do céu

Jornal do Brasil, 17/abr

Os poucos terrenos disponíveis em morros livres da favelização, como no Alto Leblon, Lagoa e Jardim Botânico, são disputados por empreendedores e cariocas. Além da bela vista e da tranqüilidade, outro atrativo: lá os apartamentos são em média 30% mais baratos, segundo o vice-presidente da Ademi, José Conde Caldas.

 

A escolha para o comércio

Jornal do Brasil, 17/abr

No ano passado foram lançados, 1.478 unidades comerciais no mercado imobiliário carioca, de acordo com pesquisa da Ademi, demonstrando aquecimento no setor.

 

Abadi na Ademi

O Globo, 10/abr

Pela primeira vez, a Associação Brasileira de Administradoras de Imóveis (Abadi) obtém assento na diretoria da Ademi/RJ. César Thomé, ex-presidente da Abadi, acaba de ser eleito um dos vice-presidentes da Ademi, de 2005 a 2007.

 

Luxo em tamanho família

Jornal do Brasil, 10/abr

Para atrair público da Zona Sul, construtoras apostam em mercado especial, com lançamentos de até 500 m2.

 

Ofertas para todos os bolsos

O Dia. 10/abr

Rio tem mais de 5 mil imóveis disponíveis, espalhados por 23 bairros. Há unidades com mais de 230 metros quadrados. Segundo a coordenadora da pesquisa da Ademi, Gabriella Szklo, há ofertas para todos os tipos de orçamento.

 

Conselheiros da ADEMI

Jornal do Brasil, 03/abr

A Rossi acaba de entrar para o time de conselheiros da Ademi. Quem representa a empresa é o diretor do Rio, Marco Adnet. É a primeira vez que uma empresa com sede em São Paulo é chamada para integrar a entidade.

 

A Barra do alto poder aquisitivo

Jornal do Commercio, 04/abr

Apesar de ocupar apenas 10% do mercado imobiliário, a classe média alta está se transformando em uma forte aposta das empresas do ramo. No ano passado, foram lançados na Zona Sul e na Barra da Tijuca 235 unidades residenciais voltadas para população de alto poder aquisitivo, 68 a mais que em 2003, segundo pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (Ademi-RJ).

 

Para onde vai a Zona Sul

Jornal do Brasil, 03/abr

Relatório da prefeitura indica que Humaitá e Laranjeiras crescem enquanto região sofre desaquecimento imobiliário.

 

Caso único

Jornal do Commercio, 01/abr

Pela primeira vez, o conselho da Ademi abriu as portas para receber uma empresa paulista, a Rossi Incorporação e Construção, em seus quadros.

 

Prédio para ser vendido até em supermercado

O Globo, 20/mar

Nos anos 60, ainda com o BNH, lembra o arquiteto e urbanista David Cardeman, diretor da Ademi, o Brasil importou tecnologia européia e construiu prédios pré-fabricados. As paredes chegavam prontas, até com esquadrias, ao canteiro de obras: - Foi a decadência do SFH que pôs um ponto final nos pré-fabricados. Com crédito e leis favoráveis, esta seria uma ótima solução para o Brasil.

 

Barra da Tijuca é o novo centro de negócios

Jornal do Brasil, 06/mar

Segundo a Pesquisa Ademi de Mercado Imobiliário, em 2003 foram lançadas 376 unidades comerciais. Já em 2004 foram lançadas 1.478 unidades comerciais na cidade do Rio. A Barra da Tijuca lidera os lançamentos, de acordo com a pesquisa.

 

Que venha a chuva!

O Globo, 27/fev

Os prédios antigos do Rio receberão incentivo da prefeitura para aderirem à Resolução 001, publicada em janeiro, que obriga as novas construções (de grande porte) a captarem água da chuva e usá-la para fins não potáveis, como em jardins e garagens.

 

Botafogo lidera na Zona Sul

O Dia, Imóveis, 13/fev

CHL lançou empreendimento em bairro campeão de construções. Botafogo é considerado pela Pesquisa Ademi de Mercado Imobiliário o bairro campeão de lançamentos na Zona Sul.

