22 de maio de 2024

Interesse nacional

Ciclo de cortes na Selic chegou ao fim, dizem economistas em reunião com o BC
em Valor Econômico, 20/maio

O espaço remanescente para reduções adicionais na Selic já se fechou, na avaliação de economistas de mercado que estiveram com diretores do Banco Central em reunião nesta segunda-feira. No momento em que as expectativas de inflação de médio prazo seguem em trajetória de alta, o Valor apurou que quase todos os analistas que estiveram presentes no primeiro encontro do dia disseram ver uma pausa no ciclo de flexibilização monetária, com a taxa básica de juros mantida em 10,5% a partir da reunião de junho do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Notícias

Vendas de imóveis cresce no primeiro trimestre de 2024 e o mercado de consórcios imobiliários acompanha a curva ascendente, expande 12%
em Segs, 21/maio

De acordo com Pesquisa Raio-X FipeZAP, 11% dos respondentes da amostra relataram ter adquirido ao menos um imóvel ao longo dos últimos 12 meses. No comparativo com o trimestre anterior, esse percentual cresceu em média 11%. Além disso, 40% dos entrevistados pretendem comprar imóveis nos próximos três meses, sendo que 90% responderam que o objetivo de uso é moradia. Dentro deste contexto economicamente promissor para o setor imobiliário brasileiro, os consórcios também se mostram uma alternativa atraente para a aquisição de imóveis, com dados recentes confirmando o crescimento expressivo dessa modalidade de investimento.

2024 pode ser ponte para novo ciclo de crescimento no mercado imobiliário
em Estadão Imóveis, 19/maio

O ano passado foi surpreendente para o mercado imobiliário. Após uma série de anos atípicos, caracterizados por um boom de vendas graças aos juros reduzidos na pandemia, analistas previam uma retração moderada do setor, com vendas em baixa e aluguel em alta – afinal, quem não pode comprar, aluga. As expectativas se confirmaram de início, mas o cenário de crescimento da economia, recuperação do mercado de trabalho, inflação sob controle, expectativa de mais quedas da Selic e fortalecimento de programas como o Minha Casa Minha Vida fez o setor começar a virar o jogo antes do esperado. Confira análise completa na íntegra!

CBIC apresenta balanço do Mercado Imobiliário do 1º Trimestre de 2024
em CBIC, 21/maio

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apresentará, na próxima segunda-feira (27), às 11h30, a mais recente rodada do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais, sobre o desempenho do mercado imobiliário no Brasil no primeiro trimestre de 2024.

Governo estuda comprar imóveis de até R$ 200 mil para desabrigados no RS
em G1, 21/maio

O governo federal estuda comprar imóveis de até R$ 200 mil para atender a pessoas desabrigadas no Rio Grande do Sul. O valor máximo das casas e apartamentos deve ser anunciado na próxima semana. Na última quarta-feira (15), o ministro Rui Costa, da Casa Civil, apresentou medidas para dar moradia às famílias vítimas das chuvas em visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao estado. Uma das ações é a chamada compra assistida de imóveis usados (veja mais abaixo as outras ações previstas). Neste programa, a família indica uma casa já existente ao governo, a União compra a casa e entrega à família. Outra possibilidade é o repasse de casas e apartamentos ainda em construção.

Aluguel rende mais nos apartamentos de apenas um dormitório – entenda o por quê
em Exame, 21/maio

O aluguel mais interessante em termos de rentabilidade é o que vem dos apartamentos de um dormitório. A conclusão é do Índice FipeZAP, que mensalmente analisa a dinâmica de preços em 50 cidades selecionadas. Com base em dados de abril de 2024, o retorno médio do aluguel residencial dos apartamentos de um dormitório ficou em 6,57% ao ano – acima da taxa de juros real, que ficou em 6,41% nos cálculos do índice. Esse tipo de imóvel também se destaca na média dos imóveis para locação, cuja rentabilidade ficou em 5,86% ao ano. As menos rentáveis foram as propriedades com quatro ou mais dormitórios, que tiveram rentabilidade de 4,56% ao ano.

20 de maio de 2024

Associados ADEMI

Barra Olímpica: o IPTU vai aumentar? Como fica o CEP? Veja o que muda na vida de quem mora e quem investe no novo bairro do Rio
em O Globo, 19/maio

Ainda não dá para notar a diferença, mas, desde o fim de 2022 o Rio de Janeiro tem um novo bairro, o Barra Olímpica. A situação, porém, deve mudar nos próximos meses. Com a regulamentação, no início do mês passado, da lei nº 7.646, que o criou, as mudanças neste trecho desmembrado da Barra da Tijuca, onde impera o Parque Olímpico, vive a expectativa de mudanças. O mercado imobiliário vibra com a possibilidade de valorização de terrenos e imóveis, assim como estabelecimentos comerciais esperam que o movimento, inclusive de turistas, aumente. Responsável pela construção de diversos bairros planejados na Barra, incluindo o Ilha Pura e outros residenciais na área do Centro Metropolitano, a construtora Carvalho Hosken acredita que discussões em torno dos projetos e sua aprovação pelos órgãos públicos serão facilitadas. — A unificação na XXIV R.A. faz com que todos os terrenos da região estejam sujeitos à mesma legislação, sendo aprovados pelos mesmos órgãos, o que facilita muito o andamento dos projetos. Atualmente, nós temos a segunda fase do Grand Quartier, lançamento na última quadra do Rio2 em parceria com a Patrimar, além de outros estudos em desenvolvimento na região do Outeiro — explica Amanda Cabral, head de Incorporação e Marketing da Carvalho Hosken.

