Em almoço no Jockey Club, na segunda-feira, dia 24 de outubro, a ADEMI prestou homenagem ao governador do Estado Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. O evento reuniu grandes empresários do setor da construção civil e autoridades municipais, estaduais e federais. A abertura ficou a cargo do presidente da ADEMI, José Conde Caldas, que em seu discurso definiu Cabral como "o melhor governador que o Rio já teve nas últimas décadas". Segundo Conde Caldas, a equipe atual do governo e suas parcerias são responsáveis pela sucessão de boas notícias, acertos e vitórias.">
 
 

Painel Imobiliário

ADEMI homenageia o governador Sérgio Cabral em evento no Jockey Club

Em almoço no Jockey Club, na segunda-feira, dia 24 de outubro, a ADEMI prestou homenagem ao governador do Estado Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. O evento reuniu grandes empresários do setor da construção civil e autoridades municipais, estaduais e federais. A abertura ficou a cargo do presidente da ADEMI, José Conde Caldas, que em seu discurso definiu Cabral como "o melhor governador que o Rio já teve nas últimas décadas". Segundo Conde Caldas, a equipe atual do governo e suas parcerias são responsáveis pela sucessão de boas notícias, acertos e vitórias.

O salão de festas da sede do Jockey Club, no Centro, contou com uma mesa de cerimônia composta por 15 importantes personalidades: o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, o diretor do Banco Mundial - Brasil, Makhtar Diopp, o presidente da Alerj, deputado Paulo Melo, o secretário do Estado de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy Barbosa, o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner, o secretário de Estado de Transportes, Júlio Lopes, o secretário municipal de Urbanismo, Sérgio Dias, a superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Nelma Tavares, o presidente do Sinduscon-Rio, Roberto Kauffmann, o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, o secretário de Estado de Obras, Hudson Braga, o presidente da ADEMI, José Conde Caldas, o 1º vice-presidente da ADEMI, João Paulo Rio Tinto de Matos, e o 2º vice-presidente da ADEMI, Marco Adnet.   
 
José Conde Caldas relembrou ainda o discurso feito na posse de Sérgio Cabral em 2007: "Nosso governo não vai se intimidar diante desses covardes e facínoras que tentam ameaçar a nossa população. O nosso governo vai ganhar a guerra contra esses criminosos. Nós vamos dar segurança à população. Esse é o nosso compromisso. Vamos trabalhar com os municípios, vamos trabalhar de mãos dadas com o Governo federal." Para Conde Caldas, as palavras ditas por Cabral soavam como algo que os cariocas até gostariam que fosse verdade, mas que parecia muito distante. Mas, o que foi revelado em pouco tempo foi um governante falando em unir esforços, em não se sentir diminuído por pedir ajuda, em mostrar que o que acontece no Rio deve estar na agenda prioritária não só da cidade, do estado, mas também, e principalmente, do nosso país. De lá para cá a cidade só superou as perspectivas de desenvolvimento urbano e social.

Na área de segurança, o Rio registrou o menor número de homicídios dos últimos 20 anos. As UPPs já devolveram a paz a mais de um milhão de pessoas, entre elas 300 mil que antes viviam diretamente sob o domínio de criminosos. Na Saúde, o governo Sérgio Cabral criou e instalou as Unidades de Pronto Atendimento, que ajudaram a desafogar as emergências dos hospitais públicos. O modelo das UPAs 24 horas é tão interessante que passou a ser adotado pelo Governo federal e até por outros países. Nas finanças, o estado também passou por uma total reestruturação. Foram feitos profundos ajustes fiscais e modernas práticas de gestão passaram a ser adotadas, como o pregão eletrônico. O resultado disso foi o Rio de Janeiro ser o primeiro no Brasil a receber o "grau de investimento", atestado pela agência de risco Standard & Poor's. Em 2010, foi o estado que recebeu mais investimentos privados em todo o país.

Prosseguindo seu discurso, José Conde Caldas falou sobre os investimentos públicos e privados no estado. De 2011 até 2013, a previsão é de R$ 181 bilhões. Superporto do Açu, Pré-Sal, Comperj, nova fábrica da Michelin e o Parque Tecnológico do Fundão, que reúne empresas como a Halliburton, EMC, Siemens e Usiminas. As grandes obras já estão em andamento. O Arco Rodoviário, trens, metrô e as obras na área de transportes já começam a dar uma clara visão do futuro brilhante que está reservado para o Rio. O presidente da ADEMI finalizou o discurso mostrando o apoio do setor na luta pelos royalties do petróleo.

Ao subir ao palco, Sérgio Cabral agradeceu a oportunidade de estar presente e disse que ao longo das suas duas décadas de vida pública acompanha o trabalho da ADEMI, o qual chamou de "heróico" pelo papel que desempenha no desenvolvimento urbano da cidade. Afirmou que, antes mesmo de chegar ao Governo, acreditava na força e potencial da cidade. "Hoje, tenho plena certeza de que o Rio de Janeiro vive um momento espetacular e com grande potencial de crescimento", disse o Governador.
 
Cabral disse que quando assumiu o cargo pensava que o estado seria capaz de recuperar o prestigio mundial. Para isso, sabia que deveria formar uma boa equipe. A escolha de Pezão não foi à toa. Os casos de sucesso à frente da Prefeitura de Piraí constituíam de uma importante bagagem histórica. O Governador falou sobre a importância de Eduardo Paes ter sido eleito, em 2009, como prefeito do Rio de Janeiro. Segundo ele, a dedicação, a honestidade e a seriedade são características traduzidas em seu mandato. Juntos, Governo e Prefeitura constituem uma importante união na gestão do Rio de Janeiro e na busca por novas parcerias. 

Confirmando o que José Conde Caldas havia falado, o governador relembrou os tempos de paz que a ocupação e retomada dos espaços públicos que estavam tomados pela criminalidade trouxe à cidade. Cabral não se poupou ao exaltar a atuação dos agentes imprescindíveis desse plano - Polícia Militar, Bope, Core - nas ocupações das comunidades.  Sabendo das críticas existentes, Cabral falou que a cidade ainda tem problemas e que o governo está pronto para enfrentá-los.

Ao finalizar o discurso, o governador do Rio de Janeiro falou sobre as perspectivas para o futuro: "Não existe cidade no mundo que tenha um calendário de eventos como o nosso", referindo-se aos próximos eventos que serão sediados no Brasil e que, em especial, terão a cidade maravilhosa como cenário: Jornada Mundial Católica, Rio+20, Copa das Confederações, Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos de 2016.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]