 

Barra lidera os lançamentos

O Dia, Imóveis, 13/fev

A Barra da Tijuca liderou os lançamentos imobiliários do ano passado no município do Rio, com 1.552 unidades residenciais. Em segundo lugar ficou Jacarepaguá, com 1.215. Já o Recreio dos Bandeirantes ocupou o terceiro lugar. com 626. Os dados são da pesquisa realizada pela Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

 

Entrevista com Gabriella Szklo, coordenadora do Departamento de Pesquisa ADEMI

Revista Stand

A economista Gabriella Szklo já trabalhava no mercado imobiliário, mas, há dois anos, foi convidada para atuar na Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI). Seu desafio era montar a primeira pesquisa sobre o mercado carioca. Depois de muito empenho, a Pesquisa ADEMI do Mercado Imobiliário foi lançada em junho de 2003 e, hoje, já começa a construir um histórico econômico do setor. Confira a entrevista e saiba mais sobre as últimas tendências do mercado imobiliário na cidade.

 

Caixa maior para o Rio

O Globo, 30/jan

Um volume de crédito de R$ 1 bilhão, que está 58% acima do emprestado no ano passado. O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Márcio Fortes, não está tão otimista: - Não adianta ter receita. O importante é saber quanto desses recursos irão para novas unidades. Carta de crédito ( o empréstimo não vai diretamente para a construção ) é desperdício.

 

Nova resolução gera polêmica

O Dia, 30/jan

Construtores afirmam que bancos privados estão levando vantagens excessivas para conceder crédito imobiliário A Resolução 3.259 do Banco Central foi fruto de estudo desenvolvido pela CBIC e pela Abecip.

 

Juro menor para casa própria

O Dia, 30/jan

Quem pretende sair do aluguel deve procurar imóveis na planta ou novos com até 180 dias de Habite-se. Essas unidades podem ser adquiridas com taxas de juros mais competitivas, já que a Resolução 3.259 do Banco Central (BC) prevê incentivos para os bancos privados que mais liberarem recursos para financiar imóveis de menor valor.

 

As opções para a casa própria

Jornal do Commercio, 24/jan

Os entraves da legislação municipal e a lentidão da recuperação da renda do consumidor freiam o otimismo de Márcio Fortes, presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ). "Um possível aumento na oferta de crédito esbarra na dificuldade de aprovar projetos e no agravamento da renda", analisa Fortes.

 

Aposta na Zona Norte

Jornal do Brasil, 23/jan

Com investimento de R$ 27 milhões, foi lançado um condomínio na Vila da Penha com arquitetura de estilo neoclássico e clube de 1.500 m2. O empreendimento é um exemplo da aposta das construtoras em um novo perfil de imóveis na Zona Norte.

 

Marketing de guerrilha

O Globo, 16/jan

Apesar da melhora da economia e da previsão de aumento de crédito para o setor, diz o presidente da Associação de Dirigentes Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi/RJ), Márcio Fortes, ainda não é tarefa fácil para as empresas identificarem seu consumidor.

 

Com teto

Jornal do Commercio, Fred Suter, 14/jan

Representantes do mercado imobiliário, Márcio Fortes à frente, têm encontro hoje com a secretária executiva do Ministério das Cidades, Ermínia Maricato.

 

A questão habitacional

Gazeta Mercantil, 11/jan

A Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) iniciará o ano letivo de 2005 com o seminário "O Arcabouço Sociojurídico da Questão Habitacional no Brasil". O encontro acontecerá no dia 14 de janeiro, às 10h, quando o presidente da Ademi/RJ, Márcio Fortes, irá falar sobre "O Mercado Imobiliário em Face da Realidade Socioeconômica Brasileira".

 

Mercado estável

O dia. Imóveis, 09/jan

O presidente da Associação de Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Márcio Fortes, anunciou que o consumo de cimento no ano passado foi igual a 2003. Isso significa o mesmo volume de construções no período.

 

Medidas oferecem segurança

O Dia, Imóveis, 09/jan

Para Márcio Fortes, as regras do financiamento habitacional aprovadas no ano passado estão corretas. As medidas oferecem segurança tanto para os construtores como para os mutuários.

 

Financiamento

O Dia, Imóveis, 09/jan

As construtoras continuam financiando quem pretende comprar um imóvel. "Esse papel é dos bancos, mas há ainda essa lacuna no mercado", explica Márcio Fortes.