Notícias

Rio negocia construção do Parque do Porto, nova área de lazer na Zona Portuária com ilhas artificiais na Baía de Guanabara
em G1, 19/maio

A Prefeitura do Rio de Janeiro negocia com o Governo Federal a construção do Parque do Porto, na Zona Portuária. O projeto conta com uma série de praças flutuantes com áreas verdes. O terreno onde o poder municipal pretende instalar o parque é da União. O prefeito Eduardo Paes falou sobre o projeto na manhã deste domingo (19), durante a inauguração do Terminal Mato Alto do BRT, e o definiu como o “Parque do Flamengo do século XXI”.

Entram em vigor hoje regras mais restritivas para compra de imóveis usados por quem tem renda mais alta
em Extra, 18/maio

A partir deste sábado (dia 18), entram em vigor regras mais restritivas para a compra de imóveis usados por famílias com renda mais alta. O objetivo do governo é direcionar mais verbas para os financiamentos de famílias com rendimento mensal menor — de até R$ 4.400 —, realocando para este grupo mais recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A ideia é ampliar a compra de usados pelos que têm renda menor, já que estes têm menor oferta de imóveis novos.

Procura por imóveis novos segue crescendo e é mais forte no MCMV
em Valor Econômico, 19/maio

A procura por imóveis novos no país segue em tendência de alta, aponta o Indicador de Confiança do Setor Imobiliário Residencial, feito trimestralmente pela consultoria Deloitte e a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias). Participaram do levantamento 48 empresas do setor imobiliário. As empresas que trabalham com imóveis do Minha Casa, Minha Vida (MCMV) sentiram um aumento maior (2,54) do que a média, enquanto as companhias de médio e alto padrão registraram nota 2, que aponta para manutenção do nível de procura.

O que ocorre se o juro do financiamento imobiliário cair?
em Valor Investe, 19/maio

A queda de juros não é boa somente para estimular a economia e deixar as dívidas mais baratas. Ela tem também o poder de inclusão, de ampliar o acesso ao crédito. No caso do financiamento imobiliário, a cada ponto de redução na taxa de juros, 300 mil famílias se tornam aptas a solicitar o crédito, afirma Luiz Antônio França, presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). "A cada ponto percentual de queda, você inclui 300 mil famílias. Por isso que o mercado de baixa renda funciona, porque ele tem custo inferior às taxas tradicionais", afirma o executivo, durante evento do banco Inter sobre mercado imobiliário.

O metro quadrado mais caro do país não está em SP; Santa Catarina lidera ranking com 4 cidades no topo
em Money Times, 18/maio

Em um ranking com as cinco cidades com o metro quadrado mais caro do Brasil, Santa Catarina aparece com quatro candidatas disputando o primeiro lugar. Ao contrário do que muitos pensam, Rio de Janeiro e São Paulo nem aparecem na seleção. Apesar de disputarem entre suas conterrâneas a coroa, Balneário Camboriú não só se destaca como é o motivo principal para que as outras cidades da região estejam no levantamento produzido pela FipeZap de abril.

Em 1º tri positivo, incorporadoras mais do que dobram lucro
em Valor Econômico, 20/maio

A temporada de resultados do primeiro trimestre terminou com números, em geral, positivos para as incorporadoras, e mais ainda para aquelas que atuam no Minha Casa, Minha Vida (MCMV). A Cury, que vinha sendo elogiada pelo desempenho operacional e financeiro, também teve outro trimestre forte.

Duque de Caxias entra no foco das construtoras
em Extra - Morar Bem, 19/maio

Município da Baixada Fluminense com cerca de um milhão de habitantes, Duque de Caxias entrou no foco das construtoras atentas ao perfil de renda e à demanda da população por unidades enquadradas no programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Os lançamentos estão localizados na região central e em outras mais afastadas, onde os bairros são planejados para oferecer infraestrutura de lazer e serviços aos moradores.

17 de maio de 2024

ADEMI-RJ na imprensa

Por que as ações da Gafisa (GFSA3) subiram 24,5% na bolsa hoje?
em Valor Econômico, 16/maio

Depois de registrar um lucro líquido de R$ 19,8 milhões no primeiro trimestre, frente ao prejuízo de R$ 34 milhões apresentado um ano antes, as ações da Gafisa apresentam forte valorização, sendo a maior alta na bolsa hoje (16). O avanço foi de 24,48%, a R$ 5,95.

