Painel Imobiliário

ADEMI no Encontro Nacional de Advogados do Mercado Imobiliário

"Tijolo sem revestimento. Esse é o panorama atual da habitação do Brasil. A marca é a informalidade. É simplista demais dizer que foi resolvido o problema habitacional com a criação da Lei de Patrimônio de Afetação, se ainda falta esgoto e infra-estrutura". Essa declaração foi dada pelo presidente da ADEMI, Márcio Fortes, no IX Enai- Encontro Nacional de Advogados do Mercado Imobiliário, ao participar do painel "A aquisição parcelada da propriedade imobiliária". Sobre o tema em debate, Márcio ressaltou que é inútil discutir as formas de aquisição parcelada, já que atualmente não há financiamentos direto ao construtor. "Se não há produto, não há compra. Atualmente só os ricos conseguem comprar apartamento", completa o empresário.

Também representando a ADEMI, o advogado Maury Rouède Bernardes falou sobre "Condomínio Edilício". Ele explicou a diferença entre faltas ocasionais e reiteradas e chamou a atenção para a "fração ideal" e "aplicação da multa".

Para Maury não dá para comparar a relação condominial com uma relação de consumo. "Não é a mesma coisa. A multa em 2% por atraso de pagamento do condomínio só fez aumentar a inadimplência. Não é justo que os condôminos em dia paguem, inclusive, para que os inadimplentes tenham água em suas torneiras".

Visite a seção "Condomínio e Incorporações" e leia mais sobre o tema.



Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]