22 de maio de 2024

Interesse nacional

Ciclo de cortes na Selic chegou ao fim, dizem economistas em reunião com o BC
em Valor Econômico, 20/maio

O espaço remanescente para reduções adicionais na Selic já se fechou, na avaliação de economistas de mercado que estiveram com diretores do Banco Central em reunião nesta segunda-feira. No momento em que as expectativas de inflação de médio prazo seguem em trajetória de alta, o Valor apurou que quase todos os analistas que estiveram presentes no primeiro encontro do dia disseram ver uma pausa no ciclo de flexibilização monetária, com a taxa básica de juros mantida em 10,5% a partir da reunião de junho do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Notícias

Vendas de imóveis cresce no primeiro trimestre de 2024 e o mercado de consórcios imobiliários acompanha a curva ascendente, expande 12%
em Segs, 21/maio

De acordo com Pesquisa Raio-X FipeZAP, 11% dos respondentes da amostra relataram ter adquirido ao menos um imóvel ao longo dos últimos 12 meses. No comparativo com o trimestre anterior, esse percentual cresceu em média 11%. Além disso, 40% dos entrevistados pretendem comprar imóveis nos próximos três meses, sendo que 90% responderam que o objetivo de uso é moradia. Dentro deste contexto economicamente promissor para o setor imobiliário brasileiro, os consórcios também se mostram uma alternativa atraente para a aquisição de imóveis, com dados recentes confirmando o crescimento expressivo dessa modalidade de investimento.

2024 pode ser ponte para novo ciclo de crescimento no mercado imobiliário
em Estadão Imóveis, 19/maio

O ano passado foi surpreendente para o mercado imobiliário. Após uma série de anos atípicos, caracterizados por um boom de vendas graças aos juros reduzidos na pandemia, analistas previam uma retração moderada do setor, com vendas em baixa e aluguel em alta – afinal, quem não pode comprar, aluga. As expectativas se confirmaram de início, mas o cenário de crescimento da economia, recuperação do mercado de trabalho, inflação sob controle, expectativa de mais quedas da Selic e fortalecimento de programas como o Minha Casa Minha Vida fez o setor começar a virar o jogo antes do esperado. Confira análise completa na íntegra!

CBIC apresenta balanço do Mercado Imobiliário do 1º Trimestre de 2024
em CBIC, 21/maio

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apresentará, na próxima segunda-feira (27), às 11h30, a mais recente rodada do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais, sobre o desempenho do mercado imobiliário no Brasil no primeiro trimestre de 2024.

Governo estuda comprar imóveis de até R$ 200 mil para desabrigados no RS
em G1, 21/maio

O governo federal estuda comprar imóveis de até R$ 200 mil para atender a pessoas desabrigadas no Rio Grande do Sul. O valor máximo das casas e apartamentos deve ser anunciado na próxima semana. Na última quarta-feira (15), o ministro Rui Costa, da Casa Civil, apresentou medidas para dar moradia às famílias vítimas das chuvas em visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao estado. Uma das ações é a chamada compra assistida de imóveis usados (veja mais abaixo as outras ações previstas). Neste programa, a família indica uma casa já existente ao governo, a União compra a casa e entrega à família. Outra possibilidade é o repasse de casas e apartamentos ainda em construção.

Aluguel rende mais nos apartamentos de apenas um dormitório – entenda o por quê
em Exame, 21/maio

O aluguel mais interessante em termos de rentabilidade é o que vem dos apartamentos de um dormitório. A conclusão é do Índice FipeZAP, que mensalmente analisa a dinâmica de preços em 50 cidades selecionadas. Com base em dados de abril de 2024, o retorno médio do aluguel residencial dos apartamentos de um dormitório ficou em 6,57% ao ano – acima da taxa de juros real, que ficou em 6,41% nos cálculos do índice. Esse tipo de imóvel também se destaca na média dos imóveis para locação, cuja rentabilidade ficou em 5,86% ao ano. As menos rentáveis foram as propriedades com quatro ou mais dormitórios, que tiveram rentabilidade de 4,56% ao ano.