Notícias

Mais de 170 mil novos imóveis vendidos no país
em O Dia, 16/maio

A venda de novos imóveis no país chegou a 173.352 unidades, avanço de 40,4% no acumulado de 12 meses, encerrados em fevereiro, de acordo com o indicador Abrainc-Fipe. Segundo o estudo, realizado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, o resultado foi o melhor da série iniciada em 2014.

Desaceleração na queda da Selic não deve atrapalhar mercado imobiliário
em Estadão Imóveis, 15/maio

Na última semana, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou a redução da taxa básica de juros de 10,75% para 10,50%. O número indica a manutenção da tendência de queda da inflação e impacta o valor do crédito para financiamento de imóveis. O mercado imobiliário demonstra otimismo com o cenário, mas a redução da intensidade acende um sinal de alerta. Confira na íntegra!

Rui Costa diz que governo fará compra assistida de imóveis usados para todos que perderam casas no RS
em Valor Econômico, 15/maio

O governo federal anunciou hoje a compra "assistida" de imóveis usados para as famílias gaúchas que perderam suas casas nas enchentes das últimas semanas. Ele fez o anúncio em evento em São Leopoldo, para onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou uma comitiva de ministros para fazer anúncios de socorro à população do Estado. "Vamos fazer a compra assistida de imóveis usados para 100% dos que perderam suas casas", disse Rui Costa. "Aquelas pessoas que estão em abrigo ou nas casas de familiares já podem procurar uma casa à venda. O governo federal vai comprar a casa, via Caixa, e entregar à pessoa", explicou.

Estudo mostra que déficit habitacional no Rio é o maior dos últimos anos: mais de meio milhão de moradias
em O Globo, 15/maio

O estado do Rio possui déficit habitacional de 544.275 domicílios, dos quais 409.640 estão concentrados na Região Metropolitana. O número é o maior desde 2016, e supera o total de 521.448 registrados em 2018. A informação consta de estudo divulgado nesta quarta-feira pela Fundação João Pinheiro (FJP), instituição de pesquisa e ensino vinculada à secretaria estadual de Planejamento e Gestão de Minas Gerais que, desde 1995, realiza o cálculo no país. O relatório atual tem como base números de 2022 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PnadC), do IBGE e dados Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Juros elevados geraram efeito montanha-russa no mercado imobiliário, diz OLX
em Folha de São Paulo, 15/maio

As vendas de apartamentos acima de R$ 1 milhão e abaixo de R$ 350 mil foram as que mais cresceram no ano passado na capital paulista, o que deixou a classe média sem muitas opções em áreas mais nobres da cidade. Segundo o Anuário DataZAP, elaborado pelo braço de inteligência imobiliária do Grupo OLX, os imóveis de alto padrão registraram um crescimento de 72% nas vendas —totalizando 6.158 apartamentos. Na outra ponta, a comercialização de imóveis mais econômicos, de até R$ 350 mil, teve alta de 13% — 40.524 unidades.

15 de maio de 2024

Interesse nacional

Cresce número de imóveis vendidos com desconto no país; veja taxa média
em IstoÉ Dinheiro, 15/maio

O número de imóveis vendidos com desconto chegou a 68% no primeiro trimestre deste ano, aponta a pesquisa Raio-X FipeZAP. O percentual é mais alto do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando compradores relataram desconto em 53% das negociações. O desconto é um impulsionador importante no mercado principalmente no contexto de taxas de juros ainda altas, diz Daniele Akamine, advogada especialista em mercado imobiliário. Essa condição favorável tem impacto no “valor financiado, que se reflete em pagamentos mais baixos ou em uma capacidade maior de pagamento para o comprador”, explica.

Notícias

Como será a tributação de empréstimos, planos de saúde, combustíveis e imóveis
em Folha de São Paulo, 13/maio

A reforma tributária aprovada em 2023 previu a criação de regras especiais para alguns bens e serviços. Entre eles, imóveis, planos de saúde, combustíveis e serviços financeiros. A proposta do governo para regulamentar esses regimes específicos foi apresentada ao Congresso em abril. Veja como seria a tributação desses setores a partir de 2027.

Averbação de imóveis: o que é, para que serve e como fazer?
em Casa e Jardim - Globo, 14/maio

A averbação de imóveis é um procedimento importante no mercado imobiliário, pois garante segurança jurídica a quem tem um imóvel como investimento. Em contrapartida, muita gente tem dúvidas sobre o processo. Por isso, reunimos aqui informações como o que é a averbação de imóveis, para que serve e como e quando fazê-la.

Conheça a Housi, serviço de prédio inteligente que busca zerar valor de condomínio
em IstoÉ Dinheiro, 13/maio

A empresa já está presente em mais de 150 cidades no Brasil e seu serviço está instalado em mais de 200 mil apartamentos. A Housi oferece aos prédios um aplicativo que conecta o morador a uma série de serviços e produtos como lavanderia coletiva, carro e bicicletas compartilhadas, mini mercados e o que mais o edifício demandar. “Quando você tem um computador ou um celular, ele não é nada sem o sistema operacional. Você só consegue baixar programas e aplicativos se você tiver o Android ou o Windows instalado. A gente enxerga que um prédio é um hardware e que precisa de um sistema operacional para ficar inteligente. Aí que a gente entra”, explica Frankel em entrevista à IstoÉ Dinheiro.

Preço do aluguel desacelera na maioria das capitais, chegando a menor aumento de valor em um ano e maio
em Extra, 13/maio

O mercado imobiliário brasileiro inicia o ano de 2024 com sinais de desaceleração nos preços dos novos contratos de aluguel em diversas capitais do país, revelou o mais recente levantamento do Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb, divulgado nesta segunda-feira (dia 13). Dados do Índice de Aluguel QuintoAndar Imovelweb indicam que a alta dos preços de aluguel atingiu 15,07% nos últimos 12 meses, encerrados em abril. “Essa tendência indica uma possível mudança de ciclo no mercado de locação residencial, após um período prolongado de altas substanciais. O mercado não está retraindo, mas crescendo de modo mais lento neste início de ano. Trata-se de um possível ajuste após períodos de alta intensidade”, destaca Thiago Reis, gerente de Dados do Grupo QuintoAndar.

13 de maio de 2024

Associados ADEMI

A conquista do Oeste: empreiteiro que mudou a paisagem da Barra faz 100 anos
em O Globo, 12/maio

Dono da construtora Carvalho Hosken, o engenheiro foi pioneiro ao apostar na Barra como reduto de moradores das classes média e média alta. Por sua influência, o “sertão” virou a “Miami carioca”. Carlos é o remanescente de um grupo de quatro empresários que compraram terras, a custo baixo, para levantar projetos residenciais e comerciais na região. Nesta corrida do ouro rumo à Zona Oeste, também chegaram na frente Múcio Athayde (1936-2010), o italiano Pasquale Mauro (1927-2016) e o cingapuriano Tjong Hiong Oei (1922-2012), conhecido como o “Chinês da Barra”. — Diferentemente dos outros investidores, Carlos sempre se preocupou em desenvolver parcerias que mantivessem essas áreas valorizadas — diz o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), Claudio Hermolin.

Notícias

Lançamentos no Rio disputam o título de campeão de vendas
em O Globo, 12/maio

Com o mercado imobiliário aquecido no Rio de Janeiro em decorrência da progressiva queda nas taxas de juros e da estabilidade econômica, as incorporadoras começam a observar um novo nicho entre os residenciais: os campeões de vendas. São prédios que, poucas horas depois de lançados, têm mais de 90% das unidades vendidas. Cada vez mais, portanto, a agilidade na hora de decidir pela compra é sinônimo de realizar o sonho de ser dono ‘daquele' apartamento. Há alguns anos, no lançamento do Jardim Botafogo, em frente ao Shopping RioSul, parceria do Opportunity Imobiliário com a Performance Empreendimentos Imobiliários, a fila no estande começou a ser formada 48 horas antes. O empreendimento é considerado um case de sucesso no mercado, porque, embora Botafogo seja um dos bairros com mais lançamentos na cidade, havia anos que a região não recebia um condomínio com área de lazer tão extensa: mais de oito mil metros quadrados.

Estação da Leopoldina vai ser restaurada, ganhar habitações, centro de convenções e Fábrica do Samba
em Prefeitura do Rio, 11/maio

Foi assinado nesta sexta-feira (10/5), a cessão da antiga Estação Ferroviária Leopoldina, na Avenida Francisco Bicalho, no Santo Cristo. Com a celebração do termo, o município pode agora dar andamento ao processo licitatório para a restauração do prédio histórico, também conhecido como Estação Barão de Mauá, em homenagem ao pioneiro do transporte ferroviário no Brasil. Prefeitura do Rio e União assinaram ainda o termo de guarda do terreno da estação, de cerca de 125 mil metros quadrados, onde serão erguidos empreendimentos com 700 unidades habitacionais, equipamentos públicos de Saúde e Educação, um centro de convenções e a Fábrica do Samba, com 14 galpões para abrigar as agremiações da Série Ouro. Participaram do evento o prefeito Eduardo Paes e a ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), Esther Dweck, entre outras autoridades.

Setor de imóveis busca alterações no projeto que regulamenta a reforma
em Valor Econômico, 13/maio

O governo dialoga com o setor imobiliário sobre possíveis alterações no Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 68, que regulamenta a reforma tributária aprovada no ano passado. O texto cria um regime específico para as empresas, mas há pontos de preocupação. Tributaristas ouvidos pelo Valor veem risco de aumento da carga, a depender de como funcionará, na prática, o sistema de débitos e créditos instituído pela reforma. Entre advogados tributaristas, há a preocupação de que o regime específico acabe levando a aumento de tributação no setor, a depender de como vai funcionar o aproveitamento de créditos.

Construtoras fazem leilões de itens de apartamentos decorados e móveis e eletros ficam até 90% mais baratos
em Extra, 12/maio

Para além de atrair quem está à procura da casa própria, os lançamentos imobiliários podem ser ainda uma oportunidade para quem busca economizar na hora de mobiliar o imóvel novo. Através dos leilões de itens dos apartamentos decorados das construtoras, é possível encontrar móveis e eletrodomésticos nunca usados até 90% mais baratos que o preço de mercado. CEO do site Kwara, Thiago da Mata diz que as construtoras passaram a adotar o leilão como uma ferramenta de estratégia de incorporação. Na última semana, a empresa encerrou o leilão de itens de decoração de um empreendimento da construtora Cury no Cachambi, Zona Norte do Rio.

Casa própria: veja 29 ofertas de imóveis na planta no Rio e na Região Metropolitana por até R$ 350 mil
em Extra, 12/maio

Com as quedas de juros, melhorias no mercado de trabalho e possibilidade do uso do FGTS Futuro na compra da casa própria, o mercado imobiliário está mais aquecido. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o financiamento imobiliário com recursos da poupança somou R$ 12,9 bilhões em março na aquisição de 40.300 imóveis — um crescimento de 23,3% em relação a fevereiro. No Rio, o panorama também é positivo. O Secovi-Rio contabiliza que, somente nos primeiros dois meses de 2024, foram vendidas 7.914 unidades — 55% a mais do que os 5.092 negócios fechados no mesmo período de 2023. Neste caso, os dados incluem tanto lançamentos quanto imóveis usados.

Banco leiloa mais de 170 imóveis em 17 estados, com lances a partir de R$ 58 mil
em Valor Imóveis, 11/maio

O Santander, em parceria com a Biasi Leilões, realiza no próximo dia 15 de maio, a partir das 11h, o leilão on-line de 171 imóveis, localizados em 17 estados. Segundo a nota, os lances mínimos variam entre R$ 58 mil e R$ 2,6 milhões e todos os imóveis terão IPTU e condomínio quitados pelo banco até a data do leilão.

10 de maio de 2024

Interesse nacional

Empresas buscam segmentação para atender a alta renda
em Valor Econômico, 10/maio

Com segmentação de portfólio, seleção e treinamento de profissionais mais gabaritados para a missão, as empresas têm trabalhado para dar a César o que é de César, separando no portfólio o que de fato é produto de categoria superior, além de qualificar as tropas comerciais para conquistar novos clientes. O caso mais recente é a LPS — Luxury Properties Selection, a nova divisão de propriedades de luxo da Lopes Consultoria de Imóveis. Lançada no fim de abril, a plataforma reúne sete mil casas e apartamentos selecionados na base total da corretora, que tem cerca de 91 mil unidades cadastradas. A nota de corte foi o preço: a carteira contém apenas propriedades a partir de R$ 5 milhões. “Identificamos uma lacuna interna no atendimento ao cliente de alto padrão e fizemos essa seleção que estava sendo ofertada junto a produtos de outras categorias, para ajudar o interessado a encontrar mais rapidamente os imóveis premium”, explica o diretor institucional da Lopes, Cyro Naufel. A estratégia incluiu a escolha de 80 corretores para integrar a nova operação. Redes sociais e site exclusivos também foram criados para separar os “leads”.

Notícias

Cyrela (CYRE3) reporta lucro líquido de R$ 267 milhões no primeiro trimestre (1T24)
em Money Times, 9/maio

A Cyrela (CYRE3) fechou o primeiro trimestre (1T24) com lucro líquido de R$ 267 milhões. O resultado é 63% maior que os R$ 164 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. Apesar disso, o número ficou abaixo das estimativas do mercado, que apontavam para R$ 299 milhões, segundo a Bloomberg. A receita líquida alcançou R$ 1,57 bilhão. Com isso, ficou 23% acima do R$ 1,3 bilhão de 12 meses atrás. As vendas totais contratadas alcançaram R$ 2,1 bilhões. A cifra indica uma alta de 39% sobre o R$ 1,5 bilhão do primeiro trimestre de 2023.

Abrainc: É necessário que BC siga comprometido com a redução na Selic no longo prazo
em IstoÉ Dinheiro, 8/maio

A Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) publicou uma nota afirmando que, a despeito da queda no ritmo de cortes na taxa básica de juros (Selic), é necessário que o Banco Central mantenha esse objetivo no longo prazo. “É necessário que o Banco Central siga comprometido com a redução na Selic no longo prazo de forma sustentável. O Brasil ainda tem a segunda maior taxa de juros real do mundo, o que é um grande entrave para o crescimento econômico do País”, afirmou a instituição.

Conselho do PPI recomenda ao presidente retirada da Emgea do programa de desestatização
em Valor Econômico, 8/maio

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) recomendou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a exclusão da Empresa Gestora de Ativos (Emgea) do Programa de Nacional de Desestatização (PND), assim como a revogação de sua qualificação do Programa De Parcerias de Investimentos. A decisão consta de resolução do CPPI publicada nesta quarta-feira (08) no Diário Oficial da União. A retirada da Emgea da lista do Programa Nacional de Desestatização e do Programa de Parcerias de Investimento já era esperada porque a companhia ganhou uma nova atribuição com o lançamento em abril do Programa Acredita, que tem como objetivo alavancar as operações de crédito.

Baixa oferta de imóveis novos impulsiona mercado de usados
em Valor Econômico, 10/maio

O mercado de imóveis usados de alto padrão no Rio de Janeiro está em plena ebulição, alavancado pela busca crescente de propriedades em bairros nobres da Zona Sul por investidores locais e estrangeiros. A boa fase da economia — com tendência de redução da taxa de juros e controle da inflação — e a valorização dos imóveis na região impulsionam a demanda, fortalecida ainda pela redução da oferta no setor primário. O presidente do Sinduscon-Rio, Claudio Hermolin, concorda que o segmento de compra e venda de imóveis usados de alto padrão vem registrando aumento no volume de transações e valorização em razão dos poucos lançamentos.

8 de maio de 2024

Associados ADEMI

O centenário do fundador da Carvalho Hosken, o ‘dono da Barra da Tijuca’
em O Globo, 7/maio

Carlos Fernando de Carvalho, fundador da construtora Carvalho Hosken e que já foi chamado de “dono da Barra da Tijuca”, completa cem anos no próximo dia 28. Dias antes, vai receber do prefeito Eduardo Paes o título de “cidadão benemérito do Rio” em cerimônia no Hilton Barra, um dos ativos da construtora. Na ocasião, Padre Jorjão, da Paróquia de Nossa Senhora da Paz, rezará uma missa.

Notícias

Cury surfa ‘boa onda’ para construção e vê lucro saltar 63,8%
em Exame, 8/maio

A Cury (CURY3) tem aproveitado a boa onda do setor construtivo para manter os resultados em níveis recordes. A construtora e incorporadora teve um saldo de 63,8% no lucro líquido no primeiro trimestre deste ano, para R$ 154,1 milhões. A receita líquida somou R$ 837,4 milhões no período, um aumento de 40,7% frente ao primeiro trimestre do ano passado. A margem líquida, que compara o lucro com a receita, cresceu 2,6 pontos percentuais (p.p.), para 18,4%. “Apresentamos mais um resultado de recordes, mas o mais importante é continuar crescendo com qualidade. Um grande ponto é a margem líquida, que traduz essa qualidade e mostra como estamos aproveitando o crescimento do mercado a nosso favor”, afirmou Leonardo Mesquita, diretor vice-presidente comercial da Cury, em entrevista à EXAME.

Veja quais foram as cidades mais valorizadas desde o fim da pandemia
em Estadão Imóveis, 7/maio

No dia 05 de maio de 2023, a OMS publicou um decreto anunciando o fim da pandemia de coronavírus que paralisou o mundo e causou milhões de vítimas fatais em todo o mundo. Era o fim oficial de uma crise que afetou, também, o mercado imobiliário, estimulando uma mudança de comportamento sem precedentes no público comprador. Desde aquele anúncio, há 12 meses, o setor apresentou uma valorização de 5,76%, segundo o Índice FipeZAP de Venda Residencial de abril, do DataZAP. Nenhuma cidade brasileira valorizou tanto desde o fim da pandemia quanto São José, no litoral de Santa Catarina. O município registrou uma variação positiva de 17,06% nos últimos 12 meses.

Variação no preço dos imóveis novos e usados fica abaixo da inflação em abril
em Band RJ, 7/maio

A variação no preço dos imóveis novos e usados no Rio de Janeiro ficou abaixo da inflação no mês de abril. Segundo o Índice FipeZAP, que analisa os valores de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, o metro quadrado no Rio ficou 0,18% mais caro no mês passado, enquanto a inflação registrada pelo IBGE foi de 0,21%. Entre as 16 capitais pesquisadas, a capital fluminense apresenta o crescimento mais tímido nos preços.

Reforma Tributária vai afetar preço de imóvel novo? Entenda
em O Globo, 7/maio

As regras propostas pelo governo na regulamentação da Reforma Tributária deverão reduzir a tributação sobre imóveis de interesse social, como moradias do Minha Casa, Minha Vida. Por outro lado, a tendência é que o imposto seja maior para imóveis de alto padrão — trazendo para o setor imobiliário o conceito de progressividade tributária, ou seja, alíquotas maiores para propriedades mais caras. O setor da construção teme elevação da carga tributária. As mudanças valem para as incorporadoras, ou seja, para novos empreendimentos, mas não afetam a venda de imóveis por pessoas físicas — que continuam pagando o Imposto de Renda sobre o ganho de capital.

Quintas da CBIC debaterá mercado imobiliário funding para construtoras e incorporadoras
em Agência CBIC, 6/maio

No dia 09 de maio, às 17h, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) promoverá mais uma edição do Quintas da CBIC. O evento será transmitido ao vivo pelo canal da CBIC no YouTube. Desta vez, o tema em discussão será “Mercado imobiliário funding para construtoras e incorporadoras”.

6 de maio de 2024

Associados ADEMI

’Rooftop’, biometria e carregador para carro elétrico: veja as novidades tecnológicas de prédios residenciais
em O Globo, 6/maio

Em São Paulo, um empreendimento da Cyrela na Vila Clementino, que ficou pronto em janeiro, também apostou no rooftop. Próximo ao Parque Ibirapuera, o prédio tem estúdios de 25m² a 30m2 e apartamentos de dois quartos de 50m² a 90m2, que podem ser alugados por uma noite ou para morar. Comprado pelo fundo Vectis Gestão, o empreendimento é administrado pela startup Charlie. — Estamos constantemente atentos às tendências que valorizem nossos empreendimentos, como espaços de lazer diferenciados — diz Alexandre Dentes, gerente-geral de Negócios da Cyrela.

Notícias

Plataforma que aumenta comissão de corretor quase quadruplica vendas em um ano
em Valor Econômico, 4/maio

A companhia tem um sistema de listagem de imóveis, hoje com 17 mil casas e apartamentos, captados pelos corretores associados. Esses corretores podem fazer parcerias entre si para vender os imóveis, e dividir as comissões. Também tem sido comum a formação de grupos de corretores, conta, que antes eram autônomos e passaram a trabalhar em conjunto ao se conhecerem no negócio. A empresa tenta atrair corretores de imóveis de alto padrão que atuavam com imobiliárias ou que já faziam seu trabalho de forma autônoma. Conseguiu reunir 400 até o momento, que trabalham de forma exclusiva com a plataforma. A Pilar fica com 10% a 15% da comissão pela unidade vendida.

Investidor que compra imóvel para reformar e revender pode ter lucro de 30%; entenda como funciona
em Estadão, 4/maio

Comprar casas ou apartamentos para alugar e ter um complemento de renda é uma das formas mais tradicionais de investimento dos brasileiros. Agora, essa prática vem sendo aperfeiçoada, com a aquisição de imóveis para reformar e vender posteriormente, como ocorre com frequência nos Estados Unidos. A atividade é chamada house flipping, no jargão do setor, e se refere a encontrar boas oportunidades de aquisições de imóveis, especialmente residenciais, a preços atrativos para reformá-los e revendê-los. A prática gera lucros entre 20% e 30% em um tempo médio de 12 meses.

Startup vende cotas de casas na praia e no campo
em UOL Economia, 5/maio

Ter uma casa na praia ou no campo, mas sem gastar tanto. Essa é a proposta básica da startup MyDoor, que vende cotas de residências de luxo para que os proprietários compartilhem o imóvel. Os clientes, em geral de alto padrão, pagam por cotas que variam de R$ 400 mil a R$ 5 milhões, para usar as casas por um número determinado de dias no ano. A ideia surgiu quando o engenheiro Roberto Pinheiro, fundador e CEO da empresa, identificou que, além de investir muito na compra do imóvel, quem buscava por uma segunda residência precisava arcar com manutenções constantes, sem contar com o fato de sempre estar "preso" ao mesmo endereço.

Plaquinhas na rua? Como funciona o marketing no mercado imobiliário
em Metrópoles, 4/maio

As placas de rua penduradas em frente aos imóveis residenciais ou comerciais com telefone de imobiliárias ou proprietários podem parecer bastante ultrapassadas para quem está acostumado a resolver tudo via smartphone. O estranhamento que permeia, principalmente, para os jovens, faz sentido. Afinal, quantos sites existem atualmente que facilitam o processo de aquisição ou locação? Quando refletimos sobre o assunto, há questionamentos até sobre a efetividade da estratégia. Mas, acredite se quiser, embora pareça ultrapassada, pode ser excelente, ainda mais quando aliada com a tecnologia. Confira na íntegra a análise!

3 de Maio de 2024

ADEMI-RJ na imprensa

Presidente da ADEMI Marcos Saceanu destaca importância do debate para implantação do Plano Diretor do Rio de Janeiro
em Última Hora, 2/maio

No evento realizado no Fairmont pela Ademi e Sinduscon-Rio com apoio da Lide e patrocínio Firjan, o debate sobre o Plano Diretor da Cidade trouxe à tona questões cruciais para o desenvolvimento urbano do Rio de Janeiro. Marcos Saceanu, reconhecido representante do setor, participou ativamente das discussões, enfatizando a necessidade do diálogo entre o setor público e privado na construção de legislações mais eficazes. O evento, que contou com a presença de líderes do governo, discutiu a revisão do plano diretor, um marco para a cidade. Saceanu ressaltou a relevância das 1200 emendas propostas ao projeto, refletindo um intenso trabalho de colaboração entre os poderes executivo e legislativo. Confira a entrevista em vídeo na íntegra!

Notícias

Novo Plano Diretor da Cidade do Rio
em TV Band Rio, 2/maio

Foi apresentado nesta quinta-feira o novo plano diretor da cidade do Rio, com objetivo de organizar o espaço territorial da cidade pelos próximos 10 anos.

Eduardo Paes destaca avanços do Novo Plano Diretor do Rio de Janeiro em evento da Ademi e Sinduscon-Rio com apoio da Lide e Firjan no Fairmont
em Última Hora, 2/maio

Diretamente do Fairmont, no evento realizado pela Ademi e Sinduscon-Rio com apoio da Lide e patrocínio da Firjan, autoridades municipais e representantes do setor privado se reuniram para discutir os desdobramentos do Novo Plano Diretor do Rio de Janeiro. O evento contou com a presença do prefeito Eduardo Paes, um dos grandes incentivadores dessa iniciativa que promete redefinir o futuro urbanístico da cidade. Durante o evento, Eduardo Paes destacou os avanços do Novo Plano Diretor, ressaltando a importância da integração entre o setor público e privado na sua elaboração e implementação. "Essa união é fundamental. Quem toca a economia, quem paga impostos para sustentar o poder público, quem gera empregos é o setor privado", enfatizou o prefeito. Confira a entrevista em vídeo na íntegra!

Mais de 28 mil empregos abertos na construção civil
em O Dia, 2/maio

A construção civil permanece avançando na geração de empregos no país. Em março, foram abertas 28.666 vagas, crescimento de 1,01% na comparação com fevereiro. De acordo com dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, o segmento registrou 109.911 novos empregos no primeiro trimestre, alta de 4%. Já no acumulado de 12 meses até março, o total foi de 173.350 vagas (6,53%). O estudo indica ainda que a construção civil foi o quarto setor que mais gerou oportunidades de trabalho em março, ficando atrás de Serviços (148.722), Comércio (37.493) e Indústria (35.886).

Fazenda quer acelerar integração de cadastro de imóveis para enfrentar fraudes e aumentar arrecadação
em UOL Economia, 2/maio

O Ministério da Fazenda incluiu em seu plano estratégico um projeto da Receita Federal para integrar todos os cadastros imobiliários do país, hoje fragmentados em diferentes bancos de dados e cartórios, criando uma espécie de CPF — um registro único — para cada imóvel urbano ou rural do país. Ao acelerar a iniciativa, o governo espera reduzir casos de fraudes e lavagem de dinheiro, aumentar a eficiência do controle de fronteiras e ações de proteção ambiental, e fechar brechas tributárias para ampliar a arrecadação, disse à Reuters o coordenador geral de Cadastros e Benefícios Fiscais da Receita, Rériton Gomes.

Reforma tributária: como será o imposto na construção, venda e aluguel de imóveis
em Folha de São Paulo, 2/maio

A proposta de regulamentação da reforma tributária apresentada pelo governo trouxe como principal novidade para o setor da construção civil a progressividade no pagamento dos novos tributos sobre bens e serviços: a contribuição federal CBS e o imposto de estados e municípios IBS. Nesse cenário, o imposto a ser pago seria de 21,2% sobre o valor da venda de imóveis novos, o equivalente a 80% da alíquota cheia. A progressividade— quanto maior o valor do imóvel, maior o tributo em termos proporcionais— foi definida pelo Ministério da Fazenda com a criação de um "redutor social", estipulado em R$ 100 mil. Com isso, os imóveis novos de alto padrão serão mais tributados que os populares, o que deve baratear especialmente aqueles construídos no âmbito do programa Minha Casa Minha Vida.

Rio de Janeiro registra a abertura de mais de 24,4 mil novas vagas com carteira assinada em março
em O Dia, 2/maio

O Rio de Janeiro é a terceira unidade da Federação com maior saldo positivo em março de 2024 na geração de postos de trabalho com carteira assinada, de acordo com os dados do Novo Caged, divulgados na terça-feira, 30. Em todo o estado, foram criados 24.466 novos empregos e, com isso, apenas nos três primeiros meses deste ano, são 43,4 mil novas vagas. O Estado apresentou saldo positivo em todos os cinco grandes grupamentos de atividades econômicas. O destaque ficou com a área de Serviços, que registrou a geração de 16.020 novos postos. Em seguida aparece a Construção, com saldo de 3.101 vagas. O Comércio vem em terceiro lugar, com 2.748 novos postos, com a Indústria na quarta posição, com saldo de 2.483 vagas, e a Agropecuária fechando a lista, com a geração de 114 novos empregos.